Exorcismo

Padres Exorcistas explicam

Consagração a Virgem Maria

Escravidão a Santissima Virgem, Orações, Devoção

Formação para Jovens

Espiritualidade, sexualidade, diverção, oração

31 de dez de 2010

Cada Missa, um preceito.


Caríssimos amigos, nos próximos dias teremos duas Solenidades litúrgicas preceituais para os católicos, a Solenidade de Santa Maria Mãe de Deus, e a da Epifania do Senhor. Escrevo estas breves linhas para lembrar, como já afirmou certa vez a Congregação para o Culto Divino e Disciplina dos Sacramentos respondendo a uma consulta a respeito, que não se pode cumprir dois preceitos em uma única Santa Missa.

Assim, o fiel deve cumprir o preceito participando da Santa Missa da Solenidade de Santa Maria Mãe de Deus, tanto às Vésperas da Solenidade, na sexta à noite, quanto no dia seguinte durante o dia, pois, já pela tarde se celebra aqui no Brasil a Santa Missa da Epifania do Senhor, esta última não realizando o preceito daquela.

Em meio a tantas festas de fim de ano, que não esqueçamos de dar prioridade Àquele que é o Princípio e Fim de toda a história, e à Sua Mãe Santíssima, por Quem a Salvação entrou no mundo. Cuidemos também de não encarar este doce preceito como uma mera obrigação. Ir à Santa Missa não é somente um dever, mas um direito de quem ama e quer estar com o Amor que se faz alimento de nossa alma!

Fonte: http://www.padredemetrio.com.br/

Parabéns Evelyn!


Hoje é aniversário da Evelyn.
Esta irmã que se colocou nos braços de Deus para se tornar uma grande militante da Santa Igreja.
Evelyn, receba esta simples homenagem em nome de todos os membros e leitores do blog.
Continue sendo esta boa esposa, ótima mãe e amante fervosora da verdade.

29 de dez de 2010

Cardeal Antonio Cañizares: Chega de missa criativa, na igreja silêncio e oração


28.12.2010 - Apresentamos nossa tradução da entrevista concedida pelo Cardeal Antonio Cañizares a Andrea Tornielli, do Il Giornale, via La Buhardilla de Jerónimo.

A liturgia católica vive “uma certa crise” e Bento XVI quer dar vida a um novo movimento litúrgico, que volte a trazer mais sacralidade e silêncio à Missa, e mais atenção à beleza no canto, na música e na arte sacra.

O Cardeal Antonio Cañizares Llovera, 65 anos, Prefeito da Congregação para o Culto Divino, que enquanto bispo na Espanha era chamado de “o pequeno Ratzinger”, é o homem ao qual o Papa confiou esta tarefa. Nesta entevista a Il Giornale, o “ministro” da liturgia de Bento XVI revela e explica programas e projetos.

Como cardeal, Joseph Ratzinger havia lamentado uma certa pressa na reforma litúrgica pós-conciliar. Qual é a sua opinião?

A reforma litúrgica foi realizada com muita presa. Havia ótimas intenções e o desejo de aplicar o Vaticano II. Mas houve precipitação. Não se deu tempo e espaço suficiente para acolher e interiorizar os ensinamentos do Concílio; de repente, mudou-se o modo de celebrar.

Recordo bem a mentalidade então difundida: era necessário mudar, criar algo novo. Aquilo que havíamos recebido, a tradição, era visto como um obstáculo. A reforma foi entendida como obra humana, muitos pensavam que a Igeja era obra de nossas mãos e não de Deus. A renovação litúrgica foi vista como uma investigação de laboratório, fruto da imaginação e da criatividade, a palavra mágica de então.

Como cardeal, Ratzinger havia prognosticado uma “reforma da reforma” litúrgica, palavras atualmente impronunciáveis, mesmo no Vaticano. Todavia, parece evidente que Bento XVI a deseje. É possível falar dela?


Não sei se é possível, ou se é conveniente, falar de “reforma da reforma”. O que vejo absolutamente necessário e urgente, segundo o que deseja o Papa, é dar vida a um novo, claro e vigoroso movimento litúrgico em toda a Igreja. Porque, como explica Bento XVI no primeiro volume de sua Opera Omnia, em relação à liturgia se decide o destino da fé e da Igreja. Cristo está presente na Igreja através dos sacramentos. Deus é o sujeito da história, e não nós. A liturgia não é uma ação do homem, mas de Deus.

O Papa, mais que decisões impostas de cima, fala com o exemplo. Como ler as mudanças introduzidas por ele nas celebrações papais?

Acima de tudo, não deve haver nenhuma dúvida sobre a bondade da renovação litúrgica conciliar, que trouxe grandes benefícios para a vida da Igreja, como a participação mais consciente e ativa dos fiéis e a presença enriquecida da Sagrada Escritura. Mas além destes e outros benefícios, não faltaram sombras, surgidas nos anos seguintes ao Vaticano II: a liturgia, isso é fato, foi “ferida” por deformações arbitrárias, provocadas também pela secularização que desgraçadamente atinge também dentro da Igreja. Consequentemente, em muitas celebrações já não se coloca Deus no centro, mas o homem e seu protagonismo, sua ação criativa, o papel principal é dado à assembléia. A renovação conciliar foi entendida como uma ruptura e não como um desenvolvimento orgânico da tradição. Devemos reaviver o espírito da liturgia e para isso são significativos os gestos introduzidos nas liturgias do Papa: a orientação da ação litúrgica, a cruz no centro do altar, a comunhão de joellhos, o canto gregoriano, o espaço para o silêncio, a beleza na arte sacra. É também necessário e urgente promover a adoração eucarística: diante da presenção real do Senhor, não se pode senão estar em adoração.

Quando se fala de uma recuperação da dimensão do sagrado, há sempre quem apresente tudo isso como um simples retorno ao passado, fruto de nostalgia. Como o senhor responde?


A perda do sentido do sagrado, do Mistério, de Deus, é uma das perdas de consequências mais graves para um verdadeiro humanismo. Quem pensa que reavivar, recuperar e reforçar o espírito da liturgia e a verdade da celebração é um simples retorno a um passado superado, ignora a verdade das coisas. Colocar a liturgia no centro da vida da Igreja não é em nada nostálgico, mas, pelo contrário, é garantia de estar a caminho em direção ao futuro.

Como julga o estado da liturgia católica no mundo?

Diante do risco da rotina, diante de algumas confusões, da pobreza e da banalidade do canto e da música sacra, pode-se dizer que há uma certa crise. Por isso é urgente um novo movimento litúrgico. Bento XVI, indicando o exemplo de São Francisco de Assis, muito devoto do Santíssimo Sacramento, explicou que o verdadeiro reformador é alguém que obedece a fé: não se move de maneira arbitrária e não se arroga nenhuma discricionariedade sobre o rito. Não é o dono, mas o custódio do tesouro instituido pelo Senhor e confiado a nós. O Papa, portanto, pede à nossa Congregação promover uma renovação segundo o Vaticano II, em sintonia com a tradição litúrgica da Igreja, sem esquecer a norma conciliar que prescreve não introduzir inovações exceto quando as requererem uma verdadeira e comprovada utilidade para a Igreja, com a advertência de que as novas formas, em todo caso, devem surgir organicamente das já existentes.

O que pretende fazer como Congregação?

Devemos considerar a renovação litúrgica segundo a hermêutica da continudade na reforma indicada por Bento XVI para ler o Concílio. E para fazê-lo, é necessário superar a tendência de “congelar” o estado atual da reforma pós-conciliar, de um modo que não faz justiça ao desenvolvimento orgânico da liturgia da Igreja.

Estamos tentanto levar adiante um grande empenho na formação dos sacerdotes, seminaristas, consagrados e fiéis leigos, para favorecer a compreensão do verdadeiro significado das celebrações da Igreja. Isso requer uma adequada e ampla instrução, vigilância e fidelidade nos ritos, e uma autêntica educação para vivê-los plenamente. Este empenho será acompanhado pela revisão e pela atualização dos textos introdutórios de diversas celebrações (prenotanda). Somos conscientes também de que dar impulso a este novo movimento não será possível sem uma renovação pastoral da iniciação cristã.

Uma perspectiva que deveria ser aplicada também à arte e à música…

O novo movimento litúrgico deverá fazer descobrir a beleza da liturgia. Por isso, abriremos uma nova seção em nossa Congregação dedicada à “Arte e música sacra” a serviço da liturgia. Isso nos levará a oferecer, o quanto antes, critérios e orientações para a arte, canto e música sacras. Como também pensamos em oferecer o mais rápido possível critérios e orientações para a pregação.

Nas Igrejas desaparecem os genuflexórios, a Missa às vezes é ainda um espaço aberto à criatividade, são cortadas inclusive as partes mais sagradas do cânon. Como inverter esta tendência?

A vigilância da Igreja é fundamental e não deve ser considerada como algo inquisitório ou repressivo, mas como um serviço. Em todo caso, devemos tornar todos conscientes da exigência, não só dos direitos do fiéis, mas também dos “direitos de Deus”.

Existe também o risco oposto, isto é, o de se crer que a sacralidade da liturgia depende da riqueza dos paramentos: uma posição fruto de esteticismo que parece ignorar o coração da liturgia…

A beleza é fundamental, mas é algo muito distintito de um esteticismo vazio, formalista e estéril, no qual se cai às vezes. Existe o risco de se acreditar que a beleza e a sacralidade da liturgia dependem da riqueza ou da antiguidade dos paramentos. É necessário uma boa formação e uma boa catequese baseada no Catecismo da Igreja Católica, evitando também o risco oposto, o da banalização, e atuando com decisão e energia quando se recorre a costumes que tiveram seu sentido no passado, mas que atualmente não têm ou não contribuem de nenhum modo para a verdade da celebração.

Poderia nos dar alguma indicação concreta sobre o que poderia mudar na liturgia?

Mais que pensar em mudanças, devemos nos comprometer em reaviver e promover um novo movimento litúrgico, seguindo o ensinamento de Bento XVI, a reaviver o sentido do sagrado e do Mistério, pondo Deus no centro de tudo. Devemos impulsionar a adoração eucarística, renovar e melhorar o canto litúrgico, cultivar o silêncio, dar mais espaço à meditação. Disso surgirá as mudanças…

Fonte: http://fratresinunum.com/
Fonte: Rainha Maria

27 de dez de 2010

O governo Dilma tem o mesmo sonho do governo Lula: a legalização total do aborto

Faltando apenas quatro dias para o término do governo Lula, a presidente eleita, Dilma Rousseff, anuncia que a sra. Iriny Lopes será a  futura ministra da Secretaria de Políticas para as Mulheres. E no mundo, quando se fala em política para as mulheres, leia-se: Direito assistido pelo Estado de abortar.

Claro que eles e elas maquiam isso tudo. A futura ministra maquiou, mas não enganou. Disse em entrevista que ninguém é favorável ao aborto, apenas ao direito de a mulher fazer o que bem entender com seu corpo, pois nenhuma mulher é obrigada a ser mãe (e aquele trololó de sempre).

Falando assim, na maior cara-de-pau-deslavada, ela pensa (e todo o governo petista pensa) que somos um bando de idiotas que não entenderam o recado. Parece até o machista Cabral quando soltou aquela "pérola" do "quem nunca teve namoradinha que abortou?".

Algumas coisas precisam ficar claras. A primeira delas é a de que nenhuma mulher é obrigada a ser mãe. Se assim fosse, as freiras todas teriam que ter filhos, e aí arrumaríamos problemas, pois quem seriam os pais? Os sacerdotes? Óbvio que não. Há uma lógica que nem todas as mulheres nasceram para a maternidade, como nem todas nasceram para o matrimônio. Fato indiscutível. Contudo, aquelas que se dão em casamento devem saber que os frutos do matrimônio são, indiscutivelmente, os filhos. Casamento sem filhos (quando deliberadamente deseja-se não tê-los) é como uma árvore seca que não dá flores ou frutos. Não tem sentido. Cabe lembrar que há casais que insistem em ter filhos, seja por vias naturais ou adoção, mas nada conseguem. Contudo, Deus vê a intenção de coração e recolhe as lágrimas, santificando-os na dor do não ter os filhos tão sonhados.

É nos filhos que exercitamos as virtudes. E educá-los na fé não é fácil. Digo isso de carteirinha. Tenho um menino de dois anos e meio. Preciso pensar, repensar e "trepensar" antes de fazer e/ou dizer qualquer coisa, pois eu sou seu referencial, juntamente com o meu esposo. Devo ser muito mais virtuosa como mãe que como esposa, pois estou formando alguém em sua tridimensionalidade - corpo, alma e espírito (e apesar de serem duas vocações diferentes, elas têm seu efeito ligados uma à outra).

A segunda coisa que deve ficar claro é que, para haver sentido lógico no que a tal senhora disse, algo deveria ser posto em prática pra ontem: a castidade. Sim, porque é muito fácil dizer que nenhuma mulher é obrigada a ser mãe, porém não deva ter responsabilidade sexual. O problema é que eles e elas entendem responsabilidade sexual como promiscuidade. O negócio é: "transem a vontade, usem camisinha, anticoncepcional, pílula do dia seguinte. E se ainda assim, tudo falhar, abortem. Mas não deixem de ser felizes, hein?" Só que isso não é nem nunca foi responsabilidade sexual. Isso é permissividade sexual.

Mesmo que você não seja católico ou cristão, porém é um ser sensato, ético e moral, saberá que toda e qualquer relação precisa de responsabilidades, seja em que campo for: profissional, amizade, relacionamento amoroso, etc. Logo, você concordará comigo que sair por aí transando ao Deus dará não é responsável. Qualquer pessoa de bem entende que todo ato tem consequência. Filhos são consequências de uma fecundação. Fecundação é consequência de sexo. Agora, aborto não pode ser consequência de gravidez. Só que a sociedade mundial quer tornar o aborto a consequência da irresponsabilidade, a única saída para tapar o sol com a peneira, deixando nossos jovens cada vez mais irresponsáveis, cada vez mais imaturos, sem nenhum compromisso consigo próprios, quiçá com outrem.

Só que o mais triste disso tudo é o Lula ter tentado nos enganar, quandosempre pleiteou pelo aborto; a Dilma tentando nos enganar, quando sempre pleiteou pelo aborto; e o Chalita apoiar toda esta mentira, dizendo em rede nacional que a presidente eleita nunca foi em favor do aborto. É muita cara-de-pau dessa trupe, né? O bom é que o Chalita responde meu artigo, dizendo de que lado ele está: contra a moral e a ética.

Madre Teresa de Calcutá sempre disse que jamais poderá haver paz sobre a Terra se não houver no ventre. E parece que o Brasil quer perder a paz, como vários países do mundo já o perderam. É mais um prego que exarceba a chaga do coração de Jesus. Mas o que me consola é saber que estes hipócritas já receberam a sua recompensa. E tenho certeza que o Senhor não usará de meias-palavras como eles fazem, tentando enganar-nos sobre o real valor da vida.

Imaculado Coração de Maria, sede a nossa salvação.

Brasil: Não dá para obrigar mulher a ter filho, diz nova ministra de Dilma


27.12.2010 - “Não vejo como obrigar alguém a ter um filho que ela não se sente em condições de ter. Ninguém defende o aborto, é respeitar uma decisão que, individualmente, a mulher venha a tomar.” Essa é a posição pessoal declarada pela atual deputada federal pelo PT do Espírito Santo e futura ministra da Secretaria de Políticas para as Mulheres, Iriny Lopes, 54. (marquem este nome)

A informação é de entrevista de Johanna Nublat publicada na edição desta segunda-feira da Folha

Iriny tem histórico de militante dos direitos humanos e sua declaração toca num dos pontos mais explorados durante a disputa eleitoral. Para ela, o papel do governo federal na questão é cumprir a lei, e cabe ao Congresso definir políticas públicas.

O tema consta em programa do PT do início do ano. A futura presidente Dilma Rousseff, porém, se disse contrária a mudanças na legislação que prevê o aborto apenas em caso de estupro ou risco à saúde materna.

Leia trechos da entrevista:

A sra. fala sobre o aborto?

Sim. Temos a responsabilidade no zelo da saúde pública, dentro da lei, de não permitir nenhum risco às mães.

A sra. tem uma posição pessoal sobre o assunto?

Minha posição é que temos que ter muitas políticas de prevenção e de esclarecimento. Agora, eu não vejo como obrigar alguém a ter um filho que ela não se sente em condições de ter. “Ah, é defesa do aborto…”

Ninguém defende o aborto, trata-se de respeitar uma decisão que, individualmente, a mulher venha a tomar.

***

Meu Deus do céu, respeitar uma decisão pessoal que DESRESPEITA o direito anterior ao direito à liberdade pessoal, que é o direito a vida, é inaceitável!

Não me iludo, a batalha em defesa da vida está apenas começando e vamos vê como a nova presidente vai lidar com esse tema.

A opinião da nova ministra ultrapassa inclusive a questionável questão da saúde pública e adentra no “direito” da mulher de fazer o que quiser, inclusive matar já “que ninguém é obrigado a ter filho”.

A vida é um direito básico e é INEGOCIÁVEL.

Fonte: http://www.comshalom.org/blog/carmadelio/
Fonte: Rainha Maria

24 de dez de 2010

Minha prece de Natal

Fonte: blog veneno veludo




Menino-Deus,

Hoje a Estrela de Belém anuncia que nasceste para nos salvar.
Eis que a noite é bela e feliz porque já não é mais uma noite qualquer
Mas a Noite das noites, pois ao amanhecer do dia
Teremos conosco Tu,
O Salvador
O Príncipe da Paz
O Emanuel
O Deus Conosco
O Justíssimo e Misericordíosissimo.

Nesta noite, oh, Menino-Deus
Peço de joelhos, adorando a Tua grandeza neste corpo tão pequeno,
Juntamente com os Pastorinhos, os Reis Magos,
a Virgem Santíssima, que por amor à vontade do Pai, recebeu-Te
também com São José, seu pai adotivo
Que não haja mais noites frias
Onde crianças são abortadas dos ventres maternos
e jogadas nas ruas
nas valetas
nas latas de lixo.

Não, Menino-Deus!

Peço-Te, se me permites,
Que com o Teu nascimento morra toda a morte
Que caia por terra todo o assassinato desde o ventre.
Que a paz reine nos lares
E que as crianças, outrora designadas para a morte sem a mínima chance de defesa
Possa ver o Teu brilho esplendoroso
Alegrarem-se Contigo
E dizer com os Anjos
"Glória a Deus nas alturas e paz na Terra aos homens de boa vontade"
Pois se não houver paz no ventre
Não haverá paz sobre a Terra

Que os homens todos do mundo,
De toda língua, raça e nação,
Lembrem-se que hoje é o Seu dia,
O dia que escolheste para vir a este mundo
Remir a Terra de todo o pecado.
Que eles se dobrem diante da Tua grandeza
E rendam louvores ao Céu por Teu amor.
Traz-nos esta graça nesta noite, Menino-Deus

Seja adorado  para sempre! 
E que Teu Nome seja bendito pelos Séculos dos séculos.
 Amém.



Feliz Natal a todos.

Sugestão de leitura: Jesus nasceu no dia 25 de dezembro.

23 de dez de 2010

É natal! Deixe Deus restaurar sua família.


Amanhã já é noite de Natal, como é bom estar em família, confraternizando, sorrindo, trocando presentes e relembrando os históricos momentos engraçados. O Natal não poderia ser diferente, afinal, celebramos um Deus que esta conosco, esta poderosa mística faz o ordinário se tornar extraordinário, aquilo que é rotineiro se torna especial, os detalhes ganham evidencias, tempo de reconciliação, de familiaridade, de sentir o abraço de Deus através daqueles que são os nossos.


Família é realmente um “Santuário doméstico”, só quem perdeu a sua sabe o valor incalculável desta instituição divina. Quando era missionário de uma comunidade de vida tive a graça de morar em um asilo por um ano, o antigo Hospital Geriátrico Don Pedro II, localizado no Jaçanã, zona norte de São Paulo. Uma missão dura, porém permeada de ensinamentos que carregarei pelo resto da vida, aprendi o quanto dói o flagelo da solidão, o abandono, em fim, a dor de ser esquecido por quem você menos esperava. Uma dor que ganha seu auge no natal, como era triste olhar para os meus irmãos asilados recordando as eternas noites natalinas em famílias que não existe e não existirá jamais.


Faço memória em especial de um amigo que ganhei de presente no asilo, ele era chamado de Senhor Zé. Tinha saído do Paraná para Minas Gerais com o objetivo de conquistar o pão de cada dia para a sua família, era minerador, vivia nas minas na busca de pedras preciosas, corria atrás do sucesso, de uma vida melhor para aqueles que ele amava de coração, no meio desta aventura que parecia ter um final feliz, aconteceu uma desgraça, foi identificado uma terrível doença no Sr. Zé, o nome da praga é Malária, pouco tempo depois do diagnóstico ele teve que amputar uma perna. Sua família arrumou o asilo em São Paulo para ele ficar e pelo telefone fez a seguinte promessa para ele: Ficai se recuperando no asilo Zé, no Natal nós iremos te buscar! Já se foram treze natais e a família do Zé até hoje (Dia 23 de Dezembro de 2010) não apareceu. Ele eu visitava todas as terças e quintas, e nos trinta minutos de papo que tinha com o Zé, ele sempre dizia com os olhos cheios de lágrimas que esperava ansiosamente o Natal, na espera de sua família que estaria para vim busca-lo.


Achou triste esta simples história? Não é a mais triste não, um dia vou partilhar aqui no blog a historia da Lindaci, da Damaris, do China e de tantos outros abandonados que sofrem naquele asilo. Estas histórias nos faz valorizar a beleza da vida, beleza que em muitos casos só é vista na recordação de quem não aproveitou enquanto a teve.


Neste Natal quero fazer dois convites a você, que me dá a honra da leitura dos meus simples artigos. Primeiramente peço-lhe que valorize sua família, reconcilie com quem você não esta bem, tire de sua cabeça esta ideia diabólica de divórcio, não seja tolo de querer trocar sua família por baladas ou casas de amigos. Deixe este natal que por si só é capaz de restaurar famílias transformar a sua. Basta à abertura, prepare o Peru de Natal, compre um bom vinho, coloque a picanha no fogo e vivam o amor, não deixe de sorrir para os seus nesta noite, não deixe de falar que você ama, não deixe de fazer pactos de fraternidade com quem mais precisa na sua família. Viva esta noite com todas as suas faculdades, ore pela sua família, vá a Santa Missa antes da ceia de natal, quando dé meia-noite, dê feliz natal e proclame o nome Santo do Senhor na vida de cada um. Eu tenho certeza que este natal vai ser histórico na sua família se você vive-lo tal como ele deve ser vivido.


O segundo convite se chama solidariedade com quem não tem família, falo dos asilados, dos moradores de rua, dos divorciados, dos dependentes químicos e dos presos. Estas pessoas sofrem muito irmãos, sejamos um pouquinho de Jesus na vida destes, dê a eles a alegria de sua presença, de sua alegria e de seu amor.


Lendo um texto do Papa Bento XVI sobre o natal admirei quando ele escreveu as seguintes palavras: “Saudades da noite de Natal, daquelas noites de natais tão sagradas que vivíamos em família no inverno europeu”. O que falta para aquele natal voltar a acontecer irmãos? Falta amor a Deus, amor a família e amor ao próximo. Que o Amor se faça carne em nossos corações e que sejam eternos estes dias para nós e nossas famílias.


No mais, desejo a todos um feliz natal!


Salve Maria!
bhc.vida@hotmail.com
Contato missionário: (031)88802212

Por favor: Não demonizem o Papai Noel

Às vésperas do Natal observo que ainda há grupos que queiram tirar o Papai Noel de cena. Uns alegam que o Bom Velhinho tira a real sacralidade da festa; outros querem retirá-lo por sacralizá-la (vide grupos na Alemanha esta semana). Exageros pautados em puritanismos, preconceitos e falta de entendimento.

É verdade que o comércio aproveitou-se da imagem do Papai Noel para fazer desta época uma oportunidade de lucro. Também se utiliza do Coelhinho da Páscoa para o mesmo fim. Porém, precisamos analisar se realmente estes símbolos são assim tão "maus" que devam ser extintos.


São Nicolau

A ideia do Papai Noel, embora inspirada em S. Nicolau, é uma caricatura da história do santo, um santo tão querido do Ocidente e do Oriente. Reza a história que S. Nicolau era um homem rico, e que três moças da redondeza desejavam casar-se, mas não tinham dinheiro. Ao ouvir os lamúrios que faziam da janela, Nicolau depositou na noite de Natal uma bolsa cheia de moedas de ouro, o que permitiu às moças condições de conseguirem marido. Daí vem a "lenda" de colocarmos o sapatinho na janela. S. Nicolau também é lembrado por ser o protetor das crianças e auxiliador dos pobres.

Contudo, há uma onda de muitos puritanos em que falar do Papai Noel é retirar o verdadeiro sentido do Natal. Nada mais mentiroso. E explico o porquê.

Primeiro que todos sabem que o Natal só existe graças ao nascimento de Cristo, assim como a Páscoa só existe graças à Sua Ressurreição. Mesmo que o comércio fale sobremaneiramente dos símbolos, a essência destas festas sempre será cristã. O aniversariante é Cristo e cabe aos pais explicar sobre este real sentido. Não é o comércio quem estará preocupado com isso, porque são os pais  quem introduzem nos filhos os valores morais e éticos. A escola e a sociedade só trabalhará a partir do que a criança já tem. Não é dever deles ensinar, e sim, da família.

Cabe lembrar também que o Papai Noel é um símbolo cristão que influência a todos. A bondade e a misericórdia estão presentes no Bom Velhinho, principalmente na assistência às crianças carentes que ficam radiantes com os presentes encontrados. Ele também nos lembra a vida abundante que Deus no dá, as alegrias que o Natal nos representa. Ele reflete as características da personalidade cristã. Sem contar que o uso desta imagem pode incitar nas crianças o desejo pela obediência.

Os símbolos sempre se fizeram presentes na fé católica. E o Natal está repleto deles: na guirlanda, na árvore, nos enfeites... Como isto pode ser excluído em nome de falácias que estes símbolos descontroem o nascimento de Cristo, se eles remontam, relembram, mencionam ao próprio Cristo?
O conceito de usar metáforas para dar uma moral é pedagógico e eficiente. Todas as fábulas têm em si um fundo moral. Se olharmos as origens dos contos de fadas e das fábulas, veremos que eles nasceram para os adultos. Com o tempo foram introduzidos para as crianças. Se estudarmos a origem dos contos e das fábulas, por ex., veremos que as histórias tratavam da realidade histórica e social da época. A primeira fábula que se tem notícia é a fábula do corpo e o estômago. Em miúdos, o corpo resolveu rebelar-se contra o estômago, que nada fazia e ficava com a melhor parte: a comida. Porém, o corpo enfraqueceu. Então o corpo entendeu que o trabalho do estômago era diferente da do corpo. Assim voltou a comer. Sabem para quem esta fábula foi contada? Para escravos na Grécia, justificando seu trabalho para o Rei. Portanto as fábulas, todas elas, trazem um fundo moral, um sentido para a vida, para algo que se queira ensinar. O mesmo acontece com as fábulas chinesas, sempre cheias de moral e que se fazem presentes em filmes, livros...

Se pegarmos os clássicos literários, veremos que muito foi adaptado conforme a evolução histórica. A  entrada do Caçador, valorizando o papel do Camponês no conto de Chapéuzinho Vermelho, só foi introduzido pelos Irmãos Grimm. E por que? Porque as fábulas e os contos mostram a evolução moral que a sociedade teve, e muito graças à Igreja durante a Romanização. Portanto ficar demonizando as fábulas e os contos é ver chifre em cabeça de cavalo, além de ser uma atitude violenta invadir a inocência de uma criança por causa de uma cisma com o velhinho.

Jesus utilizava parábolas com seus discípulos e todas tinham o objetivo de ensinar algo. É verdade que as parábolas diferem-se das fábulas, pois elas partem de algo real para o sobrenatural, ao contrário das fábulas, que partem do fantasioso para o real. Contudo, ambas são associações, assimilações, metáforas que tem o objetivo de ensinar, de mostrar algo, de construir um pensamento, de filosofar.

A própria Bíblia se utiliza de metáforas e nem por isso a achamos mais ou menos sacra. O livro do Cântico dos Cânticos, por ex., é poesia repleta de metáforas que falam do amor esponsal de Deus por Sua Igreja. E se na fé existem símbolos e metáforas que nos auxiliam a associar o Divino, por que excluiríamos as fábulas para auxiliar no processo cognitivo, filosófico e formador da criança? Por puro puritanismo? Por favor!!!

Deixo aqui um capítulo do livro Ortodoxia, de G.K Chesterton, onde explica sobre a benevolência das fábulas. Lembrando que Chesterton está em processo de beatificação na Igreja. Mais uma prova que se fábulas fossem pecado, a Igreja seria a primeira a condená-las. Deixo também este vídeo do grupo Santander, falando sobre S. Nicolau e o Natal.

Deixem o Bom Velhinho em paz. Chega de santanizá-lo por nada!

22 de dez de 2010

A principal notícia da semana para quem é contra o aborto e o PNDH-3


Peço aos nossos leitores que ajudem financeiramente o Instituto Plínio Corrêa de Oliveira, sobretudo no projeto "Caravana Terra de Santa Cruz" que coloca militantes para combater contra o PNDH-3.

Esta noticia foi retirada do site deles:



Daniel Martins

Temos falado muito do termômetro do PNDH-3. Subiu mais um grau. E o Brasil vai chegando perto de uma intensa febre. Que grau foi esse? A futura ministra de Direitos Humanos do governo Dilma Roussef, Maria do Rosário, disse que vai implantar o PNDH-3 “como ele está”. Foi o que afirmou em entrevista para a Folha de S. Paulo (18/12/10).

Chamo a atenção para alguns pontos da entrevista:

a) Ela afirma que é preciso aceitar a adoção de crianças por “casais” homossexuais, dizendo que o fato de serem homossexuais não influencia na educação (sic!)

b) Sobre a lei de “homofobia”, que instaura a perseguição religiosa contra quem se oponha por princípio e consciência à prática homossexual, as declarações nos deixam perplexos. Ao ser perguntada sobre o projeto de lei da homofobia, ela respondeu:

“Quem tem urgência não espera a lei ser votada no Congresso. Muitas vezes as legislações demoram nessa área de direitos humanos mais do que deveriam. Não vou começar pela lei, mas pela mobilização nacional.”

Em outras palavras, ditadura do Executivo, através de seu “Soviet Supremo”, a Secretaria de Direitos Humanos, passando por cima do Legislativo.

c) Sobre a questão do aborto, a futura ministra tergiversou, acabando por dizer que vai implantar exatamente o que está no PNDH-3. Em última análise, aborto em todas as ocasiões no sistema público de saúde.

Quer o leitor uma prova mais rotunda de que precisamos agir? É por isso que no dia 5 de Janeiro sairá mais uma Caravana Terra de Santa Cruz, contra o aborto e o PNDH-3. São mais de 35 jovens que estão na lista para sair, a maioria já confirmados.

E você, caro leitor, ajudará os jovens a sairem em Caravana para combater o PNDH-3?

É com doações assim que poderemos mobilizar um grande número de brasileiros. Se nos mobilizarmos, o PNDH-3 dificilmente se implantará! E o Brasil continuará a ser a Terra de Santa Cruz. Se não…


Fonte: IPCO

Cristãos são presos no Irã por evangelizar


ROMA, 21 Dez. 10 / 01:33 pm (ACI).- Segundo informou hoje a Rádio Vaticano, nove cristãos estão presos no Irã há três meses sem que tenham sido feitas acusações precisas contra eles. A notícia foi divulgada pela agência AsiaNews. No dia da detenção, 19 de setembro, a TV estatal informou: “Um grupo de nove cristãos foi preso em Hamadan sob a acusação de atividade de evangelização”.

Fontes locais divulgaram declarações dos serviços de segurança, segundo as quais a finalidade do grupo era destruir a República Islâmica do Irã. Segundo a RV texto se referiu várias vezes aos nove definindo-os “Sionistas cristãos".

Os nomes de quatro deles (cinco de identidade desconhecida) são Vahik Abrahamian e sua esposa Sonia Keshish Avanessian (armênio-iraniano), e Arash Kermanjany e Arezou Teimour, iranianos de língua farsi. As forças de segurança de acordo com a reportagem da TV invadiram a casa de Abrahamian e o prenderam, junto com sua esposa e outros dois cristãos convertidos que eram seus hóspedes.

A casa foi revistada e oficiais recolheram vários objetos pessoais. Mais tarde, o grupo foi levado para um local desconhecido. Outros cristãos convertidos foram presos e interrogados em Karaj, Teerã e Hamadan, e alguns deles foram libertados depois de terem assegurado que não continuariam com a obra de evangelização.

Os quatro presos em Hamad, ao invés, foram levados para a prisão de Hamadan. Todos foram colocados em isolamento durante quarenta dias antes de serem transferidos, e nesse período não puderam ser contatados pelas famílias. Entretanto, as autoridades judiciais ainda não explicaram por que eles foram presos, nem fizeram acusações específicas contra eles.

Por ACI Digital

Jim Caviezel chama o aborto de “a maior mácula moral do mundo ocidental”


Matthew Cullinan Hoffman
ESPANHA, 20 de dezembro de 2010 (Notícias Pró-Família) — O ator James Caviezel, que fez papel de Jesus Cristo no filme “A Paixão de Cristo” de Mel Gibson, disse numa entrevista recente na Espanha que ele considera o aborto como “a maior mácula moral do mundo ocidental”.
Caviezel estava no país para promover seu filme mais recente “The Stoning of Soraya M.” (O Apedrejamento de Soraya M.), que acabou de ser lançado ali. A publicação Sembrar perguntou a ele: “Em sua opinião, qual é a maior mácula moral do mundo ocidental?”
“O aborto, sem dúvida alguma”, respondeu Caviezel. “Como disse Madre Teresa de Calcutá, ‘o aborto acabará levando o mundo à guerra nuclear’. Quando um homem mata um homem numa situação de guerra, é ruim, muito triste. Atila [o Huno] foi mais longe. Ele disse ‘não só vou matar os homens, mas também as mulheres e crianças’. Ele levantou o padrão para outro nível”.
Contudo, acrescentou Caviezel, “o aborto vai muito mais longe: quando a própria mãe mata seu filho ela está indo contra sua própria natureza, contra seu próprio instinto. As pessoas falam sobre ‘direito de escolher’, mas quando uma mulher faz isso, quando ela destrói a vida de seu filho em gestação, então chegamos ao limite. Não dá para o nível se elevar mais com relação à maldade”.
“Nos Estados Unidos, houve 50 milhões de abortos desde 1973”, disse o ator, comentando que o número é igual ao número total de mortes na 2ª Guerra Mundial, e “um quinto de nossa população”.
“O triângulo demográfico está se invertendo. A base continua diminuindo, até que não haja mais jovens para sustentar a população. Então, o que acontece? A fase seguinte é o tão chamado ‘direito de morrer’, eutanásia”, disse ele.
Caviezel, católico devoto que tem estrelado em numerosos filmes cinematográficos importantes, foi conduzido por suas convicções pró-vida a adotar duas meninas deficientes da China. Seu papel no filme A Paixão de Cristo lhe rendeu aclamações no mundo inteiro.

Fonte: http://noticiasprofamilia.blogspot.com

21 de dez de 2010

Nova novela da Rede Globo terá seis personagens gays e um homofóbico. Apologia?


21.12.2010 - Seis personagens homossexuais movimentarão a trama de “Insensato coração”, novela que substituirá “Passione” no horário das 21h da TV Globo. A trama de Gilberto Braga e Ricardo Linhares vai ao ar a partir de 17 de janeiro.

A novela – que já pode ser considerada recordista em personagens com essa opção sexual – terá até um “point” gay: um quiosque na Praia de Copacabana.

O lugar se tornará sucesso quando sua dona, Sueli (Louise Cardoso), colocar uma bandeira do arco-íris para enfeitar a vendinha, sem saber que aquele é um dos símbolos da miltância homossexual.

No quiosque de Sueli, um dos vendedores, Xicão (Wendel Bendelack) será gay assumido enquanto o filho da proprietária, Eduardo (Rodrigo Andrade), se descubrirá homossexual. Antes disso, o jovem irá namorar uma mulher, Paula (Tainá Müller).

Outro gay promete agitar o núcleo de humor de “Insensato coração”. Interpretado por Leonardo Miggiorin, Roni será o fiel escudeiro da Natalie Lamour (Deborah Secco), uma ex-participante de reality show, que sonha ter de volta sua fama e arranjar um marido rico.

Homofobia

Em contraponto ao time colorido de “Insensato coração”, os autores Gilberto Braga e Ricardo Linhares também pretendem tratar da homofobia. O executivo Kleber (Cássio Gabus Mendes) manifestará preconceito contra seu próprio chefe, o advogado Álvaro (Edson Fieschi).

Completam o time de personagens homossexuais da novela o professor de Direito Hugo (Marcos Damigo) e uma agente penitenciária vivida pela atriz Cristiana Oliveira. Segundo a assessoria de imprensa da TV Globo, a personagem lésbica só deverá aparecer na trama a partir de março.

Com locações em Florianópolis e no Rio de Janeiro, “Insensato coração” terá como personagens centrais a mocinha Marina (Paola Oliveira), o herói Pedro (Eriberto Leão) e o vilão Léo (Gabriel Braga Nunes). Entre os destaques no elenco estão Gloria Pires, Antonio Fagundes, Nathalia do Valle, Fernanda Machado, Lázaro Ramos e Camila Pitanga.

Fonte: G1
Fonte: Shalom
Fonte: Rainha Maria

20 de dez de 2010

As consequências do querer ser Deus.


A renascença, o iluminismo e o protestantismo são “farinhas do mesmo saco”, ontologicamente estas correntes de pensamentos tiveram e têm como meta a virada revolucionaria do teocentrismo(Deus no centro de tudo) para o antropocentrismo(O homem no centro de tudo). Estas escolas de ideologias pagãs usaram linguagens, metodologias e motivações diferentes, mas no fundo da questão se vê nitidamente o homem se colando no lugar de Deus.
Os renascentistas propagandeando a valorização da filosofia grega começaram a enaltecer a arte, a cultura e a filosofia da Grécia antiga, o interessante é que eles evidenciavam exclusivamente o que era pagão na ótica do cristianismo, contrapondo-se integralmente com a moral cristã que era principio cultural da idade média. O que esta por de trás deste movimento renascentista? Um simples desejo de conhecer parte dos pensamentos da Grécia antiga? Obvio que não. Desejavam tirar a credibilidade da filosofia cristã, queriam divulgar a imoralidade, a insanidade e a tirania espiritual, infelizmente conseguiram. Sempre existiram pessoas malvadas na historia da cristandade, mas penso que, depois deste movimento, a maldade e o desejo de se idolatrar ganharam proporções ainda maiores nos corações humanos.
Os iluministas criaram o famoso racionalismo, colocaram a fé e a razão em um ringue de vale tudo e determinou que relacionar a fé e a razão é impossível e intolerável. Este movimento desencadeou rapidamente no ateísmo. Descartes começou tudo com a teoria da dúvida, Kant colocou fogo na lenha com sua limitada metafísica que tira de analise crítica as questões da fé e rapidamente apareceram os materialistas como Karl Marx e os existencialistas ateus como Sartre. Em nome da razão “mataram” Deus, sem prudência alguma os ateus se acharam donos da verdade sobre a existência, em nome da subjetividade determinaram: É mito, é utopia, Deus não Existe. Os Senhores ateus são os seres mais irracionais que já se passou pelo mundo, no mínimo deveriam se calar diante deste mistério que é grande, esta mais do que provado que o mundo não para nesta existência passageira e limitada, é evidente que nossa mente não tem faculdades capazes de compreender a realidade no seu todo e diante de questões tão sérias no mínimo eles deveriam respeitar quem acredita e encararem a real possibilidade da existência de Deus. Mas infelizmente eles não querem isto, querem fortalecer a religião do ateísmo, a religião em que o homem é senhor e deus. Não me venham falar que os meus argumentos não procedem, o ateísmo promove uma liberdade sem limites, prova disto esta no comunismo, este movimento que se declara ateu matou milhões para a implantação do seu regime, onde esta o equilíbrio do ateu?o homem sem submissão a Deus pode tudo, absolutamente tudo.
O que é mais intrigante nesta guerra do homem contra Deus é o protestantismo, em nome de Deus o homem conseguiu se rebelar contra Deus, só pode ser obra do maligno esta atrocidade. Lutero cometeu loucuras, primeiramente não conseguiu separar os desmandos do clero da santidade da Igreja de Cristo, de forma utópica imaginou que o homem poderia interpretar e pregar a revelação de Deus sem se desviar dos verdadeiros princípios revelados e por fim se rebelou contra a tradição apostólica, lembrando que só na tradição se vê a autentica hermenêutica das Sagradas Escrituras. Perceba que em tudo Lutero queria ter a opinião própria, queria romper com o celibato, queria discordar do que a tradição apostólica pensava a respeito da Bíblia, em fim, as atitudes de Lutero não tinha por finalidade a obediência a Um Outro, mas sim o desejo pessoal de fazer a religião se tornar vontade do seu interior. Os frutos do protestantismo são desgraçados desde seu inicio, e hoje não é diferente. Os homens se intitulam apóstolos, a teologia da cruz foi jogada no lixo para dar espaço à teologia da prosperidade, as seitas são verdadeiros supermercados da fé, existe “Igrejas” trabalhando para a maçonaria, defendendo agendas abortistas e dando espaço para que homossexuais preguem o evangelho e Deus cada vez mais deixa de ser Senhor, o senhor da vez se chama homem.
Homossexualismo, pornografia, homicídios, tráfico de drogas, guerras, feminismo, terrorismo, liberalismo, comunismo, pedofilia, aborto e todas as desgraças que existem hoje neste mundo são obras de quatro tipos de culpados. O primeiro é Satanás que promoveu e inspirou tudo, o segundo são os fundadores da revolução como Lutero, Marx e companhia, o terceiro são os que seguiram integralmente estes movimentos os fortalecendo internamente e por fim o quarto tipo são os que frente ao aumento da iniqüidade nada fazem, ficam parados.
Não sei em qual tipo de culpado você se encaixa, independentemente disto é necessário uma ação, uma atitude contra-revolucionaria, um movimento que deve tirar o homem do centro e deixar Deus ser Deus. Este movimento sem dúvidas deve começar dentro de nós, somos educados na escola, pela mídia e em todos os tipos de propagandas para o paganismo, temos que combater contra esta “educação” que mancha as nossas almas. Como fazer isto? Promover dentro de nós as mais belas imagens de Deus, deste Deus que existe e é bondoso, que se fez carne e morreu na cruz por cada um de nós, precisamos promover também belas imagens da Igreja Católica como fiel esposa de Cristo e nossa querida mãe, não esta ditadora retrógada que deseja tirar a liberdade dos seus seguidores e, sobretudo precisamos promover dentro de nós uma aspiração pela eternidade, pela moral, pela prudência, pela ordem, resumindo, pelo evangelho. Depois deste movimento interno devemos fazer movimentos externos, ir para o seio da sociedade pregar a moral, a Igreja e a fé, para que pela intercessão da virgem Maria estes movimentos diabólicos não ganhem ainda mais forças.
Esta chegando o natal, eis um momento oportuno para iniciar este belo movimento que visa dar a Deus a mais bela e merecida adoração. Avante filhos de Deus, pois o Reino de Deus esta próximo.



Salve Maria!
bhc.vida@hotmail.com
Contato missionário: 031-88802212

Não é a quantidade, mas a estratégia

[...] pois não é contra homens de carne e sangue que temos de lutar, mas contra os Principados e Potestades, contra os Príncipes deste mundo tenebroso, contra as forças espirituais do mal espalhadas pelos ares. Efésios 6.

Acabei de assistir ao filme "A batalha dos três reinos". O filme conta a história da China Antiga, no 203 da era cristã. Pressionado pelo 1º ministro, o Rei do Norte envia sua tropa para atacar o Sul e assim governarem toda a China. A vitória já era prevista, haja vista contarem com 800 mil homens, enquanto o sul tinham apenas 50 mil. Porém, o 1º ministro governava conforme sua ambição. Toda a guerra foi motivada pelo seu desejo à mulher do 2º rei do sul. Desejava-a em seu coração não por amor, mas por orgulho. Contudo, o que ele não contava era que a tropa do sul contava com um exímio estrategista. Ele ouvia o vento, sentia as vibrações, observava o céu. Sabia quando e como a Natureza agiria, e aproveitou-se disso para ganhar a batalha.

Olhando este filme e trazendo-o para a nossa realidade espiritual, a estratégia também é um grande meio para vencer o inimigo. De nada adianta a quantidade de orações, jejuns e penitências se nosso foco está desajustado. Precisamos saber que estratégias estamos usando para vencê-lo. Se quero ser casto, devo vigiar sobre minha conduta e usar de todos os modos para não sucumbir. Se devo ser obediente, preciso exercitar a virtude em todas as esferas de minha alma. Em miúdos, a estratégia é um artifício dos inteligentes. Aquele que observa, vê, traça consegue estrategiar. Aquele que age conforme os impulsos do coração, cai em sua própria paixão.

A um cristão, a melhor estratégia é colocar-se ao pés do Senhor, entregando-o tudo o que tem para que o guie. E se assim agir, jamais será pego de surpreso pelo inimigo.

17 de dez de 2010

Wikileaks: Ódio do Al Qaeda ao Papa Bento XVI preocupa os EUA


WASHINGTON DC, 16 Dez. 10 / 01:01 pm (ACI).- Wikileaks difundiu um documento atribuído à Embaixada dos Estados Unidos na Itália que expressa a preocupação das autoridades americanas diante de possíveis ameaças do Al Qaeda contra o Vaticano, logo que o grupo terrorista declarou o Papa e a Igreja como seus inimigos.

O cabo com data de 19 de dezembro de 2008, assinala que "a Cidade do Vaticano atrai centenas de milhares de visitantes americanos a cada ano" e "Al Qaeda publicamente identificou o Papa e a Igreja Católica como um inimigo".

O documento sustenta que a Embaixada dos Estados Unidos na Itália teria pedido ao Departamento de Estado do seu país ajudar as forças de segurança do Vaticano para lutar com ameaças terroristas.

A intenção desta ajuda seria melhorar as habilidades de resposta do Vaticano ante uma situação de crise, e "adotar um diálogo com o Vaticano sobre contra-terrorismo".

Segundo o documento, Domenico Giani, Inspetor Geral do Corpo de Delegacia do Vaticano, teria estado "pouco disposto" a dialogar com os Estados Unidos "a respeito das capacidades e preparação do Vaticano para responder a um ataque terrorista".

Apesar disto, o documento filtrado indica que Julieta Valls Noyes, funcionária da Embaixada dos Estados Unidos no Vaticano, reportou em novembro de 2008 que Giani respondeu "positivamente" ao convite de unir-se a um exercício de gerenciamento de crises.

Sobre o Inspetor Geral do Corpo de Delegacia também se afirmou, no cabo, que pediu ao FBI treinamento específico de segurança, incluindo treinamento em explosivos, para os membros da Delegacia do Vaticano, a qual se realizou na base dos Corpos de Infantaria de Marinha em Quantico, Virginia, nos Estados Unidos.

Para a Embaixada americana em Roma teriam sido dois desafios importantes: enfrentar, para melhorar o diálogo sobre segurança, a sensibilidade da Santa Sé a ver-se muito próxima a qualquer estado, e também "a convicção do Vaticano que suas instalações devem ser facilmente acessíveis a todos os católicos".

ACI Digital

16 de dez de 2010

Por que não te calas, Cabral?

Existem pessoas que perdem oportunidades preciosas de ficarem quietas. O Governador do RJ, Sérgio Cabral (PMDB), perdeu MAIS uma.

Falando com empresários em SP, Cabral disse que o aborto é tratado no Brasil com hipocrisia. Porém, a justificativa do meliante é tão enfadonha, tão sem filosofia, tão "espírito-de-papagaio-de-pirata", que farei questão de trazer trechos da matéria a mostrar aos leitores deste blog que não minto, nem exagero.

O julgamento falacioso

Quem aqui não teve uma namoradinha que teve de abortar?

A primeira fase do Governador é estúpida por si mesmo. Como assim "quem não teve"??? A comparação foi extremamente infeliz. É como se dissesse: "Quem aqui nunca teve uma dor-de-dente?" ou ainda: "Quem aqui nunca ficou fula da vida pelo time que perdeu?". Insanidade plena deste sujeito!

Parece que para o meliante todos os meninos transaram com todas as namoradinhas que tiveram, e em 'má sorte', uma delas engravidaram. E como estes meninos, no auge de sua irresponsabilidade sexual e moral, não tinham condições de assumir o feito, partem para o escapismo travestido de "direito": abortar. Já aqui o Governardor deixa claro que os homens - na visão dele - são irresponsáveis, e que as mulheres são fáceis, "dadas", e que a vida a dois não tem sentido. É apenas uma coisa fugaz, passageira, um gozo e só. Ora, meliante! Não julgue as pessoas a partir dos seus péssimos princípios! O brasileiro não é filho de chocadeira. O brasileiro tem família, tem escrúpulos, recebeu educação de pai e mãe. E essa educação moral que receberam não foi por parte do Estado, não, viu? Pode apostar.

Ele não se interessa pela vida

Me refiro a diversas pessoas que tiveram namoradas que engravidaram e que foram abortar em clínicas clandestinas

Percebam na frase do governador que ele - e toda a cúpula que quer o aborto - não estão nem aí pelo bebê, que morre! O negócio é fazer do aborto como a um parto do modo ao contrário. Tudo com cuidado, tudo bonitinho. Faltou dizer que pagariam o funeral da criança. Óbvio que isso nem passou pela cabeça deles. Feto não é gente pra eles.

Isso é a vida como ela é. Só que o sujeito que é de classe média alta tem uma clínica de aborto clandestina em melhores situações, mas mesmo essa não passa por nenhum controle de vigilância sanitária, médica. As autoridades médicas não têm no seu prontuário: 'Fui visitar a clínica de aborto da Rua Dona Mariana, por exemplo'

Ou seja: a birra do melilante é que gente rica pode matar abortar com 'dignidade', mas o pobre, não. Gente, perceba a total inversão de valores escarrada em nossas faces! Àqueles que elegemos para nos governar, a vida está aquém de qualquer bem. A Vale do Rio Doce deve valer - na visão deles - muito mais que um pobre coitado que só quer trabalhar para sustentar os filhos que têm. Vejam que a justificativa deste hipócrita é banal! Não enxerga o princípio vital, a benevolência da vida. Quanta crueldade e falácia!

O que eu quero dizer é que há uma hipocrisia no Brasil

Mas é claro que há! Se a vida é tratada de forma vil, o que haveria de ser mais hipócrita!?
O duro é notar que estes governantes nem sabem o que significa a palavra hipocrisia. A pobrezinha já tá prostituída na boca destes malfeitores!


Déspota Mentiroso!

Ninguém é a favor do aborto. Você é a favor do direito da mulher recorrer no serviço público de saúde a uma interrupção de gravidez. Imagina, quem é a favor do aborto? Ninguém é a favor do aborto, não imagino que tenha uma mulher e um homem no mundo favorável ao aborto", afirmou. "Mas uma coisa é uma mulher, por alguma necessidade, física ou psicológica, psiquiátrica, orgânica, desejar interromper uma gravidez.

Entenderam? Ele compara o aborto como se fosse algo corriqueiro, quando usa sua pergunta para justificá-lo. Em seguida mostra a "injustiça" do rico ter direito a abortar descentemente, e o pobre, não. Após, diz que o assunto é tratado de maneira hipócrita. Pra concluir, diz que ninguém é a favor do aborto, apenas do direito da mulher. E O DIREITO DA CRIANÇA, MEU SENHOR!?!?!? FICA AONDE? NO CEMITÉRIO? NA LATA DE LIXO???

Francamente? Tô enojada da ladainha de sempre! Tô cansada em ver que o brasileiro aplaude um sujeito inescrupuloso, mentiro, déspota, algoz como este.

E só pra constar, Senhor Idiota: na minha casa nenhum homem teve namoradinha pra abortar. E nem todos casaram-se virgens. Portanto, dobra tua língua e engole tua mediocridade.


Que Nossa Senhora das dores recolha as crianças vítimas das mentes nefastas que insistem em imitar Heródes.

A Tibieza nos escritos de Santo Afonso Maria de Ligório.

"A alma caída em tibieza não pensa em se corrigir de suas faltas: e estas se multiplicando a tornam de tal sorte insensível aos remorsos, que um dia chega onde se acha perdida, sem que sequer o tenha percebido!" (Santo Afonso Maria de Ligório - A Verdadeira Esposa de Jesus Cristo)

Diz o Senhor dos Exércitos:

"Oxalá fosses frio ou quente!Mas, como és morno, nem frio nem quente, vou vomitar-te" (Ap 3,15-16)

Isto é: "Seria mais vantajoso para ti, se fosses privado inteiramente da minha graça; porque terias mais esperança de sarar. Permanecendo pelo contrário, na tua tibieza, estás mais exposto à condenação, porque desse estado cairás mais facilmente em pecado mortal, com pouca esperança de te levantares" (Santo Afonso Maria de Ligório - A Verdadeira Esposa de Jesus Cristo)

"Toma-se facilmente uma bebida, quando está fria ou quente; mas não, quando está tépida, porque causa náuseas. É por isso que a alma tíbia está exposta a ser vomitada da boca de Deus, ou a ser privada da sua graça e abandonada; o que é bem expresso pelo vômito, porque tem-se horror de tomar de novo o que uma vez se vomitou.Mas, eu pergunto, como é que Deus começa a vomitar uma alma? - Cessa de dar-lhe as luzes vivas da fé, as consolações espirituais, os santos desejos, e deixa de lhe fazer ouvir pelos apelos cheios de amor de que a tinha favorecido até então. Dai, ela se põe a descuidar da oração, das comunhões, visitas e preces, ou então faz tudo isso com grande enfado, desgosto e distração, ou faz tudo como forçada, com o espírito dissipado e agitado, e sem devoção. Eis de que maneira Deus começa a vomitá-la. E assim não achando senão peso e repugnância na oração e nos outros exercícios de piedade, sem nenhum alívio, a infeliz acaba por abandonar todos, e se deixa cair em faltas graves" (Santo Afonso Maria de Ligório - A Verdadeira Esposa de Jesus Cristo).

Dizia Santo Afonso Maria de Ligório que "Sta. Jacinta de Mariscotti vivia com muita tibieza no convento de S.Bernardino de Viterbo, quando o Padre Bianchetti, religioso franciscano, ai veio na qualidade de confessor extraordinário. Apresentando-se para se confessar o padre lhe disse em tom severo: "És religiosa? Pois bem! Sabe que o paraíso não é para as religiosas vãs e orgulhosas". Ao que respondeu: "Pois terei eu deixado o mundo para ir ao inferno?" "Sim, replicou o Padre, o inferno é a morada destinada às que te são iguais. É para lá que vão todas as religiosas que no convento vivem como seculares".Esta sentença fez refletir a pobre irmã, que entrou em si, confessou-se, chorando amargamente a vida passada, e se pôs desde logo a marchar com passo firme no caminho da perfeição" (Santo Afonso Maria de Ligório - A Verdadeira Esposa de Jesus Cristo).

Santo Afonso Maria de Ligório nos ensina que há duas espécies de tibieza; uma inevitável e outra evitável

"A tibieza inevitável é aquela da qual nem os santos são livres.Ela abrange todas as faltas cometidas sem plena deliberação, mas só pela nossa fragilidade humana: as distrações na oração, as pertubações interiores, as palavras inúteis, a vã curiosidade, o desejo de se mostrar, o gosto no comer e no beber, os movimentos de sensualidade não controlados prontamente, e tantos outros.Essas faltas, devemos evitá-las quanto pudermos mas devido à fraqueza de nossa natureza humana, corrompida pelo pecado, é impossível evitá-las todas.Devemos, sim nos arrepender quando fazemos estes pecados, pois desgostam a Deus, mas não devemos nos perturbar por causa delas.Escreve São Francisco de Sales: 'Todos os pensamentos que nos trazem inquietação não são de Deus, príncipe da paz, mas nascem sempre ou do demônio ou do amor próprio ou da estima de nós mesmos.' Portanto as faltas irrefletidas, feitas sem querer, também sem querer se apagam.Basta para isso um ato de arrependimento ou um ato de amor.


A tibieza, que impede a nossa santificação é aquela que chamamos de Evitável: cometer pecados veniais refletidos.Todos esses pecados cometidos de olhos abertos, bem que podemos evitá-los em nossa vida, com a graça de Deus.Por isso dizia Santa Teresa D'Avila: 'Que Deus nos livre dos pecados deliberados, por pequeno que seja!'.Assim, por exemplo as mentiras voluntárias, as pequenas murmurações, as imprecações, os ressentimentos, o caçoar do próximo, as palavras picantes, a vaidade, as antipatias nutridas no coração, a afeição desordenada a pessoas de outro sexo.Santa Teresa D'Avila dizia que esses pecados são como vermes que não se deixam conhecer enquanto não roerem as virtudes em nós...Com as coisas pequenas o demônio vai abrindo buracos onde entram as coisas grandes.Por isso devemos recear cometer tais pecados deliberados.por causa deles, Deus diminui as luzes mais claras no coração, seu socorro mais forte, e nos tira o consolo espiritual da alma.Por isso é que uma pessoa faz contrariada e com muito custo os atos de piedade.Depois começa a deixar a oração, a comunhão, as visitas a Jesus Sacramentado, as devoções; finalmente deixará tudo como já tem acontecido muitas vezes a tantas pessoas infelizes" (Santo Afonso Maria de Ligório - A Prática do amor a Jesus Cristo)

Contra tudo isso, nos ensina o mesmo santo que existem cinco meios para deixar a tibieza:

Primeiro, o desejo de perfeição; segundo, a decisão de alcançá-la; terceiro, a meditação; quarto, a comunhão freqüente e quinto, a oração.

Que possamos abraçar os cinco meios ensinados por Santo Afonso Maria de Ligório, e fugir da tibieza que tanto impede a nossa perfeição, que tanto impede o vôo de nossas almas para Deus!

"Como a ave que, atravessando o ar em seu vôo, não deixa após si o traço de sua passagem, mas, ferindo o ar com suas penas, fende-o com a impetuosa força do bater de suas asas (Sb 5,11).

"Nossa alma escapou como um pássaro, dos laços do caçador. Rompeu-se a armadilha, e nos achamos livres.(Sl 123,7)"

Salve Maria!

14 de dez de 2010

O respeito é pro lado de quem?

Em uma sociedade que "se acha" livre, vemos uma total escravidão às inverdades plantadas, cultivadas há décadas. O falso moralismo, a ética travestida de "politicamente correto", a corrupção moral já se apoderou de nossa sociedade. Graças aos pensamentos heréticos, que aos poucos se levantaram (e o Marxismo é um deles), hoje a comunidade mundial não sabe mais definir o que é certo ou errado, moral ou amoral, ético ou não. Confundimos direitos com egoísmo. Ora, meu direito acaba quando começa o do outro, tornando-se um dever. Portanto, não há direito se banalizo o desejo de. E banalização é a palavra do momento neste quesito. Explico.

Em Santiago de Compostela, um grupo de feministas queimaram uma cruz com fotos do Papa e outros clérigos da Igreja. A atitude era como protesto. Mas protestatavam contra o quê? Ah, já sei! Contra o fato de a Igreja não aprovar o lesbianismo, o aborto, o uso de contraceptivos... Agora, cá pra nós: a Igreja NÃO impõe isso a ninguém. Obedece quem COMPREENDE o não que ela dá a estas coisas. Quando entendemos que, ao dizer não, a Igreja está dizendo um tremendo sim à vida, aos valores da família e dos bens espirituais, à SALVAÇÃO, temos a nítida certeza de que ela nos ama tanto a ponto de cuidar de nós.

Mas as feministas discordam. Acham que a Igreja está agindo como megera. Querem uma mãe liberal. Não tolerando isto, queimam artefatos, desaguam grunhidos, exigem na base da força - porque não sabem pensar! - que a Igreja tem que fazer o que elas querem. Ora seja! Quem falou que a Igreja tem que fazer o que alguém quer? Se não estão satisfeitos com a Igreja, vão viver em outro lugar! Essa é boa... não querem agir em nada com o catolicismo e ainda tentam impor ao catolicismo suas "ideologias"... Francamente....
Por isso já disse que feministas não me representam . Nem aqui, nem no inferno!

Pior ainda é outro fato que tem ocorrido na Espanha. A mesma Espanha que nos deu a Grande Doutora Tereza de Ávila, o Santo João da Cruz. Campanhas pró-preservativos usam de elementos religiosos para propagar. Pasmem: usaram a camisinha no lugar da hóstia. Profanação? Das piores! Mas pra eles não é não. E sabe por que? Porque só querem o direito de treparem sem nenhum compromisso em nome da Igreja. É como se quisessem seu pecado "assegurado" pela assinatura papal. Já está mais que provado que a camisinha não é tão segura e que a castidade é a melhor solução para a AIDS. Porém o povo não tem disciplina nem pra fazer o jejum adequado a um exame de sangue, quiçá ordenar a sexualidade em seu devido lugar.

O relativismo é o grande mau deste século. E digo isso (redundância!) com convicta certeza. Relativizaram a família, o sexo, os valores, Deus e o próprio homem. E só se relativiza o que não se sabe, não conheço, não domina, não lhe é íntimo. Não me espantariam se algum ser humano se acha-se o Ben 10. Já tem os que acham Deus, não é mesmo? Só espero que sejam machos e fêmeas suficientes para arderem pelo resto da vida, caso não se permitam tocar por Jesus, a Verdade que nos torna verdadeiramente livres!

13 de dez de 2010

A cultura está acima da vida?

Lembro-me de quando trabalhava numa paróquia a visita de alguns chineses à cidade. Passaram na paróquia a pedido da Universidade daqui, não me lembro porquê.

Enquanto olhavam a igreja, perguntaram ao padre sobre Jesus. Não sabiam nada sobre Ele. Nada mesmo. Isso não é novidade, dada a realidade política dos chineses. Contudo, o padre disse-lhes, após explicar sobre quem é Jesus, que jamais uma vida pode estar inferiorizada a uma cultura, seja ela qual for.

Pode parecer estranho alguém dizer isso, haja vista todas as vidas fazerem parte de uma cultura. Mas a cultura é um meio, e não o caminho, de uma vida. É por meio da cultura que conhecemos tudo, que aprendemos valores, que traçamos nossa caminhada. Porém, jamais podemos diminuir a vida em nome de uma cultura, porque sabemos que a vida é o maior bem. Até uma barata, pressentindo o perigo, foge para se salvar. Logo, a qualquer um, a vida é o maior valor.


Sabemos que na Cultura Índigena há uma diversidade. Existem índios que usam do antropofagismo como ritual para fortificar o guerreiro; outras onde há mais pacifismo; outras que, ao perderem um ente querido, cremam-o e comem as cinzas, e outras onde a morte pode ser o preço de algo que, na visão deles, está errado. Exemplo disso é o assassinato de bebês e/ou crianças. Segundo algumas culturas, quando a criança nasce com problemas mentais e/ou físicos, ou quando a mãe pari gêmeos, ambos devem ser mortos. A justificativa é a de que a criança deficiente não conseguirá sobreviver sozinha na selva, e os gêmeos representam um o bem, o outro o mau. Como não se sabe quem é quem, mata-se os dois.

Muitos antropólogos me diriam que eu devo respeitar uma cultura assim; no entanto eu entendo que a vida jamais pode estar aquém de nada. Até porque, é muito fácil discutirmos sobre o poder ou não de uma cultura quando não a vivemos. Enquanto muitos discutem o direito de que índios possam matar seus filhos, crianças estão sendo ceifadas na tenra flor da idade. Não são nossos filhos, nossos netos ou nossos sonhos que são enterrados vivos, mas crianças que perdem a oportunidade de darem voz à sua existência em nome de uma cultura que não os torna livres.

Por mais que a cultura índigena traga semelhanças da realidade selvagem, eles são pessoas dotadas de corpo, alma e espírito. E como seres tridimensionais, devem valorizar o "veículo" que isto carrega, que é a vida, dada por Deus por amor.

Apesar de os Jesuítas terem - e muito - ajudado os índios, a Igreja é vista como má por tê-los catequisado. Má é a nossa omissão em permitir que ainda exista culturas assim, que punam uma vida com a morte. Jamais, por qualquer circunstância, uma vida pode estar abaixo de nada. A catequisação indígena não foi para privá-los de sua cultura, mas para purificá-la. E isso não ocorreu apenas com eles, mas com todos onde a Igreja colonizou ao longo da história.

Neste vídeo vemos crianças sendo enterradas vivas. Apenas uma é salva pelo irmão, que teve compaixão, que viu naquela vida algo aquém de qualquer cultura. O cacique até diz que teve pena e desejou morrer com o menino que não teve a mesma sorte que a outra menina, porém, ele nada fez, e sim, permitiu que, em nome da cultura, o feito se consumasse.

Até quando veremos cenas como esta? Até quando, em nome de culturas, justificaremos o injustificável?

Faça sua parte! Lute em prol da vida! Clique aqui e saiba como ajudar!
Que Deus tenha piedade das almas dos índios que morrem de maneira tão cruenta, fria e vil.

Aumentando contatos nas Redes Sociais

Oi Pessoal!

Além da Comunidade Fazei o que Ele vos disser no Orkut, agora tenho perfil do FaceBook e no Twitter (@evelynsmalmeida). Cliquem nos nomes e sigam-me por lá!

Bjão!

12 de dez de 2010

Por Livrairas e Editoras Católicas de fato!

Esta semana ocorreu algo intrigante.

No dia 08/12 comemoramos o Dogma da Imaculada Conceição. Aproveitei este dia para renovar minha Consagração Perfeita, assim como muitas outras pessoas pelo Brasil o fizeram.

Como eu estava há um ano e meio sem confissão (sim, muito feio, mas em outra oportunidade, se Deus quiser, eu testemunho), aproveitei o momento para ir à Igreja confessar-me. Fui ao Santuário, só que faltavam dez minutos para o início das atividades. Então resolvi ir à livraria, que estava aberta. Olhei pra lá e pra cá. Encontrei escritos preciosos da Beata Emmerich, tesouros de Santo Agostinho, Santo Ambrósio, Padre Pio... Contudo, achei uma heresia (sim, heresia) sendo vendida em uma livraria católica. Esta heresia atendia pelo nome de "O Evangelho Segundo Jesus Cristo", de José Saramago. Para quem não conhece este livro (e pode clicar aqui), Saramago escreveu para perjurar, insultar a Deus. Nele, o autor escreve que a Virgem Santíssima não era virgem, nem santa; que teve relações sexuais com São José, além de tratar Jesus como a um estúpido.

Peguei o livro imediatamente e o levei até a vendedora.

Eu: Moça?
Vendedora: Pois não.
E: Vocês vendem este livro?
V: Sim!
E: Mas você sabe do que se trata este livro?
V: Pra dizer a verdade, não.
E: É o que eu imaginava. Querida, este livro trata-se de um herege que banaliza a história da Salvação, da NOSSA salvação. Você acha que isso é um livro que deva ser vendido em uma livraria católica?
V: Não!
E: E o que você vai fazer?
V: Vou tirá-lo imediatamente daqui e entregá-lo à gerente.

Saí da livraria com a certeza que há muito desconfiava: a maior parte dos donos de livrarias católicas NÃO CONHECEM o material que vendem. Isso é perigosíssimo, pois podemos colocar muitas almas em perigo! Já estou farta em entrar em livrarias católicas, em acessar editoras católicas e encontrar materias da Teologia da Libertação, Protestantes, e agora hereges declarados, como Saramago. Isto é inadmissível!

Quero, portanto, lançar aqui uma campanha: Por livrarias e editoras católicas de fato!
Chega de livros com linguagem em duplo sentido, com ideologias que não são contundentes com a doutrina católica, com heresias explícitas em pratileiras de nossas livrarias. Queremos material que não ofereçam perigo à nossa fé.

Quem desejar lançar um slogan ou layout para este trabalho, envie-o para este blog na página de comentários. Não vou dar prêmios, porque não tenho, porém, creio que o melhor prêmio teremos na Eternidade. Peço, ainda, que aqueles que o fizeram, façam de coração, por amor às almas que estão se perdendo diariamente com material indecente. É nosso dever anunciar o Evangelho, também denunciar os erros! A denúncia também é sinal de Caridade.

Louvado seja Nosso Senhor Jesus Cristo!

11 de dez de 2010

O decreto de Lula contra os valores éticos

Repasso como recebi no email.
Leiam e estarreçam...


____________________________

Queridos amigos defensores da vida

Vejam O GOLPE do Presidente Lula do PT ! O mesmo que teve o apoio de Padres, Bispos, Arcebispos, Canção Nova nas eleições:

O que ele não consegue fazer pelos trâmites legais, ele impõe goela abaixo por meio de decreto e ainda dando emprego para um montão de gente às nossas custas (30 empregos) para iniciar a nível nacional, se comprometendo a ampliar para os estados. É LAMENTÁVEL.

À Dra. Damares o nosso carinho e gratidão pela belo trabalho em defesa da vida e da família, bem como dos valores éticos, morais e sociais.

_____________________________
 
Amigos

Estou recebendo muitos e-mails perguntando se houve alguma ação referente ao PLC 122/2006 esta semana.

Informo que na quarta- feira (08/12) na Comissão de Direitos Humanos e Participação Legislativa do Senado não houve nenhuma modificação.

No entanto tenho a informar que na data de 09 de dezembro de 2010 o Presidente da República criou por meio de um Decreto o Conselho Nacional de Combate à Discriminação. Colei o Decreto no corpo deste e-mail, mas ele pode ser encontrado no link a seguir informado.

Lembrem-se que em 2008, dentro do Projeto de Lei que visava criar o Ministério da Pesca, uma emenda foi apresentada para criar um Conselho Nacional da Comunidade LGBT e a Câmara dos Deputados rejeitou a emenda.

Observem que agora foi criado um outro só que destinado ao combate a discriminação, no entanto ele se limita apenas a discriminação contra a comunidade LGBT.

Leiam atentamente o Decreto e estou a disposição para mais eclarecimentos.

Atenciosamente

Dra. Damares Alves

PS: Clique aqui para acessar o decreto, ou leia-o abaixo:
_____________________________

Presidência da República

Casa Civil

Subchefia para Assuntos Jurídicos



DECRETO Nº 7.388, DE 9 DE DEZEMBRO DE 2010.



Dispõe sobre a composição, estruturação, competências e funcionamento do Conselho Nacional de Combate à Discriminação - CNCD.

O PRESIDENTE DA REPÚBLICA, no uso das atribuições que lhe confere o art. 84, incisos IV e VI, alínea “a”, da Constituição, e tendo em vista o disposto nos arts. 24, § 2o, e 50 da Lei no 10.683, de 28 de maio de 2003,

CAPITULO I

DA FINALIDADE E DA COMPETÊNCIA



Art. 1o O Conselho Nacional de Combate à Discriminação - CNCD, órgão colegiado de natureza consultiva e deliberativa, no âmbito de suas competências, integrante da estrutura básica da Secretaria de Direitos Humanos da Presidência da República, tem por finalidade, respeitadas as demais instâncias decisórias e as normas de organização da administração federal, formular e propor diretrizes de ação governamental, em âmbito nacional, voltadas para o combate à discriminação e para a promoção e defesa dos direitos de Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis e Transexuais - LGBT.

Art. 2o Ao CNCD compete:

I - participar na elaboração de critérios e parâmetros de ação governamental que visem a assegurar as condições de igualdade à população LGBT;

II - propor a revisão de ações, prioridades, prazos e metas do Plano Nacional de Promoção da Cidadania e Direitos Humanos de Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis e Transexuais - PNLGBT;

III - propor estratégias de ação visando à avaliação e monitoramento das ações previstas no PNLGBT;

IV - acompanhar, analisar e apresentar sugestões em relação à execução de programas e ações governamentais para a população LGBT e a aplicação de recursos públicos para eles autorizados;

V - apresentar sugestões para elaboração do planejamento plurianual, estabelecimento de diretrizes orçamentárias e alocação de recursos no orçamento anual do Governo Federal, visando à implantação do PNLGBT;

VI - apresentar sugestões e aperfeiçoamentos sobre projetos de lei que tenham implicações sobre os direitos e cidadania da população LGBT;

VII - participar da organização das conferências nacionais para construção de políticas públicas para a população LGBT;

VIII - articular-se com órgãos e entidades públicos e privados, nacionais e internacionais, visando o intercâmbio sistemático sobre promoção dos direitos de LGBT;

IX - articular-se com outros conselhos de direitos ou setoriais, para estabelecimento de estratégias comuns de atuação;

X - fomentar a criação de conselhos, coordenações e planos estaduais voltados à promoção de políticas públicas para a população LGBT;

XI - propor realização de campanhas destinadas à promoção de direitos da população LGBT e ao combate à discriminação e preconceito;

XII - propor realização de estudos, debates e pesquisas sobre a temática de direitos e inclusão da população LGBT; e

XIII - analisar e encaminhar aos órgãos competentes as denúncias recebidas.



CAPÍTULO II

DA COMPOSIÇÃO

Art. 3o O Conselho é constituído de trinta integrantes titulares, designados pelo Ministro de Estado Chefe da Secretaria de Direitos Humanos da Presidência da República, para mandato de dois anos, permitida recondução, observada a seguinte composição:

I - quinze representantes do Poder Público Federal indicados pelos dirigentes máximos de cada um dos seguintes órgãos:

a) Secretaria de Direitos Humanos da Presidência da República;

b) Casa Civil;

c) Secretaria-Geral da Presidência da República;

d) Secretaria de Políticas para Mulheres da Presidência da República;

e) Secretaria de Políticas de Promoção da Igualdade Racial da Presidência da República;

f) Ministério da Saúde;

g) Ministério da Justiça;

h) Ministério da Educação;

i) Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome;

j) Ministério do Trabalho e Emprego;

k) Ministério da Cultura;

l) Ministério da Previdência Social;

m) Ministério do Turismo;

n) Ministério das Relações Exteriores; e

o) Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão; e


II - quinze representantes da sociedade civil, indicados por entidades sem fins lucrativos, selecionadas por meio de processo seletivo público, entre aquelas:

a) voltadas à promoção e defesa de direitos da população LGBT;

b) da comunidade científica, que desenvolvam estudos ou pesquisas sobre a população LGBT;

c) nacionais, de natureza sindical ou não, que congreguem trabalhadores ou empregadores, com atuação na promoção, defesa ou garantia de direitos da população LGBT; e

d) de classe, de caráter nacional, com atuação na promoção, defesa ou garantia de direitos da população LGBT.

§ 1o Poderão ainda participar das reuniões do Conselho, sem direito a voto, um representante de cada um dos seguintes órgãos:

I - Ministério Público Federal;

II - Ministério Público do Trabalho;

III - Magistratura Federal; e

IV - Comissão de Direitos Humanos e Minorias da Câmara dos Deputados.

§ 2o A Secretaria de Direitos Humanos da Presidência da República exercerá a função de Secretaria Executiva do CNCD.

§ 3o A participação no Conselho será considerada prestação de serviço público relevante, não remunerada.

§ 4o Cada membro titular referido nos incisos I e II do caput terá um suplente, que o substituirá em suas ausências e impedimentos eventuais.


CAPÍTULO III

DO PROCESSO SELETIVO


Art. 4o O regulamento do processo seletivo das entidades da sociedade civil, nos termos do inciso II do art. 3o, será elaborado pelo CNCD e divulgado por meio de edital público em até noventa dias antes do término do mandato vigente à época, observadas as disposições do regimento interno.

Parágrafo único. O disposto no caput não se aplica à primeira composição do CNCD, cujos representantes da sociedade civil serão indicados por entidades selecionadas pelo Ministro de Estado Chefe da Secretaria de Direitos Humanos da Presidência da República.


CAPÍTULO IV

DA PRESIDÊNCIA


Art. 5o A presidência e vice-presidência do CNCD, eleita anualmente, será alternada entre as representações do Poder Público e da sociedade civil.

Parágrafo único. No primeiro mandato, a presidência será exercida pelo representante do Poder Público e a vice-presidência, pelo representante da sociedade civil.

Art. 6o São atribuições do Presidente do CNCD:

I - convocar e presidir as reuniões do colegiado;

II - solicitar a elaboração de estudos, informações, documentos técnicos e posicionamento sobre temas afetos ao Conselho; e

III - firmar as atas das reuniões e emitir as respectivas resoluções.


CAPÍTULO V

DO FUNCIONAMENTO


Art. 7o O CNCD formalizará suas deliberações por meio de resoluções, cuja publicidade deverá ser garantida pela Secretaria de Direitos Humanos da Presidência da República.

Art. 8o As reuniões do CNCD somente serão realizadas com quórum mínimo de dezesseis membros votantes.

§ 1o As decisões do CNCD serão tomadas por maioria de votos dos presentes, ressalvado o disposto no art. 12.

§ 2o O regimento interno poderá exigir quórum diferenciado para a deliberação de determinadas matérias, desde que observado o quórum mínimo previsto no § 1o.

§ 3o Em caso de empate, o Presidente do CNCD terá o voto de qualidade.

Art. 9o O CNCD poderá decidir pela instituição de câmaras técnicas e grupos de trabalho destinados ao estudo e elaboração de propostas sobre temas específicos, por meio de ato prevendo seus objetivos, composição e prazo para conclusão dos trabalhos.

Parágrafo único. Poderão ser convidados para participar das câmaras técnicas e grupos de trabalho representantes de órgãos e entidades públicos e privados.


Art. 10. A Secretaria de Direitos Humanos da Presidência da República prestará o apoio técnico e administrativo necessário à execução dos trabalhos do CNCD e das câmaras técnicas e grupos de trabalho eventualmente instituídos.

Art. 11. Para o cumprimento de suas funções, o CNCD contará com recursos orçamentários e financeiros consignados no orçamento da Secretaria de Direitos Humanos da Presidência da República.

Art. 12. O CNCD aprovará seu regimento interno, com voto de, no mínimo, dois terços da totalidade dos Conselheiros votantes, em reunião especialmente convocada para este fim, dispondo sobre as demais disposições necessárias ao seu funcionamento.

Parágrafo único. A Secretaria de Direitos Humanos da Presidência da República expedirá, por meio de portaria, regimento interno provisório que vigorará até a aprovação de regimento interno pelo CNCD, na forma prevista no caput.

Art. 13. Este Decreto entra em vigor na data de sua publicação.

Art. 14. Fica revogado o Decreto no 5.397, de 22 de março de 2005.

Brasília, 9 de dezembro de 2010; 189o da Independência e 122o da República.



LUIZ INÁCIO LULA DA SILVA

Paulo de Tarso Vannuchi



Este texto não substitui o publicado no DOU de 10.12.2010

____________________________

Ou seja: querem enfiar na nossa guela o direito de ficarmos calados assistindo a tudo isso. Que não tenhamos a oportunidade de educarmos nossos filhos como achamos conveniente.

Viva Brasil! =(