5 de jun de 2011

Mês de junho - 5º dia

Coração Manso



A mansidão é a virtude dos fortos. Só uma índole forte pode conservar-se doce e mansa, de frente aos maus tratos e ofensas. É necessária uma grande força de alma para não reagir contra um provocador para não devolver com a mesma moeda quem utiliza modos odiosos e violentos.
São Jerônimo diz: "É manso o homem que não se deixa dominar pelo mau humor e pela ira, que aceita com igualdade de ânimo as várias vicissitudes da vida, que não provoca nem se mostra provocado".
A mansidão é, pois, referida particularmente ao coração. "possui um coração manso" diz-se de uma pessoa que inspira benevolência. "É duro de coração", se diz de quem mostra dureza no trato e nas palavras.
O coração de Jesus, quanta mansidão revela! Ele mesmo pode dizer: "Aprendei de mim, que sou manso e humilde de coração" (Mt 11, 29). Sempre igual a si mesmo em sua soberana calma, Ele vive pobre, rejeitado, incompreendido, perseguido. Cumpre o bem com as suas mãos prodigiosas e é acusado de ter um demônio (cf. Jo 8,48). Cura os doentes, converte os pecadores, salva a adúltera do apedrejamento, consola as irmãs Marta e Maria, ressuscitando Lázaro da Morte e os judeus "querem dar-Lhe amorte" (cf. Jo 11,53).
Que dizer da calma de Jesus durante a sua Paixão e Morte? A mais linda e verdadeira imagem é aquela do cordeiro com o qual Jesus é comparado: "Era como um manso cordeiro conduzido ao matadouro" (Jr 11, 19). O cordeiro observa com olhar manso e doce aquele que o mata. Jesus olhou do alto da cruz para nós, seus carrascos, e suplicou aos Pai, rezando: "Pai, perdoai-lhes, porque não sabem o que fazem!" (Lc 23,34).


Coração duro


Um coração manso é um coração de ouro.Quem o possui é bem disposto para com todos e dispõe bem os outros.
A mansidão foi a virtude que São Francisco de Sales quis conquistar com todas as forças, porque tinha certeza que se pegam mais moscas com uma gota de mel, do que com um barril de vinagre.
Esta é uma grande verdade que muitaas vezes esquecemos, prejudicando os outros e nós mesmos.
Quando os credores se apresentavam a São Camilo de Léllis, muitas vezes acontecia que não recebiam nada, pois o Santo nada tinha. Mas se desculpava por não poder pagar, com tanta mansidão e doçura, que eles iam embora consolados. Um deles, um dia, disse: "Eu vou embora consolado e sem o dinheiro!"...
"Bem aventurados os mansos - disse Jesus - porque possuirão a terra" (Mt 5,4). Quem é manso de coração conquista os corações dos irmãos. A mansidão anula o egoísmo, desarma toda paixão agressiva, acalma os temperamentos vivazes. Conquistá-las, que a graça e que riqueza.
O coração do homem, se sabe, é egoísta, e o egoísmo nos torna duros e agressivos frente aos obstáculos. Ceder, ser indulgente, preferir ao próprio interesse a concórdia e a paz, exige o sacrifício do egoísmo e até a renúncia às coisas boas.
Era mansa a Bem-Aventurada Anna Maria Taigi quando às vezes sabia renunciar até a Santa Missa e a Comunhão cotidiana a fim de evitar qualquer pretexto de desarmonia em família.
Era manso São Francisco de Sales, quando alguém dizia que circulavam vozes difamantes sobre ele, ele sabia responder com serenidade: "Não se dizem outras coisas de mim? Vejo que não sabem tudo e me creem melhor do que na verdade sou".
Não devia ser duro o coração de São Maximiliano Maria Kolbe, se os seus próprios confrades chegavam a chamá-lo de 'frei marmelada'.
Na vida de Santa Gertrudes se lê quem um dia a Santa, embora débil e sentindo-se mal, quis igualmente recitar a longa oração da manhã. Estava já a um bom ponto, quando outra monja se aproximou dela e lhe pediu de recitar com ela o ofício.
Sem nenhum sinal de cansaço, mas com doçura, a Santa recomeçou a recitar junto à religiosa. No dia seguinte, em uma visão, o Senhor lhe mostrou o tesouro que ela conquistou com aquele ato de caridade feito com tanta mansidão de coração.
Mas como é o nosso coração? Possui doçura, amor, mansidão para com todos? Até para quem nos maltrata e nos faz sofrer? Ou temos em nós aquela bruta dureza, filha do egoísmo, que nos leva a não ver os outros se não para se aproveitar e faz com que estejamos sempre prontos a atacar quem nos faz obstáculos aos nossos interesses?
Vejamos Jesus tão suave, doce, manso de coração. Ouçamos o seu convite: "Aprendei comigo". Ouçamos o Profeta, que nos repete: "Se ouvirdes a minha voz, não endureçais o vosso coração" (Sl 94,8). E que Deus não permita jamais que nos aconteça a pior desgraça: o endurecimento do coração. A essa altura, já estaríamos ligados à nossa ruína. "Abandonei-o à dureza do seu coração, para que seguisse a própria vontade" (cf. Sl 81, 13): assim diz o Espírito Santo.
Supliquemos a Jesus para que coloque o nosso coração sempre no Seu coração todo manso e docilidade.


Propósito:


- Tratar com particular doçura uma pessoa antipática;
- Rezar as seguintes orações (clique aqui).
.

0 comentários:

Postar um comentário