30 de ago de 2010

Artigo do Padre José do Vale: Aos Jovens

“Ninguém despreze a tua mocidade; mas sê um exemplo para os fiéis na palavra, no procedimento, no amor, na fé, na pureza.” (1Tm 4,12).
Num mundo em que tantos andam solitários, sem saber para onde estão indo, é legal saber para onde estamos indo, para que existimos e porque somos amados com um amor eterno.
Muitos não sabem, mas, milhões de jovens até se suicidam por não encontrarem um motivo maior para viver. Dizem às pesquisas que, nos EUA, são 500 mil por ano. Cerca de 34 mil pessoas cometeram suicídio em 2003 no Japão. O expressivo número, apesar de não ser o maior do mundo, conforme dados divulgados pela OMS (Organização Mundial da Saúde), traduz uma porcentagem de 24,1 suicidas em cada grupo de cem mil habitantes. O número de suicidas sempre foi bastante alto no Japão. Anualmente, os Estados Unidos, por exemplo, contabilizam o mesmo número de seus suicidas. Eles contam, porém, com o dobro da população do país asiático.
Pesquisadores sobre a situação social da juventude estimam que, há mais de vinte anos – no mínimo – os jovens japoneses revoltam-se contra o modelo eficientista da sociedade nipônica. As respostas tradicionais (profissionalismo exasperado, excelentes resultados acadêmicos e a luta pela concorrida profissão) não satisfazem mais as novas gerações. Elas escolhem outras vias; algumas são extremas, como a adesão as drogas, as seitas violentas ou a opção pelo suicídio.
Isso é trágico e muito triste, pois a vida tem um sentido maravilhoso, e existem mil razões para amá-la com alegria. Cristo é o real sentido para vida e vida com abundância.
Por que eu existo e para que vivo? O que fazer e como viver? São perguntas importantes e sempre renovadas particularmente pelos jovens.
Na busca necessária de uma resposta definitiva, conhecemos uma preciosa indicação do próprio Deus que nos criou e que é essencial para acharmos o que procuramos:“antes que fosses Eu (Deus) pensei em ti, antes mesmo de existires, Eu te amei com amor eterno” (Jr 1,5;31,3). Essas palavras divinas são um conforto e um constante estímulo para os jovens e para todos nós. Elas nos falam de um chamado, nos atestam uma escolha, nos revelam um inaudito mistério de amor e nos afirmam que somos convocados à vida para viver e comunicar uma história de amor - única e irrepetível - para partilhar o mistério da vida e do amor. Não somos um acaso um descuido, um acidente e muito menos uma anomalia. Muito ao contrário, somos todos parte de uma harmonia universal consciente. Somos “notas” de uma sinfonia de amor perene. Somos canções compondo a canção total e plena do Divino Compositor.
Escreve o bispo da diocese de Barra do Piraí/Volta Redonda dom João Maria Messi,OSM:“É necessário que o jovem testemunhe sua fé não apenas no momento em que exerce a função de ministro, mas em toda a sua vida”. (Revista Católicos edição n.01,p.7).
Queridos jovens, o melhor de todos os encontros é quando Jesus é o centro das atenções. Cristo ama tremendamente vocês. Recebe esse amor fortemente.
A vida de um jovem só tem sentido quando ele conversa com Jesus e vive para o amor de Deus.
“... Jovens, eu vos escrevi, porque sois fortes e a palavra de Deus permanece em vós, e tende vencido o maligno”. (I João 2.14).

Pe. Inácio José do Vale
Professor de História da Igreja
Pregador de Retiros Espirituais
Especialista em Ciência Social da Religião
E-mail: pe.inaciojose.osbm@hotmail.com

1 comentários:

  1. É muito triste ver tantos jovens sem ideal de vida, seja ela humana ou espiritual. Urge o tempo de jovens que estudem e consagrem a Deus vossas vidas, pois assim serão, como diz o Anderson Fundador da Missão, "bombas atômicas" nas mãos de Deus. Juventude, Deus precisa de suas faculdades intelectuais e vossas forças para lutar em favor de seu Reino, que não terá fim!
    Deus abençoe e Salve Maria!
    Rafael (Membro da E.M. Regina Apostolorum - Brasília-DF).

    ResponderExcluir