14 de fev de 2012

Bispos nos EUA pedem ao presidente Obama total anulação de mandato abortista.


WASHINGTON DC, 13 Fev. 12 / 02:32 pm (ACI/EWTN Noticias)

Os Bispos dos Estados Unidos (USCCB) solicitaram ao governo do Presidente Barack Obama a total revogação do mandato abortista –que o mandatário tentou "remendar" há poucos dias– que obriga os empregadores (incluindo entidades religiosas) a pagar planos de saúde para os seus empregados que incluam fármacos anticoncepcionais, métodos de esterilização e abortivos.

Na sexta-feira 10 de fevereiro Obama anunciou uma leve modificação, não muito clara, ao mandato do 20 de janeiro, que em sua opinião agora se acomoda à liberdade religiosa embora siga incluindo os anticoncepcionais e abortivos; os Bispos à sua vez responderam que estudariam a proposta.

Esse mesmo dia de noite, em um segundo comunicado, os Bispos precisaram sua posição e solicitaram a total revogação do mandato e pediram aos católicos de todo o país "unir-se a este esforço de proteger a liberdade religiosa e o direito à objeção de consciência de todos".

No texto, os prelados da USCCB denunciam que estes planos de saúde, aos quais se opõem, tratam o embaraço como se fora uma doença quando não o é. "Além disso os planos que obrigam a cobrir abortivos violam as leis federais sobre objeção de consciência. Por isso solicitamos a anulação de todo o mandato".

O comunicado explica que com seu anúncio de 10 de fevereiro, o presidente Barack Obama tenta impor uma "grave carga moral" aos católicos ao obrigá-los a atuar contra sua liberdade religiosa e de consciência.

Para os bispos esta decisão é "inaceitável e deve ser corrigida".

"Seguiremos, obviamente, fazendo pressão para proteger da melhor maneira possível o direito à objeção de consciência por parte do Poder Executivo", acrescentam os bispos que denunciam "a intrusão do governo nas instituições religiosas que ameaçam os grupos religiosos violando suas convicções mais profundas".

"Em uma nação dedicada à liberdade religiosa como um de seus princípios fundamentais, não devemos estar limitados a negociar dentro destes parâmetros. A única solução completa a este problema de liberdade religiosa que se rescinda o mandato sobre estes serviços objetáveis", prossegue o texto.

Para ler o comunicado completo (em inglês) ingresse em:http://www.usccb.org/news/2012/12-026.cfm

0 comentários:

Postar um comentário