4 de jul de 2008

O Segredo de Maria

Portanto, tudo se resume a encontrar um meio fácil para se alcançar de Deus a graça necessária para se tornar santo; e é precisamente isso que eu pretendo ensinar-te. E afirmo que, para se alcançar tal graça de Deus, é necessário alcançar Maria. Vejamos, de seguida, os motivos:

1º) MARIA ALCANÇOU GRAÇA

Só Maria alcançou graça diante de Deus (Lc. 1,30), para Si e para toda a criatura em particular. Nem os patriarcas ou profetas, nem todos os Santos do Antigo Testamento alcançaram graça.

2º) É MÃE DA GRAÇA

Só Maria, na verdade, deu o ser e a vida ao Autor de toda a graça; por isso é apelidada "Mãe da graça".

3º) É CHEIA DE GRAÇA

Deus Pai, de quem, como fonte essencial, deriva todo o dom perfeito, e toda a graça, ao dar-Lhe seu próprio filho, entregou a Maria todas as graças; de maneira que - como diz São Bernardo - n'Ele e com Ele Deus comunicou-Lhe a sua própria vontade.

4º) É ADMINISTRADORA DAS GRAÇAS

Deus escolheu-A para tesoureira, ecónoma e distribuidora de todas as suas graças; por isso, todas as graças e dons de Deus passam pelas suas mãos. E - segundo São Bernardino - em virtude do poder que Deus Lhe conferiu. Ela dá a quem quer, quanto quer e na medida que quer as graças do Pai, as virtudes do Filho e os dons do Espírito Santo.

5º) É A MÃE DO FILHO DE DEUS

Tal como, na ordem da natureza, é necessário que um filho tenha um pai e uma mãe, assim também, na ordem da graça, todo o verdadeiro filho da Igreja deverá ter Deus por pai e Maria por mãe. E quem se vangloriar de ter Deus por pai e não tiver a ternura de um filho por Maria, pois será um mentiroso que terá apenas o demónio por pai.

6º) É MÃE DOS MEMBROS DE CRISTO

Já que foi Maria quem formou a Cabeça dos predestinados, Jesus Cristo, a Ela pertence também formar os membros dessa mesma Cabeça, que são os verdadeiros cristãos. Com efeito, uma mãe não dá luz a cabeça sem os membros, nem os membros sem a cabeça.

Por isso, quem desejar ser membro de Jesus Cristo, cheio de graça e de verdade, deverá deixar-se formar em Maria através da graça de Jesus Cristo, que nela reside em plenitude, a fim de ser derramada, igualmente em plenitude, aos verdadeiros membros de Cristo que são os verdadeiros filhos de Maria.

7º) É COLABORADORA DO ESPÍRITO SANTO

Tendo o Espírito Santo desposado Maria e tendo gerado n'ela , com Ela e por Ela Jesus Cristo, a obra-prima, o Verbo encarnado, e não a tendo jamais repudiado, continua, cada dia, a gerar os predestinados n'Ela e por meio d'Ela, de forma misteriosa, mas verdadeira.

8º) FAZ CRESCER NO AMOR FILIAL

Maria recebeu de Deus um domínio especial sobre as almas para alimentá-las e fazê-las crescer em Deus.

Santo Agostinho diz mesmo que, neste mundo, os cristãos autênticos são inteiramente enclausurados no seio de Maria, e são dados à luz apenas quando esta boa mãe os gera para a vida eterna.

Por conseguinte, assim como a criança vai buscar todo o nutrimento à sua mãe, que lhe proporciona o alimento necessário à sua fragilidade, assim também os cristãos vão procurar a Maria todo o nutrimento e todo o vigor espiritual.

9º) ESTÁ PRESENTE NA VIDA DOS VERDADEIROS CRISTÃOS

Somente a Maria disse Deus Pai:

"Minha Filha, põe a tua morada em Jacob" (Ecle. 24,8), ou seja, habita nos cristãos autênticos, prefigurados em Jacob.

Somente a Maria disse Deus Filho: "Minha Mãe, toma Israel por tua herança" (Ecle. 24,8), ou seja, toma os verdadeiros cristãos por herança.

Finalmente, também só a Maria disse o Espírito Santo: "Minha fiel Esposa, lança as tuas raízes no meio dum povo glorioso" (Ecle. 24,12), ou seja, os verdadeiros cristãos.

Portanto, quem for do número dos verdadeiros e cristãos autênticos terá a Senhora a morar dentro de si, ou seja, na sua alma, nela deixando lançar raízes de uma humildade profunda, de uma caridade ardente e de toda a espécie de virtudes.

10º) É A IMAGEM VIVA DE DEUS

Maria é chamada por Santo Agostinho, e é-o efectivamente, "Forma Dei", imagem viva de Deus; isto quer significar que somente n'Ela foi formado Deus como homem perfeito, sem faltar-Lhe qualquer traço da divindade; e também que só n'Ela pode o homem ser transformado em Deus - tanto quanto a natureza humana o permita -, pela graça de Jesus Cristo.

Um escultor pode reproduzir ao natural uma estátua ou um retrato de duas maneiras: aplicando todo o seu talento na matéria dura e informe, usando de toda a força, de toda a ciência e perfeição das suas ferramentas para reproduzir a estátua; ou então, metendo-a simplesmente num molde.

O primeiro método é demorado, é difícil e está sujeito a diversos inconvenientes: por vezes bastará uma pancada de cinzel ou uma martelada mal dada para estragar toda a obra.

O segundo, ao contrário, é rápido, suave e delicado, quase sem despesa e sem fadiga, desde que o molde seja perfeito e que reproduza com exactidão, e desde que a matéria utilizada seja maleável e não oponha resistência ao seu manejo.

É Maria o maravilhoso molde de Deus, criado pelo Espírito Santo para formar em perfeição um Homem-Deus através da união hipostática, e para tornar o homem participante da natureza divina mediante a graça. Maria é esse molde a que não falta o mais leve traço da divindade: quem for metido nele e se deixar plasmar por ele, adquire todos os traços de Jesus Cristo, verdadeiro Deus, e isso de forma suave e em consonância com a fragilidade humana, sem tantos sacrifícios nem fadigas; e ainda de forma segura, sem medo de ilusões, já que o demónio não teve e nunca virá a ter qualquer acesso a Maria; finalmente e ainda de maneira santa e imaculada, sem a mais leve sombra de pecado.

Oh!, alma querida, quão grande é a diferença entre uma alma formada em Jesus Cristo pelos meios ordinários como os escultores - que confiam apenas no seu engenho, no seu talento -, e a outra em que se está diante duma alma muito maleável, desapegada, bem fundida e que, recusando fiar-se em si mesma, deixa-se plasmar apenas pela acção do Espírito Santo!

Quantas manchas, quantos defeitos, quantas sombras, quantas ilusões, quanto de natural e humano existem no primeiro método!... E quão puro, quão divino e quão semelhante a Jesus Cristo é o segundo!

11º) É O PARAÍSO DE DEUS

Nunca houve e jamais haverá criatura alguma, não fazendo sequer excepção dos Bem-aventurados, dos Querubins ou dos mais elevados Serafins, o, onde Deus - fora de Si mesmo e em Si mesmo - tenha manifestado a sua glória com tanta perfeição como em Maria.

É Maria o Paraíso de Deus e o seu mundo inefável, onde o Filho de Deus penetrou para lá operar maravilhas, para o guardar e aí gozar as suas complacências.

Criou Deus um mundo para o homem peregrino, que é o mundo em que todos habitamos; criou um mundo para o homem bem-aventurado, que é o Paraíso; mas, para Si, criou Deus outro mundo a que deu o nome de Maria; mundo este quase desconhecido a todos os mortais, e incompreensível a todos os Anjos e a todos os Bem-aventurados do Céu que, extasiados por verem um Deus tão glorioso, tão acima de todos eles, tão separado e tão escondido no seu mundo - a excelsa Maria -, que exclamam sem cessar: Santo, Santo, Santo.

Feliz, mil vezes feliz é na terra a alma a quem o Espírito Santo revelar o Segredo de Maria para que o conheça; a quem abrir esse "Jardim fechado" para que possa entrar; essa "Fonte Selada" para que dela possa extrair e beber, a longos tragos, as águas vivas da graça!

Nesta amável criatura uma tal alma encontrará Deus somente: um Deus infinitamente santo e transcendente, mas também infinitamente condescendente e compreensivo diante da nossa fraqueza.

Uma vez que Deus está em todo o lado, pode ser encontrado em todo o lado, até nos infernos; mas não existe lugar algum onde uma pessoa O possa encontrar mais próximo dela e mais adaptado á sua fraqueza do que em Maria, já que foi para isso que Ele veio ao mundo.

Em todo o lado é Ele o Pão dos fortes e dos Anjos; em Maria, porém, é o Pão dos filhos.

12º) FACILITA A UNIÃO COM DEUS

Que ninguém pense, como alguns iluminados, que Maria, por ser criatura, possa ser obstáculo à união com o Criador; é que já não é Maria que vive, é Jesus Cristo apenas, é Deus só que vive n'Ela. A sua transformação em Deus ultrapassa infinitamente a de S. Paulo e a dos outros Santos, mais do que o Céu ultrapassa a terra em altura.

Maria não existe senão para Deus; por isso, longe de segurar para si uma alma, Ela projecta-a em Deus e une-a a Ele com mais perfeição ainda do que a alma está unida a Ela.

Maria é o eco admirável de Deus, que só sabe repercutir "Deus" quando uma alma lhe grita: "Maria"; e que não sabe senão glorificar a Deus quando, tal como Santa Isabel, a proclamam bem-aventurada.

Se os falsos iluminados, miseravelmente enganados pelo demónio até na oração, tivessem sabido encontrar Maria, e Jesus por Maria, e Deus através de Jesus, não teriam certamente dado tão terríveis quedas.

Quando um cristão encontrou Maria e Jesus através de Maria e Deus Pai através de Jesus, pois terá encontrado todo o bem - referem alguns Santos. E dizendo todo o bem, nada se exceptua: toda a graça e toda a amizade junto de Deus; toda a segurança contra os inimigos de Deus; toda a verdade contra a mentira; toda a facilidade e toda a vitória contra as dificuldades da salvação; toda a doçura e toda a alegria nas amarguras da vida.

13º) É AUXÍLIO NO SOFRIMENTO

Não pretendemos afirmar que quem encontrou Maria através de uma devoção verdadeira venha a ficar isento de cruzes e sofrimentos. Bem ao contrário! Até será mais assaltado do que os outros já que Maria - qual Mãe dos viventes - dá a todos os seus filhos alguma porção da Árvore da Vida, a cruz de Jesus.

Reservando-lhes, porém, grandes cruzes, dá-lhes também a graça de carregá-las com paciência, e até com alegria, de maneira que as cruzes que Ela dá àqueles que lhe pertencem são - por assim dizer - saborosas, ou cruzes doces e não amargas. Ainda que, durante algum tempo e por serem amigos de Deus, devam beber o cálice da amargura, porém, a consolação e a alegria que recebem da sua bondosa Mãe - passada a provação - dá-lhes força e coragem para carregarem cruzes ainda bem mais pesadas e amarga.

É INDISPENSÁVEL UM RELACIONAMENTO PESSOAL COM MARIA

A dificuldade está, pois, em saber alcançar verdadeiramente a Santíssima Virgem, para assim se poderem obter todas as graças em abundância.

Deus, qual Senhor todo-poderoso, poderá, por virtude própria, comunicar directamente aquilo que, de modo ordinário, comunica só través de Maria. E não se poderá negar - fazê-lo seria temerário - que, por vezes, Deus até se comunica directamente. Porém - como refere São Tomás - tendo em consideração o plano estabelecido pela divina Sabedoria , não se comunica aos homens, de forma ordinária, senão por Maria, isto na ordem da graça.


São Luís de Monfort - "O Segredo de Maria" - Vila do Conde, Centro Mariano Monfortino, 4ª Edição, 1995.

0 comentários:

Postar um comentário