24 de mai de 2011

Vergonha: Governo deu quase dois milhões de reais para ABGLT produzir kit gay



O ativista gay Beto de Jesus, membro da ABGLT (a maior organização gay do Brasil e responsável pela elaboração do kit gay para distribuição nas escolas públicas), confessa nesta reportagem que o governo deu um milhão e quinhentos mil reais, através de emenda parlamentar do Dep. Chico Alencar (PSOL-RJ), para produzir o kit gay e critica o ministro da Educação por estar demorando muito na distribuição do material gay nas escolas. A reportagem está neste link: http://www.youtube.com/watch?v=jh2Tw2IR4Hc



É assim que, sob a cobertura e financiamento milionário do MEC, ativistas homossexuais prepararam um dos maiores materiais de doutrinação homossexual para as crianças de escola pública. Com o kit gay, vai ser fácil criança virar gay.


Fonte: Júlio Severo

6 comentários:

  1. Isto é uma pouca vergonha, com a graça de Deus estes kits vão direto pro inferno, que Nosso Senhor não deixe as nossas crianças ter acesso a esta pouca vergonha. Brasil acorda!!! olha só quem vocês colocaram no poder!

    ResponderExcluir
  2. É muito triste ver o nosso povo passando fome, e a nossa Presidenta libera R$ 3 milhões para esta pouca vergonha. Politicos tenham vergonha na cara, não gaste nosso dinheiro desta maneira. Usem os seus proprios dinheiro para esta pouca vergonha, garanto que não ia sair um centavo se quer.

    ResponderExcluir
  3. Cristão vamos fazer o que for possível para este kit não chegar as nossos inocentes. Eles são o futuro do Brasil.

    ResponderExcluir
  4. Blz... se o governo não pode patrocinar coisas desse tipo, tb que seja proibido de patrocinar "marchas p/ jesus" e afins...

    ResponderExcluir
  5. Bem, antes de vocês se pronunciarem dizendo que um kit gay vai tornar uma criança gay; tomem por exemplo que, mesmo que você dê uma Bíblia para uma criança, não quer dizer que ela vá seguir a Deus né. E, outra, seguindo essa lógica, não haveria alunos ruins, uma vez que o governo também dá todo o material assinado.
    Eu, assim como vocês, creio em Deus; mas como você consegue chamar Deus de pai se não consegue chamar seu semelhante de irmão?

    ResponderExcluir
  6. W. Luís,

    O fato de darmos a uma criança uma bíblia não vai torná-la, definitivamente, uma cristã. Porém, a intenção que está por trás de quem a dá é exatamente esta: que se torne uma cristã.

    E mesmo que, necessariamente, durante toda a sua vida, esta criança não venha a ser cristã, ela conceberá uma visão de mundo pautada também no cristianismo, já que ela recebeu isto como base.

    Da mesma forma uma formação homossexual. Mesmo que a criança não venha a se tornar uma homossexual - e é impossível tomarmos a criação e ou ensino homossexual como via de regra para alguém vir a ser um - , esta criança conceberá uma visão de mundo a partir do que ela concebeu e recebeu. Logo, mesmo que não se torne um gay, ela compreenderá o mundo a partir de uma visão gay.

    E digo isto porque sou professora. As crianças formam sua personalidade e visão de mundo até os sete anos. A partir daí elas apenas aprimoram sua visão, exacerbando alguns pontos, nulando outros.

    Sobre 'chamar um semelhante de irmão'... não há um excluir pedir que um kit vergonhoso como este seja interditado. Ao contrário: impedir que se promova algo antinatural é estabelecer a ordem. Sabemos que é antinatural - e não estou entrando aqui no aspecto religioso!!! - a união homoafetiva.

    Querer impor a crianças SEM A ORDEM DOS PAIS que a união homoafetiva é natural é um autoritarismo do Estado, do qual não tem direito de se interferir.

    Sem contar, W. Luís, que é um sinal de caridade ensinar e admoestar os irmãos a respeito dos erros. Cristo mesmo fez isso pedindo à adúltera que não pecasse mais, pedindo a Zaqueu que não pecasse mais. O nosso erro é achar que amar o irmão é deixá-lo no erro, quando não é. Ou vc deixaria um irmão seu no erro só por que 'os seus conceitos são diferentes dos dele'.

    Pax!

    ResponderExcluir