Exorcismo

Padres Exorcistas explicam

Consagração a Virgem Maria

Escravidão a Santissima Virgem, Orações, Devoção

Formação para Jovens

Espiritualidade, sexualidade, diverção, oração

5 de mai de 2010

Papa diz que sacramentos são válidos independente da situação dos padres
















Cidade do Vaticano - O papa Bento XVI disse hoje que os sacramentos são eficazes, apesar da situação em que alguns sacerdotes se encontram.
O Pontífice fez estas manifestações perante mais de 30 mil pessoas que assistiram na Praça de São Pedro do Vaticano a tradicional audiência pública semanal do papa. As palavras foram uma resposta do papa à preocupação mostrada nos últimos meses por inúmeros fiéis sobre a validade dos sacramentos administrados por sacerdotes pedófilos.
"A grande tradição eclesiástica desvinculou a eficácia sacramental da situação concreta do sacerdote e assim as esperanças legítimas dos fiéis estão salvaguardadas", ressaltou o papa, que destacou a "tendência indispensável em direção a perfeição moral que deve viver no coração de todo sacerdote".
Bento XVI dedicou a audiência às tarefas do sacerdote que são, segundo ele, ensinar, santificar e governar.
Em uma audiência anterior ele já falou do ensino e disse que é uma tarefa "particularmente importante em uma época como a atual".
"No mundo atual, no qual de uma parte a fé parece que se debilitou e de outra parte emerge uma profunda necessidade de uma busca de espiritualidade, é necessário que todos os sacerdotes lembrem que em sua missão o anúncio missionário, o culto e os sacramentos jamais estão separados", assinalou o papa.
Bento XVI também pediu aos sacerdotes que "voltem" aos confessionários, como lugar onde celebrar o sacramento da reconciliação "e como lugar onde passar mais tempo para que os fiéis possam encontrar misericórdia, conselhos e conforto, sentir-se amados e compreendidos por Deus".
Durante a audiência o papa fez uma chamada a favor de um mundo livre de armas nucleares e pediu aos Estados que respeitem os compromissos internacionais adotados no campo da energia nuclear.
Além disso, o Bento VXI disse que se sente "muito feliz" perante a viagem que realizará a Portugal entre os dias 11 e 14 de maio e cumprimentou cordialmente "todos os portugueses, sem excluir nenhum".
Fonte: Terra noticias

Santo Afonso de Ligório: E se hoje for o último dia?
















“Ninguém ignora que deve morrer; mas o mal está em que muitos veem a morte a tamanha distância que a perdem de vista. Mesmo os anciãos mais decrépitos e as pessoas mais enfermas não deixam de alimentar a ilusão de que hão de viver mais três ou quatro anos. Eu, porém, digo o contrário: Devemos considerar quantas mortes repentinas vemos em nossos dias. Uns morrem caminhando, outros sentados, outros dormindo em seu leito. É certo que nenhum deles julgava morrer tão subitamente, no dia em que morreu. Afirmo, ademais, que de quantos no decorrer deste ano morreram em sua própria cama, e não de repente, nenhum deles imaginava que devia acabar sua vida neste ano. São poucas as mortes que não chegam inesperadas.”
“Assim, pois, cristão, quando o demônio te provoca a pecar, pretextando que amanhã confessarás, dize-lhe: Quem sabe se não será hoje o último dia da minha vida? Se esta hora, se este momento, em que me apartasse de Deus, fosse o último para mim, de modo que já não restasse tempo para reparar a falta, que seria de mim na eternidade? Quantos pobres pecadores tiveram a infelicidade de ser surpreendidos pela morte ao recrearem-se com manjares intoxicados e foram precipitados no inferno? “Assim como os peixes caem no anzol, assim são colhidos os homens pela morte num momento ruim”. (Ecl 9, 12). O momento ruim é exatamente aquele em que o pecador ofende a Deus.”
“Diz o demônio que tal desgraça não nos há de suceder; mas é preciso responder-lhe: E se suceder, que será de mim por toda a eternidade?
Santo Afonso de Ligório
Preparação para a morte, consideração V, ponto I

Deus não pode deixar a Igreja absolutamente sem bons Sacerdotes













Onde estão os bons padres?
Certamente, existem bons sacerdotes. Deus não pode deixar a Igreja absolutamente sem bons sacerdotes.
Mas não os procure na mídia, tocando violão, ou fazendo debates em mesas redondas "diplomáticas". Os bons sacerdotes não são estimados pela mídia, e tem a linguagem que Nosso Senhor recomendou; "Sim, sim; não, não"!
Não procure os bons sacerdotes amorenando-se nas praias, ou pulando em forrós. Que os bons sacerdotes não vão a esses lugares mundanos.
Não procure os bons sacerdotes entre os autores, nas livrarias ditas "católicas", porque lá só estão publicadas as obras de padres modernistasOs bons padres estão adorando o Santíssimo de joelhos, e promovendo horas santas.
Não procure os bons sacerdotes dando aulas nas Faculdades de Teologia que se multiplicam por aí. Lá, praticamente, só podem dar aulas padres comprometidos com a heresia modernista. Os bons padres falam simplesmente, e não se exibem falando em experiências carismáticas, em crise existencial, nem em kenosis ou em dialética ou práxis. Os bons padres falam da cruz de Nosso Senhor Jesus Cristo.
Não procure os bons sacerdotes entre aqueles que profanam a Missa gingando e se rebolando, e fazendo o povo rebolar na hora da comunhão. Os bons padres rezam, não rebolam.
Não procure os bons padres entre os padres joviais bonitinhos, com brinquinho -- "modesto" -- nas orelhas, bancando mocinhos, falando gíria, em grupos de jovens com piercings e moçoilas devotamente decotadas e de mini saia. Os bons padres não fazem força para serem simpáticos e condenam as modas que ofendem a Nosso Senhor, como disse Nossa Senhora em Fátima.
Não procure os bons padres entre os que fazem sermões superficiais e ignorantes. Os bons padres falam pouco. Falam do céu, rezam muito, e estudam. Sobretudo rezam.
Não procure os bons padres entre os moderninhos adaptados ao mundo, que organizam o baile e o carnaval da paróquia. Os bons padres sao amantes da cruz, penitentes, e fogem das diversões mundanas.
Não procure os bons padres entre os que aparecem e que são nomeados para cuidar de paróquias ricas e centrais. Os bons padres estão afastados em paróquias pobres e longínquas.
Não procure os bons padres entre os famosos e prestigiados. Os bons padres são odiados ou esquecidos pelo mundo.
Não procure os bons padres entre os que se vestem como janotas, que têm carro bom e secretárias. Os bons padres andam a pé -- à evangelica -- usam só batina preta e nunca têm secretárias, nem mulheres como "gerentes" de igreja. Não procure os bons padres entre aqueles que fazem muitas campanhas vistosas e filantrópicas. Procure entre os que rezam o terço, quer em suas capelas pobres, ou mesmo andando pelas ruas, e que fazem caridade sem alto falantes.
É bem difícil, hoje, encontrar um bom padre.
Por isso é que o povo está tão afastado de Deus.
Pois diz a sabedoria popular: Padre santo, povo piedoso. Padre piedoso, povo bom. Padre bom, povo aceitável. Padre aceitável, povo tíbio. Padre tíbio, povo ruim. Padre ruim, povo corrupto. Padre corrupto, povo péssimo.
Até o péssimo Diógenes ensinou algo aproveitável: andava ele por Atenas com uma vela acesa na mão, ao meio dia, procurando um homem. Hoje devemos andar de vela acesa em uma das mãos, com um terço na outra, procurando um bom padre. Hoje, devemos andar de terço na mão rezando a Deus que nos conceda santos sacerdotes.
Rezemos pelo clero. Rezemos muito por nosso pobre clero. Que é clero. Que é, apesar de tudo, constituído por sacerdotes de Cristo, marcados com o selo sacerdotal em suas almas.
Rezemos pelo Clero.
"O bom coração é sempre forte.
Sofre, mas esconde suas lágrimas,
e se consola sacrificando-se
pelo próximo e por Deus". (São Pe. Pio de Pietrelcina)
Fonte: http://catolicostradicionais.blogspot.com