4 de jul de 2012

Virada Radical da juventude católica, em Mato Grosso


Virada Radical da juventude católica, em Mato Grosso


Aconteceu neste último fim de semana (dias 29 e 30 de junho e 1º de julho), na paróquia Cristo Rei, cidade de Várzea Grande, o retiro Virada Radical. O evento, promovido pela missão Enchei-vos, reuniu cerca de 300 jovens, e contou com a presença mais que especial do missionário Anderson Luis dos Reis, do apostolado Equipe de Escritores Rainha dos Apóstolos. Conhecido em todo o país, Anderson já pregou inclusive na comunidade Canção Nova, em Cachoeira Paulista. Várias de suas pregações estão disponíveis na Internet, dentre as quais destacamos uma sobre a Igreja, uma sobre a vida do Santo Padre Pio de Pietrelcina e outra de título “As três dimensões do amor”.
No primeiro dia de retiro, pouco tempo foi suficiente para revelar as maravilhas que Deus viria a manifestar durante todo o encontro. Isto porque ele começou com a bênção do padre Overland de Moraes, pároco da comunidade local – o mesmo que contou seu belíssimo testemunho de amor a Maria no último Consagra-te! Cuiabá. A seguir, o missionário Anderson dos Reis contou para os jovens ali reunidos o seu testemunho de vida. Para quem não conhece a sua história de conversão, vale a pena assistir à sua participação em uma edição antiga do programa PHN, na Canção Nova.
No sábado, o retiro teve continuidade com momentos de louvor e oração, que foram alternados com belas pregações. Cleide Costa, que, juntamente com seu esposo, Cristiano, é idealizadora da missão Enchei-vos aqui em Cuiabá, narrou a experiência milagrosa do amor na vida de sua família, restaurada pelo poder do Preciosíssimo Sangue de Cristo.
Sem dúvida, o dia mais especial de todo o encontro foi o domingo, dia do Senhor: pela manhã, uma pregação do Anderson sobre a Igreja, sobre a única Igreja fundada por nosso Senhor – una, santa, católica e apostólica, como professamos no Credo -; depois, outra pregação, esta abordando o tema do namoro santo, vivido na castidade, no sacrifício e na oração. Por fim, um momento maravilhoso de adoração ao Santíssimo Sacramento: a juventude prostrada diante de nosso Senhor! Diz-se que quem permanece de joelhos diante do Altíssimo fica de pé quando se depara com as tribulações quotidianas, com as cruzes do dia-a-dia… É verdade. Porque, fechado em si mesmo, esquecendo-se de reconhecer a majestade de Cristo e a Sua realeza, o homem nada pode. Ensina o Catecismo da Igreja Católica que “a adoração do Deus único liberta o homem de se fechar sobre si próprio, da escravidão do pecado e da idolatria do mundo” (§ 2097). Idolatria – ao contrário do que supõem muitos protestantes – não é simplesmente fazer uma imagem de barro, rendendo-lhe culto de latria (o que logicamente não é o ensinamento da Igreja Católica); adverte São Jerônimo que “o vício no coração é como um deus sobre o altar”, isto é, todas as vezes que, de alguma forma, pecamos, substituímos nosso Divino Redentor por um falso deus, por um “ídolo”. Todas as vezes que deixamos de amá-Lo “sobre todas as coisas” – como nos pede o primeiro mandamento -, estamos cometendo o pecado da idolatria, tentando servir a dois senhores – o que o Evangelho nos garante não ser possível (cf. Mt 6, 24).
Ainda no domingo, os jovens mostraram toda a sua força e vitalidade, em um momento de louvor conduzido pelo ministério de música da missão Enchei-vos.
Ah, e o mais importante: a Santa Missa! Após três dias de muito louvor e animação, uma hora de profundo recolhimento diante do altar do Senhor. Foi incrível. O Sacrifício foi celebrado com todo respeito e sacralidade: seis castiçais no altar, em arranjo beneditino; acólitos de batina e sobrepeliz; uso de turíbulo durante a celebração para incensar o altar, as ofertas, o padre, o povo e o Santíssimo; padre Overland usando uma bela casula romana vermelha; comunhão ministrada na boca e de joelhos; sem falar que o sinal-da-cruz e a doxologia foram rezadas pelo sacerdote na língua latina. Como se não bastasse, durante toda a celebração, o pe. Fábio Oliveira estava no confessionário atendendo confissões. Se pudesse existir algum lugar ou momento nesta terra que se assemelhasse ao ambiente celeste, este lugar era aquela igreja, este momento era aquela Missa.
Urge, agora, que mantenhamos crepitando em nosso coração a chama do Espírito Santo, que foi acesa durante este encontro fantástico. E que rezemos pela missão Enchei-vos, sempre mais, a fim de que insistam e persistam em seu árduo apostolado, buscando a glória de Deus, a edificação da Igreja e a salvação das almas.
Graça e paz.
Salve Maria Santíssima!
* * *
Em breve, disponibilizaremos imagens do encontro. ;)

1 comentários: