Exorcismo

Padres Exorcistas explicam

Consagração a Virgem Maria

Escravidão a Santissima Virgem, Orações, Devoção

Formação para Jovens

Espiritualidade, sexualidade, diverção, oração

30 de ago de 2012

A Nova Estratégia Mundial do Aborto

Veja o que diz um defensor do movimento homossexual sobre os que defendem a família


Veja o que diz um defensor do movimento homossexual sobre os que defendem a família


Daniel F. S. Martins
Veja a mensagem que recebemos de um defensor do movimento homossexual :


Subject: O que vocês merecem
Message Body:

Quem são vocês, preconceiutosos ignorantes a rechaçaruma lei que visa apenas a igualdade de direitos nesta sociedade que exclui, agride e discrimina os homossexuais ? Voces não são filhos de Deus, que criou a todos, inclusive os gays. Vocês vão para o inferno e vão sofrer em vida pois é isso que merece aqueles a quem falta solidariedade e sobra egoísmo;

This mail is sent via contact form on IPCO – Instituto Plínio Corrêa de Oliveira http://www.ipco.org.br/home




Respondendo:


1. “uma lei que visa apenas a igualdade de direitos” Parece que o comentarista não leu o PLC 122, a “lei da homofobia”, que pretende por na cadeia todos os que, ainda que pacificamente, se opõem à prática homossexual. Mas pelo comentário se vê bem onde o movimento homossexual quer chegar: igualar vício e virtude. O que na prática significa prestigiar o vício e perseguir a virtude… Além disso, o comentarista se esqueceu do fato de que o PLC 122 cria uma classe privilegiada, os homossexuais, enquanto os católicos e todos os que defendem a família tornam-se cidadãos de segunda classe.


2. “Deus, que criou a todos, inclusive os gays” O comentarista sai do pressuposto de que Deus criou a pessoa já homossexual, o que é inteiramente falso. Há pessoas que, por essas ou aquelas razões, possuem tendência ao homossexualismo, no que não têm culpa. Mas há também pessoas que têm tendência à mentira, ao roubo, etc. A culpa está em não dominar essa tendência, provinda do pecado original. O que se diria de alguém que afirmasse: “não se pode falar mal do mentiroso e do corrupto, pois foi Deus quem os criou!”.


3. “Vocês vão para o inferno”. Isto é: para com os homossexuais, que ofendem a Deus, todos os direitos. Para nós, que procuramos defender a Lei de Deus, o que o comentarista deseja é o inferno… É curioso como o comentarista fala de “Deus”, do “inferno”, parece até que aprendeu algo da Sagrada Escritura. Se for assim, não me preocupo tanto. Quando chegar na parte da Bíblia que mostra como Deus Nosso Senhor destruiu Sodoma e Gomorra pelo pecado de homossexualismo…


4. “Vocês vão sofrer em vida pois é isso que merecem“. Aí se vê bem o que quer o movimento homossexual. Falam de tolerância, mas na primeira ocasião “farão sofrer em vida” quem a eles se opuser… perseguição religiosa à vista! Mas o nosso consolo é a bem-aventurança: “Bem-aventurados os que são perseguidos por amor à justiça, pois deles é o reino dos Céus”.


“Todas as igrejas que nos condenam serão fechadas”, diz revista do movimento homossexual.


Daniel F. S. Martins
“Todas as igrejas que nos condenam serão fechadas”
“Todas as leis que proíbem a atividade homossexual serão revogadas”

Eis duas das várias ameaças proferidas pela revista Gay Community News, em 15/1/1987 (sic!). Parece até que desde então já estavam “cozinhando” projetos de lei do tipo PLC 122, a tal “lei de homofobia”.


Orador católico mostra impressionantes ameaças, feitas desde 1987 pelo movimento homossexual contra os que defendem a Lei de Deus.


Esses e outros pronunciamentos do movimento homossexual mostram como os argumentos sentimentais a favor de “direitos iguais para todos” e “tolerância”  são simples máscaras que envolvem uma sanha persecutória. Isto é, o que almejam é uma sociedade que aceite pura e simplesmente a prática homossexual. E ái dos que se opuserem!
As informações nos foram passadas pelo Sr. Anderson Reis (foto), coordenador do site www.rainhadosapostolos.com, através de um contundente e corajoso discurso que fez em uma de suas viagens pelo Brasil. (assista ao vídeo)
Além de citar vários trechos impressionantes da mencionada revista, o orador mostra que “A audácia dos maus se alimenta da covardia e da omissão dos bons” (Papa Leão XIII), e conclama todos os católicos a defenderem corajosamente a lei de Deus.
Rezemos para que os esforços a favor da sagrada instituição da família se multipliquem por todo País, para que o Brasil não se transforme na Sodoma do séc. XXI.

29 de ago de 2012

Entre o casamento tradicional e o sodomítico, o teste do “sanduíche de frango”


Entre o casamento tradicional e o sodomítico, o teste do “sanduíche de frango”


Filas de carros para entrar no Chik-Fil-A de Ocala, Florida 
Filas de carros para entrar no Chik-Fil-A de Ocala, Florida
Bastou que Dan Cathy, presidente da cadeia de fast-food “Chick-fil-A”, manifestasse sua simpatia pelo casamento como está na Bíblia – ou seja, entre um homem e uma mulher – para que a fúria do militantismo homossexual se desencadeasse contra ele e sua empresa.

À testa da fúria repressiva destacaram-se Rahm Emanuel, ex-chefe de gabinete de Obama e atual prefeito de Chicago, e figurões esquerdistas como os prefeitos de Boston e Washington, D.C.

Em iradas diatribes eles qualificaram a empresa Chick-fil-A de “frango do ódio” e ameaçaram expulsá-la ou impedi-a de abrir novas lojas em suas cidades.

Cathy nada disse no sentido de odiar os homossexuais, nem suas lojas recusam servi-los.

Por simplesmente manifestar sua opinião religiosa o establishment esquerdista disparou contra ele seus ataques político-midiáticos, numa espécie de linchamento moral.

Todos quiseram ir para apoiar o casamento tradicional 
Todos quiseram ir para apoiar o casamento tradicional
A ferocidade dos arautos das práticas homossexuais chocou profundamente a opinião pública americana que, polarizada pelo assunto, reage com desgosto diante de gestos de violência antidemocrática.

Sentiram bem o momento alguns políticos que convocaram um ato de apoio ao Chick-fil-A consistente em ir comer um dos seus sanduíches de frango no dia 1º de agosto.

O evento foi largamente informado pela imprensa local, como por exemplo em The Weekly Standart , e incontáveis blogs.

A empresa julgou que receberia um aumento de consumidores por volta de 15/20%.

A surpresa foi colossal. Não somente o comparecimento extra beirou, segundo a empresa, os 100% e as vendas os 200%, como o frango acabou em certos pontos de venda.

A informação do esgotamento dos stocks deste ou daquele produto era anunciada pelos funcionários nas enormes filas de carro que aguardavam sua vez. Mas era ovacionada como uma vitória.

Os participantes do apoio ao Chick-Fil-A postaram inúmeras fotos das enormes filas de carros nas estradas ou de pessoas em Malls ou shoppings.

Filas no Chik-Fil-A de Cedar Rapids, IA 
Filas no Chik-Fil-A de Cedar Rapids, IA
Estimativas moderadas falam de muitas centenas de milhares de pessoas que assim fizeram conhecer o que pensam da família tradicional e da agressividade da militância homossexual.
Alguns falam até em milhões de pessoas. A Chick-Fil-A tem 1.600 lojas credenciadas.

O extraordinário sucesso patenteou o quanto a “maioria silenciosa” é de fato silenciada pela grande imprensa.

Notícias imprecisas e desanimadoras apareceram nos órgãos do macro-capitalismo publicitário americano. Pouco ou nada disso saiu na mídia brasileira.

Mark Krzos, repórter do News-Press de Gannett, da Florida, escreveu em sua página de Facebook :

 
Em Madison, MS. Jornalista esquerdista não podia acreditar
no que o público falava sobre o 'casamento homossexual'
comendo distendidamente
“Eu nunca me senti tão alheio em meu próprio país quanto hoje fazendo a cobertura dos apoiadores do restaurante. O nível de ódio, o temor infundado e a desinformação do povo eram espantosamente lamentáveis. Eu nem sequer posso publicar certas coisas que o pessoal dizia comendo seu maldito sanduíche”.

O clima festivo, as famílias, a criançada, os casais aposentados e as pessoas de todas as idades e condições que aparecem nas incontáveis fotos falam de um ambiente totalmente diverso do que quis ver o jornalista citado.

O pensamento de Cathy sobre o casamento tradicional e bíblico é partilhado pela maioria dos americanos, fato que indigna os ativistas das práticas homossexuais. Nos 32 Estados onde a opção entre casamento tradicional e o “casamento” foi submetida ao voto popular, venceu sem exceção o casamento de acordo com o Direito Natural.

Alguns ativistas do homossexualismo tentaram perturbar e hostilizar ideologicamente os funcionários do fast-food, porém de modo inábil. Outros ainda voltaram em dias seguintes para tirar uma foto provocativa e sair correndo das lojas.

Filas em apoio ao casamento tradicional:  uma imagem repetida em todo os EUA 
Filas em apoio ao casamento tradicional:
uma imagem repetida em todo os EUA
Esses episódios, planejados e largamente noticiados pela grande mídia, patentearam a imensa diferença em número e em estilos civis de conduta, dos partidários do casamento tradicional e os da união sodomítica.

Foi também um triunfo da liberdade de expressão, escreveu o Investors Business Daily .

A mensagem das filas de populares na imensa Chicago, dos Rolls-Royces em Davie, Florida, ou dos solados em Charleston, Carolina do Sul, transmitia um protesto profundo, silenciado pela mídia, mas vindo da maioria da nação.

O Investors Business Daily acrescentou que as filas dos restaurantes do Chick-fil-A defendiam também as liberdades de expressão, de religião e de associação.

Só fica aos fanáticos apoiadores do “casamento” homossexual pressionar em favor de projetos restritivos da liberdade de expressão e fomentadores da intromissão, por certo nada democrática, do governo na vida privada dos cidadãos. Este é o fundo de muito ditirambo e projeto insincero contra a “homofobia”.

28 de ago de 2012

III Campanha Nacional de Consagrações à Virgem Maria

Apareceu no céu um Grande Sinal: uma Mulher Vestida de Sol, a lua debaixo dos Seus Pés, e na Cabeça, uma coroa de Doze Estrelas. (…) Foi então precipitado o grande Dragão, a Primitiva Serpente, chamado Demônio ou Satanás, o sedutor do mundo inteiro.” (Ap 12, 1; 9).

“Deus quer estabelecer no mundo a Devoção ao Meu Coração Imaculado. Se fizerdes o que vos digo, muitos almas se salvarão e terão paz. (…) Por fim, o Meu Imaculado Coração Triunfará.” (Nossa Mãe Santíssima em Fátima, 1917).

“Por Maria Jesus Cristo vem a nós, e por Ela devemos ir a Ele.” (São Luis Maria Montfort)



Em 2010 e 2011 tivemos, com o apoio de muitas obras católicas, nossa I e II Campanha Nacional de Consagrações à Nossa Mãe Santíssima, pelo método que São Luis Maria Montfort nos ensina no seu maravilhoso “Tratado da Verdadeira Devoção à Santíssima Virgem”.

Seguimos os passos do Bem-Aventurado Papa João Paulo II, providencialmente elevado à Glória dos Altares em 2011, tendo sido Beatificado pelo Santo Padre Bento XVI. O “Tratado” foi o livro de cabeceira de João Paulo II, que sob lema “Totus Tuus” (“Todo Teu”, Todo de Maria…), tão bem viveu e testemunhou esta Consagração! É ele o Papa de Maria…

É uma Devoção Cristocêntrica, diz João Paulo II, pois “por Maria, vamos a Jesus” (São Luis Montfort).
Mais de 3 mil pessoas se Consagraram nestas Campanhas, segundo o nosso cadastro. Entretanto, temos a perspectiva que, se contarmos os que não chegaram a se cadastrar, o número ultrapassou os 10 mil.
Agora, neste ano de 2012, em nossa III Campanha Nacional, esperamos algo tremendo, pois comemoramos os 300 anos do “Tratado”, e tudo indica que este é o momento desta Onda de Consagrações explodir!
Por isso, multiplicam-se os Encontros “Consagra-te” em Belém-PA, Belo-Horizonte-MG, Cuiabá-MT, Goiânia-GO, Guarulhos-SP, Fortaleza-CE, Londrina-PR, Natal-RN, Porto Alegre-RS, Presidente Prudente-SP, Ribeirão Preto-SP, Salvador-BA, Santa Maria-DF, São Carlos-SP, Vitória da Conquista-BA, e grupos de Consagração em muitas outras cidades (abaixo, trazemos toda a relação).

Queremos neste ano, mais uma vez, nos unir também aos católicos de Portugal, país tão amado pela Virgem Maria, que em sua aparição em Fátima (1917) prometeu: “Em Portugal, sempre se conservará o dogma da fé.” Cremos que há uma ligação mariana entre o Brasil e Portugal. O Brasil, onde a Virgem Maria se manifestou em 1717 como Senhora da Conceição Aparecida; Portugal, país que nos fez católicos, onde exatamente 200 anos depois (1917) a Virgem Maria aparece como a Senhora do Rosário. Cremos que a Virgem falou em Fátima também, de uma forma especial, aos países de língua portuguesa, e portanto, ao Brasil, a grande Terra de Santa Cruz.

A abertura oficial da nossa III Campanha Nacional de Consagrações se deu no dia 17 de Junho de 2012, no encontro “Consagra-te” em Várzea Grande-MT (ao lado de Cuiabá), no “Rincão do Meu Senhor”. Havia cerca de 2.500 pessoas presentes, e o evento contou com a pregação do Pe. Paulo Ricardo e do Pe. Overland, da Arquidiocese de Cuiabá.

Palestras
Para os que ainda não tiveram a graça de assistir, as 4 palestras do evento estão disponíveis aqui (o texto continua abaixo).


O Papa de Maria (Pe. Paulo Ricardo)

Testemunho de um Sacerdote Consagrado (Pe. Overland)


Consagração: levar Maria consigo! (Pe. Paulo Ricardo)


O Triunfo do Imaculado Coração de Maria



A Consagração

Convidamos todos os católicos a se unirem conosco nesta Campanha, fazendo também a sua Consagração Total pelo método de São Luis Montfort, ou renovando a sua Consagração, no dia 08 de Dezembro de 2012 (Solenidade da Imaculada Conceição).
A preparação e a Consagração poderão ser feitas em qualquer lugar, já que é um ato interior e espiritual. Porém, São Luis recomenda que se faça a Consagração durante a Santa Missa. É um ato significativo as Consagrações serem feitos de forma pública e comunitária, principalmente nos locais em que houver grupos se preparando para a mesma.

São Luis recomenda que se faça 30 dias de preparação, com algumas orações simples, que poderão ser feitas individualmente ou em grupo, a começar no dia 08 de Novembro de 2012. As orações são indicadas no próprio “Tratado” (n. 227, 233), e indicamos também abaixo em nosso “Material de Apoio”.
Leitura do Livro

De forma geral, recomendamos que não se Consagre, e nem mesmo que se inicie os 30 dias de preparação sem a leitura completa do “Tratado”, pois como poderá preparar-se bem para a Consagração, sem a conhecê-la?

Temos abaixo, em nosso “Material do Apoio”, o “Tratado”.


Grupos de Preparação: como organizar?

Recomendamos que aqueles que puderem, participem de um grupo de preparação para a Consagração, que se reúna para estudar o “Tratado” e rezar juntos.
Este grupo poderá ser formado espontaneamente, por iniciativa de pessoas que desejam se consagrar, ou pessoas que já se consagraram e desejam ajudar a preparar outras para se consagrar (é importante a participação dos que já se consagraram no grupo, pelo seu testemunho a ser partilhado).
Temos Representantes que estão à frente da nossa Campanha em várias cidades do Brasil e Portugal, e poderão ir formando Grupos de preparação à medida que forem procurados para isso. Os que desejarem, convidamos a entrar em contato com nossos Representantes pelos contatos que divulgamos abaixo, ao final desta postagem.

Em relação à formação dos grupos, algumas sugestões:

*É importante que participem deste grupo somente pessoas que já tenham uma fé católica e uma busca de vivência cristã, caso contrário, o grupo poderá se tornar um local de debate e se afastar do seu objetivo, atrapalhando as pessoas que querem se Consagrar (é claro que o diálogo é importante, mas há outros locais para isso).
Aqui não importa o número, e sim, aqueles que a Virgem enviar. Três pessoas já é um grupo!


*O estudo do Tratado deverá encerrar-se até a primeira semana de Novembro, pois no dia 08 de Novembro iniciaremos as Orações de Preparação.


*A frequência dos encontros do grupo poderá ser feita conforme a disponibilidade: semanal ou quinzenal. Como o nosso tempo é relativamente curto, sugerimos que durante os meses de Agosto e Setembro, organizem-se como serão os grupos. Para que na primeira semana de Outubro iniciem-se encontros semanais, até a primeira semana de Novembro (totalizando, portanto, 5 encontros) para no dia 08 de Novembro iniciarmos as orações de preparação.


*O local da reunião poderá ser em residências ou, na medida do possível, em paróquias, comunidades, seminários, casas religiosas, etc.


*O encontro poderá iniciar com a Oração do Santo Terço, seguida de um estudo de um ou mais capítulos do Tratado.


*Conforme o tempo disponível e o número de encontros, pode-se dividir para que em cada encontro se estude um ou mais capítulos do Tratado (o livro tem 8 capítulos, mais a Introdução). Se forem cinco encontros, sugerimos que no 1º se faça uma apresentação dos participantes e do Tratado, e nos demais o estudo de dois capítulos do Tratado em cada encontro.

*Há várias opções para a organização dos encontros:

a. Em forma de palestras, com pessoas preparadas para isso (principalmente nos grupos maiores).

b. Em forma de partilhas (principalmente nos grupos menores), onde todos possam ler antes do encontro o(s) capítulo(s) estudado(s), e em cada encontro algumas pessoas do grupo fiquem responsáveis em conduzir uma partilha, comentando sobre os pontos que mais lhe chamaram atenção, e oportunizando que todos do grupo comentem também. O fato de pessoas diferentes ficarem responsáveis pela condução propicia mais a participação e envolvimento de todos, e incentiva a própria leitura do Tratado.

c. Em forma da apresentação de vídeos, com as 4 aulas do Pe. Paulo Ricardo, explicando o Tratado parte por parte, que podem ser assistidas via internet (ver abaixo, em nosso material de apoio) ou adquiridas em DVD.

*Muita atenção ao encontro que se estudar o capítulo 4, pois a questão do oferecimento dos méritos e do valor de todas as obras passadas, presentes e futuras, que se faz na Consagração, faz parte da essência da mesma e isso precisa ser deixado muito claro (ver as questões 1, 2, 3 e 4 do texto “13 perguntas sobre a Consagração Total”, presente abaixo em nosso “Material de Apoio”).

*No dia 08 de Dezembro de 2012, a Consagração poderá ser feita em grupo (seja participando da Santa Missa em Cuiabá-MT, ou reunindo-se em outro lugar, com ou sem Missa).

Consagração das Crianças

Incentivamos que os pais formem também seus filhos para se consagrarem totalmente a Virgem Maria, e que se faça grupos para a preparação das crianças para a Consagração.
Pois, se a Santíssima Virgem pode purificar nossas obras, oferecê-las a Deus (como fala no “Tratado”, n. 146-150), e com isso muitos se salvarem pela entrega de uma pessoa, mesmo sendo nós tão pecadores, o que Ela não poderá fazer com a pureza da Consagração de uma criança?

Lembrando que em Fátima (Portugal, 1917), Lourdes (França, 1858), La Salette (França, 1846) e outros lugares, a Virgem apareceu para crianças!

A preparação das crianças, é claro, se dá por um material especial preparado para elas, que é o livro “Crianças na Escola do Imaculado Coração”, podendo ser adquirido abaixo.
Material de Apoio

“Tratado da Verdadeira Devoção a Santíssima Virgem” – Versão PDF
“Tratado da Verdadeira Devoção a Santíssima Virgem” – Versão impressa ou em áudio
“Crianças na Escola do Imaculado Coração” – Versão impressa
Aulas do Pe. Paulo Ricardo explicando parte por parte do “Tratado da Verdadeira Devoção a Santíssima Virgem” (foram aulas preparatórias para a Campanha de 2011) – Versão on-line ou e ditada em DVD pela Editora Ecclesia

Orações para os 30 dias de preparação

Perguntas e respostas mais comuns sobre a Consagração Total

As dúvidas mais comuns estão respondidas em:

13 perguntas comuns sobre a Consagração Total

As dúvidas que ainda restarem poderão ser respondidas também por este e-mail:duvidas@consagrate.com

Divulgação desta postagem

Pedimos que esta postagem seja divulgada nos diversos sites e blogs católicos, bem como listas de e-mails, Facebook, Twitter, e assim por diante… para formarmos uma grande rede de Consagração à Santíssima Virgem!

Importante – Envio dos dados!

Os que desejam participar da nossa Campanha, fazendo Consagração a sua renovando, seja no local que for, deverão se cadastrar clicando no link abaixo:
https://docs.google.com/spreadsheet/viewform?formkey=dHBWT0ZMeDZQa1FLeGJvWEE3Rkxsanc6MQ#gid=0

As Consagrações poderão ser feitas em qualquer lugar, mas quem for se Consagrar ou renovar a sua Consagração em Cuiabá/Várzea Grande-MT, deverá enviar os seus dados até 30 de Novembro de 2012, para que possamos preparar o local.
__________________________________________________________________________________

Representantes da Campanha no Brasil e Portugal

Acre

Rio Branco
Andressa Francisca Ribeiro de Souza
Email: andressa.fran@gmail.com – (068)8100-8555


Alagoas
Maceió
Grupo Escravos por Amor (Luanda Maria e Marícia Maria)
Email: escravosporamor_al@hotmail.com – (82) 9604-0479 (TIM) ou (82) 9111-5019 (Claro) ou (82) 8833-9914 (Oi)


Bahia
Salvador
Fraternidade Arca de Maria
Email: casasantarosa_arca@yahoo.com.br - (71) 4114 0140
Vitória da Conquista
Elton Quadros
Email: eltonquadros@yahoo.com.br – (77) 8825-4159 ou (77) 9197-7490


Ceará

Fortaleza
Magnólia Moura de Almeira
Email: maguimalmeida@hotmail.com
Rômulo Linhares
Email:romuloalplinhares82@gmail.com - (85) 8844-0143
Seminarista Livandro Monteiro (Comunidade Shalom)
E-mail: livandro.monteiro@gmail.com

Morrinhos
Padre Jacó Sidarta de Sousa Vieira
E-mail: pe.jaco@hotmail.com


Distrito Federal
Brasília

Débora dos Santos Pinheiro
E-mail: debbyadm@hotmail.com / (61) 9390-9093
Giselle Pereira da Silva (Equipe de Escritores Rainha dos Apóstolos)
Email: gisellemariae@hotmail.com – (61) 8404-1617 ou (61) 9149-4586
Luíza (Movimento Escalada de Brasília)
Email: luiza@fidesdei.info – (61) 9963-3398
Patrícia Cristina Rolo Parreira
Email: patriciaparreira@ymail.com - (61) 8187-1245

Santa Maria
Débora dos Santos Pinheiro
E-mail: debbyadm@hotmail.com / (61) 9390-9093
Taguatinga
Patrícia Cristina Rolo Parreira
Email: patriciaparreira@ymail.com - (61) 8187-1245


Goiás

Anápolis
Fraternidade Arca de Maria
Emails: casasaojose_arca@yahoo.com.br ou casanossasenhoradospobres@yahoo.com.br - (62) 3316 5841 ou (62) 3706 0991

Goiânia
Aliança Mariana Parresia (Juninho)
Email: comparresia@gmail.com – (62) 9914 9906
Anna Paula Lucena (Grupo de Oração Ágape)
E-mail: aplcturismo@hotmail.com – (62) 8248-1324
Grupo na Escola de Maria Santíssima (Jose Donizete e Elisbeth)
Email: gruponaescolademariasantissima@gmail.com


Mato Grosso
Nossos encontros centrais de preparação para a Consagração em Cuiabá / Várzea Grande serão na Paróquia Cristo-Rei (Rua Emanuel Pinheiro, n.200, Bairro Cristo-Rei, Várzea Grande-MT), durante o mês de Outubro de 2012. Um dos grupos se reunirá todas as Quartas-Feiras, às 19:30h (começando no dia 03/10), e o outro grupo todos os Domingo às 17:00h (começando no dia 07/10). Os grupos são abertos a participação!


Cuiabá / Várzea-Grande
Greice Guerro (Paróquia Dom Bosco)
E-mail: greicecba@hotmail.com
Kelly Santos (Catedral Basílica do Senhor Bom Jesus de Cuiabá, Paróquia Cristo-Rei e Paróquia Nossa Senhora de Guadalupe)
Email: kelly@consagrate.com – (65) 9967-0260
Kátia Pimenta (Paróquia Mãe dos Homens e “Mãe Rainha Três Vezes Admirável Schoenstatt”)
katianegri@hotmail.com – (65) 9981-0575
Nelmara Fabíola da Silva (Santuário Eucarístico Nossa Senhora do Bom Despacho e “Jovens Sarados”)
Email: nell_fab@hotmail.com
Noelma Ramos (Paróquia Santo Antônio de Pádua e “Ministério Universidades Renovadas-RCC”):
E-mail: noelmadedeus@yahoo.com.br
Thomás Mendes Prado (Paróquia Nossa Senhora Medianeira de todas as Graças e “Ministério Jovem-RCC”)
E-mail: thom.guima@hotmail.com – (65) 9969-4753/ (65) 3052-3492
Grupo de Consagração para Crianças (Kelly Santos)
Email: kelly@consagrate.com – (65) 9967-0260

Reserva do Cabaçal
Aline Souza Oliveira (Ministério Universidades Renovadas-RCC)
E-mail: allynesouza@hotmail.com

Rondonópolis
Cristiane Coelho de Oliveira (Renovação Carismática Católica)
E-mail: consagrate.roo@gmail.com – (66) 9933-1222 (Vivo) ou (66) 8100-1222 (TIM)


Mato Grosso do Sul

Paranaíba
Irmã Larissa Assunção dos santos (Irmãs Agostinianas Servas de Jesus e Maria)
E-mail: ir_larissasantos@hotmail.com – (67) 3668-1957


Minas Gerais

Belo-Horizonte
Jefferson Maria (Missão Mater Rosarium)
Email: missao@materrosarium.com.br – (31) 91997480, (31) 93061341 ou (31) 85130882


Itaúna

Ivolina Maria
Email: ivolininhamaria@gmail.com

Ituiutaba
Fraternidade Arca de Maria
Email: casasantajuliana@yahoo.com.br – (34) 3262 0769

Juiz de Fora
Elizarina Marques Inácio
E-mail: elisarina.marques@gmail.com / (32) 91958923


Monte Santo de Minas

Luciana Greggio
Email: lucianagreggio@hotmail.com – (35) 3591-4210 e (35) 9126-4737 (TIM)

Passos
Rosilda Silva de Lima Fonseca
Email: rosildamaria3@hotmail.com – (35) 9207-7772 (TIM)

Sete Lagoas
Moisés Rocha (Comunidade Filhos de João Batista)
Email: resgatejoaobatista@ig.com.br – (31) 3773-6032 (13 às 17h)


Pará

Belém
Gleissiane Alves
Email: consagratebelem@hotmail.com
Página no Facebook: http://facebook.com/consagratebelem


Paraíba

Campina Grande
Mateus Mota Lima
Email: mateusmotalima@gmail.com

João Pessoa
Wendel Jam N. D. de Araújo
E-mail: wendeljam@gmail.com - (83) 8884-5952


Paraná

Londrina
Evelyn Mayer de Almeida
Email: lynmayer@hotmail.com - (43) 9681-1658 ou (43) 8445-2980


Pernambuco

Recife / Moreno
Fraternidade Arca de Maria
Email: casanossasenhoradasgracas@yahoo.com.br – (81) 85099930 ou (81) 97303852


Vitória do Santo Antão

Fraternidade Arca de Maria
Email: arcademaria.brasil@gmail.com – Telefones: (81) 85099930


Rio de Janeiro

Bangu
Fraternidade Discípulos da Mãe de Deus (Cristiane)
Email: fraternidademaededeus@yahoo.com.br – (21) 8812-1178 ou (21) 2409-9721

Capital
Roberto Amorim
Email: amorim-msn@hotmail.com – (21) 80279576

Nilópolis
Marlon André de Souza Florencio
E-mai: marlonflorencio.phn@gmail.com / (21) 8249-0248


Rio Grande do Norte

Caicó
Fraternidade Discípulos da Mãe de Deus (Jamerson)
E-mai: jamersonmedeiros.net@hotmail.com / (84) 8724-7902

Ceará Mirim
Fraternidade Discípulos da Mãe de Deus (João Paulo)
Email: jplimarocha@hotmail.com – (84) 8817 -0656

Currais Novos
Fraternidade Discípulos da Mãe de Deus (Jamerson)
Email: jamersonmedeiros.net@hotmail.com – (84) 9970-3512

Mossoró
Comunidade Mariana Totus Tuus
Email: cacildadsc@hotmail.com – (84) 3318 0571 (Cacilda e Jeferson) ou (84) 3318 5813 (Meire)

Natal
Fraternidade Discípulos da Mãe de Deus (Isabelle de Maria)
Email: isabelledemaria@hotmail.com – (84) 8733-7161

Santa Cruz
Fraternidade Discípulos da Mãe de Deus (Pollyanderson)
Email: pollyanderson.mariano@gmail.com – (84) 8841-7670/9930-9457


Rio Grande do Sul

Gramado
Nelson Broering
Email: nelsonerosiane@gmail.com
Novo Hamburgo
Marcos Ludwig (participante de grupo de estudo do Prof. Olavo de Carvalho)
Email: marcosludwig@gmail.com
Porto Alegre
Alexsandro Rodrigues Rosa (Missão Nova)
E-mail: livraria.nova@hotmail.com – (51) 8250 0283
Bruna Caroline Oliveira Pedro (Site Reino da Virgem Mãe de Deus)
Email: brunacop_372@hotmail.com
Gerson Luis Souza Santos (Comunidade Via Sangris)
Email: faleconosco@viasangris.com.br – (51) 84616632
Leandro Baldi (Comunidade Paz e Mel)
E-mail: leandrogbaldi@gmail.com – (51) 8230-8180
Marcos Ludwig (participante de grupo de estudo do Prof. Olavo de Carvalho)
Email: marcosludwig@gmail.com
Grupo de Consagração para crianças (Andressa Nery Garrafiel)
Email: dessinha.anjo@gmail.com – (51) 9993-1991
São Paulo
Cachoeira Paulista
Natalino Ueda (Comunidade Canção Nova)
Email: natalino@geracaophn.com – (12) 8176-7359 (TIM) ou (12) 9202-1963 (Claro)
Campo Limpo Paulista
Julio Cesar da Silva
Email: julio.salvemaria@gmail.com / (11) 97322-1723 (Vivo) ou (11) 98352 1826 (Tim)
Capital
Ivo Gonçalves Leite Carvalho
Email: ivojufra@hotmail.com – (11) 3453-5599 ou (11) 98212-4361 (TIM)
Guarulhos
Fraternidade Arca de Maria
Email: casasaoluis@yahoo.com.br – (11) 97499-3263(vivo) ou (11) 98661-9876 (tim)
Mirassol
Adolfo José Guimarães Corrêa
Email: ajosegc@yahoo.com.br – (17) 3253-2407
Mogi Guaçu
Juliana Campos
Email: juliccampos@hotmail.com – (19) 3569-1249 ou (19)9733-2903.
Ribeirão Preto
Uanderson Roberto Dias da Silva Martins
E-mail: uanderson_net10@yahoo.com.br / (16) 3639-1998 ou (16) 9172-2860 (Claro) ou (16) 8826 4198
São Carlos
Leandro Marques
Email: leandrotolomeu@gmail.com – (16) 8137-8612
Santo Antônio do Pinhal
Marcos e Valdirene
Email: marcos.valdirene@yahoo.com.br – (12) 91863721 ou (12) 91610296
São José dos Campos
Marcos e Valdirene
Email: marcos.valdirene@yahoo.com.br – (12) 91863721 ou (12) 91610296
São José do Rio Preto
Fernando Maria
Email: fernandomariajhs@hotmail.com
Internacional
Portugal
Vila Viçosa
Fraternidade Arca de Maria
Email: missaoportugal@yahoo.com.br
Grupo de Estudos Via internet (Facebook):
Link: http://www.facebook.com/groups/120446851384265/
Responsável: Elton Quadros
Email: eltonquadros@yahoo.com.br / (77) 8825-4159 ou (77) 9197-7490


Homilia do XXII Domingo do Tempo Comum Ano B 02/09/2012


Neste vídeo comentário do Evangelho, vamos meditar o legalismo farisáico e a pureza ritual, que para os fariseus era o motivo de se tornarem agradaveis a Deus, contudo o Senhor com este Evangelho quer nos mostrar o contrário....Caso não abrir clique:  http://pt.gloria.tv/?media=326405

Sarcasmo: Em novo filme de Renato Aragão, Jesus fracassou e Didi irá substitui-lo


Sarcasmo: Em novo filme de Renato Aragão, Jesus fracassou e Didi irá substitui-lo
27.08.2012 -  O humorista Renato Aragão, famoso pelo personagem Didi dos Trapalhões, vai estrelar um filme  no qual viverá um suposto “filho de Deus”, enviado para cumprir a missão na qual Jesus teria falhado.
n/d
- Como Jesus veio à Terra e não conseguiu cumprir a sua missão, porque os homens não deixaram, Deus resolve mandar um segundo filho. Aí, sim, Ele cumpre a missão – explica Aragão sobre o roteiro do filme, segundo o site Padom.
A polêmica produção, intitulada “O Segundo Filho de Deus”, está sendo anunciada como tendo seu enredo será baseado em “contos bíblicos”, para contar a estória de que Jesus não cumpriu sua missão na terra, e por isso Deus envia o seu segundo filho para concluí-la.
Orçado em 8,1 milhões de reais, o filme será dirigido por Paulo Aragão, e será o 49º filme da carreira do comediante, que é também escritor, diretor e produtor.
Até pensei em fazer regressão para escrever sobre o assunto com mais consciência, mas ficou só na vontade. No final das contas, pensei: ‘Ah, não vou entrar nessa não! – disse Renato sobre o livro.
Fonte: Blog Revelação Final
============================================
Nota de  www.rainhamaria.com.br  -  por Dilson Kutscher
Somente direi uma coisa: Pobre das nossas crianças, que confusão criam no coração dos nossos jovens com essas fábulas humanas,, que desrespeitam o Santo Sacrificio do  Rei Jesus na Cruz.
Este sarcasmo, deboche e desrespeito terá um preço a pagar...
Diz na Sagrada Escritura:
"Uma vez que recusastes o meu chamado e ninguém prestou atenção quando estendi a mão, uma vez que negligenciastes todos os meus conselhos e não destes ouvidos às minhas admoestações, também eu me rirei do vosso infortúnio e zombarei, quando vos sobrevier um terror, quando vier sobre vós um pânico, como furacão; quando se abater sobre vós a calamidade, como a tempestade; e quando caírem sobre vós tribulação e angústia. Então me chamarão, mas não responderei; procurar-me-ão, mas não atenderei.
Porque detestam a ciência sem lhe antepor o temor do Senhor, porque repelem meus conselhos com desprezo às minhas exortações; comerão do fruto dos seus erros e se saciarão com seus planos, porque a apostasia dos tolos os mata e o desleixo dos insensatos os perde.
Aquele que me escuta, porém, habitará com segurança, viverá tranqüilo, sem recear dano algum". (Pr 1, 24 - 33)
"Sabei antes de tudo o seguinte: nos últimos tempos virão escarnecedores cheios de zombaria, que viverão segundo as suas próprias concupiscências". (2Pd 3,3)

Fonte: rainhamaria.com.br

27 de ago de 2012

* Entenda por que os católicos NÃO SÃO – e nunca serão – protestantes.


Lutero. Tudo começou com ele.
Lutero. Tudo começou com ele.
V. de Carvalho com a colaboração de B. Carvalho/Dani Silva, A. Silva e Claudio Maria
Repudiamos ofensas contra a honra e dignidade das pessoas.
Somos favoráveis ao amplo debate religioso e à liberdade de escolha de crenças e fé que pareçam mais adequados a cada homem ou mulher.
Defendemos a liberdade religiosa e condenamos qualquer tipo de perseguição ou preconceito contra crença ou religião de quem quer que seja. Limitamos o debate às questões de fé e doutrina tão e somente.
***
Chama a atenção de qualquer pessoa a aversão que grande parte dos protestantes nutre pela Igreja Católica. Bons e maus têm seguidores ou simpatizantes por todos os lados. As ideias mais inaceitáveis encontram adeptos e defensores em todo o canto. Por exemplo, nota-se em tempos de eleições todo o tipo de ideia ou ideologia. As propostas mais estranhas são aceitas ao menos por pequena parte do eleitorado. Dependendo do cargo que se pretende ocupar e da quantidade de votos necessários para eleição de determinado candidato, pode-se colocar no poder a partir de meros 50.000 votos ou menos, alguém com ideias contestadas as vezes por milhões de pessoas.

No entanto, contrariando a tendência natural do ser humano pela pluralidade, quando o assunto é a Igreja Católica, apenas com algumas raras exceções, percebemos nitidamente a aversão e ideias pré concebidas por parte dos irmãos protestantes.
Todos são maus no catolicismo? Não há e nunca houve um sacerdote justo ? Não há uma só doutrina ou dogma católicos que estejam certos?
Ora, se a máxima protestante estiver correta de que placa de igreja não salva ninguém, também estará correta a afirmação de que placa de igreja não condena ninguém. Então por que tão grande hostilidade se é o protestante quem diz que placa de igreja nada garante e consequentemente assume que esta mesma placa não pode condenar?
O protestante vive uma angústia infernal. E por que ? O protestante estabeleceu para si próprio o princípio Sola Scriptura: tudo tem de ser explicado pela Bíblia. Entretanto, o protestante admite e com razão que a Bíblia é a palavra infalível de DEUS. Sendo assim, uma vez que a palavra de DEUS é infalível, não se pode admitir que duas pessoas interpretem de modos diferentes o mesmo texto bíblico.
É exatamente este um dos telhados de vidro do protestantismo. Não há protestante que concorde com outro protestante integralmente em matéria de fé e doutrina. E todo se dizem certos. E todos dizem que foram inspirados pelo Espírito Santo.
Sinceramente, acreditamos que muitos protestantes abraçaram o protestantismo por boa-fé e estes mesmos agem com sinceridade diante de DEUS. Para estes, é evidente que uma angústia perturbadora lhes assalta a todo o momento. No caso das seitas e de seus falsos pregadores não se deve falar em angústia ou receios, já que para estes o evangelho e Jesus são apenas meios de se ganhar dinheiro. Eles mesmo não acreditam no que pregam.
Estamos falando para os protestantes sérios e comprometidos com o cristianismo e que por questão de justiça somos forçados a dizer que repudiam e contestam as inovações e modismos introduzidos pelos falsos mestres. Um bom número de protestantes se posiciona de forma firme contra as novidades e blasfêmias introduzidas no meio cristão pelos inúmeros falsos profetas que andam por aí.
Pois bem. Se um e outro protestante não concordam em matéria de fé e doutrina, é certo que pelo menos um deles está errado. E quem está errado, portanto, fazendo diferente do que ensina a Bíblia que é a palavra de DEUS infalível, por certo estaria praticando heresia na visão do outro protestante que lhe faz oposição. Não por acaso, não há protestante que não tenha sido acusado de heresia por outro protestante e não há protestante que não acuse outros de heresias.
Surge a agonia infernal que deveria preocupar cada protestante: nem todos estão interpretando as escrituras sagradas corretamente. Como então resolver o problema ?
Se é certo que Jesus só tem uma opinião firme e verdadeira para cada tema e se é certo que ele não muda jamais, como conciliar doutrinas tão divergentes entre si de modo que todos os protestantes sintam-se seguros quanto a salvação ?
Duas situações dão ao protestante a falsa segurança de que sua eventual heresia não lhe condenará ao inferno.
1º situação: A primeira é a salvação garantida. Quem aceita Jesus está salvo e já não importa o tipo de cristianismo ou o Jesus no qual se acredita. Levantou o dedo e fez o favor de “aceitar” Jesus já está salvo. E a maioria diz ainda que salvação garantida não pode ser perdida.
Ou seja, assim como Lutero que disse que o homem deveria pecar o máximo possível que ainda assim seria salvo pela fé, o protestante acredita que tendo “aceitado” Jesus, suas eventuais heresias não serão levadas em conta e neste caso a salvação obtida a partir do “aceita Jesus” é algo que não pode ser perdido ainda que posteriormente ele se torne um herege formal.
Surge porém um problema com esta teoria. Se estão todos salvos e salvação não pode ser perdida, podemos afirmar que pastores, pregações, leitura bíblica, dízimos, DVDs, CDs, música Gospel e mesmo igrejas protestantes são irrelevantes. Se todos estão salvos, por que fazer cultos para quem já está salvo e sendo que tal salvação nem mesmo pode ser perdida ? Esta é a heresia da predestinação de Calvino que levou as idéias de Lutero até as últimas consequencias.
Por que pagar dízimos ? Por que leitura da Bíblia ? Por que pregações ? Se todos estão salvos e salvação não pode ser perdida, nem mesmo igrejas protestantes são necessárias. Por que cultos e pregações para pessoas que já estão salvas e pessoas que teoricamente não precisam de pastores ou igrejas já que contam com a “assistência” do Espírito Santo na leitura bíblica de modo que podem interpretar as sagradas escrituras e podem conhecer a sã doutrina ? O protestante não explica e pouco lhe importa que a doutrina da salvação garantida não faça sentido algum.
Para resolver esta nova angústia, pois qualquer pessoa de bom senso pode concluir que a salvação não é algo automático e imutável, mas depende de nossas ações e perseverança, uma outra situação de certo modo recobra a “paz” do protestante quanto a salvação:
2º situação: O outro critério usado pelo protestantismo para trazer segurança aos seus filhos quanto a salvação foi nutrir aversão pela Igreja Católica. Combate-se um inimigo imaginário e que deve ser enfrentado por todos. Este suposto inimigo seria o maior herege de todos. Culpado por tudo. Já tem gente culpando a Igreja Católica pelas atuais divisões das divisões no protestantismo…
Assim, quando o Senhor lhes cobrar as doutrinas estranhas ao evangelho que eles pregaram, certamente dirão que combateram os maiores hereges ou o maior fabricante de heresias que já existiu!
As doutrinas protestantes alimentam-se basicamente do anti catolicismo. Os regimes totalitários utilizam-se deste expediente, criando inimigos imaginários que devem ser combatidos e que servem como cortinas de fumaça para que ninguém tenha que enfrentar os seus próprios desmandos e equívocos.
Uns elegem determinadas nações como inimigos. Outros elegem a imprensa, uns acusam os governos ou a ONU e muitos outros elegeram o papa ou a Igreja Católica como principais inimigos.
Seria natural que muitos protestantes ou evangélicos, como são conhecidos no Brasil, chamassem os católicos de irmãos em Cristo quando entre eles várias afinidades são evidenciadas. Seria natural que evangélicos defendessem católicos quando estes se destacam por iniciativas ou ações. Seria lícito esperarmos apoio para eventuais discursos de sacerdotes em defesa de princípios cristãos comuns ou na defesa da fé.
Mas, nada disto ocorre. Se um católico confessa Jesus Cristo como Senhor, lá vem uma crítica por causa de um pronome ou uma vírgula usada. Se temos procissão somos idólatras. Se batemos palmas não temos respeito. Se não batemos palmas somos frios. Se tem celibato, deveríamos casar. E assim por diante. Mesmo nas críticas, um grupo de evangélicos acusa a igreja de ter modificado a doutrina. Então vem outro grupo e acusa a Igreja Católica de ser dogmática, arcaica e que nunca se moderniza. Nem nas críticas os protestantes conseguem consenso.
Escândalos ou erros de sacerdotes católicos 500 anos atrás causam maior indignação aos evangélicos do que um fato ainda mais grave praticado por um dos seus pares no presente. Isto é estranho ! O protestante nos aponta o dedo e nos diz que somos ímpios. Ora, se somos ímpios, seria mais natural que pecássemos. E sendo eles o “Povo de DEUS”, não seria natural que fossem mais intolerantes com seus próprios erros ?
Mas não é assim que funciona. Um católico 600 anos atrás que tenha cometido crimes é lembrado rotineiramente e todos os católicos atuais parecem ter que pagar pela infâmia ou escândalo causado séculos atrás. Entretanto, quando o evangélico se depara com escândalos e desmandos em seu próprio meio, muitos se ocupam de defender o indefensável, enquanto outros tratam com desprezo e descaso as ocorrências de tais abusos ou desvios.
Mais estranho ainda é o fato de que na Igreja Católica nunca se defendeu que não há pecadores entre nós. Pelo contrário. A inerrância da Igreja refere-se as questões de fé, moral e doutrina. Nunca foi dito que filhos da Igreja estão imunes ao pecado.
Quanto aos escândalos, o próprio Jesus nos adverte que cuidaria daqueles através dos quais os escândalos são introduzidos. Na prática Jesus está nos dizendo que sempre se encarregaria de purificar sua igreja. Quem torna Lutero “indispensável” em verdade não creu na promessa de Jesus.
O fato é que não compreendendo a diferença entre infalibilidade e “impecabilidade” os protestantes criaram igrejas que supostamente não deveriam ter pecadores. Evidente que tal situação não foi possível. Isto eles já descobriram. Lutero não demorou a concluir.
Falta coragem de assumir que além de edificar igrejas com pecadores, agora os protestantes já não contam com o dom da infalibilidade que é reservado exclusivamente à Igreja Católica e APOSTÓLICA, a única que Jesus Cristo instituiu e disto o protestante-evangélico-crente não poderá fugir, já que admite e confessa que suas igrejas foram fundadas por homens. Por exclusão, se há uma igreja divina esta não pode ser protestante. E se a Igreja de Jesus não fosse católica, mas fundada por homens, então pelo menos também teríamos o direito de interpretar como os protestantes, alegando ainda que fomos inspirados pelo Espírito Santo em nossas interpretações privadas.
Não por acaso, as heresias vistas em larga escala no meio cristão são patrocinadas exclusivamente pelo protestantismo. Unção da galinha, unção do cachorro, unção do zoológico, unção do chifre, unção da meia, unção do helicóptero, unção da vaca, batismo em parque de diversões, teologia da prosperidade, pregação pelo aborto, pregação pelo divórcio, unção do riso, regressão ao útero materno, unção da vassoura, transferência de unção, descarrego, fogueiras santas, desafios financeiros e tantas outras que demandariam um texto ainda maior. Já tem gente até dizendo que ajudar os pobres desvia recursos da “igreja”. Que horror !!!
Ora, Jesus disse que devemos temer mais aqueles que matam a alma do que aqueles que matam o corpo. Em outras palavras, as heresias podem ser mais nocivas do que os erros comuns a todos os homens. Que situação conflitante vive o cristão que nega a Igreja Apostólica e Católica! Sua auto suficiência não lhe permite retroceder. Desesperados, precisaram construir um inimigo maior e supostamente mais herege. E para não ter surpresas, nada melhor do que um conceito que “garante” salvação. Por via das dúvidas, melhor ainda é fazer desta salvação um tesouro que não pode ser perdido e que seja independente do cristianismo que se pratica ou do Jesus que cada um segue.
Dois protestantes e um católico estão conversando. O primeiro protestante se diz favorável ao aborto. O segundo se diz contrário. O católico que participa da conversa concorda com este segundo protestante que é contrário ao aborto. Qual a dupla entre os três que citamos que se auto denominará como “irmãos” em Cristo ? Resposta: Os dois protestantes, ainda que absurdamente divergentes entre si e ainda que um deles se afine em termos de doutrina mais com o católico do que com o outro protestante.
O dedicado e comprometido protestante não compreende que ele vive um ciclo vicioso e viciado. Vicioso porque se repete. Viciado porque todos cometem os mesmos erros. Se o protestante defende a livre interpretação da Bíblia terá que conviver com os ignorantes e os maus que se utilizam da Palavra de DEUS para proveito próprio.
Pensa este protestante que o meio de evitar as heresias e deformações seja o estudo bíblico mais aprofundado. Tem gente clamando por um vigoroso e generalizado estudo bíblico no meio protestante como forma de combater as heresias. Engana-se este evangélico de boa-fé. Quanto mais estudo e teologia sem o alicerce de um magistério confiável, mais e mais a cada dia surgirão novos pseudo mestres e “sábios” que eventualmente condenarão até mesmo os bons professores e estes novos “sábios” fundarão novas seitas que produzirão novos “estudiosos” que, seguindo os passos dos primeiros também se dividirão e introduzirão novas heresias. E o ciclo se repete ininterruptamente.
Todo aquele que estuda a Bíblia fora da orientação das autoridades legítimas constituídas pelo Senhor Jesus acaba pensando saber mais do que os outros. Quanto mais “sábio”, mais se pretende ensinar e menos se pretende aprender.
Um aluno de escola regular estuda história sob a tutela do professor. Ele não pode mudar a seu bel prazer os fatos ocorridos e alterar a ordem dos acontecimentos ou as personagens envolvidas. O professor está presente para lhe corrigir e restabelecer a verdade para que os demais não sejam contaminados pelos enganos daquele aluno.
Sem magistério confiável que define todas as coisas, cada qual está por conta própria e tudo fica ainda pior quando todos se dizem inspirados pelo Espírito Santo, o que dá “certeza” a cada intérprete de que sua doutrina é a doutrina correta.
Por outro lado, constituir um magistério que defina todas as coisas aniquilaria o próprio protestantismo que pretendia, segundo seus adeptos, promover a liberdade na interpretação da Bíblia e o rompimento com submissão de qualquer espécie, em especial a submissão à Igreja de Roma e ao Santo Padre.
O protestantismo não tem saída. Não há como evitar o progresso em larga escala de maus pregadores, hereges e seitas de toda ordem.
O genial e santíssimo São Tomás de Aquino, Doutor da Igreja disse e o disse bem: “Espero nunca ter ensinado nenhuma verdade que não tenha aprendido de Vós. Se, por ignorância, fiz o contrário, revogo tudo e submeto todos meus escritos ao julgamento da Santa Igreja Romana
Em contraste com a humildade do sábio, santo e doutor católico, disse o orgulhoso e soberbo Martinho Lutero pai de todas as seitas e evangélicos: “Quem não crê como eu está destinado ao inferno. O meu juízo e o juízo de DEUS são a mesma coisa.”
Cada protestante é uma espécie de super Papa infalível para si mesmo. Sua leitura bíblica é sempre superior à leitura bíblica alheia. Apenas os mais acomodados que não desenvolvem o hábito da leitura bíblica é que irão permanecer seguindo pregadores e denominações. E isto é desastroso, pois muitas vezes nos deparamos com ignorantes guiando ignorantes, não importa a boa intenção que tenham. Cria-se assim uma grande confusão e o cristianismo vira uma babel.
Por outro lado, aqueles mais preparados e mais estudiosos logo descobrirão que “sabem mais” do que seus mestres e professores. Estes mesmos farão críticas aos seus próprios pares e definirão por conta própria quem pratica ou não heresias.
A Bíblia nos ensina que as escrituras devem ser examinadas por serem úteis. Exame porém não significa interpretação. Erram os que não examinam a Bíblia. Tornam-se ignorantes e sujeitos a toda a sorte de novidades e ventos de doutrinas. Erram os que ao invés de examinarem resolvem interpretá-la por conta própria. Tornam-se mestres de si próprios, sábios aos seus próprios olhos e juízes de tudo e de todos.
A Igreja é coluna e sustentáculo da verdade (1Tm 3,15). Assim, o próprio texto bíblico confirma a autoridade da Igreja sobre as Escrituras. Afinal de contas não foi a Igreja constituída pela Bíblia, mas a Bíblia apresentada ao homem pela Igreja.
Não por acaso o texto bíblico recomenda que toda Escritura é útil para o aprendizado. Em outras palavras, útil significa auxílio. Confundir utilidade com suficiência é confirmar que todo e qualquer homem pode livremente interpretar a Bíblia e assim não há como condenar heresia alheia se não há antes um magistério confiável que defina previamente o que é heresia.
Ao invés de atender a determinação bíblica de que a fé vem pelo ouvir, a fé do protestante acaba vindo pela sua própria leitura privada da Bíblia.
Quem é o ser humano que deseja ouvir e aprender de outro aquilo que ele julga que pode entender por si próprio ?
Assim, a fé do protestante em Jesus é a fé que cada um entendeu sobre Jesus através de sua leitura bíblica particular. Se por vezes homens mais preparados e estudiosos conseguem aproximar-se da doutrina do Jesus verdadeiro, muitos outros acabam “crendo” em um Jesus que não existe, mas fabricado a partir de conclusões decorrentes da leitura particular de cada um. E este Jesus que se opõe ao Jesus da Bíblia e que cada qual entendeu a partir de sua própria leitura particular da Bíblia, é que será ensinado aos homens que não conhecem o evangelho, e no Brasil, particularmente será ensinado aos católicos que não conhecem a fé que pensam praticar.
Ora, a contradição já se inicia na própria pregação de um protestante para qualquer homem ou mulher. Como pretende o protestante convencer quem quer que seja, se antes mesmo de qualquer coisa quem lhe ouve deve crer que DEUS não constituiu a Igreja como coluna e sustentáculo da verdade e nem concedeu a homem algum o dom da infalibilidade ?
A angústia infernal da contradição se dá ainda em última análise a partir do princípio criado pelo protestantismo e ao qual cada protestante está obrigado: o próprio Sola Scriptura “Só a Bíblia”. Ora, somos julgados pelos critérios que estabelecemos para os outros. Se somos misericordiosos, havemos de alcançar misericórdia de DEUS. Mas se somos rígidos, inflexíveis e intolerantes, estamos sujeitos ao julgamento de DEUS na mesma medida.
Quem se obrigou ao “Só a Bíblia” não fomos nós católicos. Não somos seguidores de Lutero. Escutamos a Igreja. O “Só a Bíblia” é um critério protestante, criado por reformadores protestantes e para seus seguidores crentes, evangélicos e protestantes.
Curiosamente, nossos dogmas, costumes de fé e doutrinas são cobradas pelos irmãos a partir do critério que deveria valer somente para eles. E eles próprios não se dão conta de que o “Só a Bíblia” lhes condena, porquanto não havendo concordância no que se refere às questões de fé e doutrina, é óbvio que muitos estão saindo da Bíblia que deveria ser seguida por todos e pela qual todos, sem exceção, estão obrigados.
Quem cobra “Só a Bíblia” e nada além dela e concorda que a Bíblia é a palavra infalível de DEUS, obrigou-se ao princípio que pretende impor aos demais.
Quem é o cristão que gritando “Só a Bíblia” poderá desculpar-se por doutrina anti bíblica que tenha pregado ?
Quem é o cristão que gritando “Só a Bíblia” e dizendo-se inspirado pelo Espírito Santo em sua leitura bíblica poderá dizer que não entendeu o que leu ?
Como é seguro ser católico né ? Se fosse possível que a Igreja Católica cometesse erros em matéria de fé e doutrina, ainda assim poderíamos dizer a Jesus que fizemos o que estava nas escrituras e assim não interpretamos a Bíblia porque segundo Pedro nenhuma interpretação é de caráter particular. E poderíamos dizer que acreditamos na Bíblia porque a Igreja Católica nos disse que era para crermos. E também poderemos dizer a Jesus que não confiamos na nossa leitura bíblica, porquanto a mesma Bíblia, em Timóteo, nos ensina que a Igreja é coluna e sustentáculo da verdade. Podemos dizer que deixamos exclusivamente para a Igreja a tarefa de interpretar corretamente as escrituras e nos ensinar como ensinou ao eunuco (At 8, 30,31)e a milhões de convertidos por 2012 anos. E poderemos falar ainda que escutamos o conselho de São Paulo e guardamos as tradições que nos foram transmitidas por escrito ou não. E podemos acrescentar que aprendemos estas tradições com a Igreja. Podemos até dizer que confiamos em Pedro por causa das palavras de Jesus para que ele apascentasse as ovelhas e confirmasse seus irmãos na fé.
Se fosse possível erros na doutrina católica, nós católicos ainda poderíamos culpar a Igreja, São Paulo ou ao Papa. Quem sabe poderíamos ouvir: “Pai, perdoe aos católicos. Eles são leigos e não sabiam o que estavam fazendo.”
Ora, alguém perguntou a Jesus se ele era o filho de DEUS. Ele disse: “Tu o dissestes.” São nossos irmãos separados que dão testemunho de nós quando nos chamam de seguidores de papas ou quando nos dizem que nós não devemos considerar placa de igreja ou que o nome “Igreja Católica” não está na Bíblia.
São os protestantes que reafirmam nossa crença nos santos declarados pela Santa Igreja. São eles que testemunham que aceitamos a Bem Aventurança de Maria. São eles que testemunham sobre nós no que se refere ao batismo, purgatório, sacramentos e Eucaristia. São os protestantes que testemunham sobre a confissão dos pecados ao sacerdote praticada no catolicismo. Em última análise, são os protestantes que dão testemunho que somos ensinados pela Igreja. São eles que nos dizem que pertencemos à Igreja Católica. São eles que testemunham sobre nossa fidelidade a Pedro.
E o protestante que tudo sabe a partir de sua própria leitura bíblica “inspirada” pelo Espírito Santo e que está obrigado ao critério “Só a Bíblia” ? O que poderá dizer em sua defesa se era “conhecedor” de todas as coisas, capaz inclusive de apontar a heresia alheia e a trave nos olhos dos outros?
Diante do conflito angustiante ao qual cada cristão protestante está sujeito a partir das escolhas que fez, nada melhor para lhe trazer uma falsa segurança do que acreditar na salvação garantida a partir do “aceita Jesus” e a eleição de um inimigo comum e “destrutivo” que deve ser vencido e que representa a maior de todas as heresias, a Babilônia, o trono do anticristo, um herege idólatra imperdoável.
Nós católicos devemos dar graças ao Senhor pelo seu imenso amor. Conhecendo nossas fraquezas, nossas imperfeições, mazelas, soberba, arrogância, não fomos abandonados à nossa própria sorte ou aos nossos julgamentos parciais e imprecisos. Mas o amor de DEUS pela humanidade excedeu todo entendimento. Depois de nos dar o salvador perpétuo e perfeito, ele instituiu o corpo místico do nosso Senhor Jesus Cristo que é a Igreja de modo que assim se cumpra a promessa do salvador: “Eis que estarei convosco até o fim dos tempos”.
Infelizmente muitos não creram nesta promessa e elegeram Lutero, Calvino, entre outros, como “mestres” e “sábios” a serem seguidos.
A igreja inerrante tudo nos ensina e constitui-se em caminho seguro para nossa santificação rumo à pátria celeste. Já não somos nós que devemos descobrir por conta própria e a partir de nossa leitura bíblica privada a igreja que devemos integrar e amar, as doutrinas que devemos seguir e repudiar, e, nem mesmo precisamos decidir quem é ou não herege ou quem vai ou não para o céu.
O Cristo nos salva. A Igreja nos ensina. O espírito nos santifica. E o Pai julga todas as coisas.
E ainda ganhamos Maria como caminho mais reto e seguro para Cristo. Ela mesmo diz: “Fazei tudo que ele vos disser.”
Diferente dos evangélicos protestantes que repudiam Maria, façamos como João que atendendo ao pedido de Jesus levou Maria para casa. Façamos ainda como Isabel e fiquemos cheios do Espírito Santo ao ouvir o nome de Maria. Tenhamos o comportamento de João Batista e estremeçamos de alegria com a visita da Virgem Santíssima. Façamos como o anjo do Altíssimo e soberano DEUS e digamos em alto e bom som: “Ave Maria”.
E ainda temos os exemplos de nossos santos que dão testemunho do poder do DEUS vivo que é capaz de transformar toda e qualquer criatura humana. Negar que alguém possa ser santo é duvidar que o autor de toda a santidade é capaz de produzir obras perfeitas. Ele mesmo diz: “Sem mim nada podeis fazer.” Quem é santo, é santo por causa de Jesus Cristo. Negar tal verdade é duvidar do poder sem limites de Nosso Senhor Jesus Cristo. Que amor sem medidas do Altíssimo DEUS pela humanidade!
Infelizmente, o protestante está amarrado ao critério que criou para si próprio. Nada melhor do que impor aos católicos o “Leia Bíblia” para se auto convencer que existem outros interpretando de forma ainda mais equivocada do que ele próprio.
Ao contrário da aversão quase que unânime dos protestantes em relação a Igreja Católica e APOSTÓLICA, nossa igreja, a única e verdadeira Igreja de Cristo, nos ensina que nem mesmo estamos autorizados a culpá-los pela divisão do corpo de Cristo ocorrida 500 anos atrás. Somente a Igreja, coluna e sustentáculo da verdade, é que pode definir o que é heresia ou quem é herege.
Nos ensina a Igreja Católica que é justo chamarmos de cristãos nossos irmãos separados que confessam o DEUS uno e trino, e Jesus Cristo como Senhor e nosso único salvador.
Ao contrário dos protestantes que exigem novo batismo para ex católicos, nossa Igreja acata a maior parte dos batismos produzidos nas denominações protestantes, porquanto ninguém pode dizer que Jesus Cristo é senhor se não pela ação do Espírito Santo. Assim, a Igreja não se faz maior do que seu senhor. Acaso é o servo maior do que o mestre ?
Pelos frutos, podemos conhecer a árvore. Para quem não tiver medo da verdade não será difícil descobrir onde se encontram em plenitude todos os meios de salvação.
Para os católicos vacilantes, lembramos as palavras de Jesus que nos ensinam que a porta é estreita. Desconfiem daqueles que dizem que não precisam de papa ou que não precisam de Igreja. Estes mesmos que desprezam os sacramentos, a confissão de seus pecados ao sacerdote e que pensam que basta levantar o dedo e aceitar Jesus que já estão salvos. Não é tão fácil assim chegar ao céu. As vidas dos santos, mártires e verdadeiros apóstolos de Cristo confirmam que nunca foi fácil o caminho da salvação.
Desconfiem ainda daqueles que pregam um Jesus triunfalista quando o próprio Senhor nos advertiu que no mundo teríamos tribulações.
A verdadeira igreja de Cristo cuida das almas de seus fiéis. Ministra sacramentos, confissão, indulgências e estimula as boas obras. A verdadeira Igreja trabalha pela santificação das almas e para que se cumpra: “…que nenhum de nós se perca.”
A cada protestante perguntamos como é possível ter certeza do seu próprio acerto e do erro alheio, se um outro protestante com a mesma Bíblia lê, interpreta e faz tudo diferente daquele que julga estar certo ? Ambos entendem que estão certos e um discorda do outro. Tal é a angústia da contradição.
Constituir um inimigo comum e repetir aos quatro ventos a certeza da sua salvação pessoal são questões nas quais o evangélico protestante precisa acreditar desesperadamente. Do contrário, viverá uma permanente angústia infernal e a incerteza completa sobre o que é ou não agradável aos olhos do Senhor. Crer na salvação garantida já não é um ponto de vista teológico, mas uma questão de sobrevivência para o protestantismo.
Ratificamos que todos sem exceção devem fazer suas escolhas livres de quaisquer embaraços e acreditamos que todo homem ou mulher devem aderia a crença ou fé que lhes pareçam mais adequadas.
A paz do Senhor Jesus Cristo esteja convosco.