2 de fev de 2012

COMEÇA A GRANDE PERSEGUIÇÃO CONTRA CATOLICOS E EVANGELICOS.

* Católicos americanos devem “se preparar para sofrer, inclusive a prisão” depois da decisão do governo Obana de obrigar a pagar seguros que incluem anticonceptivos, esterilização e remédios abortivos, afirma Bispo Americano.

A secretária de Saúde e Serviços Humanos do governo Barack Obama, Kethleen Sebelius, estipulou o prazo de 12 meses para que todas as instituições católicas dos Estados Unidos acatem a norma de fornecerem métodos de planejamento familiar para os seus empregados. Segundo Dom Fabian Bruskewitz “isto significa que todos os nossos hospitais católicos, escolas, agências de serviços sociais e similares serão obrigados a participar do mal”.

O prelado afirmou ainda que os católicos norte-americanos devem “se preparar para sofrer, inclusive a prisão” depois da decisão do governo Obana de obrigar a pagar seguros que incluem anticonceptivos, esterilização e remédios abortivos.

Dom Fabian(foto) encaminhou uma carta a todas as paróquias de sua diocese e pediu aos padres que a lessem nas missas do último domingo. Em sua mensagem o prelado esclareceu os pontos desta norma e exaltou os fiéis a fazer como “os mártires dos primeiros tempos, temos de estar preparados para aceitar o sofrimento que pode incluir altas multas e a prisão”.

O Bispo de Lincoln advertiu ainda que “a liberdade religiosa nos Estados Unidos está em grave perigo”. Segundo ele, foi pedido ao presidente Obama que “rescinda esta lei, mas todas as solicitações encontraram uma parede e chegaram a ouvidos surdos na administração”.

Dom Fabian Bruskewitz é um dos muitos Bispos da Igreja Católica nos Estados Unidos que tem se pronunciado sobre este tema polemico. Na Diocese de Phoenix (Arizona), os católicos ouviram uma mensagem enviada pelo Bispo Dom Thomas Olmsted afirmando que “toda gente de fé não pode ser renegada e cuidada como segunda classe e nem despojada de seus direitos dados por Deus”.

O Bispo da Diocese de Marquette (Michigan), Dom Alexander Sample afirmou que se esta lei entrar em vigor, “nós, os católicos, nos veremos obrigados a violar nossas consciências ou a deixar a cobertura dos planos de saúde de nossos funcionários e sofrer as penalidades por fazer isto”.

Em Nova Orleans (Luisiana), Dom Gregory Aymond ressaltou em sua mensagem no final de semana que é necessário atuar de frente contra “este ataque sem precedentes a liberdade religiosa”.

O Arcebispo de Miami (Flórida), Dom Thomas Wenski afirmou, também em carta encaminhada a todas as paróquias da Arquidiocese, é “um assunto sério e alarmante que afeta direta e negativamente a Igreja nos Estados Unidos e que atenta contra o direito fundamental à liberdade religiosa de todos os cidadãos de qualquer fé”, disse inicialmente.

Segundo Dom Thomas, o governo federal, que pretende ser “de e para o povo”, com essa decisão, “acabou de acertar um duro golpe a cerca de uma quarta parte deste povo – a população católica – e a outras milhões de pessoas a quem os fiéis católicos oferecem seus serviços”.

Ao concluir a carta, o arcebispo norte-americano fez dois pedidos aos fiéis da Flórida. A primeira: “como comunidade de fé, se comprometam a rezar e a jejuar para que a sabedoria e a justiça prevaleçam e liberdade religiosa possa ser restaurada, pois “sem Deus não podemos fazer nada; com Deus, nada é impossível”. Em segundo lugar o prelado recomendou que os fiéis visitassem a página da Conferência Episcopal dos Estados Unidos www.usccb.org/conscience“, para “informarem-se melhor sobre este assalto grave à liberade religiosa e sobre como entrar em contato com o Congresso em apoio de uma legislação que revogue a decisão governamental”.

Entenda o caso

O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama apresentou um projeto de lei que prevê o reembolso a contracepção e a pílula do dia seguinte, como parte do plano americano de assistência à saúde. Segundo o projeto, a partir de 1º de agosto de 2012, as mulheres poderão ter acesso a todas as formas de contracepção aprovadas pelo FDA (Food and Drug Administration).

Com base nesta lei, todos os contratos relacionados ao seguro-doença, deverão compreender estes serviços. Os empregadores que alegarem crenças religiosas para não fornecerem a cobertura para a contratação, terão até o dia 1º de agosto de 2013 para se conformar as novas regras. (LB)


Evangélicos conservadores na mira do PT

Homem sinistro do PT teme poder de programas evangélicos de TV e diz que governo está preparando mídia para contestar posições evangélicas sobre aborto e homossexualismo

Julio Severo
Um dos homens mais sinistros do PT fez uma importante revelação na semana passada: O PT precisa fazer uma disputa ideológica com os líderes evangélicos pelos setores emergentes.
Gilberto Carvalho, secretário-geral da Presidência da República do governo de Luiz Inácio Lula da Silva, foi o principal articulador do PT nos eventos depois do assassinato de Celso Daniel, o prefeito petista de Santo André que “sabia demais”. Várias pessoas que foram testemunhas do assassinato foram depois também assassinadas. O caso envolvia grandalhões.
Carvalho era braço-direito do prefeito e, conforme denunciaram os irmãos do prefeito assassinado que hoje encontram-se exilados em outro país por ameaças de morte, o PT tinha um grande esquema de corrupção em Santo André, onde enormes somas de dinheiro eram levadas à cúpula do PT — no caso, para José Dirceu.
Com a força sinistra de Carvalho, o caso foi abafado, com todos os seus escândalos e sangue derramado.
Gilberto Carvalho: Governo do PT preocupado com a mídia evangélica que defende valores morais
Com essa força, Carvalho aparece no Fórum Social Mundial, em Porto Alegre, para se dirigir a militantes esquerdistas do mundo inteiro. O evento também contou com a presença do terrorista assassino italiano Cesare Battisti.
O colunista Reinaldo Azevedo, falando de Carvalho, disse: “Os petistas, embora não o digam em público, consideram que a oposição está liquidada”. De fato, o PT não tem oposição política ou midiática secular nenhuma. O PSDB, que é pintado como “oposição”, nada mais faz do que imitar o PT, como comprova a insana lei anti-“homofobia” do Estado de São Paulo, a qual saiu diretamente das entranhas do PSDB.
No Fórum Social Mundial, segundo Azevedo, Carvalho disse que o governo quer criar uma mídia estatal para o povo, porque o governo não quer que o povo fique “à mercê da mídia conservadora”.
Na eleição de 2010, o Brasil inteiro viu como o PT estremeu quando as denúncias de sites e blogs evangélicos contra o aborto e o homossexualismo colocaram em risco a eleição de Dilma Rousseff, que precisou mentir para ganhar o público evangélico. O PT continua com medo dos evangélicos.
De modo geral, a mídia evangélica se abstém de tocar em assuntos que incomodam o governo, como aborto e homossexualismo. Às vezes, quando falam, acabam recuando, como aconteceu com uma poderosa instituição evangélica que postou um manifesto contra o PLC 122, mas prontamente o retirou quando os ativistas gays ameaçaram — incidente desagradável que foi devidamente tratado pelo filósofo Olavo de Carvalho.
Entretanto, na televisão, a voz mais forte e vigorosa contra a agenda gay tem sido a de Silas Malafaia, seguida de algumas outras poucas vozes de líderes neopentecostais.
Essas vozes poderiam ser mais fortes, mas foram cooptadas ao PT mediante o trabalho satânico de evangélicos petistas. No início da década de 1990, a revista Ultimato, de linha calvinista esquerdista, se revoltava contra a oposição neopentecostal feroz ao PT. Paul Freston, que era membro de carteirinha do PT e articulista da Ultimato, se queixava de que as igrejas neopentecostais usavam suas redes de televisão para mostrar oposição sólida ao PT, e questionava como levá-las aos currais petistas.
Graças à lábia macia de Caio Fábio, que era então colunista da revista Ultimato e o maior pastor da Igreja Presbiteriana do Brasil, essas igrejas acabaram se unindo a muitas igrejas históricas no apoio ao PT, embora muitas delas ainda usem, ainda que timidamente, seus canais de televisão para condenar a legalização do aborto e da sodomia.
Gilberto Carvalho, o homem sinistro do PT, mostra que o PT vê essas igrejas midiáticas como uma oposição que não existe em nenhuma outra parte no Brasil. Claro que os poucos sites e blogs cristãos conservadores também são uma ameaça ao poder absoluto que o PT exige sobre as mentes e corações, mas as redes de televisão neopentecostais estão agora na mira da preocupação do PT.
Eis, nas palavras de Reinado Azevedo, como o PT vê os programas evangélicos de TV que condenam o aborto e o homossexualismo:
A força que o [PT] teme é justamente a religiosa. E, no caso, não é a Igreja Católica que os preocupa. Embora tenha cooptado o PRB — o partido da Igreja Universal do Reino de Deus, do autointitulado “bispo” Edir Macedo, dono da Record —, o PT sabe tratar-se de uma vistosa, mas pequena parte dos evangélicos. Seguindo os passos da teoria gramsciana, o “partido” tem de se consolidar como um “imperativo categórico”, de modo que toda ação concorra para fortalecê-lo. Mesmo os movimentos de crítica e reação hão de estar subordinados a este ente. Haver organismos, entidades, grupos ou religiões que cultivem valores fora do abrigo do partido é inaceitável.
Os “pensadores” do PT querem começar a criar as condições para limitar ou anular a influência das igrejas evangélicas especialmente nas questões relativas a costumes. O projeto petista se consolida é com a completa laicização da sociedade, sem espaço para a moral privada ou de grupo. Teses como descriminação do aborto, legalização das drogas, união civil de homossexuais, proselitismo sexual nas escolas (nego-me a chamar de “educação” o tal kit gay, por exemplo) tendem a encontrar resistência. E as vozes que lideram essa resistência costumam ser justamente as dos evangélicos. Setores da Igreja Católica também reagem, sim, mas sabemos que a Santa Madre está infestada de esquerdistas de batina (ou melhor: sem batina!).
Ora, conjuguemos as duas propostas de Carvalho, feitas no Fórum Social: ele quer o estado produzindo “informação” para a classe C justamente para disputar almas com os evangélicos. O PT chegou à fase em que acredita que pode também ser “igreja” — e seu “deus”, como se sabe, é o Apedeuta… Os petistas ainda não engoliram o recuo que tiveram de fazer em 2010, no debate sobre o aborto, por causa da pressão dos cristãos.
Os cristãos evangélicos entraram no alvo de médio prazo do PT. Cuidem-se ou serão também engolidos.

0 comentários:

Postar um comentário