4 de jun de 2011

Mês de Junho - 4º dia

Coração Filial



Jesus é o filho de Deus e de Maria. É Deus Filho, gerado pelo Pai desde a eternidade. É Deus Filho do homem (cf. Lc 6,22), gerado por Maria Virgem no tempo.
O coração de Jesus é o coração perfeito do filho que tem um Pai e uma Mãe para amar.
Quem poderá imaginar a ternura e a delicadeza, a imensidão e a intensidade do amor filial de Jesus pelo Seu Pai: "Abba" (Gl 4,6) e pela sua Mãe, Maria?
Aos doze anos, quando Se perdeu e foi achado no Templo, Jesus pronunciou as primeiras palavras que os Evangelhos nos relatam, dizendo a Maria e a José: "Não sabeis que Eu devo cuidar das coisas de meu Pai?" (Lc 2,49).
Os intereses primários de Jesus são aqueles do Pai. Todo filho deve viver pelo amor do Pai, em perene círculo vital, que tem sua raiz na geração. Aquele que nos transmite a vida deve ter o primeiro lugar não só cronológico, mas também psicológico na vida do homem.
Jesus demonstra este círculo de amor com o Pai duma maneira indescritível. Nos Evangelhos fala do Pai mais de 150 vezes. O chama com doçura e dignidade: "Pai meu" (cf. Jo 8,54), "vive e opera pela sua glória" (cf. Jo 8,49), é todo um com Ele: "Eu e o Pai somos um" (cf. Jo 10,30), as últimas palavras antes de morrer são dirigidas ainda ao Pai com o grito final: "Pai, em Tuas mãos eu entrego o meu espírito" (cf. Lc 23,46).
Para com a sua Mãe, Maria, Jesus não é menos pródigo de amor. Se todo filho quer o bem da mãe. Jesus demonstrou o Seu bem por Maria de maneira divina e portentosa. Jesus tornou sua mãe Imaculada, sempre Virgem, Esposa do Espírito Santo, Medianeira, Co-Redentora, Mãe universal, Assunta em corpo e alma ao céu, Rainha do céu e da terra.
Podia o Coração de Jesus fazer mais? Poderia um filho amar ainda mais a própria mãe? E Se nos deu este exemplo, como poderia não desejar que nós também a amássemos Nossa Senhora com todas as nossas forças? Não exagera Santa Margarida Alacoque quando chega a dizer que "nenhum ato de culto é mais agradável a Deus quando honramos a Sua Mãe". E ainda, a cada alma, dizia: "Sejais em tudo verdadeiros filhos de Maria e a Virgem vos tornará perfeitos discípulos do Sagrado Coração". O amor filial a Maria leva sempre e rapidamente a Jesus. Se Maximiliano Maria Kolbe afirma com decisão: "A Imaculada é aquela escada que nos conduz ao Sagrado Coração de Jesus. E aquele que remove esta escada não subirá às alturas, mas precipitará na terra".


Coração insensível


Nós também somos filhos de Jesus e de Maria. Nós também temos um coração de filhos. Mas de que modo nos mostramos filhos carinhos e sensíveis para com Deus e para com Maria?
No Evangelho Jesus narrou a mais esplêndida parábola sobre a figura do 'filho pródigo' (Lc 15,11-32). Este filho de coração insensível ao amor paterno, indiferente ao sofrimento que magoa o coração do pai, este filho que prefere bater a porta de casa e abandonar amoradia paterna para se perder nos imundos prazeres da carne; este filho que à convivência com quem o ama e protege, prefere a companhia de quem o desfruta sem limites; este filho de coração duro e fechado ao amor, não sou talvez eu mesmo?
O que foram e o que são os meus pecados se não ofensas e feridas ao Coração de Deus e da Mãe Celeste?
Até o nosso comportamente para com os nossos pais não é o melhor. Muitos se fala do problema de relação entre pais e filhos. Mas este problema existe somente quando o coração está vazio de amor.
Na Rússia, em Moscou, existe um monumento erguido a um jovem, Pavlik Morosov, e uma rua em sua homenagem. Por que? Porque o jovem denunciou aos chefes do partido comunista os próprios pais que eram contrários à coletivização. Os pais foram presos e fuzilados. Ao rapaz, ergueram um monumento.
Quando no coração existe ódio e egoísmo, só podemos esperar egoísmo e ódio até para com os próprios pais.
São Tomás Morus, Chanceler da Inglaterra, quando jovem, e depois, quando pai de família, antes de sair de casa, pedia bênção ao pai idoso. São Pio X usou até a morte um velho relógio de níquel, lembrança de sua santa mãe. Um dia, um Arcebispo, vendo aquele pobre relógio, ofereceu ao Pontífice um precioso relógio de ouro, pedindo-lhe aceitá-lo em troca. "Oh, não! Jamais! - Respondeu o Papa - Este relógio pertencia à minha mãe e assinalou na hora de sua morte. Eu o conservarei sempre com estima".
O amor filial a Deus, "Pai Nosso" (Mt 6,9), a Maria, nossa Mãe (Jo 19,27), ao Vigário de Cristo, aos nossos pais, Sacerdotes que santificam as nossas almas com os sacramentos: em síntese, o amor Filial do Coração de Jesus seja a fonte do nosso amor filial.


Propósitos


- Rezar pelos pais e tratá-los com particular afeto.
- Rezar as seguintes orações (clique aqui).

0 comentários:

Postar um comentário