Exorcismo

Padres Exorcistas explicam

Consagração a Virgem Maria

Escravidão a Santissima Virgem, Orações, Devoção

Formação para Jovens

Espiritualidade, sexualidade, diverção, oração

31 de dez de 2011

O Senhor abrirá as portas de 2012 para nós!

“De que vale ao homem ganhar o mundo inteiro, se vir a perder a sua alma?” (Mc 8,36)

Nossa Senhora Rainha da Paz

Assim como fizeram do Natal um tempo para se fazer "caridade" (como se no restante do ano isto não importasse), fizeram do fim de ano tempo para reflexão. Legal fazer caridade no Natal; legal fazer um auto-exame no final do ano; o entanto, devemos fazer isso tem que ser SEMPRE!

Todos os dias, todos os momentos, devemos refletir, ser caridoso, misericordioso, respeitoso, fiel, buscar a harmonia, lutar por ser melhor. Se a gente só esperar pra chegar à conclusão disso no final do ano, nunca faremos aquilo que no único dia do ano em que paramos, concluímos que não fazemos. E a razão é lógica: ninguém consegue ser nada se não perseverou para ser.
Nosso Senhor disse que de nada vale ao homem ganhar o mundo se perder o essencial: a alma! Em algumas traduções usa-se "vida eterna". Alma vem de "ânima", "ânimo". Uma vida sem ânimo é uma vida sem cor, brilho, vida! Sabendo disso, Deus, ao criar o homem, deu a ele ânima! Recebemos o Ruah (sopro do espírito) e nossa carne meramente mortal tornou-se viva. É o espírito quem dá vida ao corpo, e não o contrário. Logo, certo estava São Paulo em suas inúmeras exortações sobre a santidade, pedindo que cuidássemos de nosso espírito a fim de lapidarmos nosso corpo. E as maneiras são diversas: podemos, por exemplo, jejuar. Apesar de ser um exercício corporal, é muito importante e necessário para lapidar o espírito. As penitências, em geral, também o são. Igualmente as práticas em disciplinar-se: falar baixo, comer menos, não fumar, ser mais prestativo, não responder inadequadamente aos pais...
Prendemo-nos ao material quando lemos este versículo, esquecendo-nos da exortação ao espírito que o Senhor quer nos dar. Ganhar o mundo inteiro não quer dizer necessariamente ser rico; não quer, também, dizer que temos que ser pobretões, um astro de Hollywood ou um atleta em destaque. Ganhar o mundo inteiro tem um significado muito mais profundo. Eu, por exemplo, ganho almas para Deus com meu trabalho evangelizador pela internet. Já recebi vários reconhecimentos por isso. Porém, posso perder minha alma porque não cuidei primeiramente daquilo que era mais importante: a MINHA salvação.
Por mais que o Senhor tenha dado a vida por muitos, cada um é responsável pela sua salvação. É dever orar pela salvação de todos, pedindo ao Senhor que todos se convertam; contudo, não podemos agir como hipócritas e fariseus, pregando uma fé que não vivemos, ensinando a amar um Cristo que não adoramos nem Lhe rendemos reverência.
Com tantos planos que fazemos todos os finais de ano, deveríamos priorizar o mais importante: não perder a nossa salvação. O restante, como bem disse Jesus, virá por acréscimo à medida que buscarmos o Reino de Deus e Sua Justiça. Que tenhamos em mente neste 2012 um único ideal: buscar a salvação e ganhar mais almas para Cristo.
Neste dia 31 de dezembro, em que comemoro 27 anos de vida, peço ao Senhor da colheita que envie operários para a Sua colheita. 
Que Nossa Senhora Rainha da Paz abençoe a todos.
Feliz Ano Novo.

Os gays e a Bíblia - FREI BETTO

Este Texto foi extraido do próprio site deste cidadão, frei Beto, e está sendo publicado aqui no blog para que os verdadeiros católicos, nós que batalhamos ao lado da Santa Madre Igreja, obedecendo a Doutrina sendo fiéis ao Magistério, acatando as diretrizes da Santa Sé em favor de Deus, possamos estar informados com o que os inimigos da Igreja, os hereges, escrevem e falam por aí, tentamos através de postagens desse teor alertar os católicos menos informados, e denunciamos toda obra do inimigo contra Deus e sua Santa Madre igreja

"É no mínimo surpreendente constatar as pressões sobre o Senado para evitar a lei que criminaliza a homofobia. Sofrem de amnésia os que insistem em segregar, discriminar, satanizar e condenar os casais homoafetivos. No tempo de Jesus, os segregados eram os pagãos, os doentes, os que exerciam determinadas atividades profissionais, como açougueiros e fiscais de renda. Com todos esses Jesus teve uma atitude inclusiva. Mais tarde, vitimizaram indígenas, negros, hereges e judeus. Hoje, homossexuais, muçulmanos e migrantes pobres (incluídas as “pessoas diferenciadas”...).

Relações entre pessoas do mesmo sexo ainda são ilegais em mais de 80 nações. Em alguns países islâmicos elas são punidas com castigos físicos ou pena de morte (Arábia Saudita, Irã, Emirados Árabes Unidos, Iêmen, Nigéria etc). No 60º aniversário da Declaração Universal dos Direitos Humanos, em 2008, 27 países-membros da União Europeia assinaram resolução à ONU pela “despenalização universal da homossexualidade”.

A Igreja Católica deu um pequeno passo adiante ao incluir no seu catecismo a exigência de se evitar qualquer discriminação a homossexuais. No entanto, silenciam as autoridades eclesiásticas quando se trata de se pronunciar contra a homofobia. E, no entanto, se escutou sua discordância à decisão do STF ao aprovar o direito de união civil dos homoafetivos.

Ninguém escolhe ser homo ou heterossexual. A pessoa nasce assim. E, à luz do Evangelho, a Igreja não tem o direito de encarar ninguém como homo ou hetero, e sim como filho de Deus, chamado à comunhão com Ele e com o próximo, destinatário da graça divina.

São alarmantes os índices de agressões e assassinatos de homossexuais no Brasil. A urgência de uma lei contra a violência simbólica, que instaura procedimento social e fomenta a cultura da satanização.

A Igreja Católica já não condena homossexuais, mas impede que eles manifestem o seu amor por pessoas do mesmo sexo. Ora, todo amor não decorre de Deus? Não diz a Carta de João (I,7) que “quem ama conhece a Deus” (observe que João não diz que quem conhece a Deus ama...).

Por que fingir ignorar que o amor exige união e querer que essa união permaneça à margem da lei? No matrimônio são os noivos os verdadeiros ministros. E não o padre, como muitos imaginam. Pode a teologia negar a essencial sacramentalidade da união de duas pessoas que se amam, ainda que do mesmo sexo?

Ora, direis, ouvir a Bíblia! Sim, no contexto patriarcal em que foi escrita seria estranho aprovar o homossexualismo. Mas muitas passagens o subtendem, como o amor entre Davi por Jônatas (I Samuel 18), o centurião romano interessado na cura de seu servo (Lucas 7) e os “eunucos de nascença” (Mateus 19). E a tomar a Bíblia literalmente, teríamos que passar ao fio da espada todos que professam crenças diferentes da nossa e odiar pai e mãe para verdadeiramente seguir a Jesus.

Há que passar da hermenêutica singularizadora para a hermenêutica pluralizadora. Ontem, a Igreja Católica acusava os judeus de assassinos de Jesus; condenava ao limbo crianças mortas sem batismo; considerava legítima a escravidão;e censurava o empréstimo a juros. Por que excluir casais homoafetivos de direitos civis e religiosos?

Pecado é aceitar os mecanismos de exclusão e selecionar seres humanos por fatores biológicos, raciais, étnicos ou sexuais. Todos são filhos amados por Deus. Todos têm como vocação essencial amar e ser amados. A lei é feita para a pessoa, insiste Jesus, e não a pessoa para a lei."


FREI BETTO é escritor dominicano que atenta contra a Sã Doutrina

http://www.freibetto.org/index.php/artigos/85-os-gays-e-a-biblia