Exorcismo

Padres Exorcistas explicam

Consagração a Virgem Maria

Escravidão a Santissima Virgem, Orações, Devoção

Formação para Jovens

Espiritualidade, sexualidade, diverção, oração

31 de mar de 2010

A ADVERTÊNCIA DE NOSSA SENHORA DE AKITA ! URGENTE














Imagem de Nossa Senhora de Akita(Bispo Ito à esquerda; Pe. Gobbi segura a imagem)


Em junho de 1988, o Cardeal Joseph Ratzinger, Prefeito da Congregação para a Doutrina da Fé, proferiu julgamento definitivo sobre os eventos e mensagens de Akita como confiáveis e dignos de fé.

Em 1984, logo antes se aposentar a uma idade venerável, o Bispo diocesano de Niigata, Bispo John Shojiro Ito, em consulta com a Congregação para a Doutrina da Fé, escreveu uma carta pastoral na qual ele reconheceu como sendo autêntica, a série extraordinária de eventos que tiveram lugar de 1973 a 1981 em um convento dentro de sua diocese, eram reconhecidas as aparições da Mãe de Deus em Akita, Japão. A aparição foi considerada autêntica, como foram Lourdes, La Salette ou Fátima.
A mensagem de Akita, reconhecida pelo Bispo John Ito, é uma continuação do que fora reverlado em Fátima. O castigo ameaçado é verdadeiramente terrível – muito pior que a possibilidade de aniquilação de várias nações profetizada em Fátima. Akita é absolutamente consistente com profecias da Escritura e de outros avisos feitos pela Virgem.
A primeira mensagem recebida pela monja Agnes Katsuko Sasagawa em 6 de junho de 1973, era um chamado à oração e a sacrifícios para a glória do Pai e salvação de almas. A segunda mensagem, 3 de agosto de 1973, era para oração, penitência e sacrifícios corajosos para atenuar a ira do Pai diante da iniquidade dos homens.
A terceira mensagem, 13 de outubro de 1973, por sinal, aniversário da última aparição e do milagre em Fátima foi como segue abaixo:
" Como eu lhe falei, se os homens não se arrependem e se melhoram, o Pai infligirá um castigo terrível a toda humanidade. Será um castigo maior que o dilúvio, como nunca se terá visto antes. Fogo cairá do céu e exterminará uma grande parte de humanidade, tanto bons como maus, não poupando nem padres e nem crentes. Os sobreviventes, diante da calamidade invejarão os mortos. Empunhe sempre o Rosário, ele é o grande recurso oferecido por meu Filho. Cada dia, recite as orações do Rosário. Reze pelo Papa, pelos bispos e pelos padres. O Diabo se infiltrará até mesmo na Igreja de tal um modo que haverá cardeais contra cardeais, e bispos contra bispos. Serão desprezados os padres que me veneram e terão opositores em todos os lugares. Haverá vandalismo nas Igrejas e altares. A Igreja estará cercada de asseclas do demônio que conduzirá muitos padres a lhe consagrar a alma e abandonar o serviço do Senhor.
" O demônio especialmente dirigirá sua ira contra almas consagradas a Deus. O pensamento da perda de tantas almas é a causa de minha tristeza. Se os homens aumentarem ainda mais seus pecados em número e gravidade, já não haverá nenhum perdão para eles ".
Na carta pastoral do bispo John Ito aprovando os eventos de Akita como sobrenaturais, manifestou: " Depois das investigações conduzidas até o presente dia, é inegável o caráter sobrenatural de uma série de eventos inexplicáveis relativos à imagem da Virgem venerada em Akita (Diocese de Niigata). Por conseguinte eu autorizo que toda a diocese a mim confiada venere a Mãe Santa de Akita ".
Relativo às mensagens, disse: " Como o conteúdo das mensagens recebido, não é de nenhum modo contrário à doutrina católica ou à boa moral. Quando se observa o estado atual do mundo, a advertência parece corresponder a isto em muitos pontos ". O bispo explicou ainda que ele havia levado oito anos para dar este julgamento por causa da importância e responsabilidade em questão. " A Congregação da Doutrina para a Fé me deu diretivas nesta decisão, " o bispo disse, (bispo da Congregação para a Doutrina da Fé) " que só o bispo da diocese em questão tinha o poder para reconhecer um evento desta natureza".
Os eventos de Akita foram confirmados por milagres, sendo que dois são citados pelo Bispo em sua carta pastoral, um deles fora justamente a cura instantânea da irmã Agnes Sassagawa, que há muito padecia doente, já tendo sido submetida a mais de 20 cirurgias e estava praticamente surda. Enquanto a advertência dada por Nossa Senhora a Akita é terrível, a mensagem, como as considerações feitas pelo Bispo, é basicamente uma repetição da Mensagem de Fátima. Nossa Senhora acentuou a importância de rezar o Rosário, e acima de tudo confiar que Deus pode a cada dia mudar o curso das coisas. . . em qualquer sofrimento. . . oferecer em reparação de tantos pecados cometidos neste momento pelo mundo. Nossa Senhora especialmente implorou orações pelos bispos, padres, e religioso, e para reparação diante do Santíssimo Sacramento. Nossa Senhora disse: " Eu preveni a vinda de calamidades e ofereci ao Pai, junto com todas as almas dos mártires que O consolam, os sofrimentos suportados pelo meu Filho na Cruz, pelo seu sangue e pela sua Amorosa Alma. Oração, penitência, e sacrifícios corajosos podem diminuir a ira e a tristeza do Pai ".
Para pequena comunidade religiosa onde Nossa Senhora deu as mensagens, aconselhou Ela: " vivei a pobreza, santificai-vos e rezai em reparação pela ingratidão e pelas ofensas a Deus por parte de todos os homens ".
As aparições da Virgem em Akita foi das poucas reconhecidas no século XX pela Igreja, mas seu conteúdo e aviso são similares à de Fátima e a tantas outras ainda não reconhecidas nos dias de hoje. Em Anguera a Virgem igualmente nos chama à conversão imediata pois o tempo é curto, nos chama à vida de oração e submissão amorosa à vontade de Deus, mas igualmente nos avisa: “O mundo caminha para um grande abismo, se os homens não se converterem virá sobre o mundo um grande castigo”.
Em Fátima a Virgem profetizou: “Essa guerra logo terá fim (a 1ª guerra mundial), mas se os homens não se converterem virá outra ainda pior”. E realmente aconteceu, pouco mais de duas décadas depois eclodia a 2ª guerra mundial que ceifou milhões de vidas e mudou a face do mundo para sempre, da pior forma.
QUEM TIVER OUVIDOS PARA OUVIR, OUÇA !
Fonte: www.apelosurgentes.com.br

Estudantes católicos criticam mídia por acusações de pedofilia










31.03.2010 - Estudantes universitários católicos conservadores saíram em defesa do papa Bento 16 na quarta-feira, tachando de "semeadores de desconfiança" os jornalistas que vêm escrevendo sobre o abuso sexual de crianças por padres.
Cerca de 4.000 estudantes de todo o mundo, presentes em Roma para uma convenção, entregaram uma carta de apoio ao papa, durante sua audiência geral semanal na praça São Pedro.
Em seu discurso, o papa não fez referência direta ao escândalo que está atingindo a Igreja, mas disse que os padres devem sempre enviar uma mensagem de "esperança, reconciliação e paz".
Pertencentes ao grupo conservador católico Opus Dei, os universitários entregaram a Bento uma carta que diz: "Notamos que muitos tiraram vantagem de alguns episódios que são dolorosos para a Igreja e o papa para semear dúvidas e desconfianças."
"A esses semeadores da desconfiança, queremos dizer claramente que não aceitamos sua ideologia. Exigimos deles respeito por nossa fé e reconhecimento do direito que temos de viver como cristãos em uma sociedade plural."
As reações dos católicos ao escândalo dos abusos têm sido mistas. Uma pesquisa feita para a revista Stern mostrou que 19 por cento dos estimados 25 milhões de católicos da Alemanha estão pensando em abandonar a igreja devido à questão.
O Vaticano vem atacando a mídia pelo que descreveu como "tentativa ignóbil" de difamar o papa e seus mais altos assessores.
O Vaticano nega que tenha havido acobertamento do abuso de 200 meninos cegos nos Estados Unidos cometido pelo reverendo Lawrence Murphy entre os anos 1950 e 1960. O jornal The New York Times informou que o Vaticano e o cardeal Joseph Ratzinger, o atual papa Bento, foram avisados sobre Murphy mas que, mesmo assim, o padre não foi destituído de suas funções.
O Vaticano nega relatos segundo os quais o papa, quando foi arcebispo de Munique, em 1980, tenha tido envolvimento em uma decisão tomada por um subordinado de autorizar um padre que estava fazendo terapia por ter cometido abusos sexuais a retornar mais tarde a seus deveres pastorais.
Existe a expectativa no Vaticano de que o papa possa falar diretamente sobre o escândalo dos abusos nos próximos dias.
Fonte: Terra noticias

Bento, cinco anos sob ataque: Avaliação de um pontificado brilhante













30.03.2010 - ROMA- Paolo Rodari é um vaticanista italiano que estudou ciências políticas, filosofia e teologia. Ele escreveu no jornal Il Foglio um artigo titulado "Bento, cinco anos sob ataque" no qual explica como o Papa Bento XVI tende às decisões "impopulares" pelas quais é constante e infundadamente criticado por muitos meios e inclusive por alguns dentro da Igreja, e no qual ademais assinala uma série de temas essenciais deste brilhante pontificado.
Rodari começa seu artigo recordando as palavras do Santo Padre na audiência geral de 10 de março na qual falou sobre São Boaventura e o governo da Igreja. Para o santo, dizia, "governar não era simplesmente uma tarefa, mas sobre tudo um pensar e rezar. Para Boaventura ‘não se governa a Igreja apenas mediante ordens ou estruturas, e sim guiando e iluminando as almas’".
O vaticanista assinala logo que diante das "acusações sobre a gestão da Igreja que são fatos sempre importantes –as últimas vêm de um New York Times que informa os casos de dois sacerdotes, o americano Lawrence C. Murphy e o alemão Peter Hullermann, para pôr em discussão a Ratzinger Cardeal, prefeito do ex-Santo Ofício desde 1981– (o Papa) respondeu pondo em prática o ensino do teólogo franciscano. Ou apresentando seu próprio ‘pensamento iluminado’ como quer ser a carta pastoral à Igreja na Irlanda".
Depois de recordar o ataque da mídia contra Paulo VI e João Paulo II, Rodari explica que um primeiro ponto importante no pontificado de Bento XVI foi o discurso à cúria romana em dezembro de 2005 no qual explicava que o Concílio Vaticano não constitui uma ruptura com o passado, como afirmam alguns. Sua postura, sobre estes e outros temas, explica o vaticanista Benny Lay, "ainda hoje gera incômodo fora e dentro da Igreja".
O vaticanista comenta logo que muitos dos conteúdos do Santo Padre "geram incômodos e aversões. Inclusive no caso dos sacerdotes pedófilos: quanto incômodo gera, dentro da Igreja, o fato de que Ratzinger siga insistindo no celibato dos presbíteros? Diante disto o Papa não se decompõe. E tampouco o fez quando foi negada a possibilidade de falar na Universidade La Sapienza. Não se apresentou na sala magna mas igual enviou seu discurso e deixou um sinal. ‘Não quero impor a fé’, disse. E todos os jornais o fizeram titular".
"O mesmo aconteceu –prossegue– quando partiu para a África. Disse que a AIDS não pode ser superada com a distribuição do preservativo. Abriram-se os céus. A ‘inteligência’ laica de meia Europa o atacou. Mas disse uma coisa justa: para combater a AIDS só serve uma educação do homem que o leve a considerar o próprio corpo de um modo distinto. O oposto, em resumo, a uma concepção narcisista e auto-referencial da sexualidade".
Rodari comenta logo a reação de alguns ao seu discurso em Ratisbona sobre a fé e a razão: "tocou o elo existente entre a religião e a civilidade explicando que converter usando a violência é contrário à razão e Deus. A entrevista de uma frase de Manuel II Paleólogo, segundo o qual o Islã introduz somente ‘coisas más e desumanas como sua diretiva de defender por meio da espada a fé’ desencadeou a indignação do mundo muçulmano".
Aos críticos de sua decisão de liberalizar a Missa em latim com o motu próprio Sumorum Pontificum e o levantamento da excomunhão dos bispos lefebvristas, Rodari assinala que o Papa Bento XVI "não só fere quando fala, mas quando toma decisões que penetram no coração da Igreja" que não procuram um "retornismo" à época anterior do Concílio Vaticano II, mas que os católicos cresçam na comunhão eclesiástica.
O vaticanista italiano também comenta a decisão do Santo Padre de autorizar o decreto que reconhece as virtudes heróicas de Pio XII, apenas uns dias antes de sua visita à Sinagoga de Roma: "o mundo judeu reagiu, mas o Papa o decidiu e na sinagoga repete um conceito muitas vezes famoso: ‘a sé apostólica desenvolveu uma ação de socorro para muitos judeus, com freqüência de forma oculta e discreta’".
Rodari se refere logo à abertura da Igreja Católica aos milhares de anglicanos que querem voltar para a plena comunhão, decisão que tampouco agradou a alguns. Com a constituição apostólica Anglicanorum Coetibus Bento XVI abre as portas a estes irmãos e recordou aos bispos da Inglaterra seu convencimento de que "estes grupos serão uma bênção para toda a Igreja".
Finalmente o vaticanista se refere ao comentário de Piero Gheddo do Pontifício Instituto para as Missões Estrangeiras (PIME): "viajei pelo mundo e conheci distintas realidades anglicanas. Por que querem voltar para a comunhão com Roma? Porque uma Igreja que se abre ao mundo de modo desconsiderado aceitando a ordenação feminina e o ‘matrimônio’ homossexual não tem sentido".
"O Papa combate para proteger uma Igreja encouraçada pela verdade e por isso há quem o persegue", conclui.
Fonte: ACI

China: padres são presos por organizar acampamento de jovens















30.03.2010 - O padre Liu Maochun, 36 anos, foi detido no último dia 19 de março pelas autoridades de Fu’an, cidade da província costeira de Fujian, na China, acusado de ter participado em um campo de estudantes católicos organizado sem autorização.
Sua detenção aconteceu um dia após a libertação – depois de quinze dias de detenção – do padre John Baptist Luo Wen, que foi preso pelo mesmo motivo no dia 3 de março, informou a Englises d’Asie (EDA), agência de Missões Exteriores de Paris.
Os dois sacerdotes formam parte de um grupo de sete padres da ala “clandestina” da diocese de Mindong, que organizou um acampamento para estudantes católicos do dia 28 de janeiro até 6 de fevereiro.
O acampamento, realizado sem a permissão requerida pelas autoridades, foi interrompido pela polícia no dia 4 de fevereiro. Porém um mês depois, a polícia convocou os sete sacerdotes para notificá-los com uma multa de 500 yuans (53 euros) para cada um, e uma ordem de detenção por alterar a ordem pública, para quatro deles.
O primeiro a ser detido foi o padre Luo Wen. Depois foi a vez do padre Liu Maochun, que foi privado de liberdade durante 15 dias, segundo o imposto pela lei para os casos de não cumprimento de uma lei dirigida a manter a ordem pública.
O padre Luo ofereceu para a agência Ucanews os detalhes de sua detenção: preso no Centro de Detenção de Fu’an, foi colocado em uma cela de 40 metros quadrados, junto a 21 pessoas, detidas principalmente por casos relacionados com o consumo e tráfico de drogas e com o jogo ilegal.
A maior parte deles dividia uma grande cama de concreto e os demais dormiam no chão. A única possibilidade de tomar banho era em um ponto com água fria no pátio. “Não tomei banho durante toda minha detenção porque fazia frio e chovia”, declarou o sacerdote.
Ele acrescentou que foi privado do direito de receber visitas concedidas aos demais detidos: uma média duas visitas semanais.
Depois do padre Luo, foi detido o padre Liu. Pela lógica, os outros dois sacerdotes que receberam uma ordem de detenção, os padres Guo Xijin e Miu Yong, deveriam ser convocados pela polícia e serem detidos.
Fonte: ACI

Artigo de Marcelo Brandäo: Um Governo Anti-Católico


30.03.2010 - “Vós sois o sal da terra. Se o sal perde o sabor, com que lhe será restituído o sabor? Para nada mais serve, senão para ser lançado fora e ser calcado pelos homens.” (Mt. 5, 13)
Pelos fatos dos últimos meses fica bem claro, sim, que este Governo federal mostra-se anti-católico.
Há muitos anos, sabemos pela história que todos os marxistas-leninistas, conhecidos popularmente como comunistas, são do ponto de vista espiritual, ateus confessos.Publicamente eles escondem esta posição para não perderem votos, principalmente dos mais simples, humildes e desavisados, pois estes além de serem pessoas de muita fé e respeito a DEUS, se posicionam rápida e cristalinamente quando alguém, seja quem for, atente contra a sua crença.
Em um rápido olhar sobre a história recente da humanidade o que vemos:
1) Quando a revolução comunista tomou de assalto a Rússia, até então um país cristão, rapidamente fecharam e destruíram igrejas, mataram padres, bispos e proibiram qualquer tipo de manifestação religiosa;
2) Após a segunda guerra mundial, com a criação do famigerado muro de Berlim, da “Cortina de Ferro” e da União das Repúblicas Socialistas Soviéticas (URSS), os demais países que foram anexados também passaram por terrível perseguição religiosa, com fechamento e destruição de igrejas, conventos, monastérios, assassinato de religiosos e também proibição de manifestações religiosas;
3) Quando o ditador sanguinário Fidel Castro instituiu o comunismo em Cuba, rapidamente tratou de eliminar qualquer tipo de culto religioso na infeliz ilha caribenha;
4) Já há alguns meses na hoje triste, desolada e cerceada Venezuela, o aluno de Castro, Chaves, tem fustigado a Igreja e o Clero com acusações infundadas, levianas e demagógicas, também num claro sentido de perseguição;
Nos últimos anos, em diversas regiões do planeta, principalmente Ásia e África, assistimos grupos radicais de muçulmanos, covardemente, assassinando católicos e demais cristãos, inclusive trucidando idosos, mulheres e crianças; e quem é um dos ícones muçulmanos no momento atual do mundo? O ditador do Irã, Mahmoud Ahmadinejad!
Em contrapartida a tudo isto que foi exposto, vemos uma nação formada por 90% de cristãos, onde aproximadamente 70% ainda são católicos, assistir estupefata e boquiaberta os seus atuais governantes da esfera federal, prestigiarem, defenderem e privilegiarem seus ídolos e amigos internacionais que não passam de déspotas comunistas e muçulmanos, anti-católicos, anti-cristãos, ou seja, inimigos da paz, do bem, da vida, da liberdade e dos verdadeiros direitos humanos.
Como se tudo isto ainda não bastasse, numa evidente atitude orgulhosa, prepotente e de dominação de um povo, esse governo hipócrita gerou na penumbra de seus gabinetes marxistas e de suas entranhas intestinas e leninistas um plano contra a fé e a vida de sua inocente e explorada população. Incoerentemente apelidado de “Plano Nacional de Desenvolvimento Humano 3”, esse excremento é verdadeiramente um plano de morte, não só de morte física, ao incentivar e privilegiar o aborto, mas principalmente de morte espiritual; pois então vejamos:
1º - A retirada dos crucifixos das repartições públicas.
Mais uma vez repetimos: em um país onde 70% da população é católica e 90% é cristã, essa decisão claramente atéia afronta a fé de todo um povo. Saibam esses comunistas hipócritas que o Santo Crucifixo é o símbolo maior do amor e da misericórdia do DEUS que se entregou, sofreu e imolou-se para a Salvação eterna daqueles filhos que não o rejeitaram. Desde criança sabemos que quem teme a Cruz e dela foge é o demônio e seus asseclas.
“Quem não toma a sua cruz e não Me segue não é digno de mim.” (Mt. 10, 38)
“Em seguida, JESUS disse a seus discípulos: se alguém quiser vir Comigo renuncie-se a si mesmo, tome sua cruz e siga-Me.” (Mt. 16, 24)
Com ousam desmentir e afrontar o próprio Deus? A cruz é a chave de nossa salvação.
“Ai do mundo por causa dos escândalos! Eles são inevitáveis, mas aí do homem que os causa!” (Mt. 18, 7)
Ai do homem que assinou e da mulher que apoiou este projeto de lei que visa apagar apresença de DEUS da vida de Seus filhos tão caros e amados, e que tanto sacrifício e dor Lhe custaram!
2º - Descriminalizar o aborto.
Qualquer criança sabe, aborto é assassinato! Como alguém que se diz humano pode querer ser transigente com assassinatos de inocentes e indefesos? Isto é cultura de morte, que provoca a Justiça de DEUS. E tenham todos absoluta certeza que a seu tempo ela agirá, pois é infalível.
“Guardai-vos de menosprezar um só destes pequenos, porque EU vos digo que seus anjos no Céu contemplam sem cessar a Face de Meu PAI que está nos Céus.” (Mt. 18, 10)
“Disse-lhes JESUS: Deixai vir a Mim estas criancinhas e não as impeçais porque o Reino dos Céus é para aqueles que se lhe assemelham.” (Mt. 19, 14)
3º - Apoiar, incentivar e defender o “casamento” entre pessoas do mesmo sexo.
Com mais esta, o tal projeto deveria chamar-se “Plano das aberrações” ou ainda “Plano de morte”! É simples entendermos o por quê de nossa adjetivação:
Imaginemos de maneira drástica e trágica que a partir desta lei dos comunistas, todos os brasileiros resolvessem se unir de forma homossexual... O que resultaria disto? Simples, com o decorrer dos anos, ocorreria a extinção da nação brasileira! E por que? Desde quando união homossexual gera vida? Com taxa de natalidade zero, adeus povo brasileiro. Portanto, é ou não um aberrante plano de morte? E não só morte física, mas principalmente morte espiritual, porque mais uma vez atenta contra a incontestável Palavra de DEUS, a Bíblia Sagrada, que contém a verdade e a vontade da SANTÍSSIMA TRINDADE, para ser cumprida até o Fim dos Tempos!
“Por isso o homem deixa o seu pai e a sua mãe para se unir a sua mulher e já não são mais que uma só carne.” (Gn. 2, 24)
“Se um homem dormir com outro homem como se fosse mulher, ambos cometerão uma coisa abominável. Serão punidos de morte e levarão a sua culpa.” (Lv. 20, 13)
“Procurai o que é agradável ao SENHOR e não tenhais cumplicidade nas obras infrutíferas das trevas; pelo contrário, condenai-as abertamente. Porque as coisas que tais homens fazem ocultamente é vergonhoso até falar delas. (Ef. 5, 10-12)
Portanto, caríssimos irmãos em CRISTO, até quando deixaremos esta ínfima minoria barulhenta ditar o destino da imensa maioria silenciosa, que apenas não quer se incomodar? Ou nós resolvemos nos incomodar de uma vez por todas, ou esse diminuto bando de hienas comunistas e homossexuais vai nos patrolar para sempre; e muito em breve.
Lembremo-nos: a decisão está em nossas mãos, pois somos maioria; os que acreditam na Bíblia, no autêntico respeito à vida e na liberdade com responsabilidade e equilíbrio de autênticos filhos de DEUS!
“Não temais aqueles que matam o corpo, mas não podem matar a alma; temei antes aquele que pode precipitar a alma e o corpo na Geena. (Mt. 10, 28)
Finalizando este texto, gostaríamos de conclamar a todos os nossos irmãos a se posicionarem com a mesma fé e coragem que demonstrou o nosso estimado Bispo de Petrópolis-RJ, Dom Filippo Santoro, do qual transcrevemos a seguir as palavras de alerta. Precisamos que mais pastores, padres, religiosos e leigos tomem posições semelhantes de exortação à vigilância sobre aqueles que trabalham na penumbra e com hipocrisia para solaparem as bases cristãs de nossa sociedade brasileira.
Marcelo Brandão – 30.03.2010 - Jornalista do Site:  www.rainhamaria.com.br

30 de mar de 2010

Fenômeno Americano: Pastores Protestantes Retornam à Igreja Católica


O que aconteceria se um protestante sério, sedento pela verdade fosse
estudar as raízes da Igreja Católica e sua origem na era apostólica e nos
primeiros séculos? Nos Estados Unidos, berço do protestantismo moderno
um fenômeno está acontecendo segundo Janina Quintal, em artigo escrito
ao Universo Católico, uma série de renomados pastores e estudiosos do
mundo protestante retornaram ou vieram ao seio da Igreja Católica.
A vinda dos pastores à Igreja de Cristo arrebata considerável número
de outros fieis evangélicos, outrora anti-católicos. Eles professam seu
testemunho em  revistas, livros e na internet. Segundo Janaina Quintal
os convertidos foram “surpreendidos com a Verdade” ao estudarem os
escritos dos Pais da Igreja e Cristianismo primitivo.
A articulista brinda os leitores com o perfil de alguns pastores que abraçaram
a comunhão com o papa. 
1.Scott Hann. ex-pastor presbiteriano e ex-professor de teologia protestante..

Era um anti-católico dos mais radicais de sua época. O seu excelente conhecimento
como pastor e teólogo protestante e o testemunho de conversão para a Igreja
católica faz deste servo de Deus um fascinante defensor da verdade. Milhares de protestantes e centenas de pastores voltaram ao Catolicismo vendo o testemunho
deste ex-pastor.
2.
Paul Thigpen. ex- editor e escritor de várias revistas protestantes.
Foi educado em uma Igreja presbiteriana do sul. Levou a sério, os estudos
religiosos na Universidade de Yale. Foi Pastor e missionário na Europa,
depois passou para a Igreja Batista, Metodista, Igreja Anglicana e depois para
uma Igreja Pentecostal. Finalmente fez estudos para obter doutorado em
História da Teologia que o facilitou ao caminho para a Igreja Católica.
3.
Marcus Grodi ex-ministro protestante formado em Teologia e Bíblia
Fez os estudos de teologia no seminário protestante Gordon-Conwell em Boston, Massachussetts.
Marcus afirma: “Eu só quis ser um bom pastor”, mas um dia perguntou-se a si mesmo: “Eu estou ensinando a verdade ou o erro? Como eu posso estar seguro se em outras igrejas a mesma leitura Bíblica tem várias interpretações diferentes?”.
Estudou história da Igreja e soube através da Bíblia que não poderia continuar a ser um protestante. Concluiu que a verdade absoluta só se encontrava na Igreja católica. “Sou mais completo na Igreja dos Apóstolos”, disse ele.
4.
Steve Wood. ex-diretor de um Instituto Bíblico na Flórida.
Ex-pastor da Igreja evangélica “O Calvário”. Fazia os estudos em um Instituto das Igrejas Assembléias de Deus trabalhando em projetos de evangelismo juvenil; era líder de ministérios evangélicos na prisão; organizou um Instituto de estudos bíblicos para adultos e depois fez pós-graduação estudando no famoso seminário evangélico de teologia Gordon-Conwell em Massachusetts.
Um dia quando orava, Deus lhe falou: “Agora ou nunca”. Com a sua conversão ao Catolicismo ele perderia tudo. Perderia o trabalho como pastor e não poderia sustentar a família. “Eu tinha estudado 20 anos para ser um ministro protestante e Deus me falou: Faça, agora!… E eu fiz isto”.
5.
Bop Sungenis. ex-professor de Bíblia em uma Rádio evangélica.
Escreveu um livro contra a Igreja católica: “Recompensas no Céu?” Onde criticou os Católicos por acreditar na importância das obras. Ele quis demonstrar que os ensinamentos Católicos eram falsos e que para salvar-se, bastaria somente a fé. Estudou no “Collegue Bíblico de Washington” e depois se especializou no “George Washington University”.
Bop diz: Agora como Católico eu tenho a paz. Isso vem como consolação de viver na verdade. Agora eu entrei no exército de Cristo nesta grande batalha para a salvação das almas. Ajudarei meus irmãos protestantes a aprender que a Igreja católica não só é a verdadeira Igreja, mas a casa onde todos nós pertencemos.
6.
Duglas Bogart. Ex-missionário evangélico na Guatemala.
Meu sonho era ser missionário em minha Igreja evangélica de Phoenix. Porém com o tempo, sem perceber, Deus estava me guiando para sua Igreja. Com muita tranqüilidade afirma Douglas: “Eu li muitos livros de teologia, de história, e de testemunhos”. Estudei o Catecismo da Igreja Católica comparando-o com a Bíblia. Eu li os primeiros escritos dos Pais da Igreja e descobri que a igreja primitiva era Católica e não protestante. Terminei de aceitar a verdade e agora eu sou Católico.
7
David B. Currie. Ex-ministro evangélico do qual muitos o chamavam de “O Mestre em Divindade”.
Ele nasceu e cresceu como um protestante fundamentalista, seu pai era um pastor. David fez curso de teologia no “Trindade Universidade Internacional” em Deerfield, Illinois. Depois obteve seu “Mestrado em teologia Bíblica” no “Trindade Escola de Divindade Evangélica”.
O que o levou a ser Católico? Sua resposta se baseia em duas coisas: O estudo da Bíblia o fez descobrir que a Palavra de Deus o guiou para o Catolicismo e o segundo é que a mesma Bíblia mostrou para ele que a Igreja católica é a única Igreja fundada por Cristo.
8.
 Alan Stephen Hopes. ex- Pastor e Bispo Anglicano nomeado por João Paulo II.
Pastor Anglicano convertido ao Catolicismo. Foi nomeado bispo auxiliar de Westminster por João Paulo II. Nasceu em Oxford, em 1944.  Foi recebido na Igreja Católica em 04 de Dezembro de 1995.  
Depois de dois anos como vigário da paróquia de Nossa Senhora da Vitória, de Kensington, foi nomeado Padre da Paróquia de Nosso Redentor, em Chelsea, tornando-se depois, em 2001, vigário geral da arquidiocese.
Monsenhor Hopes é um dos pastores Anglicanos que abandonaram a Igreja da Inglaterra depois que a ordenação sacerdotal de mulheres foi aprovada naquela igreja.
Todos eles são agora verdadeiros Católicos e 100% Cristãos. Eles acharam a abundância da vida Cristã na única Igreja fundada por Cristo.

Fonte: http://blogs.opovo.com.br/ancoradouro/fenomeno-americano-pastores-protestantes-retornam-a-igreja-catolica/trackback

29 de mar de 2010

Bento XVI celebra missa em aniversário dos 5 anos da morte de João Paulo II

29.03.2010 - O papa Bento 16 destacou hoje (29), ao celebrar uma missa em homenagem a João Paulo 2º, a dedicação de seu antecessor, cuja vida foi marcada pela "caridade, pela capacidade de se doar de forma generosa, sem reservas".
Karol Wojtyla, nome de batismo do primeiro papa polonês da Igreja Católica, "sabia que o Senhor o tinha segurado pela mão, e isso lhe permitiu exercer um ministério muito fecundo, pelo qual, mais uma vez, agradecemos calorosamente a Deus", complementou Bento 16 na celebração da santa missa no aniversário da morte do Servo de Deus o Sumo Pontífice João Paulo 2º, na Basílica Vaticana.
O Papa destacou ainda que a "certeza de contemplar a bondade do Senhor acompanhou [João Paulo 2º] durante a sua existência e se manifestou durante o último período de sua peregrinação nesta terra: a progressiva fraqueza física, de fato, nunca abalou a sua fé rochosa, a sua iluminada esperança, a sua fervorosa caridade".
João Paulo 2º também "se deixou consumar por Cristo, pela Igreja, pelo mundo todo: o seu, foi um sofrimento vivido até o último [instante] pelo amor e com amor", finalizou Bento 16.
Wojtyla faleceu no fim do dia 2 de abril de 2005, após a piora do seu já deteriorado estado de saúde. Eleito papa em outubro de 1978, ele permaneceu no posto por cerca de 27 anos.
Um mês após o seu falecimento, o Vaticano iniciou o seu processo de beatificação, que atualmente está nas fases finais. Especula-se que os trâmites poderiam ser concluídos ainda este ano, o que elevará Wojtyla à honra dos altares.
Fonte: UOL noticias

28 de mar de 2010

Exorcista diz que ataques contra o Papa são obra de Satanás












Os ataques contra o papa Bento XVI devido ao grande números de acusações contra padres pedófilos são sugestões de Satanás, segundo o sacerdote exorcista Gabriele Amorth, 85 anos.
Amorth, um dos mais famosos exorcistas do mundo, disse a rede de televisão News Mediaset, que "não existe dúvida alguma" que os ataques da imprensa internacional ao Pontifíce nos últimos dias "foram sugeridos pelo demônio", já que se trata de um papa maravilhoso, digno sucessor de João Pablo II".
Ele acrescentou que o demônio "utiliza" os padres para atacar a Igreja, pois a odeia de morte por ser "a mãe dos santos".
O exorcista disse recentemente que o diabo está dentro do Vaticano e, embora seja difícil encontrar provas, há cardeais que não acreditam em Cristo e bispos relacionados com o demônio.
Amorth assegurou há anos que João Paulo II realizou em 2001, na praça de São Pedro do Vaticano, um exorcismo para tirar o diabo de uma moça que participava de uma audiência geral.
Recentemente, o jornal The New York Times afirmou que, quando era o encarregado da Congregação para a Doutrina da Fé, o atual papa encobriu o sacerdote americano Lawrence C. Murphy, acusado de abusar sexualmente de uns 200 menores em uma escola para crianças surdas do estado de Wisconsin, entre 1950 e 1970.
Nesta sexta-feira o jornal afirmou que quando Joseph Ratzinger era arcebispo de Munique, na década de 1980, autorizou um sacerdote com antecedentes de pedofilia e que tinha sido expulso por esse motivo do bispado da cidade alemã de Essen a trabalhar na capital bávara.
Fonte: Terra noticias

Bento XVI reflete sobre o seguimento a Jesus Cristo












"Ser cristão é um caminho, ou melhor, uma peregrinação, um caminhar juntamente com Jesus Cristo. Ir naquela direção que Ele nos indicou e indica”. Essa foi a mensagem do Papa Bento XVI hoje, 28, aos fiéis presentes na Praça São Pedro, no Vaticano, para a Celebração do Domingo de Ramos. Centenas de jovens também estiveram presentes para festejar o 25º Dia Mundial da Juventude, celebrado este ano, em cada diocese.

"Mas de qual direção se trata?", perguntou o Papa. É o caminho da seqüela de Cristo. "O ser humano pode escolher a estrada fácil e evitar qualquer esforço. Pode descer a um nível baixo, para o que é indigno, pode enterrar-se no lodo da mentira e da desonestidade, mas Jesus caminha à nossa frente e caminha em direção ao alto", ressaltou o Pontífice.

“Ele [Jesus] nos conduz para o que é grande, puro, nos conduz para o ar sadio das alturas: para a vida segunda a verdade; para a coragem que não se deixa intimidar pelo palavreado das opiniões dominantes; para a paciência que suporta e sustenta o outro. Nos conduz à disponibilidade para com os que sofrem, para com os abandonados; para a fidelidade que está da parte do outro mesmo quando a situação se torna difícil. Nos conduz ao amor – nos conduz a Deus”.

O Santo Padre ressaltou que a liturgia deste Domingo de Ramos nos convida a seguir Jesus Cristo. "Ser cristão significa considerar Jesus Cristo o caminho justo para se tornar homem. Ele é o caminho que conduz à meta, a uma humanidade plenamente realizada e autêntica", ressaltou frisou Bento XVI.

Caminhando com Jesus, "se tornam visíveis as dimensões de nossa seqüela, a meta à qual ele nos quer conduzir, nos levar à comunhão com Deus, a permanecer com Deus. Esta é a verdadeira meta e a comunhão com Ele é o caminho. A comunhão com Ele é estar a caminho, uma permanente ascensão em direção à verdadeira vida", sublinhou o Papa.

Este caminhar com Jesus é também um caminhar com a Igreja, pois nela entramos em comunhão com Cristo. "Preciso ouvir a Palavra de Jesus Cristo e vivê-la na fé, esperança e amor. Assim caminhamos rumo à Jerusalém definitiva e desde agora, de alguma forma, nos encontramos lá, na comunhão de todos os Santos de Deus", disse ainda o Pontífice.

Enfim, Bento XVI fez um apelo em favor da paz na Terra Santa, afirmando que "quando vamos à Terra Santa como peregrinos, vamos também como mensageiros de paz, com a oração pela paz, com o convite a todos para que façam naquele lugar, que carrega em seu nome a palavra "paz", todo possível para que se torne realmente um lugar de paz". O Papa encorajou os cristãos a permanecerem no país de suas origens e a promover nele a paz.

Fonte: Cançáo Nova

A importancia de ser mariano nos ultimos tempo .


















Estamos em tempos difíceis e São Luiz de Montfort vem nos alertar da importância de ser um autentico mariano nos últimos tempo.


Maria é a mais terrível inimiga que Deus armou contra o demônio

São Luís de Montfort
É principalmente a estas últimas e cruéis perseguições do demônio, que se multiplicarão todos os dias até ao reino do Anticristo, que se refere aquela primeira e célebre predição e maldição que Deus lançou contra a serpente no paraíso terrestre. Vem a propósito explicá-la aqui, para glória da Santíssima Virgem, salvação de seus filhos e confusão do demônio.
Inimicitias ponan inter te et mulierem, et semen tuum et semen illius; ipsa conteret caput tuum, et tu insidiaberis calcaneo eius” (Gn 3, 15): Porei inimizades entre ti e a mulher, e entre a tua posteridade e a posteridade dela. Ela te pisará a cabeça, e tu armarás traições ao seu calcanhar.
Uma única inimizade Deus promoveu e estabeleceu, inimizade irreconciliável, que não só há de durar, mas aumentar até ao fim: a inimizade entre Maria, sua digna Mãe, e o demônio; entre os filhos e servos da Santíssima Virgem e os filhos e sequazes de Lúcifer; de modo que Maria é a mais terrível inimiga que Deus armou contra o demônio. Ele lhe deu até, desde o paraíso, tanto ódio a esse amaldiçoado inimigo de Deus, tanta clarividência para descobrira malícia desta velha serpente, tanta força para vencer, esmagar e aniquilar esse ímpio orgulhoso, que o temor que Maria inspira ao demônio é maior que o que lhe inspiram todos os anjos e homens e, em certo sentido, o próprio Deus. Não que a ira, o ódio, o poder de Deus não sejam infinitamente maiores que os da Santíssima Virgem, pois as perfeições de Maria são limitadas, mas, em primeiro lugar, Satanás, porque é orgulhoso, sofre incomparavelmente mais, por ser vencido e punido pela pequena e humilde escrava de Deus, cuja humildade o humilha mais que o poder divino; segundo, porque Deus concedeu a Maria tão grande poder sobre os demônios, que, como muitas vezes se viram obrigados a confessar, pela boca dos possessos, infunde-lhes mais temor um só de seus suspiros por uma alma, que as orações de todos os santos; e uma só de suas ameaças que todos os outros tormentos.
O que Lúcifer perdeu por orgulho, Maria ganhou por humildade. O que Eva condenou e perdeu pela desobediência, salvou-o Maria pela obediência. Eva, obedecendo à serpente, perdeu consigo todos os seus filhos e os entregou ao poder infernal; Maria, por sua perfeita fidelidade a Deus, salvou consigo todos os seus filhos e servos e os consagrou a Deus.
Deus não pôs somente inimizade, mas inimizades, e não somente entre Maria e o demônio, mas também entre a posteridade da Santíssima Virgem e a posteridade do demônio. Quer dizer, Deus estabeleceu inimizades, antipatias e ódios secretos entre os verdadeiros filhos e servos da Santíssima Virgem e os filhos e escravos do demônio. Não há entre eles a menor sombra de amor, nem correspondência íntima existe entre uns e outros. Os filhos de Belial, os escravos de Satã, os amigos do mundo (pois é a mesma coisa) sempre perseguiram até hoje e perseguirão no futuro aqueles que pertencem à Santíssima Virgem, como outrora Caim perseguiu seu irmão Abel, e Esaú, seu irmão Jacob, figurando os réprobos e os predestinados. Mas a humilde Maria será sempre vitoriosa na luta contra esse orgulhoso, e tão grande será a vitória final que ela chegará ao pontro de esmagar-lhe a cabeça, sede de todo o orgulho. Ela descobrirá sempre sua malícia de serpente, desvendará suas tramas infernais, desfará seus conselhos diabólicos, e até ao fim dos tempos garantirá seus fiéis servidores contra as garras de tão cruel inimigo.
Mas o poder de Maria sobre todos os demônios há de patentear-se com mais intensidade, nos últimos tempos, quando Satanás começar a armar insídias ao seu calcanhar, isto é, aos seus humildes servos, aos seus pobres filhos, os quais ela suscitará para combater o príncipe das trevas. Eles serão pequenos e pobres aos olhos do mundo, e rebaixados diante de todos como o calcanhar em comparação com os outros membros do corpo. Mas, em troca, eles serão ricos em graças de Deus, graças que Maria lhes distribuirá abundantemente. Serão grandes e notáveis em santidade diante de Deus, superiores a toda criatura, por seu zelo ativo, e tão fortemente amparados pelo poder divino, que, com a humildade de seu calcanhar e em união com Maria, esmagarão a cabeça do demônio e promoverão o triunfo de Jesus Cristo.
São Luís de Montfort
Tratado de Verdadeira Devoção à Ssma. Virgem
Cap. I; Art. II; n. 51-54

27 de mar de 2010

Tepidez do clero é pior que os escândalos












Padre Cantalamessa pede renovação da amizade com Cristo

CIDADE DO VATICANO,26/04/2010

Os recentes escândalos envolvendo sacerdotes provocam grande dano e sofrimento à Igreja; diante disso, o clero deve-se renovar na fidelidade e na amizade com Cristo, disse o frei Raniero Cantalamessa.
Esse foi um dos pontos da reflexão oferecida nessa sexta-feira pelo pregador da Casa Pontifícia, em sua terceira pregação da Quaresma, proferida na presença de Bento XVI e seus colaboradores da Cúria Romana.
“Fidelidade! – rogou o padre Cantalamessa. O Santo Padre usou esta palavra como título e programa do ano sacerdotal: ‘Fidelidade de Cristo, fidelidade de sacerdote’”.
A palavra fidelidade “tem dois significados fundamentais. O primeiro é o de constância e perseverança; o segundo é o de lealdade, retidão, o oposto, em suma, de infidelidade, perfídia e traição”.
A esta fidelidade exigida especialmente do clero “se opõe a traição da confiança depositada por Cristo e pela Igreja, a vida dupla, o pouco caso para com os deveres de sua condição, especialmente no que se refere ao celibato e à castidade”.
“Sabemos por dolorosa experiência quanto dano pode ser provocado à Igreja e às almas com este tipo de infidelidade. Esta talvez seja a mais dura provação enfrentada pela Igreja neste momento”, disse o frade capuchinho.
Com palavras duras, o pregador da Casa Pontifícia advertiu que “a tepidez de uma parte do clero, a falta de zelo e a inércia apostólica” são “os principais fatores que enfraquecem a Igreja, ainda mais que os escândalos ocasionais de alguns sacerdotes, que chamam mais atenção e são mais fáceis de reparar”.
“Não se deve generalizar – recordou Cantalamessa –, mas igualmente não podemos nos calar.”
Segundo o pregador, o que a Igreja precisa neste momento é de um “impulso de esperança”. Ele desejou que o “fruto mais belo” do Ano Sacerdotal em curso na Igreja Católica seja “um retorno a Cristo, uma renovação de nossa amizade com Ele”.

Vaticano acusa mídia de tentar manchar reputação do Papa














26.03.2010 - CIDADE DO VATICANO  - O Vaticano atacou furiosamente a mídia nesta quinta-feira pelas reportagens sobre abuso sexual de crianças por padres, dizendo que havia uma "tentativa ignóbil" de manchar "a qualquer custo" a reputação do papa Bento 16.
O editorial num jornal do Vaticano foi publicado um dia depois que vítimas de abuso fizeram um protesto perto da Praça São Pedro para exigir que o papa abra os arquivos sobre clérigos pedófilos e exonere os "padres predadores" e um cardeal falou de "conspiração" contra a Igreja.
"A tendência prevalecente na mídia é ignorar os fatos e deturpar interpretações com o objetivo de disseminar a imagem da Igreja Católica como a única responsável por abusos sexuais, algo que não corresponde à realidade", disse o jornal do Vaticano.
Há uma "claramente uma tentativa clara e ignóbil para atingir o papa Bento 16 e seus assessores mais próximos a qualquer custo", disse.
O editorial contestou uma reportagem do New York Times sobre o caso do reverendo Lawrence Murphy, acusado de abusar sexualmente de até 200 garotos surdos nos Estados Unidos entre os anos 1950 e 1970.
Entre os 25 documentos internos da Igreja que o Times divulgou em seu site estava uma carta de 1996 sobre Murphy ao cardeal Joseph Ratzinger, então a principal autoridade doutrinária do Vaticano e agora papa, mostrando que ele havia sido informado sobre o caso.
O assessor de Ratzinger primeiro aconselhou um julgamento disciplinar secreto, mas reverteu a decisão em 1998 depois que Murphy apelou diretamente a Ratzinger por clemência. O padre morreu ainda naquele ano.
O jornal do Vaticano disse: "Não houve cobertura no caso do padre Murphy." O Vaticano afirmara que ele não foi repreendido porque as leis da Igreja não exigem punição automática.
A reportagem saiu em meio às crescentes acusações de abuso sexual por padres na Europa e à pressão para que os bispos, em sua maioria na Irlanda, renunciem por não denunciar os casos às autoridades civis.
Fonte: UOL noticias
--------------------------------------------------------------------------------
Lembrando...
Vaticano vê campanha para difamar igreja em denúncias de abusos
16.03.2010 - O Vaticano sugeriu nesta terça-feira haver uma campanha contra a Igreja Católica por trás dos atuais escândalos sobre abuso sexual infantil por parte do clero na Europa.
Novas acusações agora surgiram na Áustria, somando-se a centenas de casos na Alemanha e na Holanda, o que levou o secretário de Estado do Vaticano, Tarcisio Bertone, número 2 na hierarquia vaticana, a admitir que "houve uma redução na fé em todas as instituições, inclusive a igreja".
"A igreja ainda desfruta de grande confiança por parte dos fiéis, só que alguém está tentando abalar isso", afirmou, sem citar diretamente os escândalos. "Mas a igreja tem uma ajuda especial, de cima".
Nas últimas semanas, prelados importantes têm argumentado que casos de pedofilia ocorrem também nas instituições seculares, e que a mídia está exagerando o problema da igreja.
Na Áustria, a imprensa noticiou na terça-feira que um crescente número de fiéis tem deixado a Igreja Católica por causa dos escândalos de pedofilia que chocam o país.
Novas acusações surgiram na província do Tirol, onde cinco clérigos foram suspensos de um monastério que está no centro de um caso existente. Um jornal publicou um pedido de desculpas de um dos homens a seus ex-pupilos, dizendo: "Nunca quis ser um sádico."
Papa
Na Alemanha, onde já apareceram mais de 200 denúncias de abusos em instituições católicas, o escândalo envolve o próprio papa Bento 16, que era arcebispo de Munique na época em que um padre pedófilo foi transferido de Essen (norte) para a sua diocese e, sem o conhecimento dele, foi colocado para trabalhar com crianças, situação em que abusou de mais uma menina.
O Vaticano negou no sábado (13) que ele tenha tentado acobertar abusos, mas muitos alemães criticaram o pontífice por não se pronunciar prontamente na sexta-feira (12) depois de receber o chefe da Igreja Católica alemã, Robert Zollitsch, para discutir o tema.
Fiéis irlandeses já haviam feito uma queixa semelhante no passado, e o papa deve divulgar em breve uma carta pastoral ao povo irlandês falando sobre os abusos sexuais cometidos pelo clero no país, os quais, segundo um recente relatório do governo, foram acobertados pelas autoridades eclesiásticas ao longo de 30 anos.
Fonte: UOL noticias

26 de mar de 2010

Revistas alemãs oferecem prémios a quem acusar falsamente o Papa de abuso


26.03.2010 - A revista alemã, originalmente nazista, “Der Spiegel” está a oferecer 1 milhão de euros a quem acusar, falsamente, o Santo Padre de abusos sexuais. Isso porque o objecto declarado é levantar rumores difamatórios.
Enquanto isso, a Revista Schmiermagazine oferece a mesma quantidade a seminaristas dos anos 60 e 70 que tenham estudado com o Papa que o denunciem como pedófilo.
Do mesmo modo, não se faz questão de veracidade.
A revista Stern oferece “somente” 50.000 euros a quem acuse o Papa.
Uma reportagem sobre isso foi feita
pelo site católico de vídeos «Gloria.tv».
É deveras lamentável este tipo de conduta. Depois, os do costume ainda nos atacam por discordarmos pontualmente do Santo Padre em questões concernentes à Fé. Mas ninguém os vê a atacar publicamente os progressistas que tanto mal causam à catolicidade. Ó contradições liberais!
Será que não lhes pesa na consciência a esta gente? Quando li a notícia até me custou acreditar. Como é que há gente assim no mundo? Uma revista não devia ser uma fonte de informação e estar ao serviço da verdade – ou pelo menos de convicções pessoais dos editores, mas convicções genuínas, baseadas na honestidade, no carácter e nos princípios?
Nunca foi tão fácil enlamear o nome de alguém como hoje. Com a maior rapidez possível se espalham boatos saídos não se sabe bem de onde. Acaba-se com a honra, com a reputação, com o bom nome de uma pessoa numa fracção de segundos. E com mentiras, acusações falsas, boatos que uns inventam e outros reproduzem fielmente sem saber a sua procedência, com coisas de difícil verificação. E tudo porquê? Por maldade, por inveja, sei lá!
Isso deixa-me profundamente triste.
Muitas vezes me queixo dos que se espalham sobre mim, mas comparados com isto que estão a tentar fazer com o pastor supremo da Igreja, eu deveria mesmo era ficar calada! Já viram se agora pega esta moda de sujar o nome do próximo?
Isto, esta campanha orquestrada contra o Santo Padre é nojenta, causa-me náuseas, repulsa, repugnância. Estas pessoas, sem carácter, que inventam, que mentem, que espalham calúnias sobre os outros, são desprezíveis.
Sabemos bem que os abusos sexuais a menores – ou a qualquer pessoa – são sempre deploráveis, um crime horrendo que merece punição e não encobrimento. Sabemos que, infelizmente, a Igreja está a passar por uma situação muito adversa no seu peregrinar pela terra. E sabemos também, perfeitamente, que as trevas que hoje vivemos – e que cobrem de tristeza e vergonha qualquer católico decente e que se esforça por alcançar a santidade – estão a ser muito bem aproveitadas pelos inimigos da única Igreja fundada por Nosso Senhor Jesus Cristo para a costumeira desonestidade intelectual – e moral - que os caracteriza.
A estupidez não paga imposto. De contrário, muitos estariam já todos carimbados.
É exactamente o mesmo – embora salvaguardando-se as devidas proporções - que afirmar que, porque Dom Williamson é machista, então toda a Fraternidade tem o mesmo pensamento. Fazer esse tipo de generalizações é ilegítimo, indevido e um insulto à inteligência do interlocutor; tirar esse tipo de ilações é, no mínimo dos mínimos, um abuso de linguagem, uma quebra na lógica e no raciocínio e uma grandessíssima desonestidade moral e intelectual de quem assim procede.
Só alguém perverso, maquiavélico, doente, é que pôde não sentir a dor que o Papa manifestou na sua recente carta acerca das vítimas de abusos sexuais por parte de sacerdotes católicos.
É óbvio que o encobrimento deste tipo de crimes é um pecado gravíssimo. Isto não seria necessário afirmar se todas as pessoas supostamente interessadas em proteger as vítimas estivessem nisto de boa fé e não somente para destruir a Igreja.
Toda a gente sabe que a minha loucura são as crianças. Esses extraordinários seres inocentes, delicados, puros – são os seres no mundo que mais merecem a felicidade e uma vida repleta de amor e de cuidados -. Cabe na cabeça de alguém que um anormal qualquer, que não me conhece de lado nenhum, venha aqui ao meu blog – nunca foi convidado a cá vir – acusar-me de encobrir os crimes dos padres pedófilos, só porque ainda não fiz nenhuma abordagem à questão do escândalo dos abusos? Esse pormenor, aparentemente sem qualquer importância, é bem revelador de algo muito maior: ora se me fazem isto a mim que nada sou, com muito maiores e melhores pretextos conseguem ludibriar incautos e colocá-los contra o Santo Padre e a Santa Igreja.
O Papa, embora tenha manifestado a sua profunda dor por todos esses abomináveis crimes, não tem de ser crucificado, nem responsabilizado por algo de que nenhuma culpa tem. Mas a hipocrisia, a superficialidade de pensamento, o ver cada qual só o que lhe convém imperam nalguns meios artificialmente católicos. Tudo serve para deitar abaixo a Igreja – até a instrumentalização da dor das vítimas.
Hipócritas! Vocês não estão preocupados com as vítimas, nem sentem a sua dor, nem sofrem, nem choram, nem nada. Vocês não amam genuinamente as crianças, vocês não sentem em carne própria a dor desses seres. Vocês querem somente usá-los, instrumentalizá-los para crucificar o Papa e tentar destruir a Igreja. Querem somente fazer deles «coisas», objectos que servem somente as vossas conveniências, os vossos interesses. Caiu-vos como uma luva este escândalo agora não? Olha que bom, vamos poder enlamear a Igreja – o que sempre desejámos.
Juntaram-se os inimigos todos da Igreja – internos e externos. Amam as crianças? Preocupam-se com elas? Sentem no mais fundo da sua alma a sua dor? Não. Amam os seus pérfidos interesses anticlericais; amam somente as suas limitações de raciocínio e a sua pobreza de espírito.
Não tenho que dar qualquer explicação da minha dor, do meu sofrimento, da minha vergonha a esta gentalha. Essa gente não é melhor do que outros criminosos – são criminosos psicologicamente, que torturam os outros, escarnecem da dor alheia, instrumentalizam as vítimas que dizem defender e com quem se dizem preocupar. E tudo para quê? Para a consecução dos seus malévolos objectivos anti-católicos.
As limitações cognitivas, intelectuais e morais que vos caracterizam a mim não me condicionam em nada; as trevas e a obscuridade de raciocínio e a estreiteza de espírito que vos envolvem não me tocam. Passo por vocês como se não existissem.
"O meu Imaculado Coração triunfará";
"As portas do Inferno não prevalecerão"
Católicos dignos desse nome, e que não se envergonham de carregar consigo esta fé sacrossanta, única verdadeira, tenham sempre muito orgulho de pertencer à Igreja Una, Santa, Católica e Apostólica. Os homens maus de Igreja não são a Igreja.
E os malditos demónios sem carácter que julgam que vão destruir o Santo Padre com as suas mentiras e campanhas de calúnias, saibam que o que é seu ainda está guardado. Aliás, todos os que tentam manchar o bom nome do próximo com boatos de difícil verificação vão ter de Deus o castigo que merecem. Deus lhes seja infinitamente justo, pelo mal que muitas vezes causam a pessoas honestas e íntegras.
Tal como Nosso Senhor Jesus Cristo viveu a Sua dolorosa Paixão, também a Sua única Santa Igreja agora tem de passar pela dor, pela crucificação. "Completai no vosso corpo o que falta à Paixão de Cristo".
Esta passagem tem sido sempre interpretada a favor da mortificação dos sentidos, mas também se poderia bem aplicar ao momento actual por que atravessa a Igreja. Que corpo melhor para completar a Paixão dolorosa do Senhor do que o Seu corpo místico, a Sua Santa Igreja?...
Por Teresa Moreno
Fonte: Tradiçäo Catolica  -  http://emdefesadelefebvre.blogspot.com