21 de fev de 2011

Coisas que fazem rir... Ou seria melhor chorar?


Por Don Henrique,


Recentemente cerca de 145 teólogos de língua alemã tornaram público um manifesto em que pedem uma reforma na Igreja para superar a crise de fé e de frieza de tantos católicos. A proposta inclui o fim do celibato obrigatório, a ordenação de mulheres, uma mudança na avaliação dos pares homossexuais por parte da Igreja, a admissão à comunhão dos casais em segunda união, etc.

Agora os jesuítas norte-americanos defendem uma fórmula para superar o problema dos bancos das igrejas ficando vazios nos países de língua inglesa: fazer que metade dos conselheiros dos bispos nas dioceses sejam leigos, reduzir a 100 o número de cardeais e criar um conselho internacional de leigos composto por 100 membros, que atuaria ao lado dos cardeais, que ajudariam a aconselhar o papa e elegeriam seu sucessor.

Pensando em tais propostas, eu fico imaginando a cabeça dessa gente! Que diploma de teologia perdido, o desse pessoal! Que vida cristã mais vazia! Como é que existe alguém capaz de pensar que bobagens como essas podem ser solução para alguma coisa na vida da Igreja? O mundo, as pessoas, pouco estão ligando para essas tolices! Interessante que os movimentos e congregações fieis ao Evangelho, à doutrina da Igreja e ao Papa, estão cheios de membros animados e vigorosos...

O que enche os bancos das igrejas? Jesus! Jesus pregado com plena fidelidade ao Evangelho e à fé da Igreja! O que enche os bancos das igrejas? Bispos, padres e leigos santos, religiosos que sejam religiosos, que tenham religião! O que enche os bancos das igrejas? Cristãos que acreditem no que creem, deixem de falar bobagens, desistam de namorar com o mundo, deixem de criticar a própria Igreja e cuidam de amar Jesus e, com humildade, santidade e coerência, preguem o Evangelho com todas as suas exigências! O que enche os bancos das igrejas? Mas, espere um momento! E encher banco de igreja deveria mesmo ser a nossa preocupação? Que encher banco de igreja que nada! Nossa preocupação deve ser a fidelidade ao Senhor, à fé apostólica, às exigências do Evangelho. O resto é secundário, é acréscimo, é conseqüência!

Quanto a esses senhores, dão pena! São de fazer rir... Rir, não: chorar!

Fonte: http://costa_hs.blog.uol.com.br/

2 comentários:

  1. Jesus, vejo onde começa o problema, nessas antas (Como diria Pe. Léo) esse povo nem católico devia ser chamado, só olhar a vida dos Santos que temos a solução para todo o "problema"!

    ResponderExcluir
  2. Que horror. Que dias dificeis a gente está vivendo, mas as portas do inferno não vão prevalece contra a igreja, não, nunca. Jesus está conosco.

    ResponderExcluir