1 de jul de 2010

MARIA PORTA DO CÉU (Anderson Luiz dos Reis)


É de se perceber que no vocabulário católico a palavra céu tem sido pouco mencionada, e por muitas vezes esquecida e desacreditada. Porém, olhando os grandes autores e escritores de todos os tempos, que muitos enfatizaram a respeito de metas em nossa vida, eu pergunto: qual a maior meta de nós, católicos? E respondo: Sem dúvida alguma, possuir a gloria eterna. E vemos nas Sagradas Escrituras evidências desta verdade que acabamos de escrever nos lábios do próprio Jesus: ”Na casa de meu Pai há muitas moradas. Não fora assim, Eu não vos teria dito; pois Vou preparar-vos um lugar”. (Jo 14,2). E que lugar é este? Este é o lugar comprado na cruz, com todo o Seu Sangue, para que ,lavados e purificados de nossas faltas, possamos adentrar e morar eternamente com nosso Senhor e por toda eternidade render-Lhe glórias e louvores.
Creio que muitos que estão lendo este texto, sentiram manifestações interiores diferentes, mas duas predominantes. Primeiro: Eu quero ir para lá. E a segunda: É muito difícil ir para lá. Escrevi estas duas, pois a primeira faz parte de nossa vocação, que como dizia S. Paulo: “Nós, porém, somos cidadãos do céu...” (filp 3,20). E em outros trechos: “Se é só para esta vida que temos colocado a nossa esperança em Cristo, somos, de todos os homens, os mais dignos de lástimas”. (I cor 15,19). E a segunda, sendo difícil e estreito o caminho, como dizia Nosso Senhor: “Entrai pela porta estreita, porque larga é a porta e espaçoso o caminho que conduz à perdição e numerosos são os que por aí entram” (Mt. 7, 13).
Muitos desistem, perdem a esperança e se entregam aos pecados mais horrendos, vendo as suas forças esgotadas e sem perspectiva de vitória. É particularmente para estes que escrevo, pois muitos santos no seu abismo de miséria humana, mas com um desejo convicto de ir para o céu, nos ensinaram um caminho mais curto e certo, sem erro algum de percurso. E começo a falar de uma resposta de S. Pio, a uma jovem desejosa do céu, que um dia perguntou-lhe: “Padre, tem algum atalho para ir ao céu? Ao que ele responde: “Sim, o atalho é a Virgem Maria”. E isto não é de difícil compreensão, já que S. Agostinho dizia: “A Virgem Maria é o caminho que Jesus serviu para vir até nós, e também é o caminho que devemos servir para ir até Ele”. Muitos não entendem esta afirmação, pois dizem que nas Sagradas Escrituras o próprio Jesus disse em João 14, 6: “Eu sou o caminho a verdade e a vida, ninguém vai ao Pai se não por mim”. Esta afirmação está correta, porém Jesus disse que é o caminho que leva ao Pai, e S. Boaventura disse que “Maria é o caminho que leva a Jesus”. E diante deste abismo de misericórdia divino, Deus nos presenteou a Virgem Maria como a porta do céu. Quem compreendeu bem isto foi S.Cura d’Ars, que escrevia : “para entrar em um prédio precisamos passar pelo porteiro; para entrar no céu precisamos passar por Maria”.
Não apenas S. Boaventura, mas inúmeros santos que colocaram a sua esperança na Santa Mãe de Deus, como S. Ambrósio, que dizia: “abre-nos, Senhora, as portas do céu, já que tu tens a chave:” E S. Boaventura confirma-nos: “A todos os que confiam na proteção de Maria, ser-lhes-ão abertas as portas do céu”. É claro que ao lermos isto não vamos ficar como católicos parasitas, sem esforço algum, pensando que a Virgem fará tudo. É claro que não, pois S. Felipe Neri dizia: “O paraíso não foi feito para os preguiçosos”; e também: “Quem não procura salvar-se é um louco”. E em cima disto, escreveu: “quem não procura Maria para salvar-se é um louco”. Neste momento que escrevo, vejo uma imagem de dois carros em uma pista, um fusca branco e uma Ferrari vermelha, para apostarem uma corrida a um determinado rumo. É claro que, se eu perguntar a você, querido leitor, se fosse você a ser escolhido para esta prova, e tivesse a oportunidade de escolher o carro, a sua resposta seria clara e objetiva: você pegaria a Ferrari e concluiria a vitória. E nesta vida, em que corremos neste vale de lagrimas, corremos juntos a Virgem para que nos dê a vitória e nos leve a possuir a coroa da Glória Eterna. E isto que acabo de escrever é algo parecido com a visão de Frei Leão, que certa vez, como de costume, foi levar flores ao túmulo de S.Francisco de Assis, e enquanto depositava as flores no túmulo, meditava sobre as verdades eternas. Porém acabou adormecendo e teve uma visão do Dia do Juízo. Viu que de uma janela do Céu aparecia Jesus acompanhado de S. Francisco. Fizeram descer uma escada vermelha, que tinha os degraus muito compridos, de tal maneira que era impossível subir por ela. Todos peregrinos tentavam e pouquíssimos conseguiam subir. Passado certo tempo, subiu um clamor da terra ao Céu e viu-se abrir outra janela, na qual apareciam novamente Jesus e S. Francisco, mas também a Virgem Maria ao lado do Senhor. Então lançaram outra escada, desta vez branca e com os degraus mais curtos. E os peregrinos, com imensa alegria, subiam. Quando alguém se sentia fraco, a Santíssima Virgem animava-o chamando pelo nome e enviando anjos para ajudá-lo. E assim foram subindo, um atrás do outro. E é para você, peregrino, que luta pela santidade, que anseia pelo céu. Este é o caminho mais curto e fácil que nos leva a sermos santos, pois o bem aventurado José Alamano nos ensinara: “Procurar a santidade sem Maria é como tentar voar sem asas”.
E é voando nestas asas da liberdade da vida santa, buscando as coisas do alto aonde a Virgem nos ensina olhar que lhe escrevo para que reavive a esperança. Exortando-lhe a saber que você não é órfão, mas tem uma Santa Mãe Medianeira de todas as graças, capaz de lhe acumular das graças da santidade e emenda de pecados, pois como dizia S. Agostinho: “Maria é a esperança dos pecadores”. É a você que escrevo, para que com determinação se consagre à Virgem Maria, sendo fiel ao Rosário, à ponte que te salva, e lutar com a esperança dos Santos, que no derradeiro momento o socorro materno da Virgem Maria virá ao teu encontro e te levará pelas mãos para ser recebido por Seu Filho, Jesus, pois para entrar no céu terás que passar por uma porta e esta porta é Maria, sua Mãe que te ama, e que disse em Fátima: “Muitas almas vão ao inferno. Para salvá-las, meu filho, terás que estabelecer no mundo a devoção ao meu Imaculado Coração”. E você, que acaba de ler este texto, está sendo vocacionado a se consagrar a este Coração que tanto o ama e que ao seu lado, por toda eternidade, quer estar.  
Frases para meditar:
“Ser vosso devoto, ó Virgem Maria, é uma graça que o Senhor concede àqueles que Ele
quer salvar”. (S.João Damasceno).
“Todo aquele que é assinalado pela devoção à Virgem Maria, seu nome será assinalado no livro da vida (S. Boa Ventura)”
“Quem ama Nossa Senhora pode estar tão certo do paraíso, como se nele já estivesse”. (S.Afonso).

 “Oh, Maria: tendes o poder de restituir a salvação até aos mais desesperados”; (S.Pedro Damião).

Oração: Ó Virgem Imaculada, sendo eu pecador, pequeno e sem forças, recorro ao Vosso Auxílio, Arca da Salvação, para que consagrado a Ti, ó Mãe, seja alvo de Sua Misericórdia Materna, e por seus merecimentos, seja levado ao Paraíso Celeste, para estar face a face com a Trindade Santa, e adorá-la por toda eternidade. Amém.



Nossa Senhora do Rosário de Fátima .
Rogai por nos.


Autor: Anderson Luiz dos Reiz, (Fundador da equipe missionária Regina Apostolorum).

0 comentários:

Postar um comentário