6 de jun de 2011

Mês de junho - 6º dia

Coração humilde


"Aprendei de mim, porque sou manso e humilde de coração" (Mt 11,29)



Se a humildade pode ser mais ou menos profunda, digamos logo que a profundidade da humildade de Jesus é sem medida. Até que ponto Jesus fui humilde, sabemos pela Fé que nos assegura a inexistência n'Ele da personalidade humana; sabemos disso pela história  que nos mostra Jesus sacrificado de modo infame sobre o lenho da cruz.
Jesus se humilhou tanto que tocou o fundo da degradação. "Escolhi ser anulado em mim" (Sl 83,11). E ninguém jamais se poderá comparar com Ele neste rebaixamento e desprezo de si.
O coração humilde, porém, mais cedo ou mais tarde cantará vitória e será exaltado. "A humilhação deixa atrás o soberbo, mas a glória irá ao encontro do humilde" (Pr 29,23). A humildade leva ao Paraíso. O orgulho precipitou Lúcifer e os Anjos rebeldes no Inferno.
São Francisco de Assis, a quem lhe perguntava porque Deus lhe tivesse dado tantos dons extraordinários, respondia que eu se compraz em cumular de dons sobretudo os seres mais vis miseráveis. Deus exalta os humildes (Lc 1,52). Por isto São Francisco desejava que os seus frades se chamassem 'menores', para que fossem mais próximos de Deus.
O orgulho fecha as portas do Paraíso. A humildade as reabre. Santo Agostinho afirma que "as outras virtudes batem à porta do Coração de Deus; a humildade o abre." E acrescenta: "Queres chegar à altura de Deus? Abaixa-te antes à humildade de Deus. Olha a árvore: antes vai embaixo, para depois subir ao alto. Lança raízes profundas para elevar ao Céu o seu cume".
Jesus "Se anulou" (Fl 2,7) até à morte mais ignóbil, por isso Deus O exaltou e lhe doou "um nome que está acima de qualquer outro nome" (cf. Fl 2,7). Se seguimos Jesus em  humildade de coração, O seguiremos também na Sua glória sem igual.


Coração soberba


O coração do homem é soberbo, marcado pelo pecado original, que foi o pecado de louco orgulho. E se é verdade que a soberba é "princípio de todo pecado" (Eclo 10,13) podemos seriamente temer que "quando Deus permite ao soberbo realizar os seus desígnios, lhe permite escava a própria cova", como diz Santo Agostinho.
Narra São Jerônimo que quando Santo Ilarione via muita gente correr a ele pela reputação dos milagres que operava, se afligia profundamente, dizendo: "Temo que Deus me queira pagar nesta vida aqueles poucos serviço que lhe procuro render".
Quando São Pio X soube que se pretendia colocar placas em sua honra em Veneza, em Riese, em Treviso, se apressou em exprimir o seu desprazer e o seu desacordo com tais projetos. Uma vez escreveu assim aos Cônegos da Catedral de Treviso: "Se os reverendíssimos cônegos da Catedral de Treviso, querem fazer prazer ao Santo Padre, se lembrem particularmente dele na Santa Missa, mas abandonem a intenção de fazer-me uma placa".
Com este comentário sobre tal homenagem, São Pio X exprimia uma grande verdade. A soberba é uma peste morta. É uma placa na alma: atinge, arruína, mata. Destrói todo o bem. "Ela sozinha entre todos osvícios - diz São Bernardo - faz a guerra com todas as virtudes, e como veneno universal, as corrompe todas".
A humildade, ao contrário, é a garantia de todas as virtudes. O Santo Cura d'Ars usava uma maravilhosa imagem dizendo que "a humildade é para as outras virtudes o que é a corrente para as contas do Rosário. Tirai a corrente e as contas caem; tirai a humildade e as virtudes desaparecerão".
O coração do homem, se não se livra do orgulho, será cheio de miséria, porque "Deus resiste aos soberbos, mas dá sua graça aos humildes" (Tg 4,6). E São Bernardo explica que "como o vaso não se enche se não abaixando-o à fonte, assim a alma não se inunda de Deus se não abaixando-se ao próprio nada". São Francisco de Assis, por exemplo, se transfigurou até se tornar "todo seráfico em ardor", depois de se ter reduzido a um maltrapilho insensato aos olhos de todos os seus conterrâneos.
A soberba do coração é verdadeira insensatez. São Paulo grita fortemente: "O que possuis, homem, que não tenhas recebido? E se o recebeste, por que te glorias, como se não o tenhas recebido?" (I Cor 4,7).
No entanto, o nosso coração é tão pronto a ser soberbo daquilo que não é seu! O coração soberbo é um ladrão, e soberba é um vício traidor que arruina todo o bem posto por Deus no homem. Basta lembrar Adão e Eva assim traído pela soberba de querer ser "como Deus". (Gn 3,5).
Santa Margarida Maria Alacoque se tornou predileta do Sagrado Coração de Jesus pela sua ciente humildade e minoridade a Jesus. Ele mesmo lhe falou diso em sua primeira aparição: "Eu a escolhi como um abismo de indignidade e ignorância". E ela ficava muito contente quando caminhava entre continuadas humilhações.
Pobres de nós que usamos todos os artifícios para evitar até a menor humilhação. O coração humilhíssimo de Jesus queira livrar o nosso coração de todo sentimento de orgulho, e enriquecê-lo de sua doce humildade.


Propósito:

- Rezar a invocação: "Jesus, doce e humilde de coração, fazei o nosso coração semelhante ao vosso. Fazei-nos viver o amor e a reconciliação".

- Rezar as seguintes orações: (clique aqui).

0 comentários:

Postar um comentário