26 de mar de 2012

Aborto - Vídeo com provocação contra defensores da vida some do Youtube. Mas já está de volta!



Aborto - Vídeo com provocação contra defensores da vida some do Youtube. Mas já está de volta!

Contei aqui a história de Elisa Gargiulo, a moça que, na quarta-feira, decidiu se imiscuir numa manifestação pública contra o aborto promovida por um grupo de católicos para, em nome das mulheres, defender a legalização da prática. Acompanhada de outras seis pessoas, ela resolveu documentar o seu ato de grande coragem e postou o filme no Youtube. Elisa não se contentou. No Facebook, denunciou:
“Vejam no video. Foi muito agressivo o jeito que os pro-morte me intimidaram e me empurraram com seus cartazes horrorosos. Depois disso, ficaram nos perseguindo e intimidando, aos berros (…). Fiquei muito triste. Não só com a truculência mas com a quantidade ridícula de pessoas que estavam lá com a gente. (…) Fico pensando na violência que sofri hoje (…)”

Resolvi assistir ao filme. Não houve violência nenhuma! Ao contrário. Os católicos foram extremamente educados com ela. Embora ela estivesse lá para fazer um provocação e, quem sabe, gerar tumulto para poder acusar os adversários de truculentos, nada disso aconteceu. Ao contrário. Falou-se no direito democrático de divergir — coisa que, é provável, a moça não reconhece àqueles de quem discorda.

Devo lhes dizer que essa é uma tática de militância: seja violento e acuse o outro de violência; seja intolerante e acuse o outro de intolerância; seja preconceituoso e acuse o outros de discriminação. No primeiro grande comício dos nazistas após Hitler se tornar chanceler, 19 dias depois da tragédia, Goebbels fez um discurso em que acusava a grande imprensa de… discriminar os nazistas!!!

A ideologia embota de tal maneira o cérebro que blogs e sites de esquerda publicavam o filme e diziam: “Vejam a violência dos católicos!”; “Olhem como os católicos são truculentos!” E escreviam essas coisas contra as evidências da própria imagem. Pois bem. Chamei aqui a atenção para o fato e não deu outra! Resolveram tirar o vídeo do ar!

Acontece que o filme foi recuperado pelos internautas. E agora eu também fiz uma cópia. Elisa foi tratada com civilidade. E devo dizer aos católicos que este há de ser o padrão. Os provocadores vão sempre existir. Não caiam no truque. Segue o filme outra vez. Já mudei o arquivo do post original. Volto em seguida.

Somos aqueles que se opõem à cultura da morte e da violência. Por isso, deixo claro que não publicarei eventuais comentários com agressões à moça. Eu torço é para que ela abandone seu equívoco; para que não carregue na memória, vida afora, o peso de defesa tão nefasta.

Por Reinaldo Azevedo



2 comentários:

  1. Parabéns mais uma Reinaldo pelos esclarecimentos, pois a população deve ficar atenta a todas arte-manhas que o inimigo irá fazer para mudar o país, querendo implantar esta cultura de morte.

    Irmãos não baixemos as guardas, ele ainda ronda a porta.

    Que Deus nos abençoe e não deixe esta cultura de morte chegar a esta terra de Santa Cruz.

    ResponderExcluir
  2. Dou uma dica,pra uma próxima vez, quando aparecer alguma pessoa se infiltrando
    desse jeito ao invés de ficar tampando , alguém pega o microfone e faz uma senhora palestra em cima daquela faixa,
    usa a própria idéia dela contra ela mesma, desarma,desmascara entendeu,
    Assim: Essa senhora que entrou aqui no meio de nós, com pretensão de atrapalhar com suas idéias contrárias,não vamos
    agir de violência de jeito nenhum com a senhora, pois , não é a nossa finalidade, apesar de toda provocação , etc...
    E começa a desmascarar aquelas palavras que estão no cartaz dela(o Anderson que é bom nisso).Sem se intimidar pois a verdade sempre vence.

    Não vi violência nenhuma em vocês, estão de parabéns todos que participaram lá representando a Igreja e alegrando o coração de Jesus ,Muito obrigada!
    Fica a dica!
    Obs: Não precisa postar esse comentário, só queria dar essa simples opinião para vocês.

    ResponderExcluir