17 de mar de 2011

Disney e sua investida anticatólica: Boas Prostitutas Cristãs

Enquanto nos acusam de idólatras, homofóbicos, preconceituosos, de não promovermos o avanço da ciência, do intelecto, da razão e de tudo o mais que você já ouviu, o "lado-de-lá" investe pesadamente em difamar, hostilizar e doutrinar a sociedade para uma mentalidade de preconceito a tudo o que se refira ao Cristianismo.

Já vimos N coisas deste tipo. Filmes, como "A última tentação de Cristo"; músicas, como "Alejandro", de Lady Gagá; livros, como "O Evangelho segundo Jesus Cristo", de José Saramago... Não dado por satisfeito, a Disney resolveu lançar um programa (porque era o que faltava!!!). O nome? Boas Prostitutas Cristãs.

Segundo a direção do programa,  o objetivo do mesmo era mostrar a hipocrisia que há no meio religioso. A história é sobre uma mulher que se divorciou do marido e voltou para sua cidade natal. Lá ela sofreu "bullying" das beatas por estar separada. (Se você viu qualquer tipo de rotulação de todos os religiosos e do meio crente nestas poucas linhas que citei anteriormente, não se assuste! É que eles, os "livres", de "mente abertas", não conseguem se sentir "Inteligente" se não tiver uma causa pra isso =) ).


Claro que o objetivo que está por trás é bem maior. O objetivo é denigrir a imagem do religioso, como se fosse alguém que tivesse duas caras. Quer tratar também dos temas sexuais que permeiam a Igreja: homossexualismo, pedofilia, casos de religiosos com mulheres... Mas isso ocorre apenas com religiosos? Não há nada disso em nenhum outro meio social? Sem contar que o programa denigri o papel das mulheres! E onde estão as machas-de-saia feministas numa hora dessas? Defender o direito da mulher em abortar elas aparecem. Por que não vêm agora defender-nos desta ofensa? Talvez porque, para elas, prostituição é uma profissão digna, né? Francamente!

Agora, a grande diferença dos EUA pro Brasil: lá, a comunidade cristã está em cima fazendo a frente para que o programa não entre ao ar. Estão fazendo todas as empreitadas possíveis para o programa não ter vazão. Se fosse aqui no Brasil era bem capaz de a gente aplaudir o negócio desses... Acho que chegou a hora de imitarmos nossos irmãos norte-americanos e lutarmos, defendermos nossa fé, dessa mesma maneira.

Para saber mais da notícia, clique aqui e leia a matéria.

0 comentários:

Postar um comentário