16 de nov de 2010

Um gado monitorado

Há anos que se fala sobre a implatação de um tal chip, que seria uma espécie de identificador geral do ser humano. Assim como é feito nos animais, especialmente em gado ou animais em extinção, neste chip haveria todos os dados do ser humano. Todos mesmo! Desde o tipo sanguíneo até o número da conta bancária. Até para alarmes de patrimônio ele pode ser usado. Acabou aquele papo de cartão pra isso, carteira para aquilo. Algo como tornar o ser humano um GPS ambulante.

O pretexto para a criação do chip, além de ajudar ao meio ambiente - pois serão inúmeras árvores a menos derrubadas, por exemplo - é para o monitoramente de pessoas. E isso é um abuso à liberdade alheia. Explico.

Os criadores dos chips querem passar a ideia de "tranquilidade", de "serviço social" à sociedade. Os chips já são usados, por exemplo, em carcerárias com presos em regime de segurança máxima. Há casos em que são usados, também, em pacientes em tratamento de alguma doença e que estão sob pesquisas universitárias, a fim de que os pesquisadores acompanhem a evolução do tratamente. Porém, a desculpa mais esfarrapada que há na implantação do chip é usá-lo para auxiliar pais e filhos em seus monitoramentos.

Sim, é pretexto, porque, a bem da verdade, o interesse da implantação deste objeto é fazer com que a população seja monitorada pelo Governo. Assim como o fazendeiro controla seu gado, tal qual o Governo governará, tim-tim por tim-tim, os passos de cada cidadão brasileiro. Aí sim passaremos de meros votantes a gado monitorado.

Um verdadeiro Big Brother deste Admirável Gado Novo!

Clique aqui e assista à entrevista dada à Ana Maria Braga por um Engenheiro brasileiro que explica direitinho como os poderosos deste mundo querem nos controlar tal qual a um bizerrinho. Depois, reflita sobre o rumo em que estamos. Não é passado a hora de refletirmos sobre o que a Virgem nos alertou em Fátima?

Pax.

0 comentários:

Postar um comentário