26 de set de 2010

EMF Milão 2012 "A família: O trabalho e a festa": Reflexão do Papa Bento XVI

.- O Cardeal Ennio Antonelli, Presidente do Pontifício Conselho para a Família, apresentou este meio-dia no Escritório de Imprensa da Santa Sé a Carta do Papa Bento XVI para o VII Encontro Mundial das Famílias Milão 2012, na que o Santo Padre faz uma reflexão sobre o tema do mesmo "A família: o trabalho e a festa".

"O trabalho e a festa –escreve o Papa na carta– estão intimamente relacionados com avida das famílias: afetam as decisões, têm influência nas relações entre os cônjuges e entre pais e filhos, incidem na relação entre a família e a sociedade e a Igreja".

O Santo Padre ressalta que "hoje em dia, por desgraça, a organização do trabalho, desenhada e posta em prática em função da competição do mercado e do máximo ganho, e o conceito da festa como oportunidade para a evasão e o consumo, contribuem à desagregação da família e a comunidade e a difundir um estilo de vida individualista".

"Por isso –continua–, é necessário promover uma reflexão e um compromisso para conciliar as exigências e os tempos do trabalho com os da família e a recuperar o verdadeiro sentido da festa, especialmente do domingo, páscoa semanal, dia do Senhor e dia do homem, dia da família, da comunidade e da solidariedade".

O Papa escreve que "o próximo Encontro Mundial das Famílias é uma ocasião privilegiada para voltar a expor o trabalho e a festa na perspectiva de uma família unida e aberta à vida, bem integrada na sociedade e na Igreja, atenta contra a qualidade das relações e a economia do núcleo familiar".

Seguidamente o Santo Padre expressa seu desejo de que "já no ano 2011, 30° aniversário da exortação apostólica ‘Familiaris consortio’" de João Paulo II, "’carta magna’ da pastoral familiar, comece um itinerário com iniciativas em nível paroquial, diocesano e nacional, com o fim de destacar as experiências de trabalho e de festa em seus aspectos mais reais e positivos, com especial insistência na incidência sobre a experiência de vida concreta das famílias".

Ao final da carta, o Santo Padre assinala que o VII Encontro Mundial, "igual que os anteriores, durará cinco dias e culminará no sábado de noite com a ‘Festa dos testemunhos’ e a manhã do domingo com a missa solene. Nestas duas celebrações, que presidirei, reuniremo-nos como ‘família de famílias’".

Comentando o tema da carta, o Cardeal Antonelli se referiu aos problemas que afetam a família e advertiu que "se privatiza e se reduz a um lugar de afetos e de gratificação individual; não recebe o adequado apoio cultural, jurídico, econômico e político; sofre o oneroso condicionamento de dinâmicas desintegrantes complexas, entre as que têm uma influência significativa a organização do trabalho e o declive da festa ao "tempo livre".

Neste sentido, sublinhou que o tema do Encontro de Milão "pode supor uma importante contribuição à defesa e promoção dos valores humanos autênticos no mundo atual, começando por novos estilos de vida familiar".

Na roda de imprensa de apresentação também participaram o Bispo Jean Laffitte, Dom Carlos Simón Vázquez e o Pe. Gianfranco Grieco, respectivamente secretário, subsecretário e chefe de escritório do Pontifício Conselho para a Família; o Bispo Auxiliar de Milão, Dom Erminio Do Scalzi, delegado do Cardeal Arcebispo Dionigi Tettamanzi para a organização do Encontro e Davide Milani, responsável pelas comunicações sociais desta arquidiocese.

0 comentários:

Postar um comentário