9 de jun de 2011

Mes de junho? nono dia

Coração fiel

"Amo-te com um amor imutável" (Jr 31,3)



Este é o amor do coração de Jesus! De Belém ao Calvário, da Ceia Eucarística à Ceia Eterna, o coração de Jesus é tudo e sempre será para nós e para a nossa salvação. Fidelidade santa, perene, incondicional. Ele mesmo disse que estaria conosco todos os dias, até a consumação dos tempos (cf. Mt 28, 20). Fidelidade para a nossa eterna salvação: "De geração em geração duram os pensamentos do seu coração para salvar da morte os seus filhos". (cf. Sl 32, 11).
Mas, quantas vezes Jesus teria todos os motivos e todo o direito de se afastar e de nos afastar de Seu Santo Coração. Porém, Ele continua a nos amar, apesar de nossa infidelidade mais grave. Ele continua a descer aos altares, apesar da traição dos seus ministros; continua a permanecer nos Sacrários, apesar da solidão e do abandono desolador no qual O deixamos. Continua a doar-se a todos na Santa Comunhão, apesar da indiferença e frieza que O recebemos. E quantos hoje vão receber a Comunhão em pleno pecado mortal, sem antes confessar-se? E deveriam saber que a absolvição sacramental é absolutamente necessária antes da Comunhão. No entanto, comete-se um horrível sacrilégio, porque se come e bebe a própria condenação (cf. I Cor 11, 29).
Jesus continua entre nós até quando não ligamos para Ele. E O colocamos em segundo lugar, e às vezes, em último, prontos em trocá-lO por desejos da carne, por dinheiro ou ambição.
Pobre coração de Jesus! Ele tinha razão quando disse a Santa Margarida Alacoque: "Eis o Coração que tanto amou os homens, que nada eonomizou nada até acabar-se e consumar-se para manifestar-lhes o Seu amor; em troca, Eu recebo da maior parte indiferenças, sacrilégios e irreverências...".
É possível que não possamos acolher estes lamentos divinos do Coração de Jesus?
Um dia Santa Tereza d'Ávila, em êxtase durante uma adoração Eucarística, contemplou Jesus que lhe disse com doçura: "Teresa, quero mostrar-te tua vida". Logo apareceu um lindo cacho de uva, com os bagos suculentos e brilhantes, que embelezavam as orações, as ações e os sacrifícios da Santa. Mas eis que que sai do Sacrário um raio de luz fulgurante que atingiu o cacho de uva e fez aparecer coisas bem diferentes: alguns bagos estavam consumidos pelos vermes, outros estavam vazios e secos, e outros, ainda, estavam ácidos e estragados. A Santa compreendeu a linguagem daqueles bagos, que revelavam as muitas e pequenas infidelidades. Toda em confusão, jogou-se aos pés de Jesus, lhe pediu perdão lhe prometeu de empenhar-se com todas as forças para corrigir. Foi fiel e se tornou seráfica de amor pelo Coração de Jesus.


Coração infiel


"O amor das criaturas é instável e sujeito as falhas; o amor de Jesus é fiel e constante" (Imitação de Cristo, II, 7,1).

O coração do homem é infiel. Do coração do homem têm os adultérios. No coração do homem se consumam as infidelidades, as traiçõoes, os abandonos dos amigos, do cônjuge, do companheiro de trabalho, do sócio em negócios... e até de Deus.
Na segunda carta a Timóteo, São Paulo comunica ao seu discípulo umamá notícia: "Demas me abandonou por amor ao mundo presente" (4,9). Com quanta amargura São Paulo escreveu estas palavras!
Se já é improvável a infidelidade a uma criatura, o que será a infidelidade a Deus? Pareceria um absurdo dever admitir a infidelidade a Deus, mas é uma realidade posta sob os olhos de todos. Quantos cristãos batizados, crismados, alimentados com a Eucaristia, abandonaram o Senhor, seduzidos pela carne e pelo mundo do dinheiro? E que dizer se se tratam as pessoas consagradas? "Não conheço sacrilégio mais horrível - disse São Bernardo - que o de repreender a um coração já consagrado a Deus".
Disse o Sagado Coração de Jesus a Maria Alacoque: "O que me é mais penoso é ver-me tratado assim por corações a Mim consagrados"!. Segundo a Santa, Jesus disse estas palavras com um acento de dor tão lacerante que dilacerava sua alma.
Como esquecer que Jesus nos amou antes de tudo e continua a nos amar até o fim dos tempos? É único e supremo Coração fiel; não pode nos abandonar, pois nós lhe custamos todo o Seu sangue. Com que coragem o nosso coração pode preferir qualquer outra coisa ou criatura?
Nas Crônicas fransciscanas lemos que um mestra em París tinha tomado o hábito de São Francisco, mas a mãe pobre não se conformou em perder o filho e foi suplicá-lo em lágrimas e gemidos para que voltasse para casa. O filho, com o coração amargurado, cedeu e prometeu de voltar para casa no dia seguinte. Entretanto, ajoelhou-se diante do crucifixo e rezou em soluços: "Senhor, não desejo deixar-te; desejo somente assistir minha mãe em sua extrema necessidade". o crucifixo, jorrando sangue vivo das chagas de Jesus, respondeu: "Custastes mais a mim que à tua mãe, pois Eu derramei por ti todo o meu sangue. Eu deveria ser-te mais caro que a tua mãe". O bom frade permaneceu no convento até à morte.

Coração de Jesus, torna os nossos corações fiéis a Ti até à morte.


Propósitos:

- Fazer uma visita ao Sagrado Coração de Jesus na igreja junto a uma imagem sua.

- Rezar as seguintes orações:  (clique aqui).

1 comentários:

  1. Passar o mês de junho mais proximo do Sacratíssimo Coração de Nosso Senhor é magnifico e como ajuda em nossa santificação!

    ResponderExcluir