Exorcismo

Padres Exorcistas explicam

Consagração a Virgem Maria

Escravidão a Santissima Virgem, Orações, Devoção

Formação para Jovens

Espiritualidade, sexualidade, diverção, oração

11 de nov de 2011

Mais uma vela para o demônio (Canção Nova dá programa a mais um inimigo da Igreja)

Eu ano passado cheguei a defender abertamente um boicote explícito à Canção Nova. Na ocasião, a pusilânime emissora havia censurado o corajoso discurso do pe. José Augusto contra o abortismo do PT: para vergonha desta Terra de Santa Cruz, a maior emissora “católica” do país veio pedir desculpas e dizer que não endossava as palavras proféticas do reverendíssimo sacerdote. Uma emissora que cala a palavra de Deus não se pode pretender católica e não merece receber apoio algum dos católicos verdadeiros que tratam a sua Fé com a seriedade exigida.

Fonte foto: Frates in Unum

Hoje, dando continuidade aos escândalos e fazendo mais um agrado a Satanás (que zomba e ri dos católicos graças à Canção Nova), a emissora tem a coragem de lançar um programa com um deputado petista, gayzista e perseguidor manifesto da Igreja! Remeto ao Fratres in Unum para a leitura completa da denúncia. Mas cito aqui os dois principais pontos:

1. «O Partido dos Trabalhadores de Araraquara realizou no último final de semana seu 1º Encontro LGBT. 
[...] O presidente do Diretório Estadual, Edinho Silva, enviou uma saudação aos presentes e reiterou o apoio do Partido nos debates envolvendo o movimento.» (site oficial do Deputado Estadual Edinho Silva)

2.1. «Uma gráfica no bairro do Cambuci, região sudeste da capital paulista, estava imprimindo, na manhã deste sábado, panfletos com um texto de um braço da CNBB (Conferência Nacional dos Bispos do Brasil) contra o PT e a presidenciável Dilma Rousseff. [...] Segundo o presidente do PT paulista, Edinho Silva, os advogados da campanha irão à Justiça Eleitoral para impedir a continuidade da impressão.» (Folha de São Paulo, 16/10/2010)

2.2. «O presidente estadual do PT, deputado Edinho Silva, contou como o partido descobriu os milhões de panfletos. Segundo ele, um cidadão foi encomendar um serviço da gráfica, viu os panfletos e resolveu denunciar. Ele telefonou no sábado para o secretário de comunicação do partido e, como o diretório estadual estava reunido, foi possível fazer a mobilização. “Queria parabenizar esse cidadão que não se silenciou diante de uma situação que enfraquece a democracia e desrespeita o povo brasileiro. Quero também reconhecer a determinação da militância que montou uma verdadeira vigília na gráfica para resguardar os panfletos até a chegada da Polícia Federal”.» (site oficial do Edinho Silva, 19/10/2010)

2.3. «Em coletiva, lideranças petistas falam sobre denúncias que mostram a ligação entre a Gráfica Pana que imprimiu mais de 1 milhão de panfletos ilegais, fazendo ataques ao PT e à Dilma, com o PSDB» (foto do Edinho Silva na citada coletiva de imprensa)

Não se trata, portanto, de um simples “deslize”, de um engano justificável, de uma falha normal que todas as pessoas (e portanto também as emissoras) podem inocentemente cometer, ou nem mesmo de um pecado passado já arrependido e pelo qual se faz penitência. Nada disso. Trata-se de uma orientação sistemática para o mal, de uma política durável de militância contra a Igreja por parte da emissora – ao mesmo tempo em que posa de católica e, diabolicamente, no meio de uma programação mais ou menos católica (dentre a qual, justiça seja feita, é possível encontrar materiais excelentes), dá vez e voz a declarados inimigos de Cristo. Isto porventura vai ficar assim? Não está mais do que na hora de alguém – nem que sejam os colaboradores da Canção Nova – exigir um pingo de coerência da emissora? Não está mais do que na hora das pessoas dizerem à Canção Nova que ela não pode continuar acendendo uma vela para Deus e outra pro Demônio?


Fonte: http://www.deuslovult.org/2011/11/11/mais-uma-vela-para-o-demonio-cancao-nova-da-programa-a-inimigo-da-igreja/

Ameaça gayzista à Constituição

Julio Severo
A “PEC da Diversidade Sexual”, que visa transformar a Constituição do Brasil numa constituição anti-“homofobia”, está avançando rapidamente no Congresso Nacional muito mais rápido do que o próprio PLC 122. A PEC, segundo o site gay A Capa, é fruto de uma parceria entre Marta Suplicy e Maria Berenice Dias — inclusive a Ordem dos Advogados do Brasil.
Já denunciei essa estratégia de Suplicy com a OAB antes, mas parece que a oposição ainda não se levantou. Veja meu artigo:
Para entender quem é Maria Berenice Dias e o que ela faz, veja minha denúncia:
Para compreender o perigo que está avançando, estou reproduzindo a seguir, na íntegra, texto original do site gay:

Marta Suplicy consegue apoio à PEC que inclui o respeito para homossexuais na Constituição

A senadora Marta Suplicy (PT-SP) conseguiu obter 31 assinaturas de apoio para a PEC 111/2011 que, se aprovada, altera os princípios fundantes da Constituição Brasileira. A Proposta de Emenda à Constituição altera o artigo 3 para "incluir entre os objetivos fundamentais da República Federativa do Brasil a promoção do bem de todos, sem preconceitos relativos a identidade de gênero ou orientação sexual".
A matéria agora segue para a Comissão de Constituição e Justiça do Senado (CCJ), onde será debatida e votada. Se aprovada, vai a plenário. A diferença da PEC para os Projetos de Lei é que a primeira tem de passar por duas votações nas casas, Senado e Câmara dos Deputados Federais.
Sobre apoio a matéria, a assessoria de Marta Suplicy disse que ainda é muito cedo para se discutir, mas que o fato da senadora ter conseguido 31 assinaturas já é uma vitória. A PEC é fruto de uma parceria entre a Marta Suplicy e a desembargadora aposentada Maria Berenice Dias, que entregou à senadora esta proposta há cerca de um mês, quando foi ao Senado lançar o Estatuto da Diversidade Sexual.
Suplicy: se sentindo vitoriosa com o rápido avanço da “PEC da Diversidade Sexual”
Caso a PEC consiga aprovação nas duas casas, apesar de seu caráter simbólico, a alteração na Constituição Brasileira pode ajudar no caminhar de outros projetos de lei, como, por exemplo, o PLC 122/2006, que visa tornar crime a homofobia em todo o Brasil e já está há dez anos em discussão no Congresso Nacional.
Fonte: site homossexual A Capa
Divulgação: www.juliosevero.com

Presidente da Sociedade Teológica Evangélica retorna à Igreja Católica




WASHINGTON DC, (ACI) Francis Beckwith renunciou esta semana a seu cargo de Presidente da Sociedade Teológica Evangélica (ETS). O motivo: retornou à Igreja a Católica onde cresceu e que abandonou para abraçar o protestantismo.

Conforme sustenta em um blog, "não acredito que seja possível que a ETS conduza seu negócio e seus assuntos de forma que impulsione o Evangelho de Cristo, enquanto eu seja seu presidente. Por isso, desde em 5 de maio renuncio ao cargo de presidente da ETS e membro de seu comitê executivo".

Beckwith relata que começou sua volta à fé em que cresceu, quando decidiu ler a alguns bispos e teólogos dos primeiros séculos da Igreja. "Em janeiro, por sugestão de um amigo querido, comecei a ler aos Padres da Igreja assim como alguns trabalhos mais sofisticados sobre a justificação em autores católicos. Comecei a convencer-me que a Igreja primitiva é mais católica que protestante e que a visão católica da justificação, corretamente compreendida, é bíblica e historicamente defensável".

O perito estava disposto a retornar à Igreja Católica quando terminasse seu serviço como presidente em novembro do próximo ano. Entretanto, seu sobrinho de 16 anos pediu para ser seu padrinho de confirmação no próximo dia 13 de maio e por isso reconsiderou sua decisão.

Segundo Beckwith, "não podia dizer 'não' a meu sobrinho querido, que credita na renovação de sua fé em Cristo a nossas conversas e correspondência. Mas para fazê-lo, devo estar em total comunhão com a Igreja. Por isso, em 28 de abril passado recebi o sacramento da Confissão".

Beckwith espera que sua partida permita à Sociedade Teológica Evangélica estudar a tradição da Igreja em uma forma que não seria possível com ele de presidente.

"Há uma conversa que deve realizar-se na ETS, uma conversa sobre a relação entre Evangelismo e o que se chama 'Grande Tradição', uma tradição da qual todos os cristãos podem traçar sua paternidade espiritual e eclesiástica. É uma conversação que eu recebo com agrado, e na espero ser participante. Mas minha presença na ETS como presidente, concluí, diminui as possibilidades de que ocorra esta conversa. Só exacerbaria a desunião entre cristãos que precisa ser remediada".

O ex-presidente também enfatizou seu agradecimento a ETS. "Sua tenaz defesa e prática da ortodoxia cristã é que sustentou e nutriu a quem tenho encontrado nosso caminho de volta à Igreja de nossa juventude".

***
Fonte: http://www.acidigital.com/noticia.php?id=9899

A ideologia gay e os fatos sobre os homossexuais


Leio sobre o britânico que “virou gay” após um derrame. O testemunho dele é no mínimo curioso: ele caiu, quebrou o pescoço, teve um derrame e, quando acordou, era gay: «quando ganhei consciência, eu imediatamente me senti diferente. Eu não estava mais interessado em mulheres. Eu era definitivamente gay. Eu nunca tinha sentido atração por homens antes – eu nunca tive nem amigos gays.»

O caso dele é politicamente incorreto e, devido ao patrulhamento da Gaystapo, perguntar é incômodo. Mas eu não consigo ver como possa ser honestamente possível furtar-se aos questionamentos: se crianças com tendências homossexuais são com freqüência apresentadas como argumento a favor da tese de que [todos] os homossexuais “nascem assim”, por qual motivo o homossexualismo surgido após um trauma neurológico não serve nem mesmo para insinuar que, talvez, alguns casos sejam [patologicamente] adquiridos? E, avançando ainda mais na inconveniência das perguntas: se for verdade que tais tendências podem ser adquiridas, por qual motivo a recíproca não é também igualmente verdadeira e, portanto, elas não poderiam ser “desadquiridas”?

A Doutrina Católica não tem nenhum problema com a gênese psíquica do homossexualismo. É perfeitamente possível dizer, p.ex., que certas pessoas nascem com memória ruim e outras ficam com a memória ruim após tomarem certos tipos de medicamentos. É facto que certas pessoas nascem com os membros faltantes e, outras, perdem em acidentes os membros com os quais nasceram. Isto a rigor não significa absolutamente nada: a forma como as pessoas nascem ou deixam de nascer não é,de per si, demonstração irrefutável de que tal ou qual característica é uma qualidade e não um defeito. Aplicando este princípio ao homossexualismo, temos uma resposta bastante simples à questão (que, não obstante, o Movimento Gay empenha-se por obscurecer): os actos homossexuais são intrinsecamente desordenados, independente de se os gays nascem assim ou assim se fazem ao longo da vida.

A questão da gênese psíquica homossexual (e a questão conexa da sua reversibilidade), portanto, é totalmente irrelevante para a sua condenação moral (tanto do ponto de vista da Moral Católica como também da Lei Natural). Mas tem um interesse capital para as pessoas que sofrem com tais tendências, porque a resposta a tais questões determina se é possível a estes filhos de Deus conseguirem um bálsamo que alivie a pesada cruz lançada sobre os seus ombros ou se, ao contrário, eles devem se preparar para resistir às tentações da carne sem outro remédio que não os espirituais. É bastante óbvio que tais remédios são absolutamente suficientes para que qualquer pessoa vença as suas más inclinações e adquira a santidade; no entanto, se é possível à razão humana oferecer algum conforto a estas pessoas que sofrem com tendências sexuais profundamente arraigadas, nada justifica que uma ideologia revolucionária e anti-natural os impeça de terem acesso aos benefícios que o engenho humano, em condições normais, seria capaz de oferecer.

À santidade todos são chamados e para todos ela é possível. E o caminho da santidade é aquele traçado pela Lei de Deus – o qual a Igreja de Cristo, qual farol a iluminar os viajantes, tem a missão de indicar a todos os homens de todos os tempos. Os fatos contrários ao Gayzismo dominante deveriam ser suficientes para romper o muro de silêncio ideológico: pois os maiores prejudicados pela militância sodomita, nada surpreendentemente, são os próprios homossexuais.

Um Apoio onde apoiar a vida


Estava lendo um trecho do Segundo Livro das Crônicas. Deparei-me com uma frase que me impressionou, de tão real. Era a dura censura de um profeta, um tal de Hanani, ao rei Asa, de Judá. O governante tinha pedido ajuda ao rei de Aram na sua luta contra o rei Baasa, de Israel. Procurou ajuda noutro rei e não no Senhor... No aperto, foi lógico: procurou o apoio nos exércitos de um rei amigo. No entanto, as palavras de reprovação do Profeta Hanani são tremendas: “Porque te apoiaste no rei de Aram e não no Senhor teu Deus, as forças do rei de Aram escaparão de tuas mãos” (2Cr 16,7).

É isto mesmo, e se repete tanto, ainda hoje, ainda agora, comigo e com você, caro Leitor meu: toda vez que nos apoiamos em nossos cálculos, em nossas muletas, sejam de que tipo for, terminamos perdendo tudo. Sim, porque nossas muletas, nossos apoios humanos, nossas falsas seguranças nos escapam! O que é perene realmente, a não ser o Senhor?

Pense, Leitor! Pense e pense novamente: o que é perene nesta vida? O que é consistente neste mundo? O que é realmente garantido, assegurado? A resposta é tremenda: nada! Nada fora de Deus se sustenta realmente e nos assegura a vida! Tudo aquilo em que pomos nossa segurança e nosso tesouro de modo absoluto, nos escapa das mãos, como as forças e os exércitos do rei de Aram faltaram ao Rei Asa, de Judá! É a insustentável leveza do ser, sua fugacidade radical, aquela dolorosa constatação do Eclesiastes: “Vaidade das vaidades: tudo é vaidade!” (Ecl 1,1), tudo é fugacidade, é inconsistência...

É de nós mesmos, um vício nosso, fruto do nosso pecado original: a teimosia em buscar seguranças, alicerces e certezas certas fora de Deus e até contra Deus... No entanto, somente ele, o Senhor, é nossa certeza, somente ele, a Realidade real, que nunca nos faltará e pode ser apoio e rochedo da nossa incerta existência!

Cada vez que eu ou você buscarmos apoio absoluto, certo e garantido nas coisas que passam, ouviremos, dolorosamente, a terrível constatação: “Porque te apoiaste nessas coisas, nessas pessoas, nessas situações, e não no Senhor teu Deus, as forças dessas coisas, dessas pessoas, dessas situações escaparão das tuas mãos”, porque tudo passa. Só Deus permanece, só Deus basta!