14 de nov de 2011

Canção Nova, Edinho Silva, a mentira e os panfletos das eleições 2010

A fonte deste artigo é do blog Deus lo Vult!, do meu amigo Jorge Ferraz.

Pra quem, talvez, ainda não saiba da história, o então Deputado por SP, Edinho Silva, está fazendo um programa na emissora católica Canção Nova intitulado "Justiça e Paz". O programa foi criado a partir de um desejo do Papa em que os católicos entendam mais sobre a Doutrina Social da Igreja. 

Vários católicos - entre eles, eu - estão se mobilizando contra esta infâmia. Motivo? O então deputado está coligado ao partido que defende interesses anticristãos, entre eles o aborto e o casamento homossexual: o PT. Sabemos, também, que o PT está altamente ligado à Teologia da Libertação, movimento este encabeçado por Leonardo Boff e Frei Betto (estes que, aliás, apoiaram abertamente os temas aborto e casamento gay nas eleições, bem como à candidatura da atual presidente, Dilma). Logo, não é, nem em última instância, do PT que a Canção Nova e todos os seus associados precisam para falar sobre a Doutrina Social da Igreja; poderiam muito bem contar com o Professor Felipe Aquino ou Padre Paulo Ricardo.

Desde sábado estamos cobrando explicações e ações da comunidade Canção Nova pelo Twitter, exigindo a retirada do petista, cujo partido não representa em nada a Doutrina Social da Igreja. O artigo a seguir mostra o rumo que está levando.

Se você também não ficar satisfeito, envie twittes para @cancaonova, @etocn, @edinhosilva.

__________________________________________________________________________________

Quero escrever mais algumas linhas sobre o sr. Edinho Silva, o deputado gayzista e perseguidor da Igreja que ganhou recentemente um programa semanal na Canção Nova – em reconhecimento pelos bons serviços prestados, quiçá. Ontem o sr. deputado participou de um bate-boca no seu Twitter – @edinhosilva – com algumas pessoas que, justamente indignadas, cobravam um mínimo de coerência da Canção Nova e do parlamentar petista.

Abaixo um excerto da Timeline do sr. deputado. O blá-blá-blá dele se resume a repetir a meia-verdade (que, no contexto, é uma mentira completa) de que “Deus não exclui ninguém”, como se Nosso Senhor no Seu Trono de Glória estivesse obrigado a receber com beijinhos e abraços os sumo-sacerdotes dos judeus que O levaram à Crucificação.


Dizer que Deus não exclui ninguém significa que a nenhum pecador arrependido o Altíssimo nega o Seu perdão. Significa que as portas estão sempre abertas para os filhos pródigos que querem voltar. O Deus que não exclui ninguém permite que um perseguidor do calibre de um Saulo de Tarso transforme-se no Apóstolo São Paulo. Obviamente isto não significa que Pilatos, Anás e Caifás podem reivindicar um direito incondicional e inalienável de participarem das Bodas do Cordeiro, ou nem mesmo que São Pedro estivesse proibido de acusar os pérfidos judeus de terem crucificado a Cristo (cf. At 2, 36).
Isto, para qualquer pessoa que tenha a mais remota noção do Cristianismo, é básico; mas o sr. Edinho Silva parece estar realmente empenhado em propagar um “evangelho” que é o contrário mesmo d’Aquele que foi legado à humanidade pelo Filho de Deus. Na brilhante sabedoria teológica do sr. Edinho Silva, todo mundo pode apoiar qualquer barbaridade frontalmente contrária ao que prega a Igreja e, na verdade, os que denunciam esta hipocrisia e clamam por um mínimo de coerência e de respeito à palavra de Deus são os que estão contradizendo o Deus da Vida!

Mas a canalhice particularmente cretina surge quando este sujeito tem a cara-de-pau de, ao melhor estilo comunista, xingar os outros do que ele é e acusar os seus adversários daquilo que ele próprio faz. Lá pelas tantas, o sr. Edinho Silva tem a coragem de pronunciar a seguinte pérola twittesca:


Concedamos que não foi propriamente o sr. Edinho Silva, em seu próprio nome, quem abriu processo contra Dom Bergonzini. O processo 352620.2010.600.0000 tem como autores a sra. Dilma Vana Rousseff e a “Coligação para o Brasil seguir mudando” (PT/PMDB/PSB/PC do B/PDT/PR/PRB/PTN/PSC/PTC). No entanto, como já foi dito, o deputado petista era presidente do PT-SP à época do incidente e jamais escondeu o seu apoio entusiasta à palhaçada que foi feita contra o bispo de Guarulhos. Pode até não ter sido o autor material do processo, mas o apoiou pública e explicitamente.

No entanto, a confissão é interessante. Gente mentirosa não pode se intitular cristã, Edinho Silva? E o sr. se intitula cristão?

Folha de São Paulo, 06/10/2010, entrevista com o então presidente do PT-SP, o deputado Edinho Silva. A pergunta: como deve a campanha de Dilma lidar com o tema do aborto agora? A resposta (grifo meu):
Eu defendo que a gente enfrente isso de frente. Temos que tratar esse debate com muita transparência. A Dilma, em todas as manifestações dela, defende a vida. Se nós enfrentarmos a boataria e dialogarmos de forma franca com o eleitor, teremos sucesso. Até porque é fácil de debater, porque é uma mentira. O que está em disputa nessas eleições e nós temos que deixar isso claro, é que temos dois caminhos: um representa o Brasil que existia até 2002 e o eleitor conhece, e o outro é o pós-governo Lula.
Boataria, mentira? Os panfletos censurados pelo PT continham mentiras? Acaso é uma mentira o abortismo do PT? Acaso os vídeos da sra. Rousseff dizendo que o aborto deve ser tratado como uma questão de saúde pública (o que – como todo mundo sabe – significa que ele deveria deixar de ser crime para ser uma exigência de saúde) são mentiras? Acaso a sra. Rousseff afirmando textualmente em uma sabatina da Folha (tem até vídeo!) que “Hoje, no Brasil, (…) é um absurdo que não haja a descriminalização [do aborto]” é mentira? Acaso é mentirosa a camaleônica lista de declarações da sra. Rousseff sobre o aborto? Oras, sr. Edinho, mentiroso é o senhor! Como o sr. tem a cara-de-pau de chamar fatos públicos, notórios e amplamente divulgados pela imprensa de “boatos” e “mentiras”?

Alô, Canção Nova, vai continuar acobertando esta pouca-vergonha? O Edinho Silva diz que gente mentirosa não pode se intitular cristão. Mas o Edinho Silva mentiu escandalosamente à época das eleições presidenciais do ano passado, inclusive com grave prejuízo para o bispo de Guarulhos e o movimento pró-vida. Logo, o sr. Edinho Silva não pode se dizer cristão e, por conseguinte, não pode ter um programa na Canção Nova. Senão a Canção Nova vai estar compactuando com esta farsa e fazendo os seus telespectadores acreditarem que um notório gayzista e perseguidor da Igreja é, na verdade, um bom católico. Canção Nova, não permita este deboche ao Catolicismo. Apague a vela de Satanás. Sirva somente a Deus.

Fonte: http://www.deuslovult.org/2011/11/14/cancao-nova-edinho-silva-a-mentira-e-os-panfletos-das-eleicoes-2010/

9 comentários:

  1. Gente, o Anderson poderia fazer uma pregação a respeito e soltar na net, nos moldes da do Moises da comunidade filhos de joao batista e falar o que essa CN precisa ouvir... eu ja nao era fã da CN, depois do que fizeram com o Pe. Jose Augusto então eu nunca mais assisti e agora depois desta de colocar um petista na grade de programaçao foi demais, já era dificil suportar aquele gabi chalita... Tb colocam um "ex-agiota" pra controlar as finanças da CN, logico que ele nao pode ver dinheiro que fica doido, ainda mais que a CN nao representa mais os anseios de uma verdadeira RCC, por mim fechava td!!!

    ResponderExcluir
  2. e porque a CN incomoda tantos voces? é só não assistir.Quem for convertido de verdade não se deixar influenciar por politicagem...Catolicos tem que se unir e não ficar com essas picuinhas desinteressantes.Amo as pregações e evangelização da CN.Politica to fora.

    ResponderExcluir
  3. O Decreto contra o comunismo é um documento da Igreja Católica de 1949, ordenado pelo PAPA PIO XII que excomunga todos católicos que colaboram com organizações comunistas e afins.

    Edinho não devia nem estar na canção nova.

    ResponderExcluir
  4. Que maravilha! Fico muito feliz em saber que o presidente estadual do PT é um católico praticante! Isso é ótimo, foi uma das melhores coisas que já li neste site.
    Que tenhamos mais católicos assim, engajados na política. Realmente os católicos necessitam ser formados numa consciência cristã que os engaje na luta pela superação das injustiças. Que este programa seja um sucesso e tenha muita audiência!

    PARABÉNS CANÇÃO NOVA, PARABÉNS EDINHO!

    ResponderExcluir
  5. Ainda bem que o Papa Paulo XI "não" disse que "A fumaça de Satanas entrou na igreja" ...

    ResponderExcluir
  6. comunista desgraçado visitando o site não é novidade...haha!

    anonimo, vc é um tolo, hipócrita, perverso, vendido e esta longe de ser considerado cristão católico.

    Fora Edinho!

    ResponderExcluir
  7. Dizer que o Edinho é convertido é a melhor piada do século.
    Se ele o fosse, não continuaria apoiando o aborto e o casamento homossexual, bem como não teria apoiado explicitamente o processo contra Dom Luiz Bergonzini.

    ResponderExcluir
  8. Boa tarde meus queridos,
    é com pesar que eu respondo ao texto relacionado com a pregação do padre Léo, pois se o mesmo Jesus, andou no meio dos pecadores e ia jantar em suas casas, para convertê - los será que a canção nova dobraria sua programação a apologia a qualquer uso de drogas, sexo livre, aborto e eutanásia? Se ela se render a isso acredito sim que ela deva ser repreendida pela igreja, que haja manifestação dos fiéis que crescem, aprendem e recebem tantas inúmeras graças, mas aqui neste caso acredito ser uma forma de o PT talvez tentar se aproximar da canção nova , para quem sabe ganhar nossos votos e nós muito atentos a isso, cobremos a conversão destes, uma vez que se aproximaram de um território eucaristico. Mas querer a canção nova sem o pt é um crime ao evangelho de Cristo que andou e comeu com os pecadores....
    Bjs
    Em Cristo
    Marina

    ResponderExcluir