17 de jul de 2011

Aplaudido, Boff critica os últimos papas.


O professor e teólogo Leonardo Boff eletrizou o auditório do congresso ao relembrar a história da Teologia da Libertação, em uma palestra sobre os 40 anos de atuação do movimento de esquerda que revolucionou a Igreja Católica no Brasil e na América Latina.

Os 360 participantes aplaudiram de pé quando Boff e seu colega, padre João Batista Libânio, afirmaram que a Teologia da Libertação continua viva e presente nos movimentos sociais, apesar de ter sido “incompreendida, difamada, perseguida e condenada pelos poderes deste mundo”, civis e eclesiásticos.

A prova, segundo Boff, são o Partido dos Trabalhadores, o Movimento dos Sem-Terra, o Conselho Indigenista Missionário, a Comissão Pastoral da Terra e outras pastorais.

“Nunca, na história do cristianismo, os pobres ganharam tanta centralidade”, disse o ex-frade franciscano, que abandonou o convento e o ministério sacerdotal, mas não perdeu a fé nem deixou de ser teólogo, após ter sido punido pelo então prefeito da Congregação para a Doutrina da Fé, o cardeal Joseph Ratzinger, atualmente papa Bento XVI, após a publicação do livro Igreja, Carisma e Poder, de 1981.

Boff afirmou que João Paulo II e Bento XVI tentaram barrar a Teologia da Libertação. “Ratzinger entrará na história como inimigo dos pobres”, disse. “A teologia se inspira no Cristo libertador e não no marxismo, que já morreu”, advertiu. “Marx não foi pai nem padrinho da Teologia da Libertação.”

6 comentários:

  1. Não sei porque colocar essa matéria , exaltar a divisão , o boff é falido

    ResponderExcluir
  2. PRIMEIRAMENTE TODO ADEPTO A TEOLOGIA DA LIBERTAÇAO SO ACREDITA NO EMPIRISMO, PORTANTO NAO TEM FÉ, E NEM ACREDITA Q CRISTO PODE REALIZAR O IMPOSSIVEL, E AGORA VEM COMO CORDEIRO DIZER Q NAO PERDEU A FE, ISSO E UM LOBO DISFARÇADO DE OVELHA.
    JESUS DE DRACENA....

    ResponderExcluir
  3. O Boff é falido na sua região anônimo..
    Aqui na minha diocese ele é a principal
    fonte dos estudos teológicos...Não só aqui,mas em
    tantas outras que conheço.

    A ultima coisa que queremos é divisão, por isso
    combatemos de todas as formas contra os rebelados.

    Quando fazer crítica, favor identificar, caso contrário
    não aceitaremos os comentários.

    Pax!

    ResponderExcluir
  4. infelizmente na minha diocese ele é bem destacado também. me da uma tristeza tremenda!
    o pior é que tentamos alertar as pessoas que não tem conhecimento mas... para elas são minhas palavras em relação com as palavras de um padre, ne! quem sou eu então para dizer algo (segundo elas). infelizmente até minha mãe vai na conversa...

    ResponderExcluir
  5. Ví na media o teologo fernando ( ex-padre e tb participante de um programa na rede vida na epoca, ñ sei se ainda ta lá) dizer que um dia o vaticano reconhecera o boff como uns dos maiores teologos do nosso tempo. VAI GOSTAR DE UM APOSTATA ASSIM LÁ LONGE! KKKKK

    ResponderExcluir
  6. Bom, tambem não gosto desse homem, pra vejo a "teologia da libertação" como uma coisa péssima, aqui em minha paróquia é dificil de encontrar jovens na missa e aqueles que vão é mais pra cumprir uma tradição do que buscar a Deus, o padre é mais preocupado com a situação do dizimo do que com as almas dos fiéis, sinceramente não vejo a "tl" como uma salvação pra Igreja aqui no Brasil, pois os sacerdotes que a seguem são muito materialista, aqui em minha terra teve uma vez alguns padres que perseguiam a RCC, até fui criando uma certa antipatia por alguns deles por defenderem tão ferrenhamente a Renovação, posso dizer que senti até certo nojo dos mesmos.

    ResponderExcluir