Exorcismo

Padres Exorcistas explicam

Consagração a Virgem Maria

Escravidão a Santissima Virgem, Orações, Devoção

Formação para Jovens

Espiritualidade, sexualidade, diverção, oração

8 de jul de 2011

Alerta Geral aos Católicos!


Alerta Geral aos Católicos!

O Papa João Paulo II disse a um grupo de Bispos do Brasil em visita “ad limina apostolorum” em 05/09 de 1995, em Roma, que as seitas, “se espalham na América Latina como uma mancha de óleo, ameaçando fazer ruir as estruturas de fé de muitas nações”.
Escreve o ilustre Prof. Dr. Felipe Aquino: “Hoje as seitas e “igrejinhas” se espalham por todos os lados sem apresentar as devidas credenciais divinas, sem as quais não é possível segui-las. E assim, milhões de pessoas estão sendo iludidas, ou até mesmo, maldosamente enganadas”. Diz mais o Prof. Aquino: “Como dói ver milhões e milhões enganados, abdicando a LUZ para viver nas trevas do erro”. (Falsas Doutrinas-Seitas e Religiões, p. 12).
Nos últimos dez anos, foram criadas cerca de 100 mil novas religiões no mundo. (Revista Galileu, julho de 2002. p.21).
Segundo o renomado pesquisador Padre Oscar Quevedo, SJ, existem, só no Brasil, mais de 56 mil seitas e religiões.
O consultor americano de igrejas, pastor Wayne Cordeiro diz que há mais de 300 mil igrejas evangélicas nos Estados Unidos.
No Brasil, segundo a revista protestante ECLÉSIA, edição nº 91, já chegaram a um total de 17.000 denominações.
Pesquisas realizadas pelo Projeto Brasil 2010, movimento multidenominacional que incentiva a implantação de igrejas evangélicas, calcula que haja cerca de 150 mil igrejas evangélicas de todos os tipos no Brasil, número que deve chegar a 250 mil até o final desta década, se mantido o ritmo de crescimento.
Na última década, 1991 a 2000, a sua taxa de crescimento superou em quatro vezes o da população. (Revista protestante Defesa da Fé, Janeiro, 2004. pp. 51,52).
Segundo dados do Serviço de Evangelização para América Latina (SEPAL), existem hoje, cerca de 188 mil igrejas evangélicas no país.
Conforme a estimativa da SEPAL, se for mantido o atual ritmo de crescimento dos evangélicos, estes poderão ser metade da população brasileira em 2022. “Esse percentual superou em quatro vezes a taxa de aumento da população do Brasil na última década”, conta Eunice Stutz Zillner, coordenadora da área de pesquisas da SEPAL.
O Rev. Alderi de Souza Matos, professor de História da Igreja no Centro Presbiteriano de Pós-graduação Andrew Jumper, da Universidade Mackenzie, em São Paulo, acha que “essas projeções de um crescimento exponencial para as igrejas evangélicas do Brasil são exageradas”. (Revista Graça nº 71. pp. 26.29).
O sociólogo Paul Freston afirma que: “A maré evangélica na Ásia, na África e na América Latina, e até mesmo na incrédula Europa, os movimentos evangélicos estão experimentando uma expansão sem precedentes, principalmente entre os mais pobres um fenômeno que não tem nada a ver com os televangelistas nem com a direita fundamentalista dos Estados unidos”. Diz mais: “O termo “evangélicos” tornou-se muito conhecido relacionado à direita religiosa dos Estados Unidos. Porém, mesmo que os esforços missionários norte-americano sejam numerosos e disponham de recursos, a maior parte do crescimento evangélico no sul global (América Latina, África, Ásia e Pacífico) não se deve a eles, mas a iniciativa a autóctones. Os cristãos evangélicos do Terceiro Mundo são um movimento sobretudo autóctone, não fundado e orientado pelo Ocidente. Além disso, eles tendem a estar institucionalmente divididos, a contar com seguidores muito ativos e a crescer com rapidez”. (Revista protestante Ultimato, Setembro – Outubro de 2006. pp. 24,25).

PENTECOSTAIS

No protestantismo, as igrejas que crescem mais são: as pentecostais e as neopentecostais.
1.100.000.000 de pentecostais deverão constituir 45% dos crentes em 2025, segundo estimativas do Hartford Institute for Religion Research.
26,1 milhões é o total de evangélicos no Brasil, 17,6 milhões de pentecostais, 7,1 milhões de tradicionais ou históricos e 1,3 milhões de outras igrejas (Revista Defesa da Fé, junho de 2002. p.55).
A força de enxurrada com que o neopentecostalismo cresceu desorganizou todo o protestantismo. “Há uma verdadeira perda de identidade no movimento evangélico mundial. O pentecostalismo flexibilizou suas exigências comportamentais e até os protestantes tradicionais (históricos) passaram a aceitar a participação mais ativa do fiel nos cultos e algumas manifestações sobrenaturais”. Afirma o pastor batista Joaquim de Andrade, pesquisador da Agência de Informações da Religião (AGIR).
O crescimento das igrejas neopentecostais é divido a pregação do evangelho da riqueza e da saúde, que passou a denominar de teologia da prosperidade. “A preocupação dos neopentecostais é com esta vida. O que interessa é o aqui e o agora”. Escreve o sociólogo Ricardo Mariano, autor do livro: Neopentecostais – Sociologia do Novo Pentecostalismo no Brasil.
Para alguns sociólogos americanos, o que determina a existência de tantas crenças, nos Estados Unidos não é a necessidade humana de uma experiência espiritual, mas, a conjuntura econômica. Segundo eles, as leis de mercado também valem para os movimentos religiosos. O renomado sociólogo americano Rodney Stark e professor de sociologia da Universidade de Wisconsin, é um dos expoentes desta visão mercadológica da fé.
No Brasil, o estudioso de religiões Antonio Flávio Pierucci, professor da Universidade de São Paulo, diz: “a maior parte das religiões tem esse viés materialista. As pessoas sempre rezam com o objetivo de pedir e receber algo. A diferença é que os evangélicos assumem essa faceta sem se envergonhar”. (Revista Super interessante, fevereiro de, 2004. pp.55 e 58).
“A relação entre fé e riqueza nunca despertou tanto interesse quanto nos dias de hoje. Graças à predominância do capitalismo, as religiões são cada vez mais atraídas por um apelo financeiro. O principal alvo dos críticos dessa relação são os evangélicos (protestantes) que, em geral, não dispensam o discurso proselitista em prol da expansão do Reino de Deus para justificar a arrecadação de fundos que financiem os esforços evangelísticos, cada vez mais dispendiosos por conta dos crescentes investimentos em patrimônio e mídia eletrônica. A livre organização característica essencial das entidades evangélicas tornou-se o terreno fértil para as mais variadas interpretações bíblicas quando o assunto é dinheiro. “Há distorções sérias na administração do dinheiro arrecadado pelas igrejas protestantes”. “O mais grave é que ninguém sabe para onde ele vai”, aponta Hélio Alves da Silva professor de Administração de Empresas da Universidade Presbiteriana Mackenzie, de São Paulo. Ele vai além: “A prestação de contas é extremamente precária”. Normalmente, é uma caixa preta, sem transparência” (Revista ECLÉSIA, edição nº 101. pp. 26,27).
Vivemos a era do terror das seitas. É terrível ver tantos falsos pregadores, pastores, profetas, missionários, “bispos”, apóstolos, etc. fazendo um estrago tremendo no rebanho católico. Chega de ficar parado vendo os nossos irmãos caírem nas garras desses lobos devoradores. É hora de agir bravamente para cima desses cães ladrões e derrotá-los (Isaías 56,11; Filipenses 3,2).
Como é atual a exortação do Bispo e Doutor da Igreja São Francisco de Sales: “É caridade gritar ao lobo quando este se encontra no meio dos cordeiros, em qualquer lugar que estivermos”.
O católico não deve visitar templos de seitas. Não deve participar de eventos promovidos pelas seitas. Não deve ler nenhum material publicado pelas seitas. Não deve comprar e nem tão pouco ajudar as obras das seitas. Por quê? São João Apóstolo responde com categoria: “Porque muitos sedutores que não confessam a Jesus Cristo encarnado espalharam-se pelo mundo. Este é o Sedutor, o Anticristo. Acautelai-vos, para não perderdes o fruto de nossos trabalhos, mas ao contrário, receberdes uma plena recompensa. Todo o que avança e não permanece na doutrina de Cristo não possui a Deus. Aquele que permanece na doutrina é o que possui o Pai e o Filho. Se alguém vem até vós sem ser portador desta doutrina, não o recebais em vossa casa, nem o saudeis. Aquele que saúda participa de suas obras más” (II João 7-11).
Amado povo católico de Nosso Senhor Jesus Cristo, não precisa buscar nada em fontes contaminadas e venenosas, na Santa Madre Igreja temos a FONTE DA VERDADEIRA DOUTRINA PARA SANTIFICAÇÃO DO CORPO E SALVAÇÃO DA ALMA.

Pe. Inácio José do Vale
Pesquisador de Seitas
Professor de História da Igreja
Especialista em Ciência Social da Igreja
E-mail: pe.inaciojose.osbm@hotmail.com

Encontro de reavivamento com missionário Anderson Luís na cidade da Dracena-SP. Participe!

A Renovação Carismática Católica da cidade de Dracena-SP irá realizar neste final de semana um encontro de reavivamento. Este encontro terá a presença do missionário Anderson Luís. Você que mora por perto não deixe de participar. Será uma benção!



Salve Maria!

Pastor é detido em São Paulo, após pregar sobre práticas homossexuais


Pastor é detido em São Paulo, após pregar sobre práticas homossexuais.




Dr. Zenóbio Fonseca
Foi detido em São Paulo um pastor que pregava sobre práticas homossexuais citando versículos da Bíblia. Ele foi levado para prestar depoimento na delegacia porque um “ouvinte” que passava por ali se sentiu ofendido com as palavras que o pastor dizia e logo chamou a polícia. Assista ao vídeo aqui: http://www.youtube.com/watch?v=-zQ8piq_zX8



A detenção ocorreu em 28 de junho de 2011, por volta das 15h, na Praça da Sé, onde é comum pastores pregarem todos os dias.
Ainda que discordando da forma e do modelo de pregação feita naquele local, o pastor que foi detido estava em seu direito constitucional e liberdade de expressar a sua fé e valores. Mas ele foi impedido de continuar a sua pregação por causa de um ouvinte gay “ofendido”, enquanto a marcha pela maconha, a marcha gay e a marcha das vadias são livres e recebem apoio estatal e liberdade do judiciário, mesmo quando a população fica ofendida.
O PLC 122/06 que criminaliza a homofobia ainda não foi aprovado no Brasil, e os gays “ofendidos” já têm mais direitos do que a população. Se estivesse em vigor, o que os gays “ofendidos” poderiam fazer contra os cristãos?
Fonte: Zenóbio Fonseca
Divulgação: www.juliosevero.com

Aborto e eugenia sem censura


Dá-se o nome de eugenia ao processo de depuração ou “filtragem” da humanidade, por onde só os bem constituídos, física e mentalmente, teriam direito de viver. Esse processo, bem ao gosto de nazistas, parece ser encarado como normal na Inglaterra. Para quem não acredita, a prova está na notícia publicada pelo Daily Mail, jornal britânico, no dia 5 de julho de 2011: “Revealed: The thousands of pregnancies aborted for ‘abnormalities’ including cleft palates and Down’s syndrome

Segundo a notícia, o Departamento de Saúde da Inglaterra informou que, dos 189.574 mil abortos realizados na Inglaterra e no País de Gales em 2010, 2.290 foram praticados por causa de má formação dos fetos.

Não pense o leitor que “má formação” quer dizer doenças crônicas ou incuráveis – o que não justificaria o aborto de toda maneira. Não! A realidade é outra…

Relata a mesma notícia que as doenças “não aceitas” variam entre síndrome de Down e fissuras no palato (lábio): “482 fetos foram abortados devido a Síndrome de Down, 128 por distúrbios nervosos na espinha bífida e 181 por problemas músculo-esqueléticos, como ‘pé torto’. Nos dados constavam também que sete gestações foram interrompidas em razão de fissuras no palato”.

Por incrível que possa parecer, nos casos da anomalia de fissura no lábio, o defeito pode ser geralmente resolvido com uma cirurgia alguns meses após o nascimento do bebê. Mas isso não importa para certos casais dominados pela mentalidade neo-pagã de nossos dias.

Os dados aterradores foram revelados por causa de um pedido da Aliança Pró-vida da Inglaterra, associação anti-abortista daquele país.

Fonte: http://www.ipco.org.br