16 de abr de 2011

A brevidade da vida

Saber que teremos uma vida longa não será sinônimo de bênção se a vivermos insanamente. Às vezes, uma criança que viveu tão pouco pôde desfrutar muito mais do eterno aqui.



"Ensinai-nos a bem contar os nossos dias, para alcançarmos o saber do coração" (Sal 89, 12).


O que você faria se só lhe restasse o dia de hoje? Já pensou nisso?

É engraçado como nós nunca paramos para pensar que um dia nossa vida terá fim. Mas sim, ela terá. Não eternamente, pois esta jamais acaba; porém, carnalmente ela findará. E sabemos, também, que é a maneira como andarmos nesta vida carnal qual será o destino eterno que merecemos. Bem sabemos que este merecimento não é castigo divino, e sim, mérito nosso, daquilo que plantamos e, naquele dia, que só Deus sabe a hora, colheremos.

Contudo, como não ligamos para o fim, seguimos nossa vida como bem entendemos. Agimos como se não houvesse alguém 'de olho' em nós. Só que há sim. E não só um, mas alguns: Deus, nosso anjo da guarda, a Virgem Santíssima, o nosso inimigo eterno... Todos eles fazem seus papéis: o que deve nos proteger, nos protege; o que deve rogar, roga; o que nos honra, honra; o que nos persegue, assim o faz. E nós? O que fazemos?

Por não ligarmos para o nosso fim (dias), não procuramos saber o fim das coisas (o objetivo, o porquê de). Sendo assim, não buscamos o saber do coração. Não procuramos compreender, apreciar, degustar desta vida todo o bem que ela tem para dar. Vivemos aleatoriamente. Não é novidade mais vermos pessoas que tiram suas próprias vidas ou as dos outros. E isso não é apenas fruto do mal; é também fruto do nosso errado modo de viver a vida, de contar os nossos dias.

Contar os nossos dias não é ir a uma cartomante e pedir que preveja quanto tempo ainda teremos. Contar os nossos dias é colocar todos os dias diante do Senhor.O que não é fácil, sabemos, porém, essencial. Logo, se queremos novos céus e novas terras, temos que vivê-los aqui. Isso só será possível se nos colocarmos diante do Senhor diariamente. Seja uma oração pela manhã, agradecendo por mais um dia; seja o agradecimento ao alimentar-se; seja à noite, antes de dormir, bendizendo por tudo o que foi aquele dia, serão estas formas de contar os dias na presença do Senhor, pois já não seremos nós a contar, e sim, Ele.

No entanto, não basta apenas rezar. É preciso fazer. Então, faça! Aquela novena que se propôs a rezar; aquela penitência que se propôs a fazer; aquele curso; aquela conversa, pedindo perdão; aquela confissão... Faça HOJE o que deva ser feito. Fazendo ou não, seu dia será contabilizado. Faça, então, que se some à conta coisas boas. Apesar de eu achar praticamente impossível, mas viva de uma forma que, quando você se encontrar com Deus, não haja absolutamente nada a qual o Inimigo possa lhe julgar. Viva de uma forma em que você não tenha o que se arrepender ao aparecer na presença de Deus.

Diga para as pessoas próximas a você que são importantes. E não faça nada esperando em troca. Às vezes, quem você queria que lesse isso não leu. Mas você, sim. Então, faça.

Conte seus dias. Conte-os bem.

0 comentários:

Postar um comentário