11 de abr de 2011

Líder da Igreja Católica da Bélgica leva torta na cara por suas opiniões sobre aborto e homossexualidade


Por Rebecca Millette


BRUXELAS, Bélgica, 7 de abril de 2011 (Notícias Pró-Família) —


Andre-Joseph Leonard, arcebispo de Bruxelas, foi atingido no rosto com tortas de manjar na terça-feira por ativistas homossexuais que se opõem ao que o líder da Igreja Católica da Bélgica vem dizendo sobre a homossexualidade.


O arcebispo, amplamente reconhecido como um líder que foi empossado na Bélgica pelo Papa Bento 16 para reformar a esquerdista Igreja Católica da Bélgica, repleta de escândalos de abuso homossexual acobertados, vem sendo verbal e fisicamente atacado, e está sendo isolado por seu sólido catolicismo ortodoxo.


Nesta semana, um famoso comediante belga, conhecido como “O Melequento”, que já teve no passado como alvo de suas sátiras Nicolas Sarkozy, presidente da França, e Bill Gates, fundador da Microsoft, postou vídeos dos ataques com tortas no YouTube.


Pelo menos quatro ataques de tortas ocorreram antes e durante a apresentação da palestra do arcebispo na renomada Universidade de Louvain-la-Neuve perto de Bruxelas. Apesar de católica, essa universidade é esquerdista.


Essa é a segunda vez que o arcebispo Leonard foi atacado com tortas por ativistas homossexuais. Em dezembro de 2010, um homem correu até o arcebispo durante uma missa na catedral de Bruxelas e enfiou uma torta vermelha no rosto dele, aparentemente em conexão com suas declarações sobre a homossexualidade.


Todos os incidentes têm como origem os comentários que Leonard fez num livro lançado em outubro passado, em que ele disse que a AIDS é consequência de conduta sexual arriscada, inclusive a atividade sexual homossexual. “A AIDS no começo se multiplicou mediante conduta sexual com todos os tipos de parceiros ou então por meio de relações sexuais anais, em vez de vaginais”, disse Leonard.


“Quando abusamos do meio-ambiente, ele acaba abusando de nós por sua vez”, continuou ele. “E quando abusamos do amor humano, talvez ele acabe fazendo vingança… Tudo o que estou dizendo é que às vezes há consequências ligadas às nossas ações. Acredito que esta é uma postura totalmente decente, honrável e respeitável”


. Em dezembro, Leonard se tornou alvo e vítima de grupos homossexuais, foi condenado pelo primeiro-ministro da Bélgica e isolado pelos seus colegas bispos. Um advogado, atuando em nome de um grupo homossexual de pressão política, entrou com uma queixa formal contra Leonard por “declarações homofóbicas” e por “violar uma lei antidiscriminação”. Os professores e estudantes da Universidade de Louvain-la-Neuve, onde sua palestra foi feita no começo desta semana, circularam uma petição na época requisitando a renúncia de Leonard de seu cargo como chanceler da universidade.


Contudo, Leonard permaneceu firme. Numa carta de dezembro ele esclareceu que embora não tivesse tido a intenção de insinuar que os próprios homossexuais eram “anormais” e tivesse negado qualquer insinuação de que a AIDS era um castigo divino ou humano, ele realmente sustentou que o aparecimento da AIDS é consequência de atividade sexual perigosa.


“Há na tendência e prática homossexual uma orientação que não é coerente com a lógica objetiva da sexualidade”, escreveu ele na época.


O arcebispo Leonard vem também sendo atacado por suas opiniões sobre o aborto. Como palestrante principal da Marcha pela Vida na Bélgica no ano passado, Leonard apoiou com muito entusiasmo essa iniciativa pró-vida.


Os ativistas que atacaram o arcebispo com tortas disseram que foi precisamente por tais opiniões que eles estavam fazendo Leonard de alvo. De acordo com as reportagens, um deles disse para os meios de comunicação da Bélgica, “por todos os homossexuais que não ousam dizer a seus pais que são gays, por todas as meninas novas que querem fazer um aborto, ele definitivamente mereceu aquilo”.


Fonte: juliosevero.com

0 comentários:

Postar um comentário