18 de ago de 2014

Para conhecer e amar a Igreja católica.



''Não há mais que uma centena de pessoas nos Estados Unidos que odeiam a Igreja Católica. Há milhões, no entanto, que odeiam o que erroneamente acreditam ser a Igreja Católica – e isto é, claramente, algo bem diferente.
Estes milhões dificilmente podem ser culpados por odiar católicos porque católicos ‘adoram imagens’; porque católicos ‘põem a Virgem Maria no mesmo nível que Deus’ por que eles falam que ‘indulgência é uma permissão para cometer pecado’; porque o Papa ‘é um fascista’; porque a ‘Igreja é uma defensora do capitalismo’.
Se a Igreja ensinasse ou acreditasse em qualquer uma dessas coisas ela deveria ser odiada, mas o fato é que a Igreja não acredita nem ensina nenhuma delas.Segue então que o ódio de milhões é direcionando contra o erro e não contra a verdade.Aliás, se nós católicos acreditássemos em todas as inverdades e mentiras que contam sobre a Igreja, nós provavelmente a odiaríamos mil vezes mais do que eles a odeiam.
Se eu não fosse um católico e estivesse buscando a verdadeira Igreja no mundo de hoje, eu iria procurar por aquela Igreja que não se dá bem com o mundo. Em outras palavras, eu procuraria pela Igreja que o mundo odeia.Minha razão para fazer isso seria que se Cristo estivesse em alguma das igrejas do mundo de hoje, Ele deveria ainda ser odiado como Ele foi odiado quando estava na terra em carne.
Se você deseja encontrar Cristo hoje, então encontre a Igreja que não se dá bem com o mundo. Procure pela Igreja que é odiado pelo mundo, assim como Cristo foi odiado pelo mundo. Procure pela Igreja que é acusada de estar atrasada no tempo, como Nosso Senhor foi acusado de ser um ignorante e de nunca ter aprendido.
Procure pela Igreja que os homens zombam por ser socialmente inferior, do mesmo modo que eles zombaram de Nosso Senhor por Ele ser de Nazaré.
Procure pela Igreja que é acusada de possuir o demônio, como Nosso Senhor foi acusado de estar possuído por Belzebu, o Príncipe dos demônios.
Procure pela Igreja que, em ocasiões de fanatismo,os homens dizem que deve ser destruída em nome Deus, do mesmo modo que os homens crucificaram Cristo pensando estar fazendo um serviço a Deus.
Procure pela Igreja que o mundo rejeita porque alega ser infalível, como Pitalos rejeitou Cristo porque Ele chamou a si mesmo de Verdade.
Procure pela Igreja que é rejeitada pelo mundo como Nosso Senhor foi rejeitado pelos homens.
Procure pela Igreja que, no meio de uma confusão de opiniões contrárias, possui membros que a amam como amam a Cristo, e que respeita sua voz como respeita a voz do seu Fundador, e sua suspeita irá crescer de que se a Igreja é tão impopular com o espírito desse mundo,é porque não é desse mundo, é do outro mundo.
E desde que é do outro mundo é infinitamente amada e infinitamente odiada como foi o próprio Cristo.
Mas apenas o que é divino pode ser infinitamente
odiado e infinitamente amado. Então a Igreja é Divina. Assim, se o ódio sobre a Igreja é fundado em crenças errôneas, segue que a necessidade básica do momento é instrução.
Amor depende de conhecimento, uma vez que não podemos aspirar nem desejar o desconhecido.
Nosso grande país é repleto daquilo que podemos chamar Cristãos marginais, isto é, aqueles que vivem à margem da religião e que são descendentes de pais Cristãos, mas que agora são Cristãos apenas no nome. Eles retém alguns dos ideais cristãos apenas por indolência ou por força do hábito; eles sabiam a gloriosa história do Cristianismo apenas através de certas formas retiradas dela, mas que se casaram com o espírito dos tempos e estão agora morrendo com ele. Sobre o Catolicismo e seus sacramentos, seu perdão, sua graça, sua certitude e sua paz, eles nada sabem exceto alguns preconceitos herdados. E ainda assim, eles são boas pessoas que querem fazer a coisa certa, mas que não têm uma filosofia definida sobre isso. Eles educam seus filhos longe da religião, mas ainda ressentem o compromisso moral de seus filhos. Eles ficam com raiva se você os dissesse que não são Cristãos, mas ainda assim eles não acreditam que Cristo é Deus. Eles ressentem-se aos serem chamados de pagãos e ainda assim eles nunca tomam um conhecimento prático da existência de Deus. Há apenas uma coisa sobre a qual eles estão certos:  de que as coisas não estão certas do modo como estão.
E é esta única certeza que os tornam o que pode ser chamado de grandes ‘potenciais’, já que eles estão prontos para serem puxados para uma de duas direções. Em um curto espaço de tempo eles devem escolher um lado; eles devem ou se unirem a Cristo ou se espalharem; eles devem estar com Ele ou contra Ele; eles devem estar na Cruz como outros Cristos ou abaixo dela, como outros executores. Para qual direção esses Cristãos marginais irão?
A resposta depende daqueles que têm fé. Como as multidões que seguiam Nosso Senhor pelo deserto, esses cristãos são ovelhas sem pastor. Eles estão esperando para ser guiados junto com as ovelhas ou com a cabras. Apenas uma coisa é certa: sendo humanos e possuindo coração, eles querem mais que luta de classes e economia, eles querem Vida, eles querem Verdade e eles querem Amor. Em uma palavra, eles querem a Cristo.
É para esses milhões que acreditam em coisas erradas contadas sobre a Igreja e para esses Cristãos marginais que esse pequeno livro é destinado. Não para provar que eles estão ‘errados’, nem para provar que nós estamos ‘certos’, mas sim para apresentar a verdade de modo que a verdade possa crescer através da graça de Deus. Quando homens estão famintos, ninguém precisa dizer-lhes para evitar venenos, nem para comer porque há vitaminas nesse alimento. O que alguém precisa fazer é ir a eles e dizer-lhes que estão famintos e dar-lhes o pão, e a partir daí as leis da natureza cuidará do resto. Este livro de ‘Respostas de rádio’ com 1588 questões e respostas aparece como uma missão similar. Seu principal desafio não é humilhar os errados, nem glorificar a Igreja Católica como intelectual e autoprobante, mas apresentar a verdade de uma maneira calma e clara, de modo que, pela graça de Deus, almas possam vir para o abençoado abraço de Cristo.
Não é o único ponto do livro provar que a Igreja Católica é a única igreja existente  capaz de satisfazer a alma completamente, mas também mostrar que é a única Igreja que nos dias de hoje que pode remontar seu passado ao tempo de Cristo. A História é bastante precisa nesse ponto, e é curioso quantas mentes não percebem essa obviedade.
 Portanto, quando vocês, os leitores de ‘Radio Replies’ no século XX, desejarem saber sobre Cristo, sobre Sua Igreja primitiva e sobre Seus mistérios, nós pedimos a vocês que não apenas partam para os registros escritos, mas para a Igreja viva que começa com o próprio Cristo. E  Esta Igreja, este Corpo Místico, que está viva todos esses séculos que é a base de nossa fé e, para nós católicos, Ela fala assim:
 ‘’Eu vivo com Cristo. Eu vi Sua Mãe e eu sei que era uma Virgem, e a mais amável e pura de todas as mulheres do céu ou da terra; Eu vi Cristo na Cesaréia quando, após mudar o nome de Simão para Pedro, Ele disse a este que este era a pedra sobre a qual sua Igreja seria construída e que duraria até o fim do mundo.Eu vi Cristo pregado numa cruz e eu O vi ressuscistar de seu túmulo, Eu vi Maria Madalena correr para os Seus pés; eu vi os anjos vestidos de branco ao lado da grande pedra; eu estava na sala do Cenáculo quando Tomé duvidou e pôs seus dedos nas Suas mãos; Eu estava nas Oliveiras quando Ele ascendeu aos céus e prometeu enviar Seu Espírito aos apóstolos para fazer neles a fundação do Seu novo Corpo Místico na terra. Eu estava no apedrejamento de Estevão e vi Saulo segurar as vestes daqueles que o mataram, e, mais tarde, eu escutei Saulo como Paulo, pregando o Cristo e Sua crucificação. Eu testemunhei a decapitação de Pedro e de Paulo em Roma, e com meus próprios olhos vi dezenas de milhares de mártires tingindo de vermelho as areias com seu próprio sangue, em vez de negar a fé que receberam de Pedro e de Paulo.
Eu estava viva quando Bonifácio foi enviado para a Alemanha, quando Agostinho de Cantuária foi enviado para Inglaterra, Cirilo e Metódio para as Pólis e Patrício para a Irlanda. No início do século nove eu lembro Carlos Magno coroado como rei em assuntos temporais assim como o sucessor de Pedro é reconhecido como supremo em assuntos espirituais. No século treze eu vi grandes pedras clamando em tributo a mim e explodindo em Catedrais Góticas; nas sombras dessas mesmas paredes eu vi imensas catedrais do pensamento surgirem na prosa de Aquino e Boaventura e na poesia de Dante.
No século dezesseis eu vi meus filhos amaciados pelo espírito do mundo deixar a casa do Pai e reformar a fé em vez de reformar a disciplina, o que os traria de volta ao meu abraço; no último século e no começo deste eu escutei o mundo falar que não me aceitaria porque eu estava atrás no tempo. Eu não estou atrás no tempo, eu estou nos seus bastidores. Eu adaptei-me em toda forma de governo que o mundo conheceu; vivi com Césares e reis, tiranos e ditadores, parlamentares e presidentes, monarquias e repúblicas. Eu dei boas-vindas a cada avanço da ciência, e se não fosse por mim os grandes registros do mundo pagão não teriam sido preservados. É verdade que eu não mudei minha doutrina, mas isso é porque a doutrina não é minha mas Daquele que Me enviou. Eu mudei minhas vestimentas que pertencem ao tempo, mas não o meu espírito, que pertence à eternidade. No curso da minha longa vida eu vi tantas novas ideias se tornando velhas, que eu sei que cantarei um réquiem para as ideias modernas de hoje, como eu cantei para as ideias modernas do século passado.
 Eu celebrei o 1900° aniversário da morte do meu Redentor e ainda assim eu não sou mais velha agora do que antes, porque meu Espírito é Eterno, e o Eterno nunca envelhece. Eu sou o  Personagem permanente dos séculos. Eu sou a contemporânea de todas as civilizações. Eu nunca estou fora de data, porque sou sem data; nunca fora de tempo, porque sou atemporal. Eu tenho quatro grandes marcas: sou Una, porque tenho a mesma Alma que tinha no início; eu sou Santa, porque essa Alma é o Espírito de Santidade; eu sou Católica, porque esse Espírito permeia todas as células vivas do meu corpo; eu sou Apostólica, porque minha origem é a mesma que vem de Nazaré, Galileia e Jerusalém. Eu irei crescer fraca quando meus membros se tornarem ricos e cessarem de orar, mas eu nunca irei morrer. Eu irei ser perseguida como eu sou perseguida agora no México e na Rússia; Eu irei ser crucificada como eu fui no Calvário, mas eu irei me erguer novamente, e finalmente quando o tempo não existir mais e eu tiver crescido toda minha estatura, então eu serei erguida aos céus como esposa da minha Cabeça, Cristo, onde as núpcias celestiais serão celebradas, e Deus será tudo em tudo, porque Seu Espírito é amor e amor é o paraíso’’
Traduzido gentilmente por João Marcos

0 comentários:

Postar um comentário