Exorcismo

Padres Exorcistas explicam

Consagração a Virgem Maria

Escravidão a Santissima Virgem, Orações, Devoção

Formação para Jovens

Espiritualidade, sexualidade, diverção, oração

9 de jun de 2011

Pisoteiam e jogam cerveja sobre a Eucaristia em igreja na Colômbia




O Pe. Rodrigo Hurtado, pároco da igreja de San Isidro em Dosquebradas (Colômbia), denunciou que a capela Cristo Salvador foi vítima de um ato sacrílego, pois ladrões ingressaram no templo, furtaram dinheiro e bens valorados em mais de mil dólares, para logo retirar as hóstias do Sacrário, derramá-las no chão, jogar cerveja em cima e pisoteá-las.

Conforme informou a rádio colombiana RCN, a Diocese de Pereira, à qual pertence a paróquia de San Isidro, ordenou o fechamento do templo e o retiro do Santíssimo, assim como a excomunhão para os responsáveis pelo sacrilégio.

Espera-se que tudo volte à normalidade na capela Cristo Salvador dentro de um mês, depois da realização de um ato de desagravo previsto pela justiça canônica.

Esta é a segunda vez que a capela Cristo Salvador sofre um ato sacrílego, pois quatro anos atrás, desconhecidos quebraram as mãos de uma imagem da Virgem Maria, além de furtar elementos do templo.

Fonte: ACI

Mes de junho? nono dia

Coração fiel

"Amo-te com um amor imutável" (Jr 31,3)



Este é o amor do coração de Jesus! De Belém ao Calvário, da Ceia Eucarística à Ceia Eterna, o coração de Jesus é tudo e sempre será para nós e para a nossa salvação. Fidelidade santa, perene, incondicional. Ele mesmo disse que estaria conosco todos os dias, até a consumação dos tempos (cf. Mt 28, 20). Fidelidade para a nossa eterna salvação: "De geração em geração duram os pensamentos do seu coração para salvar da morte os seus filhos". (cf. Sl 32, 11).
Mas, quantas vezes Jesus teria todos os motivos e todo o direito de se afastar e de nos afastar de Seu Santo Coração. Porém, Ele continua a nos amar, apesar de nossa infidelidade mais grave. Ele continua a descer aos altares, apesar da traição dos seus ministros; continua a permanecer nos Sacrários, apesar da solidão e do abandono desolador no qual O deixamos. Continua a doar-se a todos na Santa Comunhão, apesar da indiferença e frieza que O recebemos. E quantos hoje vão receber a Comunhão em pleno pecado mortal, sem antes confessar-se? E deveriam saber que a absolvição sacramental é absolutamente necessária antes da Comunhão. No entanto, comete-se um horrível sacrilégio, porque se come e bebe a própria condenação (cf. I Cor 11, 29).
Jesus continua entre nós até quando não ligamos para Ele. E O colocamos em segundo lugar, e às vezes, em último, prontos em trocá-lO por desejos da carne, por dinheiro ou ambição.
Pobre coração de Jesus! Ele tinha razão quando disse a Santa Margarida Alacoque: "Eis o Coração que tanto amou os homens, que nada eonomizou nada até acabar-se e consumar-se para manifestar-lhes o Seu amor; em troca, Eu recebo da maior parte indiferenças, sacrilégios e irreverências...".
É possível que não possamos acolher estes lamentos divinos do Coração de Jesus?
Um dia Santa Tereza d'Ávila, em êxtase durante uma adoração Eucarística, contemplou Jesus que lhe disse com doçura: "Teresa, quero mostrar-te tua vida". Logo apareceu um lindo cacho de uva, com os bagos suculentos e brilhantes, que embelezavam as orações, as ações e os sacrifícios da Santa. Mas eis que que sai do Sacrário um raio de luz fulgurante que atingiu o cacho de uva e fez aparecer coisas bem diferentes: alguns bagos estavam consumidos pelos vermes, outros estavam vazios e secos, e outros, ainda, estavam ácidos e estragados. A Santa compreendeu a linguagem daqueles bagos, que revelavam as muitas e pequenas infidelidades. Toda em confusão, jogou-se aos pés de Jesus, lhe pediu perdão lhe prometeu de empenhar-se com todas as forças para corrigir. Foi fiel e se tornou seráfica de amor pelo Coração de Jesus.


Coração infiel


"O amor das criaturas é instável e sujeito as falhas; o amor de Jesus é fiel e constante" (Imitação de Cristo, II, 7,1).

O coração do homem é infiel. Do coração do homem têm os adultérios. No coração do homem se consumam as infidelidades, as traiçõoes, os abandonos dos amigos, do cônjuge, do companheiro de trabalho, do sócio em negócios... e até de Deus.
Na segunda carta a Timóteo, São Paulo comunica ao seu discípulo umamá notícia: "Demas me abandonou por amor ao mundo presente" (4,9). Com quanta amargura São Paulo escreveu estas palavras!
Se já é improvável a infidelidade a uma criatura, o que será a infidelidade a Deus? Pareceria um absurdo dever admitir a infidelidade a Deus, mas é uma realidade posta sob os olhos de todos. Quantos cristãos batizados, crismados, alimentados com a Eucaristia, abandonaram o Senhor, seduzidos pela carne e pelo mundo do dinheiro? E que dizer se se tratam as pessoas consagradas? "Não conheço sacrilégio mais horrível - disse São Bernardo - que o de repreender a um coração já consagrado a Deus".
Disse o Sagado Coração de Jesus a Maria Alacoque: "O que me é mais penoso é ver-me tratado assim por corações a Mim consagrados"!. Segundo a Santa, Jesus disse estas palavras com um acento de dor tão lacerante que dilacerava sua alma.
Como esquecer que Jesus nos amou antes de tudo e continua a nos amar até o fim dos tempos? É único e supremo Coração fiel; não pode nos abandonar, pois nós lhe custamos todo o Seu sangue. Com que coragem o nosso coração pode preferir qualquer outra coisa ou criatura?
Nas Crônicas fransciscanas lemos que um mestra em París tinha tomado o hábito de São Francisco, mas a mãe pobre não se conformou em perder o filho e foi suplicá-lo em lágrimas e gemidos para que voltasse para casa. O filho, com o coração amargurado, cedeu e prometeu de voltar para casa no dia seguinte. Entretanto, ajoelhou-se diante do crucifixo e rezou em soluços: "Senhor, não desejo deixar-te; desejo somente assistir minha mãe em sua extrema necessidade". o crucifixo, jorrando sangue vivo das chagas de Jesus, respondeu: "Custastes mais a mim que à tua mãe, pois Eu derramei por ti todo o meu sangue. Eu deveria ser-te mais caro que a tua mãe". O bom frade permaneceu no convento até à morte.

Coração de Jesus, torna os nossos corações fiéis a Ti até à morte.


Propósitos:

- Fazer uma visita ao Sagrado Coração de Jesus na igreja junto a uma imagem sua.

- Rezar as seguintes orações:  (clique aqui).

* Dê sua opinião na Enquete da Câmara sobre a PDC 224/11. Leia e entenda.


Você concorda com o projeto (PDC 224/11) que susta a decisão do Supremo Tribunal Federal (STF) de reconhecer a união homoafetiva?

Entenda antes de votar:

Logo após o encerramento da grande manifestação dos evangélicos em frente ao Congresso Nacional, representantes das Frentes Parlamentares Evangélica, Católica e da Família e lideranças religiosas, entre elas o organizador da Marcha pela Família, o pastor Silas Malafaia, foram recebidos pelo 2º vice-presidente da Câmara, o deputado Eduardo da Fonte, PP/PE, para cobrar da Casa, prioridade na tramitação do PDC 224/11, entregue ao presidente, Marco Maia, no último dia 25.

O PDC-224, susta os efeitos da decisão do Supremo Tribunal Federal que reconheceu a união homoafetiva no dia 05 de maio passado, proferida na Ação Direta de Inconstitucionalidade 4277 e o descumprimento do preceito fundamental 132, que reconhece a entidade familiar da união entre pessoas do mesmo sexo. Os parlamentares avaliam que a decisão fere as prerrogativas do Congresso limitando assim, a atuação dos parlamentares em discutir o tema.

O presidente da FPE – Frente Parlamentar Evangélica, deputado João Campos, PSDB/GO, afirma que a decisão invadiu a competência do Poder Legislativo porque cria obrigações e restringe direito,situação que somente pode ocorrer por intermédio de lei, em sentido formal e material. A decisão teria desrespeitado, ainda, a teoria da tripartição dos poderes, estabelecida no artigo 2º da Constituição.

Presentes à ocasião estavam os deputados João Campos, Roberto de Lucena, PV/SP, o senador Magno Malta, PL-ES e um grupo de parlamentares religiosos junto com o pastor Silas Malafaia revelaram, ainda, que pretendem apresentar abaixo-assinado com mais de 1 milhão de assinaturas para sensibilizar os deputados para viabilizarem o PDC-224.

O deputado Eduardo da Fonte se comprometeu a apresentar o pedido de prioridade à Mesa Diretora.

Vote aqui, procure Enquete.

http://www2.camara.gov.br/agencia/

fonte: http://www.comshalom.org/blog/carmadelio/

Brian Johnson, da banda AC/DC: “Religião é uma perda de tempo, Jesus não era Deus!”

O vocalista da banda AC/DC, Brian Johnson (foto), 63, afirmou não acreditar em religião e quem o faz causa “uma perda de tempo”. A afirmação foi feita em entrevista ao blog PopEater ao qual Johnson se propôs a falar sobre sua autobiografia Rockers and Rollers: A Full-Throttle Memoir.
O tema religião começou a ser abordado quando a entrevistadora Nicki Gostin afirmou que poucas pessoas sabem que ele começou a cantar em um coro de igreja.
“Sabe por que eu fiz isso, querida? Não por causa da religião, não. Foi em troca de dois xelins e seis pences por semana”, disse. Acrescentou: “Todas as religiões geram dinheiro e trazem problemas, guerra e morte”.
Para Johnson, “Jesus foi muito inteligente, mas apenas um homem, não o filho de Deus”.
Foi essa referência a Jesus que mais irritou religiosos dos Estados Unidos. Palmeri Allen, editor de uma revista batista, por exemplo, afirmou que um dia Johnson terá de prestar contas a Deus.
“Ele terá de encarar o fato de que Jesus é a porta para Deus.”
Pelo que disse na entrevista, o vocalista da banda que vendeu mais de 200 milhões de álbuns não deve alimentar a polêmica com os religiosos, porque ele está “cansado disso [religião]”.
“Parem agora e aproveitem a vida!”

Fonte: http://www.comshalom.org/blog/carmadelio/

Absurdo: BBC transmitirá suicídio assistido de um milionário.



De D. Henrique Soares.


Meu caro Internauta, leia atentamente esta notícia seguinte:
A emissora pública BBC transmitirá o suicídio assistido de um milionário hoteleiro britânico que foi para a clínica suíça Dignitas para morrer. O jornal "The Daily Telegraph" revela nesta quarta-feira (8) seu nome: trata-se de Peter Smedley, de 71 anos, que morreu em dezembro e que, antes de morrer, escreveu cartas a seus amigos expressando o quanto eles haviam significado para ele.
A maior surpresa desses amigos ocorreu quando no serviço dedicado a sua memória receberam o contato de uma equipe da BBC que havia filmado os últimos momentos de Smedley para um documentário do escritor Terry Pratchett, que defende o suicídio assistido. "Não sabíamos até aquele momento que ele estava no Dignitas, nem sabíamos sobre o filme até que a equipe envolvida no programa procurou-me", disse ao jornal um amigo íntimo de Smedley.
O filme, que será exibido na próxima segunda-feira pela BBC com o título de "Choosing to die" (Escolhendo morrer, em inglês), não identifica Smedley pelo sobrenome. Ele sofria de transtorno neuromotor, diagnosticado havia dois anos. Amigos o descrevem como "um homem que apreciava a privacidade, mas defendia mudanças na legislação (sobre o suicídio assistido)".
O que pensar de algo assim? A primeira vista, alguém poderia dizer: que coragem, que maturidade, a desse senhor: enfrentar de cabeça erguida o destino de todo homem, enfrentar corajosamente a própria situação; não fugir, não se lamentar, não ser peso para ninguém, mas com dignidade e resignação, ir ao encontro da morte de modo altivo e realístico... Não nego que tal linha de raciocínio seja possível...
Gostaria de propor uma outra. Aonde chegamos! Nossa sociedade esqueceu Cristo, renegou sua matriz e o que ficou? A derrota, a sensação de absurdo ou, pelo menos, de profundo vazio ante situações escuras e incompreensíveis da existência. A verdade é que sem Deus e, de modo especial, sem Cristo sofredor, crucificado e ressuscitado, a dor, o sofrimento, as limitações e debilidades da vida já não mais têm sentido! Que sociedade miserável, essa que coloca como solução, ante as impotências e dramas da vida, somente a morte como escolha! Eis o fim da linha do ateísmo, do agnosticismo, do hedonismo, do consumismo, do cinismo atuais!
Não! Esse senhor não é um herói, não é altivo diante da morte. Com todo o respeito que uma pessoa merece, posso dizer: ele foi um covarde! Teve medo da doença e capitulou, teve medo da dor e correu, teve receio das limitações que a debilidade lhe trariam e preferiu o suicídio. Uma atitude assim assenta em quem não conhece a Deus, em quem tem diante de si, como horizonte último da existência, somente a si próprio, somente esta vida daqui deste mundo... Quanto à clínica que dá guarida ao suicídio, seu nome não deveria ser “Dignitas” (dignidade), mas “Covardia”!
Quanto a nós, que colocamos em Cristo nossa esperança, só nos resta dizer: Bendito sejas tu, Senhor nosso Deus, que nos dando a fé no teu Cristo, nos libertaste de toda ameaça de absurdo e no teu Filho morto e ressuscitado, deste-nos a força com a tua graça de encontrar sentido para as escuridões da existência, de modo que nem a vida nem a morte nos podem mais afastar do teu amor! Bendito sejas, Senhor nosso Deus, que pela cruz e ressurreição do Senhor, encheste de sentido e liberdade a nossa vida!




Fonte: http://costa_hs.blog.uol.com.br/