22 de fev de 2012

Ainda veremos o fim ao aborto nos EUA, diz Eduardo Verástegui

O famoso ator, produtor e ativista pró-vida mexicano, Eduardo Verástegui afirmou que “ainda veremos a regeneração e o fim do aborto neste país" (Estados Unidos), em uma recente conferência em Denver, Colorado.

No evento realizado no Centro Gravidez Lighthouse, Verástegui, que voltou recentemente à fé católica, após uma vida de excessos no show business, se referiu à abertura do Medical Center, em Guadalupe Los Angeles, que ele mesmo ajudou a fundar, como um "oásis de vida", dado que se encontra perto de 10 clínicas de aborto.

Sobre seu trabalho como ativista pró-vida, o também produtor e estrela do filme "Bella", explicou que o trabalho desse lugar é "salvar o mais importante e aquilo que Deus mais ama que é a vida humana."

"A coisa mais impressionante é que ao entrar no centro (as grávidas) já não se sentem sozinhas, porque existem muitos voluntários, muitas pessoas que estão lá para apoiá-las", acrescentou

Verástegui também se alegrou muito quando soube que o Centro Gravidez Lighthouse procura abrir um centro semelhante em Los Angeles, perto da segunda maior clínica de aborto Planned Parenthood dos Estados Unidos

"Eu me emociono muito por sabê-lo porque eles estão fazendo aqui o mesmo que nós fazemos. Realmente é a melhor maneira de derrotar esta cultura da morte e transformá-la em uma cultura da vida", disse ele.

Eduardo Verástegui também se referiu ao trabalho do Metanoia Films, que fundou com dois amigos: Leo Severino e Alejandro Monteverde, que também se coverteram logo após de vários anos na mídia.

Metanoia é uma palavra grega que significa "mudança de mente" ou "conversão". Além de Bella, o plano para filmar o curta-metragem "Little Boy", que "visa incentivar os jovens a não apenas se divertir, mas viver de acordo com a 'lista'" (das obras de misericórdia).

Verástegui também mostrou seu filme "Crescendo", que conta a história de uma mãe lutando com a idéia de abortar seu filho. O filme estará em breve disponível na Internet.

0 comentários:

Postar um comentário