21 de out de 2011

Cardeal Zen em greve de fome diante dos abusos do governo chinês


HONG KONG, 21 Out. 11 / 01:55 pm (ACI/EWTN Noticias)

Desde a manhã de 19 de outubro, o Arcebispo Emérito de Hong Kong (China), Cardeal Joseph Zen Ze-kiun iniciou uma greve de fome devido a uma sentença da Corte Suprema que vulnera os direitos daIgreja sobre as escolas católicas.

A agência salesiana ANS informou que o Cardeal realiza a greve de três dias e três noites em frente à casa missionária dessa congregação, "Shau Kei Wan" de Hong Kong, expressando seu rechaço a uma decisão da Corte Suprema em matéria de educação.

Em 2004, o governo chinês ordenou que os colégios que recebem ajudas estatais fossem dirigidos por comitês independentes. A Igreja advertiu que tal medida contrariava seus direitos sobre as escolas católicas e apresentou um recurso que foi desprezado pela Corte Suprema de Hong Kong.

O Cardeal Zen advertiu que se finalmente a Igreja não puder ter o controle sobre suas instituições educativas, deverá renunciar por completo às mesmas, "que é provavelmente o que deseja a ditadura comunista", afirma a agência AICA.

A Emenda ao Regulamento sobre a instrução de 2004, implica introduzir na gestão dos institutos escolares um comitê organizativo que valorize o projeto das escolas, do qual participariam –além dos pais de família e os estudantes–, pessoas de fora da escola, comprometidos com o governo, correndo o risco de desviar a proposta educativa das escolas.

A lei oferece diversos benefícios, principalmente econômicos, às escolas que colocam em ato o regulamento, e segundo o governo permitirá uma maior transparência e uma melhor democracia.

Antes de iniciar a greve o Cardeal Zen Ze-kiun realizou uma conferência de imprensa dando os motivos de seu gesto. Depois de agradecer aos numerosos benfeitores que por muitos anos sustentaram a educação católica e de tantos missionários que ensinaram nelas o prelado declarou: "lamentamos que nossa reclamação não seja reconhecida. Dói-nos mas não nos desespera. Deus é o Senhor da história".

O cardeal Zen Ze-kiun, de 79 anos de idade e afetado por um distúrbio cardíaco, precisou que não obstante a greve de fome nestes três dias tomará líquidos e fará a comunhão diária. Trabalhadores da área de saúde permanecerão com o cardeal para monitorar suas condições.

ANS informou também que nos últimos dias em vários blogs informou-se maliciosamente sobre valores de doações recebidas pelo Cardeal Zen Ze-kiun nos últimos anos. Na conferência de imprensa o cardeal respondeu também precisando quais foram os fins aos que foram destinadas as contribuições.


0 comentários:

Postar um comentário