Exorcismo

Padres Exorcistas explicam

Consagração a Virgem Maria

Escravidão a Santissima Virgem, Orações, Devoção

Formação para Jovens

Espiritualidade, sexualidade, diverção, oração

19 de dez de 2011

Fora da Igreja não há salvação - São Cipriano de Cartago


IV Concílio de Latrão

IV Concílio de Latrão
"...Há apenas uma Igreja universal dos fiéis, fora da qual absolutamente ninguém é salvo...". Canon III: "Nós excomungamos e anatematizamos toda heresia erguida contra a santa, ortodoxa e Católica fé sobre a qual nós, acima, explanamos...".

Papa Inocêncio III

Papa Inocêncio III
"De coração cremos e com a boca confessamos uma só Igreja, que não de hereges, só a Santa, Romana, Católica e Apostólica, fora da qual cremos que ninguém se salva."

Santo Atanásio

Santo Atanásio
Evitai o veneno dos hereges e cismáticos e imitai o meu ódio para com eles porque são inimigos de Deus

São Jerônimo

São Jerônimo
“Nunca poupei os heréticos e empreguei todo meu zelo para fazer dos inimigos da Igreja meus inimigos pessoais.”

Santo Atanásio

Santo Atanásio
" Todo aquele queira se salvar, antes de tudo é preciso que mantenha a fé católica; e aquele que não a guardar íntegra e inviolada, sem dúvida perecerá para sempre (...) está é a fé católica e aquele que não crer fiel e firmemente, não poderá se salvar".

Pio XI - Mortalium Animos

Pio XI - Mortalium Animos
“Assim, veneráveis irmãos, é clara a razão pela qual esta Sede Apostólica nunca permitiu aos seus estarem presentes às reuniões dos acatólicos; porque não é lícito promover a união dos cristãos de outro modo senão promovendo o retorno dos dissidentes à única verdadeira igreja de Cristo; dado que outrora, eles dela se apartaram”

Papa Bonifácio VIII

Papa Bonifácio VIII
"Por apego da fé, estamos obrigados a crer e manter que há uma só e Santa Igreja Católica e a mesma apostólica e nós firmemente cremos e simplemente a confessamos e fora dela não há salvação nem perdão dos pecados (...) Romano Pontífice, o declaramos, o decidimos, definimos e pronunciamos como de toda necessidade de salvação para toda criatura humana."

Santo Agostinho

Santo Agostinho
“Fora da Igreja é possível tudo, exceto a salvação. É possível ter honras, é possível ter sacramentos, é possível cantar aleluias, é possível responder amém, é possível possuir o Evangelho, é possível ter fé no nome do Pai e do Filho e do Espírito Santo, é possível pregar; mas em nenhum lugar senão na Igreja Católica, é possível encontrar a salvação”.

DOM GUÉRANGER

DOM GUÉRANGER
“Quando o pastor se transforma em lobo, é ao rebanho que, em primeiro lugar, cabe defender. Normalmente, sem dúvida, a doutrina desce dos Bispos para o povo fiel, e os súditos, no domínio da Fé, não devem julgar seus chefes. Mas há, no tesouro da Revelação, pontos essenciais, que todo e qualquer cristão, em vista de seu próprio titulo de cristão, necessariamente conhece e obrigatoriamente há de defender.”

Dr. Plinio Corrêa de Oliveira

Dr. Plinio Corrêa de Oliveira
Que meu último ato de amor seja um ato de amor ao Papado. Pois assim morrerei na paz dos eleitos, bem unido a Maria, minha Mãe, e por Ela a Jesus, meu Deus, meu Rei e meu Redentor Boníssimo”.

Charles Journet

Charles Journet
“Quem não guarda a fé deixa de ser membro da Igreja”

Cardeal Manning

Cardeal Manning
"A Igreja não pode equivocar-se em sua fé, porque Deus é seu Mestre."

Bispo Torras Y Bages

Bispo Torras Y Bages
"A Sede própria do Espírito Santo é a santa Igreja católica."

Gustavo Corção

Gustavo Corção
"O católico que escolhe seus dogmas e seus mandamentos não é católico, é protestante."

Garrigou-Lagrange

Garrigou-Lagrange
"Os perniciosos erros que se espalham pelo mundo, tendem à descristianização completa dos povos"

Chesterton

Chesterton
“Somente a ortodoxia católica faz o homem feliz: é como os muros postos ao redor de um precipício onde pode brincar uma porção de crianças”

Dom Héctor Aguer

Dom Héctor Aguer
"A religião católica contém a Verdade total revelada por Deus e não dizemos isso com arrogância nem para desafiar ninguém. Não podemos diminuir esta afirmação"

Santo Ezequiel Moreno

Santo Ezequiel Moreno
"...muitos dos que se dizem católicos ajudam os «revolucionários». São esses, sempre «moderados», que estimam a «tranquilidade pública» como o bem supremo. ‹‹Esses católicos tolerantes, condescendentes, brandos, doces, amáveis ao extremo com os maçons e furiosos inimigos de Jesus Cristo, guardam todo seu mal humor para os que gritam «Viva a Religião!» e a defendem sofrendo contínuas penalidades e expondo suas vidas. Para eles, esses últimos são «exagerados e imprudentes, que tudo comprometem com prejuízo dos interesses da Igreja»"

Tratamento aos inimigos da Igreja

Os inimigos declarados de Deus e da Igreja devem ser difamados tanto quanto se possa, desde que não se falte à verdade, sendo obra de caridade gritar: 'Eis o lobo!', quando está entre o rebanho ou em qualquer lugar onde seja encontrado" (São Francisco de Sales, Bispo e Doutor da Igreja, Filotea ou Introdução à Vida Devota, parte III, cap. 28)


Amados, achei por bem publicar essa postagem, visto o ataque que sofremos vindo de protestantes, principalmente membros da IURD. Alguns protestantes indignados com esta afirmação distorcem o conteúdo, e através de mentiras, dizem que essa afirmação é contemporânea, pois bem, São Cipriano de Cartago foi o primeiro a proclamar tal afirmação por volta do ano 250 dC e não se cansa de repetir que «quem abandona a cátedra de Pedro, sobre a qual está fundada a Igreja, fica na ilusão de permanecer na Igreja» . Cipriano sabe bem, e o disse com palavras fortes, que «fora da Igreja não há salvação» (Epístola 4, 4 e 73,21), e que «não pode ter Deus como Pai que não tem a Igreja como mãe» . Característica irrenunciável da Igreja é a unidade, simbolizada pela túnica de Cristo sem costura : unidade que, segundo diz, encontra seu fundamento em Pedro e sua perfeita realização na Eucaristia . «Só há um Deus, um só Cristo», exorta Cipriano, «uma só é sua Igreja, uma só fé, um só povo cristão, firmemente unido pelo fundamento da concórdia: e não pode separar-se o que por natureza é um»

EDIR MACEDO, UM PASTOR ABORTISTA! PARA LEMBRAR OS FATOS....



Um Pastor de Deus nunca seria a favor da morte! Só o demônio quer o aborto, quer a morte! O demônio usa de falsos argumentos para justificar a morte...
EIS A RESPOSTA A EDIR MACEDO:


“VOCÊ FOI COMPRADO, MACEDO!” “Você não pode botar a mão na Bíblia e dizer que não foi comprado porque a sua emissora recebe milhões do governo. Você foi comprado para defender Dilma. E a tua emissora é uma emissora chapa-branca, com um jornalismo tendencioso, e não é independente como as outras”.
MACEDO JÁ CHAMOU LULA DE DIABO “Agora eu vou dizer quem é que muda” - (ENTRA UMA VOZ EM OFF) “Na eleição entre Lula e Collor, Macedo chegou a uma de suas igrejas, abriu o seu paletó e mostrou uma camiseta com a inscrição ‘Collor’ e afirmou: ‘Lula é o diabo’, satanizando o PT”. “VOCÊ TEM GANÂNCIA, MACEDO!” “Você perdeu o foco. Você tem ganância de poder, ganância econômica e ganância religiosa. (…) Você perdeu a noção do Evangelho. “
“A SUA TV, MACEDO, PROMOVE A PROSTITUIÇÃO; É UM LIXO MORAL” “Você, Macedo, tem gasto bilhões, dízimo e ofertas do povo de Deus, que você tem injetado na sua TV para promover prostituição, adultério, homossexualismo, sensualidade, assassinato, roubo. A sua TV é um lixo moral” “VOCÊ, MACEDO, PRATICA CONCORRÊNCIA DESLEAL” “Você pratica uma concorrência desleal com as outras emissoras. Porque a Globo, o SBT, a Band, a RedeTV e a CNT não têm dinheiro de Igreja para se financiar”

A Papisa Joana Verdade ou mentira?

A Papisa Joana: Parte I – A Lorota

E aí gente,Papisa_joana_taro_marsella

Vou discorrer sobre esse tema porque parece que muita gente (principalmente aqueles que tiveram acesso a um baralho de Tarô de Marselha), fica intrigado com ele. Para desenvolvê-lo, utilizei-me do trabalho do Professor Robert P. Lockwood. Nunca ouviram falar? Claro que não… Historiadores sérios não são publicados na República Popular da Banânia Petralha, e a academia brasileira tem tesão em palhaços franceses e comunistas ingleses. Se o texto existe em português, agradeçam a abnegados heróis tradutores, no caso em questão Marcos Zamith – que Deus o proteja e dê força.

UMA LENDA FORJADA POR CATÓLICOS

Bem, antes de mais nada, temos que deixar claro que essa história da Papisa Joana, para qualquer historiador sério, não passa de uma LENDA. E, acreditem, as fontes dessa história hodierna são totalmente CATÓLICAS. Falo isso porque durante muito tempo os católicos acusaram os protestantes de a haverem criado. Temos sempre que ser justos. Mas, como tudo em relação aos protestantes, tem um “perhaps”: embora não tenham parido essa blasfêmia, foram eles que alimentaram-na, na sua obsessão em desacreditar a Igreja de Jesus.

E, para vergonha do povo católico, quem pôs fim nessa farsa foi um estudioso calvinista. Digo vergonha porque um embuste católico foi destruído pelas contradições internas do protestantismo. Caso típico de males que vem para o bem.

O QUE CONTA A LENDA?

Falemos da dita “papisa”. Haveria sido entronizada no século IX. Era na realidade uma fábula, um fableau, que se agigantou e hoje é um ícone feminista e anticatólico que rendeu dois filmes (um pior do que o outro). Olhem só no que pode se tornar uma piada nas mãos de gente mal intencionada. Os gnósticos transformaram-na em seu símbolo máximo, os protestantes a usam para comprovar a corrupção do papado (acreditem, ainda hoje sua lenda é contada nos cultos da vida) e os robôs positivistas do século XIX fizeram dela a própria assaltante do ar.

Há um documentário da rede ABC NEWS que faz a dramatização da vida de Joana, qualquer semelhança com “Lula – O Filho do Brasil” não é mera coincidência. Advirto mais uma vez meus leitores: cuidado com a linguagem midiática. Retomando: garotinha “inteligentérrima” entra para um convento disfarça de garoto. Estudante brilhante, vai para Atenas, estudar com os maiores mestres da Época. Mas a devoção de Joana não era maior que sua “aflição” e ela arruma um amante para “preencher o seu vazio”.

papisa_joana_partoNas suas peregrinações acaba indo para “a casa dos monges devassos, cardeais maquinadores, santos travestis, intriga, melodrama, corrupção e violência”, como Roma é definida pela narradora. Vê-se o quanto esse documentário é honesto e imparcial

Joana a essa altura era conhecida como “João Inglês”, em virtude de sua origem saxônica. Numa ascensão meteórica, logo se torna Secretária Curial, Cardeal e é eleita Papa por aclamação em 855.

A farsa acabou durante uma procissão em que ela pariu uma menina. O povo em fúria amarrou a agonizante papisa na cauda de um cavalo e a apedrejou até a morte com seu corpo sendo arrastado por toda cidade.

Daí, por causa disso, a Igreja ficou maluca, perseguiu as mulheres, instituiu o celibato e queimou todo mundo nas fogueiras da inquisição. Pelo menos é o que dizem os gnósticos e protestantes.

No próximo post: a VERDADE por trás dessa lorota grotesca (clique aqui paraver

A Papisa Joana: Parte II – A Verdade

Voltamos,

Começamos esse segundo e último post sobre a Lenda da Papisa Joana citando literalmente o Professor Lockwood:

“A moral do século XXI sobre a lenda da Papisa Joana é clara: a Igreja teme mulheres poderosas, a Igreja tem propositadamente posto fora de forma literária qualquer menção a mulheres poderosas de sua história, e a tradição persistente do celibato sacerdotal resultou do ódio às mulheres.”

O fato do celibato ser uma norma estabelecida séculos antes da existência dessa lenda parece não ter a mínima importância para os produtores do documentário da rede ABC NEWS (citado no post anterior). Cadê a isenção? O lance é ser o mais anticatólico possível e falar mal da Igreja? Parece-me que sim.

John Peter-Pham nos diz que do século XIII ao século XVII a existência da papisa era aceita como fato histórico. Foi um dominicano que, por volta de 1250, deu as linhas gerais da lenda. Seu nome era Jean de Mailly. Aqui, Joana é colocada como sucessora do Papa Vitor III. Um outro dominicano e um franciscano embarcaram nessa, mudando a data do Pontificado de Joana, e Martin Troppan inclui seu nome na “Crônica de Papas e Imperadores”. O nome adotado por Joana seria “João Ânglico”. Junte-se um detalhe aqui e ali e… Habemus lorota.

pegadinha_do_malandro_papisaAté o poeta humanista Boccaccio se intrometeu nessa história. No século XIV, Boccaccio usou a história de Joana para atacar a Igreja. O bobalhão João Huss, um dos precursores mais perniciosos de Lutero, utilizou-se também dessa conversa fiada.

David Blondel, protestante, foi quem botou água no chopp da turminha da Sola Scriptura. O holandês era um estudioso sério e um historiador de verdade. Resultado: foi perseguido, humilhado e vilipendiado pelos seus pares. Um outro “historiador”, Pierre Bayle, diz:

“O interesse protestante requer que a história de Joana seja verdadeira”.

Os artigos que estamos postando sobre os papas, em si, são a refutação mais óbvias da lenda da Papisa Joana. Não há lacunas das fontes em nenhum dos períodos em que a turma tentou encaixar Joana. Seu Papado seria entre 855 e 857, logo após Leão IV. Probleminha: Bento III foi eleito logo em seguida a morte de Leão. E essa eleição é especialmente bem documentada em virtude de um fato inusitado que a transformou numa barafunda: o Imperador Bizantino era menor de idade (Miguel III, que ficou mais tarde conhecido com a alcunha de “O Alcóolatra”); Bento III é um caso raro de aclamação em que o povo faz do indivíduo Papa “na marra”: ele foi arrancado de suas orações e levado pelo povo ao trono de São Pedro. A confusão adveio do fato de partidários do Imperador colocarem no trono um anti-papa chamado Anastácio. Bento foi o Papa justamente nesse período de tempo atribuído a Joana. Cadê o tempo hábil pra papisa “papisar”?

Ademais, passaram-se 400 anos até alguém mencionar a dita Joana, lembram-se? O que foi? Amnésia coletiva? Um papado de três anos em que nada aconteceu? E Bento III? Como podem ver, foi tudo uma empulhação.

Lockwood diz que duas questões permanecem: onde surgiu a lenda e porque ainda hoje ela nos azucrina. Há 4 hipóteses:

  1. A fonte mais remota seria um conto popular romano;
  2. O Papa João VIII, que seria a “inspiração” para a fábula de Joana e foi o primeiro Papa vítima de conspiração palaciana no Vaticano, seria afeminado. Realmente, as imagens do papa que nos chegam são meio… assim… Bom, afeminado não é sinônimo de gay;
  3. Era uma forma de desmoralizar o Papa Sérgio, antecessor de Leão IV, que, dizem, muito antes de Alexandre VI, fazia coisas que deixariam o Papa Bórgia corado de vergonha, pois era um devasso de primeira linha;
  4. Uma “vingancinha” do Imperador Miguel III, o cachaça… quer dizer, alcoólatra.

Pra encerrar e pensar. Vocês não acharam que o paganismo entregou os pontos fácil não é? Vemos na origem do mito traços da cultura pagã, um mito vestal, tão querido pelos humanistas.

A lenda de Joana é degradante e sobreviveu porque se adapta a ordem do dia de humilhar os católicos.

Fiquem com Deus e perseverem na fé.

Fonte: ocatequista.com

O Perigo do sincretismo religioso

Fitinha do Bonfim: tá amarrado em nome de… Oxum??!!

Chuta que é macumba, Povo Católicoooo!amuletos

Hoje vamos falar sobre a famosa fitinha de Nosso Senhor do Bonfim. De onde ela vem e qual é o limite entre a devoção e a macumba?

Antes de tudo, senta que lá vem a história…

A fitinha nasceu bem no início do século XIX e também era conhecida como “medida do Bonfim”, por ser do tamanho do braço direito da imagem de Nosso Senhor do Bonfim (não me pergunte porque os dois braços não são do mesmo tamanho). Nessa época a pulserinha ainda era católica! Era utilizada como ex-voto (explicamos o que é isso no post sobre Promessas – veja aqui). As pessoas que conseguiam alguma graça usavam a fitinha no pescoço, como se fosse um colar, e penduravam nela pingentes que lembrassem a graça alcançada, como fotos da família ou pequenas imagens de metal representando partes do corpo curadas.

Essa tradição durou até meados do século XX, quando a fitinha caiu em desuso e sumiu.

E de repente ela voltou! Ninguém sabe ao certo como. Aí vieram os hippies baianos e suas esquisitices, entre elas, fitinhas de cores fortes amarradas ao pulso. Pronto! A repaginação da “medida do Bonfim” agradou tanto que logo virou mania nacional e, hoje, até internacional.

fitinha_bonfim_iphoneSó que ela foi embora católica, mas não voltou muito santa não…

A nova Fitinha de Nosso Senhor do Bonfim agora vinha carregada de sincretismo. A começar pelas cores: cada uma simbolizando um orixá. O verde escuro para oxóssi, o azul claro para iemanjá, o amarelo para oxum e por aí vai.

Embora o comércio já tenha tratado de aumentar o leque de cores, reduzindo a equivalência com os orixás, a fitinha é muito mais reconhecida como um elemento de cultos afro-brasileiros do que da Igreja Católica. Aliás, poucos realmente olham pra Igreja de Nosso Senhor do Bonfim e se lembram da Igreja de Cristo. Já falamos sobre isso por aqui (veja aqui o post sobre Sincretismo).

E como sempre, tudo que passa pelo sincretismo acaba virando macumba. Com a fitinha não foi diferente: hoje ela é cercada de lendas. A mais tradicional diz que você deve colocá-la no pulso e fazer três pedidos; eles se realizarão assim que a fitinha cair sozinha. Ou seja, você tem basicamente que deixar ela apodrecer no braço e torcer para que o fabricante não tenha utilizado material de qualidade. Mas atenção! Só funciona se você ganhar a fitinha e pedir para alguém amarrar por você. Como bônus, ela também lhe confere a proteção dos orixás (isso porque a fitinha é de Cristo).

fitinha_bomfim_cangaAlém de um amuleto poderoso, ela ainda é versátil! É muito utilizada pra dar um ar mais fashion nos pratos de frango com farofa deixados nas encruzilhadas. Cara… fugindo um pouco do assunto: falar “paralelepípedo” no Além, sem cuspir farofa, deve ser dificílimo! O povo não bota nem um arrozinho pra dar uma quebrada!

Mas voltando à vaca fria… Muito cuidado! A fitinha também tem o seu lado negro! Se você desamarrá-la de propósito, nunca vai realizar seus desejos e vai ter azar pra sempre. Tan, tan, taaaaaaaaannn!!!! #TENSO

Tudo muito católico, né? O que era o agradecimento por uma graça, virou amuleto. E aí? Você usa? Se você está lendo esse post, deve estar pensando em tirar agora. Tá com medinho???? Olha o azar, hein!

Agora, um aviso: se você não passar esse post imediatamente para 77 pessoas – na internet o 7 é inflacionado – sua conexão vai cair, você nunca mais vai conseguir navegar em banda larga, o site oficial do Justin Bieber vai ser, para sempre, a página inicial do seu navegador e o seu iPod/MP4 só vai tocar lambada até o fim da sua vida

Sincretismo: mostra o seu que eu mostro o meu.

macumbaToca tambor aí, Povo Católico!

Aqui no Brasil temos uma tradição maluca: viver uma religião professando outra! É claro que existem motivos históricos pra isso ter acontecido, mas chamar Iansã de Nossa Senhora com a liberdade de culto que temos hoje, não faz o menor sentido. Mesmo assim tem católico permitindo que templos sejam profanados em nome dessa maluquice. Hoje vamos falar do famoso Sincretismo Religioso!

O seu professor comunista de história tem dois objetivos na vida: fazer você virar ateu e votar no PSTU. Em uma das tentativas de alcançar o primeiro objetivo, deve ter dito que a Igreja perseguia os escravos e então eles tinham que prestar culto aos seus deuses usando imagens católicas e bla bla bla… Mas nem todo mundo concorda com essa versão. Alguns sustentam que o sicretismo no Brasil surgiu do mesmo jeito que ocorreu no Império Romano: simples miscigenação de culturas. Bem, não importa muito como tudo ficou junto e misturado, mas agora separem, pelamordideus!

Você já pensou se o Maradona tivesse que dar o aval na escalação da Seleção Brasileira? Você ia gostar se alguém entrasse na sua casa e pendurasse na parede fotos de uma família que não é a sua?? Pôsteres de um time que não é o seu? Não ia, né? Então alguém me explica isso aqui:

Lavagem do bonfim“O festejo começa às 10 da manhã, quando os participantes se concentram em frente à Igreja da Conceição da Praia para dar início a uma caminhada de 8 km até a Igreja de Nosso Senhor do Bonfim. O cortejo é comandado por baianas com trajes típicos – turbantes, saias engomadas, braceletes e colares – que carregam vasos com água de cheiro. Atrás delas vem o bloco Filhos de Gandhi e uma multidão de fiéis. Todos se vestem de branco, que á a cor de Oxalá, o deus Yoruba sincretizado com Senhor do Bonfim.

“Depois de pouco mais de uma hora, a procissão chega até a escadaria, onde muitos espectadores a esperam. Originalmente o interior da Igreja era lavado, mas hoje a água é ritualisticamente derramada fora de Nosso Senhor do Bonfim, num gesto simbólico de purificação. As baianas molham com água de cheiro os degraus da escadaria, onde também depositam flores, enquanto todos cantam o hino do Senhor do Bonfim.”

Fonte: http://www.terra.com.br/multimidia/minutobrasil/bonfim.htm

Hã???? Quer dizer que todos os anos precisamos fazer macumba pra purificar uma Igreja dedicada ao próprio Nosso Senhor Jesus Cristo? Tá certo isso, Arnaldo?

Ah… mas calma aí que nem saímos da Bahia e já tem a festa de São Roque… e essa tem MISSA especial! Olha aí:

banho de pipoca“Além da missa especial que, segundo o padre Rosivaldo Mota, responsável pela Igreja de São Lázaro, ‘mescla a fé católica com o rito afro’, a celebração também ganha participação do povo de santo, que oferece o banho de pipoca. De acordo com a tradição do Candomblé, o banho é capaz de limpar o corpo e espantar o mau olhado. No sincretismo religioso, São Roque simboliza o orixá Obaluaê.”

Fonte: http://www.bahia.com.br/node/13030

Padre celebrando Missa com BANHO DE PIPOCA?!?!?!?!? Limpar o corpo?!? Espantar mau olhado?!?! Povo católico, cadê os 2.000 anos de tradição da nossa Santa Igreja? Alguém acha que São Pedro ia achar bonito dar banho de pipoca nos apóstolos?

E pra você não dizer que estou implicando com a Bahia, lá vai um sincretismo mineiro aí:

“A Festa de Nossa Senhora do Rosário dos Pretos, que teve sua origem em 1723, é uma festa religiosa tipicamente mineira e que resgata a tradição do sincretismo religioso. A festa acontece há mais de 200 anos e tinha como antiga data os dias 25 de dezembro a 6 de janeiro. A mistura do catolicismo com crenças africanas e costumes indígenas dá à festa um caráter heterogêneo e de pluralidade cultural.”

Fonte: http://www.portalcmd.com.br/?content=95

Catolicismo + Crenças Africanas + Crenças Indígenas = Profanação de Templo + Inferno. Pluralidade cultural é convocar o Messi no lugar do Neymar… nem falo nada.

Mas e a Igreja Católica, o que fala sobre o assunto? Bem, o Papa Bento XVI foi muito claro, em seu encontro em Genebra com os bispos do Norte do Brasil:

“Se na liturgia não emergisse a figura de Cristo, que está no seu princípio e está realmente presente para a tornar válida, já não teríamos a liturgia cristã, toda dependente do Senhor e toda suspensa da sua presença criadora.

“Como estão distantes de tudo isto quantos, em nome da inculturação, decaem no sincretismo introduzindo ritos tomados de outras religiões ou particularismos culturais na celebração da Santa Missa (cf. Redemptionis Sacramentum, 79)! O mistério eucarístico é um ‘dom demasiado grande – escrevia o meu venerável predecessor o Papa João Paulo II – para suportar ambigüidades e reduções’, particularmente quando, ‘despojado do seu valor sacrificial, é vivido como se em nada ultrapassasse o sentido e o valor de um encontro fraterno ao redor da mesa’ (Enc. Ecclesia de Eucharistia, 10).”

Fonte: http://beinbetter.wordpress.com/2010/04/15/leia-discurso-do-papa-aos-bispos-do-para-e-amapa/ (esse blog é porreta!)

E tome esporro papal nos bispos do Pará e Amapá…

sincretismo

Bem amigos, depois de tudo isso, só me resta pedir que estejam atentos. Não permitam que nossa Sagrada Tradição, que nos liga diretamente aos apóstolos originais e ao próprio Cristo, seja misturada com o que quer que seja. É ela que nos permitiu interpretar a Sagrada Escritura de forma una e coerente por 2.000 anos. Não deixe que nossos templos católicos sejam profanados com imagens ou insinuações pagãs.

Vietnã: “NÃO” dos Redentoristas a “visita de cortesia” de gabinete estatal surpreende governo comunista.


Zenit

O escritório provincial dos Redentoristas na capital Saigon recusou uma visita de cortesia, com motivo do Natal e do Ano Novo, de uma delegação do Gabinete de Assuntos Religiosos do governo vietnamita. Quem relatou isso, ontem, quarta-feira, 14 dezembro, foi a agência de informações das Missões Estrangeiras de Paris, Eglises d’Asie.
A secretaria provincial da Congregação dos Redentoristas enviou de fato uma carta oficial ao Gabinete de Assuntos Religiosos e de Minorias Étnicas Ho Chi Minh City (antiga Saigon). Na carta, os líderes da província vietnamita dos Redentoristas anunciaram que este ano não receberão a delegação para os Assuntos Religiosos, encarregada por apresentar as tradicionais felicitações do governo durante o Natal e o Ano Novo. A carta explica também as razões da decisão.
Como lembra Eglises d’Asie, trata-se de uma tradição consolidada desde os primórdios da República Democrática do Vietnã em 1954. Cada ano, poucos dias antes do Natal, delegações de vários órgãos governamentais transmitem seus bons votos para as principais instituições religiosas da região. Esta visita anual de cortesia foi comunicada aos Redentoristas pelas autoridades em uma carta. Liderando a delegação esteve o vice-diretor para os Assuntos Religiosos de Saigon, especificava a carta, que também foi adicionado ao programa da visita.
No dia antes da visita, terça-feira, 13 de dezembro, o secretário provincial da Congregação dos Redentoristas enviou ao Gabinete de Assuntos Religiosos um nova carta, anunciando que os responsáveis dos Redentoristas recusavam receber a delegação oficial.
A carta explica o motivo da decisão com as seguintes palavras: “Durante o ano passado, nós enviamos muitas cartas ao Gabinete de Assuntos Religiosos e das Minorias Étnicas da cidade, relativas à proibição de deixar o país, para uma viagem ao exterior, notificada ao nosso superior provincial, Padre Pham Trung Than, e ao secretário da congregação, padre Dinh Huu Thoai, e também as construções iniciadas sem autorizações nas propriedades religiosas pertencentes à Congregação dos Redentoristas (…)
Até agora, não recebemos nenhuma resposta do seu gabinete, que portanto não fez o que era seu dever mínimo. Acreditamos, portanto, que a visita e a apresentação das suas felicitações, por ocasião do Natal e Ano Novo, não fariam outra coisa do que tornar menos alegre a celebração das festas”.
Os três eventos mencionados na carta dos Redentoristas são bem conhecidos. No 10 de julho passado, os agentes da Segurança Pública da cidade de Ho Chi Minh City impediram ao Padre Vicente Pham Trung Thanh de embarcar no avião para Cingapura e a mesma proibição foi notificada ao secretário dos Redentoristas. Os outros dois casos referem-se às propriedades da congregação em Saigon, confiscadas pelo Estado após a mudança de regime em 1975, nas quais as autoridades começaram certos trabalhos sem consulta prévia com os líderes religiosos