Exorcismo

Padres Exorcistas explicam

Consagração a Virgem Maria

Escravidão a Santissima Virgem, Orações, Devoção

Formação para Jovens

Espiritualidade, sexualidade, diverção, oração

15 de mai de 2011

Quando os anjos levantam o carro...

Há mais ou menos um mês tenho vivido, sentido e provado da misericórdia de Deus.
Livramentos, consolos, providências...

Tudo começou no começo no meio do mês passado, quando meu filho teve uma crise de asma. Foi a primeira de sua vida. Quase morri. Passamos 15 horas no hospital. Injeções, soros na veia, aquela sensação de querer trocar de lugar com o meu filho...

Saindo do hospital, minha avó entrou, também com crise de asma. Saindo ela, entrou meu sobrinho mais velho, com dengue hemorrágica. Uma semana internado. O normal é que tenhamos uma contagem de 450 mil plaquetas. Ele tinha 26 mil quando foi internado. Estava com um pé na cova.

Ao sair do hospital, descobrimos que meu sobrinho caçula, de apenas quatro meses, estava com um quadro de pneumonia. Orações, cuidados, lágrimas. Recuperou-se.

"Nossa! Quanta coisa! Tomara que ninguém morra!". Morreu. Meu pai. Primeiro de maio. Dia do trabalhador. Domingo da Misericórdia. Mês de Nossa Senhora. Ele, que trabalhou por 60 anos como metalúrgico, devotíssimo da Virgem Mãe, infartava. Sofremos por 17 horas - da hora da morte até a chegada do corpo -, além da espera pela preparação pelo velório após sua chegada, a dor de enterrá-lo...

Bem! A vida segue!

No início da semana descobri que a empresa aonde trabalhei por dez dia, e na qual fui mandada embora sob alegação de 'os funcionários não irem com a minha cara', tinha sido interditada pela polícia após investigação de corrupção. Integrantes da empresa lavavam dinheiro da saúde pública da cidade. Deus meu! Que livramento! Se eu estivesse trabalhando lá, minha carteira de trabalho estaria em poder da polícia até que eu fosse investigada. É verdade que não encontrariam nenhuma irregularidade na minha conduta, mas até eu provar isso levaria um tempo.

Hoje, após a Santa Missa onde minha sobrinha recebia Jesus Eucarístico pela primeira vez,  resolvemos visitar uma prima. Ganhou neném há um mês. Passamos uma tarde gostosa.

Minha mãe resolveu ir na frente com o meu irmão. Minha irmã e eu voltamos uma hora depois. Numa rotatória próxima à casa da minha tia, um acidente.

Descíamos a avenidade em direção à rotatória. Um carro saía da rotatória. O motorista estava 'chutado' e, com certeza, 'chapado'. Perdeu o controle. Bateu na placa de sinalização, acertou em cheio a mureta de proteção e - LITERALMENTE - voou por cima do nosso carro. Além de minha irmã e eu, estavam meu sobrinho, de quatro meses; minha sobrinha, de doze anos e meu filho, de três anos! Todos no banco de trás. Se o carro tivesse acertado o nosso, pegaria em cheio as crianças. Não houve nada. Nenhuma placa nos atingiu, nem as pedras que saíram da barra de proteção, ou ainda, as peças do carro.

Por providência divina, não vinha ninguém atrás da gente. Nem um passarinho. Se viesse, talvez estivessem mortos, afinal, o carro pegaria em cheio. Os condutores do carro também não se feriram.

Bateu-me um desespero. Saber que todos estávamos bem, mas que ao mesmo tempo a morte passou 'voando', era chocante! A impressão que tivemos foi a de que os anjos levantaram o carro para não encostar no nosso, salvaguardando as nossas vidas.

Sei que em todas estas coisas há os dedos da Rainha Gloriosa e Bendita, Santa Maria, Mãe de Deus e minha mãe. A ela, a quem tanto devotamos nossa vida e a quem todos os de nossa família fomos formalmente consagrados, devotamos nosso muito obrigado. Contudo, mais ainda, louvo e bendigo ao Senhor por não nos deixar desamparados e por me permitir testemunhar esta grandeza.

Em tudo isso que aqui relatei só consigo ver uma única coisa: Deus é fiel. Ele mostra sua fidelidade, seu cuidado e seu amor para conosco nas pequenas e - às vezes! - assustadoras coisas. Não importa! Ele sempre se mostra fiel.

É muito bom neste dia do Senhor iniciar a semana provando dos cuidados Dele.

Espero continuar vivendo isso até o fim deste mês, deste ano, desta vida.


Louvado seja Nosso Senhor Jesus Cristo!

Nossa Senhora da Divina Providência, rogai por nós!

Comentário da Mensagem de Nossa Senhora de Medjugorje do dia 02/05/2011



Comentário de Pe.Mateus Maria, FMDJ, sobre a Mensagem de Nossa Senhora Rainha da Paz, em Medjugorje, no dia 02/05/11:

“Queridos filhos, Deus Pai está me enviando para lhes mostrar o caminho da salvação, porque Ele, meus filhos, deseja salvá-los e não condená-los. É por isso que Eu, como mãe, estou reunindo vocês ao meu redor. Com o meu amor maternal, desejo ajudá-los a se libertarem da sujeira do passado e a começarem a viver de uma maneira nova e diferente. Eu os estou chamando para ressuscitarem em meu Filho. Junto com a confissão dos pecados, renunciem a tudo aquilo que os afastou de meu Filho e que tornou a sua vida vazia e sem sucesso. Digam sim ao Pai com o coração e entrem no caminho da salvação, ao qual Ele os está chamando através do Espírito Santo. Obrigada. Estou orando especialmente pelos pastores, para que Deus os ajude a estar ao lado de vocês com todo o coração. Obrigada por terdes respondido ao meu chamado”

Comentário do Evangelho do lV Domingo da Páscoa Ano: A 15/05/2011



Comentário do Evangelho de Domingo Jo 10,1-10 "o Bom Pastor".

Um mês com Maria - 15o dia

A mentira

Quem não sabe que a mentira é um dos pecados mais comuns entre os homens? Com que facilidade se diz ou se faz entender ao outro uma coisa por outra! No comércio ou no escritório, em família ou na fábrica: quantas mentiras e subterfúgios! Quem poderá enumerá-las senão Deus? Somo superficiais em considerar a mentira um pequeno pecado. E então não nos preocupamos em mentir muito quando nos for cômodo. Se dirá que são mentiras de desculpa ou sem dano, ou úteis para evitar um mal. Mas Pe. Pio dizia que "as mentiras de desculpas são as jaculatórias do diabo". A um penitente que lhe perguntou se mentiras de desculpas não se dizem, respondeu secamente: "NÃO"."Mas, Padre - continuou - não trazem dano". - Pe. Pio: "Não trazem danos aos outros, mas à tua alma sim, pois Deus é a verdade".

É filha do diabo

"O diabo é mentiroso e pai da mentira". (Jo 8,44). Eis quem é o verdadeiro pai das nossas mentiras. É ele que nos oferece todas as mentiras que nós distribuímos aqui e ali com tanta simplicidade. Pobre de nós! Se nos déssemos conta desta realidade, compreenderíamos a sensibilidade dos santos ao opôr-se com todas as forças a toda mentira a fim de não terem nada com o pai dela. O angélico Guido de Fontgalland, predileto de Maria, provava um sincero horror por cada mínima mentira. Sua mãe, uma vez, ordenou a empregada dizer: "A quem me chamar, diga que saí".Ouvindo isso, Guido abraçou a mãe, dizendo: "Mãe, por que dizes duas mentiras: a tua e aquela da empregada? Eu ficaria mais contente em ter dor de dentes a dizer uma coisa não verdadeira".Melhor sofrer pela verdade que gozar pela mentira. Melhor o sofrimento com Deus ao prazer com o diabo.

Sim, sim! Não, não!

Deus é luz de verdade. O diabo é treva de mentira. A alma sincera é luminosa. A alma mentirosa está nas trevas. Nós, cristãos, devemos ser filhos da luz (cf. Jo 12,36). Jesus nos disse que o nosso falar deve ser claro e leal: Sim, sim! Não, não! (Mt 5,37). Falar com engano, mascarando a verdade é arte da ruim serpente antiga (Ap 12,19) que enganou Adão e Eva no Éden (Gn 3,17). Nisto consiste a mentira: dizer o contrário do que se pensa com intenção de enganar. "Não levantar falso testemunho" (Lc 18,20) é o mandamento de Deus que nos coloca em luta contra o pai da mentira. Devemos ser enérgicos e falar sempre a verdade a qualquer custo. S. João Câncio, padre polonês, foi assaltado. Roubaram-lhe tudo o que tinha nos bolsos e lhe perguntaram: "Tens mais algum coisa?" "Não", respondeu. Os ladrões foram embora. Mas S. João lembrou-se de ter costurado algumas moedas no hábito. Correu até os assaltantes e lhes ofereceu as moedas. Eles ficaram tão surpresos que não só a recusaram como devolveram tudo o que roubaram.

Língua de impostura

É verdade que muitas vezes a verdade nos custará incômodos ou dores graves. É verdade. Mas o que é isso frente às ofensas a Deus? De frente ao juízo e castigo de Deus? "A tua língua é como lâmina afiada. Artífice de enganos. Tu preferes o mal ao bem, a mentira ao falar sincero. Amas toda palavra de ruína, ó língua de impostura. Por isso Deus te demolirá para sempre." (Sl 51,4-7). S. André Avelino era advogado. Ao defender uma causa, disse uma pequena mentira. Triste por esta fraqueza, aconteceu-lhe de ler este verso: "A boca que diz mentiras mata a alma!" (Sb 1,11) Não mais hesitou, mas preso por uma impetuosa Graça, retirou-se do mundo, fez-se religioso e foi Santo. Foi o prêmio de sua delicadeza de consciência. Façamos nossa esta máxima de S. Vicente de Paula: "A nossa língua deve exprimir as coisas como as temos dentro, senão é preciso calar-se."Dizer a verdade ou calar-se.

A Virgem que escuta

Se todos lêssemos e meditássemos o cap. 3 do livro de Tiago sobre a língua, amaríamos o silêncio e estaríamos mais atentos ao usar a língua, que amiúde "é um fogo, é o mundo da iniqüidade; um mal rebelde, cheio de veneno mortal" (3,6-8) Mentiras, falsidades, erros, calúnias, ofensas e blasfemias; tudo passa pela língua. E quanto amiúde o nosso falar é infectado de tais males sem que o nem queiramos. Olhemos, ao invés, a Nossa Senhora. Quanto silêncio em sua vida! Silenciosa e iluminosa, ela aparece no Evangelho e está perto de Jesus, enquanto conservava todas as palavras, meditando-as em seu coração (cf. Lc 2, 19). Justamente o Papa Paulo VI a chamou "Virgem que escuta" (Marialis Cultus, n.17) apresentado-a qual modelo perfeito da Igreja na incessante relação com Deus, não turbado por palavras vãs (Ef 5,6) nem profanado por palavras falsas (Pr 30,8).

Votos

* Ler e meditar o capítulo 3 de São Tiago (1-12)

* Beijar mais vezes o crucifixo, pedindo a Deus perdão pelos pecados da língua.

* Rezar a Maria para fazer-nos sempre dizer a verdade ou calar-se, nunca dizer mentiras.

Fonte: livro "Um mês com Maria", de Pe. Stefano Manelli