Exorcismo

Padres Exorcistas explicam

Consagração a Virgem Maria

Escravidão a Santissima Virgem, Orações, Devoção

Formação para Jovens

Espiritualidade, sexualidade, diverção, oração

24 de mai de 2011

Sobre o culto dos Santos e as Imagens


Padre Paulo Ricardo explica sobre o uso das imagens e o culto aos santos. Explica também sobre a diferença entre ídolo e santo, sobre Deus e seu lugar dentro da realidade católica.

Vale a pena assistir!

Nos passos do Império Romano…

Marcio Coutinho
Para pessoas que têm fé e princípios cristãos – e é a grande maioria dos brasileiros – é estarrecedora a decisão por unanimidade no Supremo Tribunal Federal (STF), em 5 de maio último, na qual os ministros reconheceram legalmente as uniões entre pessoas do mesmo sexo possibilitando até adoção de criança. (Cfr. O Globo online, 5/5/2011).

Isso tudo faz recordar um fato histórico. O Império Romano, sem dúvida, foi uns dos maiores registrados na História, sua glória é até hoje descrita, mas do imenso império, só restaram ruínas.

Como diz o adágio popular: “para cair, basta está em pé”. Os romanos estavam num auge territorial quando caíram. Quais foram as causas desse declínio assombroso, já que o progresso era tão marcante?

Historiadores de diversas épocas procuraram escrever sobre quais seriam as causas da queda do Império Romano. Conforme o site americano Mail Oline (9/5/2011), para o Prof. Roberto De Mattei – vice-presidente do Centro Nacional de Pesquisas da Itália e catedrático da Universidade Européia de Roma – em entrevista a uma rádio, “o colapso do Império Romano e a chegada dos bárbaros foi devido à propagação da homossexualidade…” e “a colônia romana de Cartago era um paraíso para os homossexuais e que infectou muitos outros”.

A matéria de Mail Oline afirma que as “pesquisas parecem sugerir [que] a homossexualidade era comum na Roma antiga. (…) Edward Gibbon escreveu que ‘dos 15 primeiros imperadores, Cláudio foi o único cujo gosto no amor foi totalmente correto.’ A homossexualidade é amplamente retratada na arte romana.”

Diante de todos os desvios morais que havia, dizer que apenas o homossexualismo foi a causa do declínio do Império Romano seria um exagero. Mas, seria absurdo afirmar que não foi um fator determinante para tal decadência. A degradação moral amoleceu as reações dos romanos diante da invasão dos bárbaros.

O Brasil passa atualmente por um progresso, sem dúvida. Graças ao agronegócio, estamos batendo recordes na exportação, alega-se um grande aumento da classe média, somos quase auto-suficientes na produção de petróleo e derivados – pena que esta realidade não chega aos postos de combustíveis! – e outros prodígios na vida econômica do brasileiro. Mas serão esses os fatores que farão o Brasil se perpetuar na história? O que acontecerá com o Brasil se continuar seguindo pela mesma via de decadência dos romanos?

Mas não basta mostrar o problema, é preciso apontar para uma solução. Para isso, recorro às palavras do saudoso prof. Plinio Corrêa de Oliveira: “Quando os homens resolvem cooperar com a graça de Deus, são as maravilhas da História que assim se operam: é a conversão do Império Romano, é a formação da Idade Média, é a reconquista da Espanha a partir de Covadonga, são todos esses acontecimentos que se dão como fruto das grandes ressurreições de alma de que os povos são também suscetíveis. Ressurreições invencíveis, porque não há o que derrote um povo virtuoso e que verdadeiramente ame a Deus”. (Cfr. Revolução e Contra-Revolução; Cap. IX, 3)

Fonte: IPOC

Quando a ficção se confunde com a realidade.”Vampiros” atacam na Nova Zelândia.



Dois jovens neozelandeses (foto) se declararam culpados perante a Justiça de participar de um ataque de “vampiros” perpetrado contra outro adolescente há mais de um ano na cidade de Wellington, informou a imprensa local nesta terça-feira.

Xenia Gregoriana Borichevsky e James Eric Orr, ambos de 19 anos, reconheceram perante um tribunal de Wellington terem ferido intencionalmente a vítima, um jovem de 18 anos, ao qual morderam e beberam seu sangue em 20 de fevereiro de 2010.

Horas antes do ataque, a vítima foi ao apartamento de Orr, onde esteve bebendo e participando de jogos que envolviam agressões físicas, e inclusive fez em si mesmo perfurações e piercings em diversas partes do corpo.

Pouco depois, o grupo decidiu comprar mais álcool e, na volta, a vítima foi mordida várias vezes no peito, braços e tronco, pelo que teve de ser internado no hospital devido à infecção de um de seus ferimentos.

O juiz Bruce Davidson disse que, inicialmente, as ações no apartamento de Orr foram consensuais, ao contrário do ocorrido durante o ataque, quando a vítima foi surpreendida e forçada enquanto estava “bêbada e vulnerável”.

As sentenças contra os dois agressores serão anunciadas a partir do próximo mês, mas já se contempla, entre outros, o pagamento de uma indenização de cerca de 400 dólares neozelandeses e várias horas de trabalhos comunitários com liberdade plena ou restrita.

Também participou do ataque “vampiro” James Phillip Brooks, jovem que já se declarou culpado no ano passado e recebeu sentença de três meses de liberdade restrita, 150 horas de trabalho social, pagamento de 400 dólares neozelandeses de indenização e dez meses de liberdade sob supervisão.

http://www1.folha.uol.com.br/mundo/919970-jovens-neozelandeses-se-declaram-culpados-de-ataque-vampiro.shtml

Fonte: shalom.org/carmadelio

Dilma assina decreto presidencial para instituir e patrocinar evento homossexual




No dia 18 de maio último, a presidente Dilma assinou um Decreto convocando a “II Conferência Nacional de Políticas Públicas e Direitos Humanos LGBT” a ser financiada com os “recursos orçamentários da Secretaria de Direitos Humanos da Presidência da República”.

Leia o Decreto na integra:

Diário Oficial da União Nº 95, quinta-feira, 19 de maio de 2011 ISSN 1677-7042 7

DECRETO DE 18 DE MAIO DE 2011

Convoca a II Conferência Nacional de Políticas Públicas e Direitos Humanos de Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis e Transexuais – LGBT.

A PRESIDENTA DA REPÚBLICA, no uso da atribuição que lhe confere o art. 84, inciso VI, alínea “a”, da Constituição,
D E C R E T A :

Art. 1o Fica convocada a II Conferência Nacional de Políticas Públicas e Direitos Humanos de Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis e Transexuais – LGBT, que será realizada em Brasília, Distrito Federal, no período de 15 a 18 de dezembro de 2011, com o tema “Por um país livre da pobreza e da discriminação: promovendo a cidadania LGBT”.
Parágrafo único. A II Conferência Nacional de Políticas Públicas e Direitos Humanos de LGBT será realizada sob a coordenação conjunta da Secretaria de Direitos Humanos da Presidência da República e do Conselho Nacional de Combate à Discriminação, e terá os seguintes objetivos:

I – avaliar e propor as diretrizes para a implementação de políticas públicas voltadas ao combate à discriminação e à promoção dos direitos humanos e cidadania da população LGBT no Brasil;

II – avaliar a implementação e execução do Plano Nacional de Promoção da Cidadania e Direitos Humanos de LGBT e propor estratégias para seu fortalecimento; e

III – propor diretrizes para a implementação de políticas públicas de combate à pobreza e à discriminação da população LGBT.

Art. 2o A II Conferência Nacional de Políticas Públicas e Direitos Humanos de LGBT será presidida pela Ministra de Estado Chefe da Secretaria de Direitos Humanos da Presidência da República e, em sua ausência ou impedimento, pelo Secretário Nacional de Promoção e Defesa dos Direitos Humanos.

Art. 3o As etapas municipais da II Conferência Nacional de Políticas Públicas e Direitos Humanos de LGBT serão realizadas no período de 1o de junho de 2011 a 31 de agosto de 2011.

Art. 4o As etapas estaduais da II Conferência Nacional de Políticas Públicas e Direitos Humanos de LGBT serão realizadas até o dia 31 de outubro de 2011.

Art. 5o O regimento interno da II Conferência Nacional de Políticas Públicas e Direitos Humanos de LGBT será proposto pelo Conselho Nacional de Combate à Discriminação e Promoção dos Direitos de LGBT e aprovado pela Ministra de Estado Chefe da Secretaria de Direitos Humanos da Presidência da República.

Art. 6o As despesas com a organização e realização da etapa nacional da II Conferência Nacional de Políticas Públicas e Direitos Humanos de LGBT correrão por conta dos recursos orçamentários da Secretaria de Direitos Humanos da Presidência da República.

Art. 7o Este Decreto entra em vigor na data de sua publicação.

Brasília, 18 de maio de 2011; 190o da Independência e 123º da República.

DILMA ROUSSEFF
Maria do Rosário Nunes


Fonte: IPCO

Vergonha: Governo deu quase dois milhões de reais para ABGLT produzir kit gay



O ativista gay Beto de Jesus, membro da ABGLT (a maior organização gay do Brasil e responsável pela elaboração do kit gay para distribuição nas escolas públicas), confessa nesta reportagem que o governo deu um milhão e quinhentos mil reais, através de emenda parlamentar do Dep. Chico Alencar (PSOL-RJ), para produzir o kit gay e critica o ministro da Educação por estar demorando muito na distribuição do material gay nas escolas. A reportagem está neste link: http://www.youtube.com/watch?v=jh2Tw2IR4Hc

video


É assim que, sob a cobertura e financiamento milionário do MEC, ativistas homossexuais prepararam um dos maiores materiais de doutrinação homossexual para as crianças de escola pública. Com o kit gay, vai ser fácil criança virar gay.


Fonte: Júlio Severo

Um mês com Maria - 24° dia

A Penitência

Porque somos pecadores e continuamos a pecar, por isso é necessária a reparação para pagar as culpas. É Justiça: repara-se o mal feito. "Todo pecado, grande ou pequeno, não pode ficar impune; ou é punido pelo homem que faz Penitência ou no último Juízo pelo Senhor". (S. Agostinho). Podemos aqui lembrar alguns grandes pecadores convertidos e que ficaram santos: S. Maria Madalena, S. Agostinho, S. Margarida de Cortona, S. Inácio de Loyola, S. Camilo de Lélis... Eles nos demonstraram que com a Penitência repara-se e recupera-se tudo, até a santidade mais alta e dão razão a S. Cipriano que exclama: "Ó penitência! Tudo o que estava amarrado, o desamarraste, o que estava fechado, o abriste". A penitência livra das correntes das dívidas contraías pelos pecados e abre as arcas das graças mais eleitas.

Penitência e Amor

Quando S. Domingos Sávio estava gravemente doente, foi um dia submetido a uma sangria. Antes de iniciar, o médico dise-lhe: "Olha para o utro lado, Domingos, assim não verás escorrer o teu Sangue". "Ah, não - respondeu - furaram as mãos e os pés de Jesus com grandes pregos sobre a Cruz e Ele não disse nada..." Domingos sofreu sem um gemido os dez pequenos cortes que lhe fizeram. Eis a lei do amor: quando se ama de verdade uma pessoa, se quer com ela condivir todos os sofrimentos. Não se pode renunciar! Quem ama Jesus e conhece sua vida de humildade e sacrifício, culminada na cruel Crucificação e Morte, não pode deixar de desejar a participação em toda aquela dor desejada pelo amor. A intensidade desta participação às vezes manifestou-se até de modo prodigioso e sangrento. Pensemos em S. Francisco de Assis, S. Verônica Giuliani, S. Gema Galgani, Pe. Pio... Mas em todos os santos a Penitência mais dolorosa foi uma exigência do amor. Eles chegavam ao ponto de não desejar nada além de sofrer. Recordemos alguns exemplos: S. Francisco Xavier, embora oprimido por dores muito fortes, rezava com transporte, dizendo: "Ainda, Senhor, ainda mais." E à ilha onde sofreu as mais graves tribulações, quis pôr o nome de Ilha das Consolações. S. Teresa de Jesus também é célebre pelo seu grito: "Ou sofrer ou morrer". S. João da Cruz a Jesus que lhe perguntava o que queria, respondeu: "Sofrer e ser desprezado por Ti". S. Gabriel de Nossa Sehora das dores dizia que o seu Paraíso eram as dores de Maria. S. Maximiliano chamava "balinhas de caramelo" as cruzes e as tribulações. Pe. Pio dizia que suas tremendas dores eram "as alegriazinhas do esposo". Assim raciocina quem ama.

Fazer o próprio dever

A primeira e mais importante Penitência do cristão é aquela de cumprir fielmente e perfeitamente os próprios deveres cotidianos. Fazer outras penitências omitindo estas significa fazer o secundário, ignorando o principal. Em 1º lugar, lembremo-nos bem: 1º o cumprimento dos deveres. Se é assim a substância da nossa vida de penitência é segura. S. José Cafasso conduzia uma vida de Penitência escondida aos olhos dos demais. Dos depoimentos do processo de beatificação, sabemos que a mulher que lavava a roupa manchada de sangue, tinha-se dado conta disso. "Por que as camisas estão sempre sujas de sangue? - perguntou - O senhor tem algum ferimento?" O santo quis ficar calado, mas respondeu bruscamente: "Vós sois como uma mãe, por isso, vos direi tudo, mas não o deveis contar a ninguém. Deveis saber que nós, padres, usamos uma cintura com pontas chamado cilício. Eis porque achais as manchas." "Mas deve doer muito, meu pobre filho"! Exclamou a mulher. "Sim, dói, mas precisamos descontar nossos pecaods, não?" "O que está dizendo? - retrucou - Se o senhor precisa fazer penitência, o que devemos fazer?" "Vós trabalhais duro - respondeu o santo - e trabalhar o dia todo já é uma bela penitência".

Penitência pelos pecadores

O lamento de Nossa Senhora de Fátima deveria nos comover: "Muitas almas vão para o Inferno porque não tem quem se sacrifique por elas." Jacianta, a florzinha de Maria, foi a quem maiormente tocaram aquelas palavras da Bela Senhora. Ela quis ser vítima inocente e sofrer pelos pecadores foi sua paixão dolorosa até a morte. Atingida pela gripe espanhola e por uma pneumonia purulenta, com infecção progressiva, transportada ao Hospital, longe de casa, submetida a uma operação para a remoção de suas costelas, sem anestesia. Pobre menina! Mas foi heroicamente corajosa e não perdeu nenhuma ocasião de sacrifício pelos pecadores: cama, dores ardentes... O seu Celeste conforto era a assistência materna de Nossa Senhora. Morreu consumada pela febre e pelas dores, sozinha sobre o Coração da Imaculada, vinda do céu para apanhar a inocente vítima pelos pecadores. Que exemplo de heróica penitência.

Votos

* Meditar a paixão e morte de Jesus (Mt 26 e 27)

* Oferecer todos os sacrifícios a Nossa Senhora das dores

* Recitar os mistérios dolorosos do Rosário.

Fonte: livro "Um mês com Maria", de Pe. Stefano Manelli