5 de ago de 2011

“Um novo anúncio para a fé de sempre”, diz Fisichella,presidente do Pontifício Conselho para a Nova Evangelização.


Fonte: Canção Nova

O Papa, preocupado com a perda dos valores da fé nos países de antiga tradição cristã do Ocidente, criou um novo dicastério e convocou um Sinodo para os bispos que abordará o tema da Nova Evangelização, em 2012. O presidente do organismo Vaticano ,nessa entrevista, também falou das iniciativas deste Pontificio Conselho que visa transmitir a fé com uma linguagem nova e direta.

Missão Metrópoles 2012, o Evento com representantes dos movimentos e associações que já trabalham com a nova evangelização que acontecerá em outubro deste ano.Como se desenvolverão estas primeiras iniciativas do Pontifício Conselho para a Nova Evangelização?

Dom Rino Fisichella - Estes são os primeiros passos do Pontifício Conselho para a Nova Evangelização. Estas são as primeiras iniciativas e teremos outras iniciativas que serão desenvolvidas no futuro. Estas são as primeiras com as quais queremos dar os primeiros sinais. O primeiro sinal é que a Nova Evangelização já começou a acontecer há muitos anos. Por 27 anos, o Papa João Paulo II falou de nova evangelização. E tantos jovens acreditaram no seu convite e realizaram em diversos modos e com tantos instrumentos a nova evangelização.


Nós queremos dar nos dias 15 e 16 de outubro, onde se realizará o encontro das realidades eclesiais que trabalham com a Nova Evangelização, um sinal de que isto já está se verificando na Igreja. Queremos que o Papa Bento XVI, conheça os representantes desta grande realidade. È uma graça que se move em vários continentes, na América Latina, América do Norte, Europa, Austrália e Filipinas. São várias realidades que trabalham para o anúncio do Evangelho.

Tem uma outra iniciativa muito importante que se concretizará na Quaresma de 2012. Simbolicamente, começaremos com 12 grande metrópoles da Europa, como 12 eram os apóstolos; 12 metrópoles darão um sinal para a Europa desta nova evangelização. A catedral se tornará de novo o coração da evangelização. Não esqueçamos o valor que a catedral sempre teve. A catedral era chamada “A Bíblia dos pobres” porque ali tudo era dito. Dentro da Catedral, se anunciará de novo a Palavra de Deus. Teremos a leitura continuada do Evangelho de Marcos e depois o bispo local, a figura do primeiro evangelizador, dará catequeses.

A Igreja que é mãe e gera novos filhos, acolhe aqueles que estão longe. Ali todos poderão recorrer ao sacramento da reconciliação, afim que este possam se sentir acolhidos e amados. E não é só isso. Teremos espaço para aqueles que estão procurando um sentido para suas vidas e para atender à estas pessoas, estarão sendo lidas de forma continuada, as confissões de Santo Agostinho, o grande santo, cujo ensinamento ainda é atual nos nossos dias. Enfim, um sinal da caridade. Não existe um verdadeiro anúncio do Evangelho se ele não é pregado e vivido no testemunho da caridade. Estes são os primeiros sinais. Outros virão, mas para o momento, queremos também sustentar aqueles que já trabalham pela nova evangelização.

Sobre o Sínodo dos Bispos para a Nova Evangelização que acontecerá em 2012. O Senhor tem algum novidade que possa nos adiantar?

Dom Rino Fisichella - Em outubro de 2012 teremos o Sínodo para a Nova evangelização e transmissão da fé, que foi convocado pelo papa. Como podemos notar, os dois elementos estão juntos: fé e nova evangelização. Um novo anúncio para que a fé de sempre, possa ser anunciada, vivida e pregada em maneira digna do homem contemporâneo. Eu acredito que neste primeiro momento devemos discutir o tema em todas as realidades eclesiais, nas dioceses, paroquias, movimentos, associações e tambem nas casas de casa cristão. A secretaria do Sínodo dos Bispos já colocou a disposição a Lineamenta, isto é, uma base de discussão, de debate.

No próximo mês de novembro, já será elaborado o Instrumentum Laboris, um documento que os bispos terão nas mãos para discutir e questionar com mais propriedade as questões relativas à nova evangelização. Depois disto, resta só esperar o próprio Sínodo. No momento, estamos em fase de discussão, onde os cristãos tomarão consciência daquilo que será discutido no Sínodo.

Como os meios de comunicação católicos poderão ser um auxílio para a Nova Evangelização?


Isto é muito importante. È minha intenção estudar um encontro com todos aqueles que operam nos meios de comunicação, para leva-los a compreender a importância dupla do trabalho que fazem, a importância de quantos são os profissionais da nova evangelização, jornalistas, cronistas, diretores e cinegrafistas. Quero que eles tenham consciência que tambem no trabalho, na profissão, devemos ser capazes de exprimir a fé e de levar a nossa contribuição para este ambiente de comunicação. Depois, existem os instrumentos de comunicação.

Devemos ser capazes de utilizar de maneira justa estes intrumentos porque hoje existem as linguagens novas, que as novas gerações utilizam. Mas seria ilusório pensar trata-se somente de uma nova linguagem. Nós estamos diante de uma nova cultura. Os meios de comunicação são a cultura destas próximas décadas, são a cultura que provavelmente será mais forte no futuro. É necessário que entremos nesta nova cultura, a comprendamos, a expliquemos e sejamos capazes de fazê-la nossa cultura, onde os instrumentos positivos, nos possibilitarão de coloca-la a serviço do Evangelho.

Fonte: http://www.comshalom.org

0 comentários:

Postar um comentário