Exorcismo

Padres Exorcistas explicam

Consagração a Virgem Maria

Escravidão a Santissima Virgem, Orações, Devoção

Formação para Jovens

Espiritualidade, sexualidade, diverção, oração

23 de out de 2010

PUC/SP – COMUNISTA – Virou palco de encontro de camaradas esquerdistas – Frei Beto e Pe. Julio Lancelotti – Da Teologia da Libertação!


Caros leitores,
Antes de adentrar ao mérito, vejamos os vídeos que embasam este artigo:



Expresso minha indignação, pois referido evento ocorreu na PUC/SP! Isso mesmo, na PUC/SP, que, nesta oportunidade, pode ser traduzida como PONTIFICIA DA UNIVERSIDADE COMUNISTA DE SÃO PAULO!

Deplorável, uma UNIVERSIDADE CATÓLICA (PUC/SP), permitir um encontro de camaradas, que em última instância sempre demonstram seu intento de SOLAPAR a Igreja Católica Apostólica Romana, pois divergem em tudo de sua doutrina. Esses “católicos” como bem explanado por Evelyn Mayer em seu artigo, não passam de “CATOLICOS APOSTÓLICOS PETISTAS”.

Em que pese meu pouco saber, DEMOCRACIA E COMUNISMO são dois sistemas completamente antagônicos. Ou será que o vernáculo e a história ensinam diferente?!!!

Deste modo, não consigo compreender o que se passa na cabeça do “companheiro” Frei Beto ao declarar que a democracia tem sido cada vez mais exercida na América Latina com a presença de comunistas governando alguns países, como o camarada Hugo Chaves (Venezuela), Evo Morales (Bolívia), Luis Inácio Lula da Silva (Brasil)!!!

De fato, esses ditos “padres” camaradas, DATA VENIA, são oportunistas, pois aproveitam o bonde da imoralidade (do PT) para trazer das cinzas a TEOLOGIA DA LIBERTAÇÃO, tão condenada e combatida por nosso venerável Papa Bento XVI.
Não acredito que Frei Beto seja ignorante a ponto de pensar que os Presidentes das Repúblicas por ele citado, defendem a democracia, pois pelo que sabemos são comunistas declarados, senão vejamos:

Em abril de 2009 o presidente da Bolívia, Evo Morales, disse que se considera marxista, leninista e comunista! oglobo.globo.com/.../em-provocacao-evo-morales-se-declara-comunista-pede-que-bolivia-seja-expulsa-da-oea-755315771.asp

E ninguém melhor do que o próprio Hugo Chávez para nos explicar tudo sobre a Quinta Internacional Comunista, como membro de honra do Partido Vanguarda Popular Chávez nos concedeu uma entrevista exclusiva, veja aqui: http://www.vanguardapopular.com.br/portal/noticias/88-entrevista-exclusiva--hugo-chavez-fala-sobre-a-v-internacional-comunista

O COMUNISMO ESTÁ LONGE DE UM DIA VIR A SER DEMOCRACIA? O maior sonho desses ‘camaradas’ ‘libertadores’ ‘revolucionários’ é ver implantado no mundo o modelo CUBANO, e como bem definido por Reinaldo de Azevedo estes padres camaradas: “como democratas, defendem a ditadura; como religiosos, são blasfemos. Na sua total falta de limites, levam a blasfêmia para a política e tentam emprestar alcance político a suas blasfêmias”.

Luiza Lura

Exclusivo - Petistas intimidaram e xingaram Dom Luiz, bispo de Guarulhos, que recebeu ameaças. Mas ele não se cala: “Recomendo voto contra Dilma por causa de suas idéias favoráveis ao aborto”

Vocês sabem o que penso. Entendo absurda a liminar concedida pelo ministro Henrique Neves, do TSE, que permitiu à polícia federal apreender o “Apelo a Todos os Brasileiros e Brasileiras”, em que a Comissão em Defesa da Vida, da Regional Sul I da CNBB, exortava os católicos a não votar em políticos que defendam a descriminação do aborto.



Ou seja, criando um padrão para que você utilize sempre que precisar Por Reinaldo Azevedo
A impressão do texto foi encomendada por Dom Luiz Gonzaga Bergonzini, bispo de Guarulhos. O PT tentou acusar uma espécie de conspiração, afirmando que se tratava de uma iniciativa do PSDB, já que uma das sócias da gráfica Pana é filiada ao partido. Os petistas só se esqueceram de informar, como noticiou este blog, a empresa imprimiu material de campanha para outros partidos - inclusive para o PT. Num deles, uma central sindical exortava seus filiados a votar em Dilma, o que é ilegal.

Pois bem. Dom Luiz concedeu uma entrevista ao repórter Kalleo Coura, da VEJA, em que desmoraliza mais uma farsa petista. Foi ele quem realmente encomendou a impressão do texto, não o PSDB. Sem receio de defender os princípios da Igreja de que é bispo, reafirma a sua posição contrária ao aborto, diz que se sentiu censurado e reitera que os fiéis não devem votar na petista Dilma Rousseff por causa de suas idéias, favoráveis à descriminação: “Agora, depois do primeiro turno, ela se manifestou muito religiosa, dizendo-se contra o aborto e contra a união de pessoas do mesmo sexo. Quer dizer: tudo aquilo que atrapalhou a sua eleição no primeiro turno, ela tirou da campanha. Você pode confiar numa pessoa que assume posições contraditórias? Ninguém muda de idéia deste jeito. O lobo perde o pêlo, mas não perde o vício. Ela não é confiável”.

Dom Luiz revela também que os petistas tentaram intimidá-lo: “Fui agredido por militantes do PT, que, há dez dias, fizeram um escarcéu debaixo da minha janela, às duas da manhã, com palavrões e rojões. Cheguei até a ser ameaçado”. Sem receio, Dom Luiz avisa: “Ninguém pode botar um cadeado, uma mordaça, na minha boca. Podem apreender um papel, mas nada altera minhas convicções”. Leia os principais trechos da entrevista..

VEJA - Foi o senhor quem decidiu imprimir dois milhões de cópias do “Apelo a todos os brasileiros e brasileiras”?
Dom Luiz -
Sim. Fiz isso para tornar conhecida a minha posição política em defesa da Igreja e da vida. Essa publicação visava justamente defender a vida de seres humanos que não pediram para nascer e não têm condições de se defender. Trata-se de um documento oficial, assinado por três bispos. Não era um panfleto. É um documento autêntico da igreja.

O senhor se sentiu censurado com a apreensão dos folhetos?
Dom Luiz -
laro que sim! Foi um ato totalmente antidemocrático, uma agressão à minha pessoa. Afinal de contas, eu tinha autorizado a publicação. Essa cassação impediu não só a impressão do documento como sua distribuição. Sinto que fui perseguido. O governo fala tanto em liberdade de expressão, mas esta apreensão foi um atentado a um princípio constitucional. A minha opinião foi censurada.

O senhor defende explicitamente que os fiéis não votem em Dilma Rousseff?
Dom Luiz -
Minha recomendação é essa por causa das idéias favoráveis ao aborto que ela tem. Em 2007, numa entrevista, ela chegou a dizer que era um absurdo a não-descriminalização do aborto no Brasil. Então ela é favorável a isso. Agora, depois do primeiro turno, ela se manifestou muito religiosa, se dizendo contra o aborto e contra a união de pessoas do mesmo sexo. Quer dizer: tudo aquilo que atrapalhou a sua eleição no primeiro turno, ela tirou da campanha. Você pode confiar numa pessoa que assume posições contraditórias? Ninguém muda de idéia deste jeito. O lobo perde o pêlo, mas não perde o vício. Ela não é confiável.

O PT chegou a dizer que havia “indícios veementes” de participação do PSDB nas encomendas dos folhetos. Isso ocorreu?
Dom Luiz -
Em circunstância nenhuma eu agi de acordo com orientações partidárias. Eu falei, repito, assino e afirmo: “Não tenho partido político”. Eu sou um ser político, sim, mas não partidário. Se tomei partido nesta eleição, não foi a favor do PSDB, foi contra o PT e a Dilma. As razões são claras: sou contra o aborto e a favor da vida. Não fui procurado por partido político nenhum! Fui apenas agredido por militantes do PT, que, há dez dias, fizeram um escarcéu debaixo da minha janela, às duas da manhã, com palavrões e rojões. Cheguei até a ser ameaçado.

Como foi isso?
Dom Luiz -
Recebi cartas anônimas. Uma delas dizia: “O Celso Daniel foi assassinado, tome cuidado”. Fiz um boletim de ocorrência por causa disso, mas não tenho medo. Se fizerem qualquer coisa contra mim, será um tiro no pé. Será pior para eles.

É papel de um bispo se posicionar politicamente?
Dom Luiz -
O papel do bispo é orientar os seus fiéis sobre a verdade, sobre a justiça e sobre a moral. Ele deve apresentar a verdade e denunciar o erro. Foi o que fiz. Tenho todo o direito - e o dever - de agir do modo que agi. Não me arrependo de ter falado o que falei. Faria tudo de novo! Se surgir um candidato que seja contra os princípios morais, contra a dignidade humana e contra a liberdade de expressão, irei me levantar de novo.

O senhor irá continuar distribuindo documentos similares aos apreendidos?
Dom Luiz -
Se a Justiça liberar, vou. De qualquer forma, vou continuar manifestando minha opinião. Ninguém pode botar um cadeado, uma mordaça, na minha boca. Podem apreender um papel, mas nada altera minhas convicções.